Nem a curvatura do

tempo

há de conter

a luz

que

reluz

 

Em nenhum momento

que se faça

o universo

no seu expandir

e nele esconder

num buraco negro

que disfarça

a luz

que nela e dela

está o cetro

cravado

na lei

que resume

no cume

do monte

onde esteve

o martírio

que nem o

exímio

cientista

consegue

explicar…

 

tudo que ela

conduz

sem fé

que nele

exista.