Sem categoria

Dedilhado no piano

Dedilhado no piano

No fim do som

E como varia o

Tom

Agudos graves

Invade

A alma

Mas trás calma

No entrar da noite

Ouvindo sussurros

No ouvido

Inspiração invade

Mas o quanto

É grave

A situação

No mundo

Convid-19

Deixa todos

Reclusos

Nesse caminhar

Pobres dos que

Não tem um lar

E tudo é absurdo

A marcara do

Mundo

Que mal protege

O desencadear

Até o fim

De tudo.

Prece

Os rochedos são abrigo

Ou podem ser um

Perigo

Ninho de pássaros

Sombra pro andarilho

Meu Deus!

Dilema que

Se repete

Nos olhos meus

Como aconchego

De um ninho

Casa de passarinho

E assim termina

Essa prece.

 

A tempestade

Superfície acolhedora

Jesus dormia num braço

Sem se importar

Com a vida sofredora

E em meio a tudo isso

A tempestade

Movia o barco

E o sacodia

De um lado para o outro

Mas Jesus não se movia

Nos braços do Pai

Os discípulos de tanto

Reclamar

Jesus se levantou

E disse ao mar

Sossegai

E tudo se fez

Calmaria.

 

Sabedoria

Sabedoria para se ter

Na escola

É memoria

Para se obter

E o que se fica

Multiplica

Nas diversas conquistas

Que não se perde

Nem tão pouco

Se refere

A pobreza

Não de cultura

E o espirito jura

Na verdade

Do saber

Pois acima da pobreza

Há o tesouro

Da sabedoria

Que não nasce

Se cria

Do espirito

Do principio

E do vindouro.

 

Asas de um pássaro

Asas de um pássaro

Asa delta

Mais que afago

São gestos de amor

Ribeirão largo

Desce a ribanceira

Pau pereira

Figuras da natureza

E rejuvenescer

Por tanta beleza

Pura

Amor que cura

Toda amargura

E tudo se faz novo

No tempo de

Deus

Apesar dos nossos

Erros

Que vai para o fundo

Do mar

Pra nunca mais se

Encontrar.

E que haja memória

Murmúrios do meu subconsciente

Quem sou eu?

De onde eu vim?

A resposta está na história

De cada um

E que haja memória

Das coisas comuns

E incomuns

Coisas que se impregnam

Na alma

Que se elevam

Como a alva.

Frustações

Com as mãos calejadas

De lanços

E frustações

Aprendi a fazer

Canções

Que possam tocar

Fundo

Ainda que eu

Mergulhe

No fim

Do mundo

E possa fazer

E refazer

Sem deixar que

O pequeno talento

Me orgulhe.

Acima das montanhas

Quem é que nunca teve

Sonhos?

Em busca de horizontes

Mas o horizonte

Pode estar

Rodeado de montes

Contudo se pode ver

O sol

A brilhar

Pois onde quer

Que você esteja

Você terá

A certeza

Que embora os dias

Difíceis

Estará o céu

Que sempre subsiste

Como uma esperança

Que sua fé

Estará acima

Das montanhas

E teu sonho

Não se perca além.

Historia

Quanta gente

Negligencia

Sua própria

Historia

E não levam

Na memoria

Tudo que fez

E realizou

Pois não é preciso

Ser doutor

Com diploma

Na parede

É preciso ter

Um legado

De tudo de bom

Que na vida

Foi realizado.

Tesouro

Há pessoas que tem

O privilegio de angariar

Ouro

E põem

O seu tesouro

Nas riquezas

Mas há aquelas

Que compram

Um campo de valor

Infinito

Pois põem no que é

De mais rico

A vida eterna

Pela fé.