MT Criativo e SEC apresentam APL da Economia Criativa

  Crédito - SECOM-MT4Arranjo Produtivo Local visa desenvolver cadeia produtiva da cultura no Estado

Neusa Baptista – Comunicação/MT Criativo – Noelisa Andreola – Assessoria/SEC

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC) e a Incubadora Mato Grosso Criativo (MT Criativo) apresentarão na próxima terça-feira (16), às 14 h., o Arranjo Produtivo Local da Economia Criativa do Vale do Rio Cuiabá. A iniciativa é fruto de uma parceria entre o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic) e o Ministério da Cultura (Minc) para desenvolver setores da economia criativa em vários estados brasileiros, entre eles Mato Grosso.

O evento acontecerá na Casa Cuiabana, onde será apresentado o Plano de Desenvolvimento do APL, aprovado pelo Mdic.

O arranjo produtivo local (APL) é uma metodologia que promove a articulação e o fortalecimento de agentes produtivos de um mesmo território que desenvolvem atividades econômicas correlatas e possuem vínculos de produção, interação, cooperação e aprendizagem.

Geralmente, o APL reúne empresas produtoras de bens e serviços finais, fornecedoras de insumos, prestadoras de serviços, comercializadoras, clientes, cooperativas, associações, representações, organizações de treinamento de recursos humanos, informação, pesquisa, promoção e financiamento, além de agentes públicos.

Em MT, a meta é diagnosticar as potencialidades regionais geradoras de receita que fomentam a economia criativa para, em seguida, traçar um planejamento estratégico com foco no fortalecimento dos envolvidos na cadeia produtiva local.

O APL do Vale do Rio Cuiabá tem o objetivo de identificar as potencialidades locais e estimulá-las. Prevê o incentivo aos setores de dança, gastronomia e artesanato por meio de otimização de recursos, orientações para o aumento da produção, obtenção de linhas de crédito e sinalização de novos mercados, recebendo verbas do Governo Federal por meio do Ministério da Cultura (MinC) e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic).

O objetivo é a construção de uma rota turística cultural que abrangerá os municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Acorizal, Barão de Melgaço, Cáceres, Campo Verde, Chapada dos Guimarães, Jangada, Nobres, Nossa Senhora do Livramento, Nova Brasilândia, Planalto da Serra, Poconé, Rosário Oeste e Santo Antônio do Leverger.

Com uma população de um milhão de habitantes e PIB aproximado de R$ 20 bilhões, a região é caracterizada por riquezas naturais como as Baias de Chacororé e Siá Mariana, a Chapada dos Guimarães e o Pantanal; e manifestações culturais ímpares, como as festas de São Benedito e do Senhor Divino, o Rasqueado, a Cavalhada e as danças do Cururu e Siriri, entre outras.

Em resumo, a ação maior do APL apoiará o fortalecimento econômico e social dos municípios.

Para o secretário de Estado de Cultura, Fabiano Prates, a iniciativa é um grande presente para os mato-grossenses. “O Arranjo Produtivo vai movimentar a economia local por meio da dança, artesanato e gastronomia de um modo sustentável, valorizando o trabalho dos nossos criativos, que geram produtos para serem consumidos por meio do turismo cultural ‘.

Esse projeto conta com representantes das Secretarias de Estado e Assistência Social – Setas, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar – Sedraf; Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Turismo – Sedtur; Secretaria de Indústria e Comércio , Minas e Energia – Sicme; a Agência de Fomento do Estado de Mato Grosso S/A – MT Fomento; e a equipe do MT Criativo.

O ​evento contará com manifestações culturais do Estado como, Cururu, Siriri e a Arpilharia.

Crédito da Foto: Secom-MT

Palestra com Eliane Costa no RN Criativo dá foco para valorização das políticas públicas

IMG_0582

Na tarde desta segunda-feira (18.08), cerca de cinquenta empreendedores criativos entre produtores culturais, músicos, artistas das artes cênicas e visuais, escritores, poetas e profissionais do audiovisual participaram da palestra “Cultura e Economia Criativa: contexto e desafios contemporâneos na perspectiva da política pública” ministrada pela consultora Eliane Costa.
A palestrante deu início a sua fala traçando um panorama conceitual sobre cultura no mundo e na história, com o intuito de relacionar o conceito com a realidade nacional. Para Eliane Costa “cultura é uma rede de significados” que deve ser trabalhada na perspectiva da política pública em três dimensões a simbólica, a cidadão e a econômica, porque segunda ela “nossa identidade é múltipla, são muitas culturas. O que temos como identidade cultural é a diversidade cultural”, colocou a consultora.
No tocante as políticas públicas praticadas no Brasil, Eliane Costa trouxe para reflexão a disparidade dos incentivos por meio do mecenato, as Leis de incentivos fiscais, que segundo pesquisa 80,40% dos recursos investimentos pela iniciativa privada se concentram no sudeste do país. “Esse cenário se caracteriza como uma distorção gravíssima do uso dos benefícios fiscais, que foram criados para fomentar a cultura de quem não tinha acesso a recursos. Mas o mercado escolhe o que quer patrocinar, não tem responsabilidade social”, declarou a consultora.
Para a participante do evento, Vera Santana, coordenadora do projeto Conexão Felipe Camarão, a palestra foi absolutamente necessária para estabelecer dialogo sobre a cultura e a economia criativa, “a palestra foi excelente, mas deveria continuar. Muito assunto para ser discutido em uma tarde. Deveria ser um fórum permanente para discutir as demandas da cultura local pela economia criativa. A Eliane deveria dar cursos sobre esses assuntos que são inquietantes para nós que somos fazedores de ações culturais e econômicas aqui no Rio Grande do Norte”, colocou a produtora cultural. .
A palestra se encerrou com um debate participativo. O evento foi uma promoção da incubadora RN Criativo, que dará continuidade a ações voltadas aos empreendedores criativos.