Últimas Postagens

  • Nota de Pesar do CBC à Zózimo Bulbul

    É com imensa tristeza e pesar que o CBC – Congresso Brasileiro de Cinema recebe a notícia do falecimento do companheiro Zózimo Bulbul, cuja paixão pelo cinema e pela cultura negra fez com que ocupasse lugar de destaque no cenário nacional e internacional. Misto de cineasta, ator e ativista, o diretor de “Abolição” e “Alma no Olho” sempre pensou o cinema como uma arma capaz de transformar a dura realidade que cerca a maioria da população de cor.

    Sua formação como ator se deu no curso regular de teatro do Tablado e, a partir de 1961, no Centro Popular de Cultura (CPC), da União Nacional dos Estudantes (UNE), importante núcleo da esquerda brasileira. Bulbul trabalhou como ator na televisão, no teatro e no cinema, tendo sido o primeiro protagonista negro de uma novela brasileira, Vidas em Conflito, na qual formava com Leila Diniz o primeiro casal interracial da TV brasileira.

    PS: parte das informações contidas nesta nota foram retiradas da Revista Milímetros, em homenagem a Zózimo Bulbul, publicada pela ABD Capixaba.

    Logo no início da carreira, destacou-se em produções do Cinema Novo, dirigido por Leon Hirszman em sua estreia no cinema (em um dos episódios de Cinco Vezes Favela), Glauber Rocha (no clássico Terra em Transe) e Carlos Diegues (Ganga Zumba, Rei dos Palmares), entre outros. A partir daí começa a se interessar pela criação cinematográfica e co-produz o longa-metragem República da Traição, de Carlos Ebert. Sua estreia na direção, após a consagração como uma das mais influentes personalidades negras do país, deu-se em 1974 com o curta-metragem Alma no Olho, uma obra prima que trata do tráfico negreiros dos africanos para o Brasil e a situação dos negros no país. Premiado internacionalmente, o curta causou polêmica no país dos militares e foi a pressão da Ditadura Militar que levou o ator e cineasta para o auto exílio, primeiro em Nova York, depois em Paris.

    Ao retornar filma Dia de Alforria (1981), sobre o sambista Aniceto do Império. Posteriormente, o cineasta se dedica por sete anos de pesquisa em bibliotecas até realizar Abolição, seu primeiro e único longa-metragem, um apanhado de 150 minutos de entrevistas com importantes pensadores negros de todo o país. Este filme foi premiado no Festival de Brasília de 1988 pelo roteiro, pesquisa histórica e fotografia e vencedor como melhor documentário no Festival Latino-Americano de Nova York, em 1990.
    Atualmente, Zózimo vinha se dedicando através do Centro Afro de Cinema a realizar, ao lado de sua companheira Biza Viana, os Encontros de Cinema Negro Brasil, África, América e Caribe, que em 2012 chegou a sua sexta edição. Com um enorme reconhecimento em países como Burkina Faso, Angola, Cuba, Moçambique e Senegal, ele vinha atuando como um embaixador cultural, levando e trazendo produções cinematográficas com objetivos de mostrar e unir estes mundos.

    Zózimo parte nos deixando um legado de talento e fé num mundo melhor. Afinal, ele nos ensinou que negra é cor da Liberdade!

    CBC – CONGRESSO BRASILEIRO DE CINEMA


    João Baptista Pimentel Neto
    Presidente do CBC Congresso Brasileiro de Cinema

    continue lendo
  • CBC participa da Campanha Para Expressar a Liberdade – Uma nova lei para um novo tempo

    luto

    Entidades da sociedade civil lançam no dia 27 a campanha por uma nova Lei Geral de Comunicações

    Na próxima segunda-feira, dia 27, data em que o Código Brasileiro de Telecomunicações completará 50 anos, entidades da sociedade civil se reunirão para lançar a campanha Para Expressar a Liberdade – Uma nova lei para um novo tempo que reivindicará a implementação de uma nova Lei Geral das Comunicações em defesa da pluralidade, da diversidade e igualdade nas condições do acesso à comunicação e à expressão da liberdade.

    A ação busca o estabelecimento de uma regulação mais democrática nas políticas de comunicação no país. Desde 2009, na I Conferência Nacional de Comunicação, a sociedade civil espera o lançamento de uma consulta pública sobre um novo marco regulatório para o setor.

