A displicência

A displicência plantou raízes

em mim

Mais que um dissabor

ela tudo difícil tornou

Os afazeres sem começo

nem fim

Mais nasceu em mim

não coisas que aborreço

Uma coisa que não tem preço:

O prazer do trabalho de um

que se empenha no Senhor.

O sol se pôs para um novo dia

O sol se pôs para um novo dia

As serras e os montes trazem na

memória

a história contada em cada marca

de suas árvores

em cada caminho trilhado

nas fontes

na harmonia

que fez o passado

E na ainda exuberância

da natureza

uma flor na sua leveza

como síntese de tudo

transmite de Deus a sua beleza.

Da obra

Foram 880 publicações. Desde o início minha intenção foi expressar o presente, o tempo presente, de maneira mais simples possível. Deixei que a emoção estivesse acima do intelecto, com uma variedade de temas muito grande. Expressei o melhor de mim e continuarei expressando.

O poeta como artista que usa a linguagem escrita, vai além dela. Pois retrata como qualquer ser humano a si mesmo, e o ser humano retrata-se.

O que é verdadeiro, não é fato ligeiro, fica expresso como um espelho de seu lugar e seu tempo.

O mundo atropela

O mundo atropela

Homem que monta

na sela

do cavalo em disparo

dos valores do mundo

informatizado

Que sobressai aos valores

de Deus

Que no sétimo dia

tão esquecido

Há de ser reconhecido

na terra e nos céus.

Não sou eu o inventor de mundos

Não sou eu o inventor de mundos

Conto o presente ou coisas que a gente

sente

Onde o sentimento se retrata

que no infinito eterno não passa

 

Enquanto corações forem tocados

nunca deixarei do meu estrado

Como a palavra mesmo diz

Deus não considera o pecado que fiz

 

O sentimento humano é enganoso

O que existe é uma só verdade

Nascemos para ser eternos

 

O que semeia bons verbos

no tempo não haverá idade

E uma poesia é o pedaço do todo.

Pessoas são tesouros

Pessoas são tesouros

Pessoas valem mais que o

ouro

Ainda que o valor no mundo

seja dado em quantidade(ter)

O verdadeiro “bem” vence a

maldade

O que para a maioria não convém

Como os garotos na minha rua

que julgam ter

passarinhos

fechados na gaiola

Eu tenho muito mais pássaros

nas matas

O que o mal senso comum conflitua.

A tua voz ecoou no infinito

A tua voz ecoou no infinito

mais que um grito

como um estrondo

nas nuvens carregadas

 

E eu reconheci a tua grandeza

desde a delicadeza

das flores plantadas

pela natureza

 

Retrato da tua gloria

que nos traz a memória

das estrelas não contadas

de maneira que fiz do meu pulsar

agradecer a tua estrada

 

Que me dá a certeza

onde vou terminar.

Não tem um mal que não venha o bem

“Não tem um mal que não venha o bem”

Assim dizia minha vó!

Mas há um porém

para esse nó

Para que isso aconteça

e depois da noite triste

amanheça

é preciso que Deus opere

com sua lei

e dizer que tudo no mundo

não é escravo da sorte

pois Jesus com sua morte

deu a opção para os que creem

de ter vida abundante

e o verdadeiro cristão

é salvo e amante

da história da redenção.

 

Jornada

Soltar ao vento em alegorias

tudo, tudo de bom da alma

e com essa calma

percorrer a cada dia

o amor mais sublime do mundo

como palmo a palmo

sem sentir minutos e segundos

deixar um testemunho nos meus passos.

Caminha por um caminho

Caminha por um caminho

Onde o fardo é leve

Suave

Caminho que se deve

Trilhar como o ar

Que necessário à vida

Tantas vezes contida

No ato de amar

Há de haver caminhos

Que levem ao amanhecer

E depois correr

Como um menino

Que ganhou um brinquedo

Não há mais segredo

E não ficou velho

O evangelho.