Edital de ‘Acesso ao Patrimônio Afro-Brasileiro’ seleciona 20 projetos para digitalização e disponibilização de acervos interoperáveis

O edital é parte integrante de proposta mais ampla de articulação em torno de uma instância de governança para padrões e plataformas para acervos digitais, e de um espaço colaborativo entre as instituições comprometidas com a digitalização e o acesso público de seus acervos.

Interligando Acervos da Cultura Afro-Brasileira
O Ministério da Cultura através da Coordenação-Geral de Cultura Digital da Secretaria de Políticas Culturais, a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação – PROPESQ e a Pró-Reitoria de Extensão – PROEXT da Universidade Federal de Pernamubco – UFPE, considerando o conjunto de propostas submetidas, avaliadas segundo o mérito, a relevância e a aderência destas aos objetivos do “Edital de preservação e acesso aos bens do patrimônio Afro-Brasileiro“, tornam público o resultado das deliberações de seu Comitê Avaliador:

Iniciativas selecionadas

NOMES DOS PROPONENTES

PROJETOS

CIDADE/UF

NOTA

Antônio Liberac Cardoso Simões Pires Memória Fotográfica do negro Baiano

Salvador/BA

9,87

Ane Luíse Silva Mercenas Santos Conflito e negociações no pós abolição: As relações de compadrio e dados populacionais em Sergipe.

Aracajú/Sergipe

9,81

Renata Cássia Andreoni de Souza Imprensa negra no Rio Grande do Sul: Caminhos para preservação e divulgação do patrimônio Afro-Brasileiro

Porto Alegre-Rio Grande do Sul

9,58

Dayse Cabral de Moura As memórias dos terreiros do Recife com instrumento de preservação do Patrimônio Afro Brasileiro: A construção dos acervos da casa de Santa Barbara e do Galpão de Ogum Mata.

Recife/Pernambuco

9,47

Maria Angélica Zubaran O direito as memórias negras: Preservando o patrimônio Afro-Brasileiro nas coleções do jornal o exemplo ( 1892 – 1930)

Porto Alegre – Rio Grande do Sul

9,45

Maria das Graças Souza Texeira A Sistematização da Documentação e Digitalização do acervo do Museu Afro-Brasileiro/UFBA

Salvador, BA

9,43

Francisca Helena Marques Arquivo de som e imagem “Dalva Damiana de Freitas

Cachoeira/BA

9,37

Myrian Sepúlveda dos Santos Museu Afro Digital Rio: Arquivos de expressões musicais de Matriz Africana/Grande Madureira.

Rio de Janeiro/RJ

9,34

Leandro Alves da Silva Carta de Esperança Garcia: Uma mensagem de coragem, cidadania e ousadia.

Porto Alegre,/RS

9,31

Sergio Rangel Risso Memórias da escravidão em Campos dos Goytacases: Digitalização dos documentos de escravos do arquivo Público Municipal Waldir Pinto de carvalho (séc. XVIII e XIX)

Rio de Janeiro/RJ

9,28

Solange Pereira da Rocha Patrimônio Afro-brasileiro no Nordeste oriental: Acervos digitais e experiências negras na Paraíba.

João Pessoa/PB

9,16

Moacir Rodrigo de Castro Maia Senhores de suas casas: pesquisa e digitalização dos livros de testamentos de libertos e negros livres de uma cidade mineradora (Mariana-MG, 1732-1888)

Mariana/MG

9,12

Isabelle Braz Peixoto da Silva Afro-memória digital: acervo do Museu Arthur Ramos

Fortaleza Ceará

9,06

José Luciano de Queiroz Aires O semiárido paraibano também é afro-brasileiro: a produção de memórias dos terreiros de umbanda e candomblé da região.

Campina Grande, PB

9,04

Petronio José Domingues O negro no pós-abolição em Sergipe (1888-1900): trabalho, Família e lazer

Aracaju/ SE

9,02

Isabel Cristina Martins Guillen Movimento Negro Unificado de Pernambuco: redes e estratégias na luta contra o racismo (1980-2000)

Jaboatão dos Guararapes/PE

8,98

Marco Antônio Domingues Teixeira Populações afro-amazônicas de Rondônia: identidade étnica, Social e Cultural.

Porto Velho, RO.

8,86

Bruno Rafael Veras de Morais Memória e História de uma trajetória diásporica: M.G. Baquaqua – Escravidão e abolicionismo no Brasil e América do Norte

Recife, PE

8,84

Alessandra Paola Caramori Dicionário de folhas do IlêAxêOpóAfonjá

Salvador, BA

8,83

Nivaldo Aureliano Léo Neto Do buraco ao mundo: segredos, rituais e patrimônio de um quilombo indígena.

João Pessoa, PB

8,65

 

Iniciativas Habilitadas não selecionadas

São iniciativas que possuem propostas coerentes com as as cláusulas do Edital de preservação e acesso aos bens do patrimônio Afro-Brasileiro, porém que não alcançaram classificação entre as 20 (vinte) selecionadas pela Comissão de Avaliação. Havendo disponibilidade orçamentária e financeira a comissão poderá selecionar mais projetos de seguindo a ordem de classificação.

