“Um pai tinha dois filhos”, assim Jesus começa a parábola do filho pródigo. Uma obra de engenho e arte, pois não há forma melhor de se contar uma história que de tão eficaz, nos mostra o amor de Deus para quem se arrepende. O filho voltou para casa de seu pai com o discurso ensaiado, mas o pai vendo o arrependimento do mesmo o retribui com tudo o que ele havia perdido. O amor de Deus é incomparável e sua justiça incomensurável. Não há o que duvidar de sua razoabilidade em contraparte a justiça humana.