Quinta-feira, sexta-feira

no seu labor

Tudo prefigura o absurdo

do trabalho

mudo

sem um favor

 

Esperando o fim

de semana

cotidiana

e seu descanso

no sábado

Santo

no aliviar

suspenso

o ar

 

No corpo traz

o que ficou

e descarregou

o que no dia

manso

sem nada de

pranto

que poça ficar

 

O mais

que o sol

a despontar.