NOMES DOS PROPONENTES

PROJETOS

CIDADE/UF

NOTA

Miriam Furtado Hartung

Quilombo: Acervo digital e guia Qualificado Acadêmico sobre a produção quilombola localizada nos acervos de instituições de ensino superior dos Estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina.

Florianópolis, SC

8,54

Ana Josefina Ferrari

Arquivo e Memória Quilombola: construção do acervo de comunidades quilombolas de São Paulo, Paraná e Santa Catariuna.

Matinhos, Paraná

8,49

Alexandra Gouveia Dumas

Memórias da Mussuca: Quilombo (en) cantos de Dona Nadir

Aracajú, Sergipe

8.40

Sandra Regina do Nascimento Santos

Zul+Zumbi

São Paulo/SP

8,40

Luís Gustavo Molinari Mundim

Salvaguarda da festa de Nossa Senhora do rosário dos homens Pretos de Chapada do Norte: Constituição de acervo

Belo Horizonte, MG.

8.38

Rubens Alves da Silva

Museu itinerante Balaio da Capoeira

Belo Horizonte, MG.

8.30

Osvaldo Martins de Oliveira

Jongos e Caxambus: culturas afro-brasileiras no Espírito Santo

Vila Velha, ES.

8.28

Eugenia Portela de Siqueira Marques

Olhares decoloniais sobre as comunidades quilombolas no Mato Grosso do Sul: Contribuições para o conhecimento e a divulgação do patrimônio afro-brasileiro

Campo –MS

8.26

Cecília de Mendonça

Acervo Djalma Correa: Culturas populares no Nordeste de 1970 1 2010 – Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte.

Rio de Janeiro/RJ

8.29

Solange Sabino Palazzi

Levantamento dos Dados históricos da irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos de Ouro Preto

Ouro Preto, MG

8.25

 

Antecedentes

O presente edital contempla objetivos e diretrizes do Plano Nacional de Cultura (PNC), criado pela Lei nº 12.343, de 2 de dezembro de 2010, e que aborda o tema dos acervos digitais em suas metas 40 – disponibilização na internet dos conteúdos que estejam em domínio público ou licenciados; e 41 – 100% de bibliotecas públicas e 70% de museus e arquivos disponibilizando informações sobre seu acervo no Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais (SNIIC). O Plano tem duração de 10 anos, com validade até 2 de dezembro de 2020.

A escolha do tema tem como objetivo apoiar ações educativas pautadas na Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que inclui a obrigatoriedade do ensino da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”. A interoperabilidade entre as diversas coleções no mesmo tema irá promover uma dinâmica qualificada de acesso, oportunizando a criação de conteúdos pedagógicos inovadores com base nos acervos disponibilizados.

As iniciativas selecionadas neste concurso público estarão contribuindo para a articulação e promoção de estratégias com vistas a implementação de um Programa Nacional sustentável para os acervos digitais brasileiros.

Desafios e Oportunidades

O tema dos acervos digitais apresenta um grande desafio para a política pública. Por um lado, serão necessários recursos significativos para infraestrutura tecnológica, envolvendo o hardware para digitalização, as plataformas de disponibilização, além do armazenamento e de arranjos para preservação digital. Por outro lado, também será necessário formar e manter recursos humanos especializados nas diversas etapas que envolvem digitalização, catalogação e publicação de conteúdos digitais. Em ambos os casos, é fundamental que exploremos o compartilhamento destes recursos entre as diversas instituições públicas mantenedoras de acervos, e por isso,  importantíssimo que se estabeleça um Programa Nacional para integrar o setor.

Neste contexto, o objetivo mais amplo do edital “Preservação e acesso aos bens do patrimônio Afro-Brasileiro” é apontar caminhos e articular estratégias interinstitucionais para a concretização de uma política pública para a digitalização e a disponibilização de acervos arquivísticos, bibliográficos, documentais e museológicos, referentes ao patrimônio cultural, histórico, educacional e artístico brasileiros. Em seu aspecto de pesquisa, o edital busca formar expertise nacional nas metodologias e tecnologias que promovem a interoperabilidade entre acervos digitais de bibliotecas, arquivos e museus.

Na dimensão técnica, o edital propõe a definição de padrões e protocolos que irão permitir a interoperabilidade entre os diversos repositórios digitais, em diferentes formatos (textual, iconográfico, áudio, vídeo, objeto 3D), os quais irão também fomentar o desenvolvimento de aplicações e serviços que promovam a participação da sociedade na criação de novas modalidades de acesso, e de usos inovadores sobre os objetos digitais disponibilizados. A proposta é fomentar arranjos que promovam o compartilhamento de recursos, especialmente os de infra-estrutura tecnológica (plataformas de disponibilização e armazenamento de dados), com o objetivo de assegurar a preservação e manutenção, e o livre e permanente acesso aos ativos digitais gerados neste concurso.

Ao inserir no edital o recorte temático em “História e Cultura Afro-Brasileira”, a ideia é delimitar o escopo da seleção para criar melhores condições de potencializar o efeito demonstrativo do resultado em integrar acervos de diferentes domínios (bibliotecas, arquivos e museus), com ênfase no esforço de compatibilização dos diferentes modelos de catalogação, e no desenvolvimento dos vocabulários e ontologias demandados pelos novas arquiteturas de classificação para o acesso digital (dados interligados / linked data).

Comentários (3)

Imagem CAPTCHA
*