Quem Somos

  • A fundação do CBC – Congresso Brasileiro de Cinema

    Mais de quarenta anos após a realização do segundo Congresso, somente no final dos anos 1990 voltou-se a discutir a possibilidade de um encontro amplo, que buscasse assumir os interesses do cinema brasileiro como um todo.

    O terceiro Congresso acabou acontecendo em Porto Alegre, entre 28 de Junho e 1º de Julho de 2000, organizado pela Fundacine (Fundação Cinema RS), com apoio do Governo do Estado do Rio Grande do Sul [3].

    Foi presidido pelo cineasta Gustavo Dahl e contou com 70 delegados representando 31 entidades de cinema de 9 estados brasileiros, além de mais de 150 observadores sem direito a voto. Pela primeira vez, participaram não apenas cineastas, produtores e técnicos (além de críticos e pesquisadores), mas também exibidores, distribuidores e representantes de emissoras de TV públicas e privadas.

    O documento final aprovado pelo terceiro Congresso apontava 69 resoluções, entre elas a continuidade do CBC como entidade permanente e o apoio à criação, no âmbito do Governo Federal, de um órgão gestor da atividade cinematográfica, que viria a ser a Ancine, constituída em Setembro de 2001.

    Constituição do CBC como entidade

    A transformação do Congresso Brasileiro de Cinema em entidade permanente, conforme havia sido proposto no 3º encontro, aconteceu no Rio de Janeiro, no dia 15 de Outubro de 2000, com a aprovação de um estatuto provisório e a eleição de uma primeira diretoria, também provisória, que seria referendada no Congresso seguinte. O primeiro presidente do CBC foi Gustavo Dahl. 23 entidades assinaram a ata de criação do CBC.

    Ata de Constituição do CBC – CONGRESSO BRASILEIRO DE CINEMA

    As entidades participantes do III Congresso Brasileiro de Cinema, reunidas na cidade de Porto Alegre (RS), de 28.06.2000 a 01.07.2000, conforme resolução aprovada por unanimidade em plenário, decidiram congregar em caráter permanente as entidades que, representando pessoas físicas ou jurídicas, atuem na produção, distribuição, exibição infra-estrutura, pesquisa, preservação, restauração, ensino e formação profissional,crítica, promoção e divulgação de obras audiovisuais brasileiras, e tenhampor objetivo desenvover as atividades cinematográficas e audiovisuais noBrasil.

    Visando esse propósito, as entidades abaixo assinadas decidiram constituir uma Entidade sem fins lucrativos, com sede e fórum na cidade do Rio de Janeiro – RJ, a ser denominada Congresso Brasileiro de Cinema – CBC.

    O CBC neste ato fundado, tendo como Asssociadas Fundadoras as entidades signatárias dessa Ata de Constituição, reger-se-á por estatuto a ser por elas aprovado dentro de um prazo de 60 (sessenta ) dias.

    As Entidades signatárias, através de seus legítimos representantes, firmam essa Ata em 3 (três) vias originais a serem devidamente registradas junto aos orgãos governamentais competentes.

    Rio de Janeiro, 15 de outubro de 2000

    Entidade e Nome do Representante Legal

    SICESP: Assunpção Hernandes M. Andrade
    SINDCINE: Antonio Ferreira de Sousa Filho
    ABDC: Jacques Deheinzelin
    ABD&C–RJ: Mario Diamante
    FEISAL: Maria Dora Genis Mourão
    SOCINE: Maria Dora Genis Mourão
    CINEMATECA BRASILEIRA: Carlos Roberto de Souza
    CPCB: Carlos Augusto D. Brandão
    CINEMATECA MAM: Gilberto Santeiro
    SNIC: Bruno Stroppiana
    SATED–RJ: Jayme Carlos Del Cueto
    CINEMABRASIL: Marcos J. Manhães Marins
    ACC–RJ: Myrna Silveira Brandão
    STIC: Geraldo Pereira dos Santos
    FÓRUM DOS FESTIVAIS: Antonio Leal
    APACI: Luis Alberto Pereira
    ABD NACIONAL: Paulo Halm
    FÓRUM DOS FORNECEDORES: Edina Fujii
    ABRACI: José Joffily
    FUNDACINE: Luis Alberto (Beto) Rodrigues
    ABEIC: Silvia Rabello
    ABC – Associação Brasileira de Cinematografia
    AMC – Associação Mineira de Cineastas

    Atenciosamente
    Tony de Sousa
    Coordenador Técnico do CBC

Pular para a barra de ferramentas