A mão que afaga um sedento e, nisso dando alento ao próximo, ser humano cheio de planos e duvidas em relação ao futuro. O mais puro amor da existência se define em doar-se em vários modos de ser. O viver necessita do servir e isso é a essência do existir.

   Por mais que tentamos acumular bens e demonstrar atitudes de benevolência, nunca será o bastante para a verdadeira felicidade, necessidade humana que tanto procuramos mas, não está distante de nós. É preciso colocarmos no lugar dos mais desprotegidos no mundo.

   O ‘vento tufão’ que aparentemente parece voraz, não é nada mais que uma brisa para a verdadeira caridade de agir para tornar este mundo menos nefasto.