Capacitação em projetos para criativos culturais

Os participantes da capacitação do Polo Cuiabá são originários de vários locais do Brasil, totalizando 56 alunos, que nesta fase serão divididos em grupos e proporcionarão apresentações de empreendimentos criativos

ANA ELIZA LUCIALDO
Assessoria MT Criativo

O Ministério da Cultura, por meio das Secretarias de Fomento e Incentivo à Cultura (SEFIC) e da Economia Criativa (SEC), realiza em Cuiabá entre 20 e 24 de agosto, a oficina de Gestão de Projetos e Empreendimentos Criativos.

Trata-se da terceira etapa do programa que visa orientar os agentes culturais nas questões pertinentes a projetos culturais em todas as suas dimensões, como também, a gestão de carreira e negócios relativos a cultura. As fases anteriores do treinamento foram em ambiente virtual, as oficinas presenciais acontecerão em nove cidades-polo e capacitarão 900 alunos em todo Pais.

Os participantes da capacitação do Polo Cuiabá são originários de vários locais do Brasil, totalizando 56 alunos, que nesta fase, serão divididos em grupos , proporcionarão apresentações de empreendimentos criativos a equipe do Tutor, Elenor Cecom Junior, vinculado a instituição de ensino Serviço Social do Comércio do DF (Senac/DF).

Com o objetivo principal de munir as pessoas que já estão no campo cultural a dominar ferramentas para melhorar a gestão dos seus negócios criativos, Elenor afirma: “O curso proporcionará o empreendedor criativo a viver de sua arte, por meio de ferramentas administrativas o seu empreendimento buscará a sua sustentabilidade.

Para Fernanda Gandes, gestora do Grupo Tibanaré e articuladora regional do MT Criativo, o curso é uma iniciativa muito importante” Os conhecimentos proporcionados serão aplicados tanto no meu negócio quanto para os criativos atendidos na Incubadora”.

Na opinião do coordenador geral de Ações Estruturantes da SEC/MinC, Gustavo Vidigal, o programa estimula a economia criativa numa junção entre o Projeto Cultural e o Empreendimento Criativo “ É muito importante alinhar o debate do Projeto Cultural com o Empreendimento Criativo numa única plataforma de negócios, como propostas de sustentabilidades, para que as pessoas vivam das suas artes, das suas práticas culturais, dos seus bens simbólicos, dos seus repertórios afetivos atrelados a processos estruturantes, para que a dimensão econômica da cultura se fortaleça”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*