Incubadora Goiás Criativo – Inauguração

A partir da próxima terça-feira (26), o estado de Goiás contará com um espaço para inovação, empreendedorismo, formação, fomento e promoção de projetos culturais. É a Incubadora Goiás Criativo, projeto que integra o programa Rede Incubadoras Brasil Criativo, da Secretaria de Economia Criativa do Ministério da Cultura.

Instalado no centro Goiânia, ao lado das galerias Frei Confalone e Sebastião dos Reis, parte do Centro Cultural Octo Marques, o espaço da Incubadora Goiás Criativo funcionará como local de convívio e interação multisetorial, com o objetivo de promover o compartilhamento de experiências e fortalecimento de redes e coletivos locais.

flyer_02

 

Palestra com Eliane Costa no RN Criativo dá foco para valorização das políticas públicas

IMG_0582

Na tarde desta segunda-feira (18.08), cerca de cinquenta empreendedores criativos entre produtores culturais, músicos, artistas das artes cênicas e visuais, escritores, poetas e profissionais do audiovisual participaram da palestra “Cultura e Economia Criativa: contexto e desafios contemporâneos na perspectiva da política pública” ministrada pela consultora Eliane Costa.
A palestrante deu início a sua fala traçando um panorama conceitual sobre cultura no mundo e na história, com o intuito de relacionar o conceito com a realidade nacional. Para Eliane Costa “cultura é uma rede de significados” que deve ser trabalhada na perspectiva da política pública em três dimensões a simbólica, a cidadão e a econômica, porque segunda ela “nossa identidade é múltipla, são muitas culturas. O que temos como identidade cultural é a diversidade cultural”, colocou a consultora.
No tocante as políticas públicas praticadas no Brasil, Eliane Costa trouxe para reflexão a disparidade dos incentivos por meio do mecenato, as Leis de incentivos fiscais, que segundo pesquisa 80,40% dos recursos investimentos pela iniciativa privada se concentram no sudeste do país. “Esse cenário se caracteriza como uma distorção gravíssima do uso dos benefícios fiscais, que foram criados para fomentar a cultura de quem não tinha acesso a recursos. Mas o mercado escolhe o que quer patrocinar, não tem responsabilidade social”, declarou a consultora.
Para a participante do evento, Vera Santana, coordenadora do projeto Conexão Felipe Camarão, a palestra foi absolutamente necessária para estabelecer dialogo sobre a cultura e a economia criativa, “a palestra foi excelente, mas deveria continuar. Muito assunto para ser discutido em uma tarde. Deveria ser um fórum permanente para discutir as demandas da cultura local pela economia criativa. A Eliane deveria dar cursos sobre esses assuntos que são inquietantes para nós que somos fazedores de ações culturais e econômicas aqui no Rio Grande do Norte”, colocou a produtora cultural. .
A palestra se encerrou com um debate participativo. O evento foi uma promoção da incubadora RN Criativo, que dará continuidade a ações voltadas aos empreendedores criativos.