Desci as profundezas
do nada
como uma sombra
que não se apaga
no meu intimo
nada que me
fizesse
anoitecer
nem o quarto escuro
sem muros
faca afiada na
varanda
que corta o mal
pela raiz
nem grande Otelo
mais qualquer atriz
entre linhas ou versos
mais perversos
da natureza humana
que profana
os versos
escrevendo
bobagens
como uma
rima
profana.