“Encontros de Conhecimentos Livres”: um marco em 10 anos de política pública de cultura digital no Brasil

Primeiro Encontro de Conhecimentos Livres do Pontão de Cultura Digital do Tapajós - Nov/2009

Primeiro Encontro de Conhecimentos Livres do Pontão de Cultura Digital do Tapajós (PA) – Nov/2009

Apresentamos aqui o artigo “Cultura Digital: 10 anos de política pública no Brasil“, de Thiago Novaes, antropólogo e ativista no campo da Cultura Digital e do Software Livre. Com experiência específica na implementação de políticas públicas em seu campo, Thiago apresenta neste artigo sua perspectiva sobre o conceito de Cultura Digital adotado no governo brasileiro desde 2004, com ênfase na participação dos grupos da sociedade civil na elaboração e execução da política pública Pontos de Cultura.

O artigo coloca foco especial no trabalho da equipe que organizou e ministrou as oficinas de capacitação dos Pontos de Cultura, em eventos que foram chamados de Encontros de Conhecimentos Livres. Thiago argumenta que, “a despeito da parca produção intelectual sobre essa formação, trata-se de uma metodologia de iniciação técnica que obteve reconhecimento internacional e, embora bem sucedida nos dois primeiros anos do Programa, foi abandonada com o crescimento exponencial do número de Pontos de Cultura”.

Quando refletimos sobre os aspectos de sucesso do Programa Cultura Viva, é incontestável que os ‘Encontros de Conhecimentos Livres’, em seu formato original, destacam-se como o principal aspecto de inovação. Thiago ilustra bem o cenário:

“Muito além de hackers e experts em tecnologias, a equipe de capacitação das Oficinas de Implementação do Kit Multimídia se empenhava em promover um ambiente de troca de conhecimentos, de maneira livre e horizontal, combinando os saberes tradicionais, como sobre sementes e ritos religiosos ao ensino da linguagem dos computadores. Evitando os jargões consolidados de inclusão social e, no caso das tecnologias, de inclusão digital, a proposta metodológica se voltava para a valorização da auto-estima, de compartilhamento, convidando a todos os participantes da Oficina cultural a livre manifestação do pensamento, tornando o discurso radical do ministro músico uma realidade vivenciada por onde passava a Cultura Digital do MinC.”

Neste momento em que buscamos atualizar as políticas de inclusão digital, articulando os projetos que envolvem espaços públicos de inovação, experimentação e formação no âmbito das políticas públicas de cultura, as reflexões e provocações de Thiago Novaes neste artigo aportam insumos pertinentes. Vale conferir a íntegra, clicando no link: “Cultura Digital: 10 anos de política pública no Brasil“.

Para os interessados em pesquisar outras referências sobre este período de 10 anos de políticas públicas de cultura digital do Brasil, vale conferir a ‘Linha do Tempo da Cultura Digital‘.

Comentários (5)

Imagem CAPTCHA
*