Encontro cultural da Mulher abre festividades ao Orixá Yemanjá em Areia Branca

Noamã Pinheiro, Francilina Cruz, Lucia Helena Alves e Kátia Cruz debateram temas relacionados a mulher negra em encontro social (Foto: Carlos Júnior)

Noamã Pinheiro, Francilina Cruz, Lucia Helena Alves e Kátia Cruz debateram temas relacionados a mulher negra em encontro social (Foto: Carlos Júnior)

Foi aberta na noite de ontem (29), a programação alusiva as festividades ao orixá Yemanjá 2014 que é tradicionalmente desenvolvida em Areia Branca-RN pela Casa de Cultura de Matriz Africana Ilé Ase Dajó Ìyá Omí Sàbá.

No primeiro ato, religiosos e convidados estiveram reunidos para participar da 9ª edição do Encontro das Mulheres que abortou a seguinte temática: “A Mulher Negra e suas múltiplas cores na pintura do quadro da existência”, tendo como debatedora principal a palestrante Lucia Helena Alves.

Mediados pelo babalorixá Noamã Pinheiro,orientador espiritual da Casa de Yemanjá Sàbá, o debate contou ainda com a participação das religiosas Francilina Cruz e Kátia Cruz.

Um grupo cultural formado por jovens da casa organizadora do evento e da Casa José de Aruanda apresentaram uma dança de origem africana envolvendo o público presente.

As atividades religiosas prosseguem nesta terça-feira (30), quando ocorre um Siré Campal (culto de louvor ao orixá Yemanjá), a partir das 19h00 em frente à sede do Ilé Ase Dajó Ìyá Omí Sàbá, sito á Rua Duque de Caxias, nº 362 – Centro – Areia Branca/RN. O culto temático enfatizará o orixá “Yemanjá, a maternidade universal”.

O ponto alto da maior festa do candomblé areia-branquense é o Corjeto de Yemanjá que será realizado no dia 31 de dezembro.

“Yemanjá, as águas da vida” é o tema deste ano. A saída ocorre as 15h30 a partir da sede do Ilé Ase Dajó Ìyá Omí Sàbá, na Rua Duque de Caxias, fazendo parada na Praça Luiz Batista, que será um ponto de concentração e seguindo na Rua Barão do Rio Branco até o Cais Tertuliano Fernandes, onde haverá o culto de louvor á Yemanjá e entrega do presente nas águas do Rio Yvipanim (Rio Mossoró).

Histórico

A iniciativa da casa é datada do ano 2000, quando religiosos saíram em caminhada para entregar oferendas no Rio Mossoró. Tímido no primeiro ano, a manifestação de fé foi crescendo com o passar dos anos e atraindo a atenção e a participação de outras casas de candomblé e ainda uma parcela da população que vai ao cais Tertuliano Fernandes no último dia do ano para acompanhar as homenagens ao orixá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*