    O lançamento da campanha contará, a partir de segunda-feira, com debates, seminários, panfletagens e eventos no Rio de Janeiro, Brasília, Recife, Aracaju, São Paulo e Maceió, além de site próprio (www.paraexpressaraliberdade.org.br) e ações nas redes sociais. A agenda estará disponível no site do FNDC e nas redes.

    Conheça a carta de apresentação da campanha, participe em sua cidade e nas redes!

    Para expressar a liberdade
    Uma nova lei para um novo tempo

    Neste 27 de agosto, o Código Brasileiro de Telecomunicações completa 50 anos. A lei que regulamenta o funcionamento das rádios e televisões no país é de outro tempo, de outro Brasil. Em 50 anos muita coisa mudou. Superamos uma ditadura e restabelecemos a democracia. Atravessamos uma revolução tecnológica e assistimos a um período de mudanças sociais, políticas e econômicas que têm permitido redução de desigualdades e inclusão.

    Mas estas mudanças não se refletiram nas políticas de comunicação do nosso país. São 50 anos de concentração, de negação da pluralidade. Décadas tentando impor um comportamento, um padrão, ditando valores de um grupo que não representa a diversidade do povo brasileiro. Cinco décadas em que a mulher, o trabalhador, o negro, o sertanejo, o índio, o camponês, gays e lésbicas e tantos outros foram e seguem sendo invisibilizados pela mídia.

    Temos uma lei antiga e que representa valores conservadores. São 50 anos de negação da liberdade de expressão e do direito à comunicação para a maior parte da população.

    Por isso, precisamos de uma nova lei. Uma nova lei para este novo tempo que vivemos. Um tempo de afirmação do pluralidade e da diversidade. De busca do maior número de versões e visões sobre os mesmos fatos.

    Um tempo em que não cabem mais discriminações de nenhum tipo. Tempo de reconhecer um Brasil grande, diverso e que tem nas suas diferenças regionais parte importante de sua riqueza. Tempo de convergência tecnológica, de busca da universalização do acesso à internet, de redução da pobreza e da desigualdade. Tempo de buscar igualdade também nas condições para expressar a liberdade. De afirmar o direito à comunicação para todos e todas.

    A campanha Para expressar a liberdade é uma iniciativa de dezenas de entidades da sociedade civil (www.paraexpressaraliberdade.com.br) que acreditam que uma nova lei geral de comunicações é necessária para mudar essa situação. Não só necessária, mas urgente.

    Todas as democracias consolidadas (EUA, França, Portugal, Alemanha, entre outras) têm mecanismos democráticos de regulamentação dos meios de comunicação. Em nenhum desses países, ela é considerada impedimento à liberdade de expressão. Ao contrário, é sua garantia. Isso, porque sem regulamentação democrática, a comunicação produz o cenário que conhecemos bem no Brasil: concentração e ausência de pluralidade e diversidade.

    Neste novo tempo que vivemos, o Brasil não pode continuar ouvindo apenas os poucos e conservadores grupos econômicos que controlam a comunicação. Precisamos de uma nova lei para garantir o direito que todos e todas temos de nos expressar.

    Venha se expressar com a gente!

    Programação de lançamento

    Dia 27

    Rio de Janeiro (RJ)
    Lançamento da Campanha Para Expressar a Liberdade – Uma nova lei para um novo tempo – Vídeos, poesia, cordel, música e debate público
    Local: Cinelândia
    Horário: 17 horas

    Distrito Federal (DF)
    Debate Aniversário de 5 anos da Cojira-DF e lançamento da Campanha Para Expressar a Liberdade – Uma nova lei para um novo tempo
    Local: SJPDF – Sindicato dos Jornalistas Profisssionais do Distrito Federal
    Horário: 19h30

    Recife (PE)
    Lançamento da Campanha Para Expressar a Liberdade – Uma nova lei para um novo tempo
    Local: Museu Murillo LagGreca – Bairro Parnamirim
    Horário: 10h às 21 horas (a confirmar)

    Aracaju (SE)
    Lançamento da Campanha Para Expressar a Liberdade – Uma nova lei para um novo tempo – Panfletagem com presença de artistas locais e cordelista
    Local: Centro da Cidade
    Horário: 15h

    Debate sobre Liberdade de Expressão e Democratização da Comunicação, no Sindicato dos Bancários.
    Loca: Sindicato dos Bancários – Av. Gonçalo Prado Rollemberg, 794/804 – Centro
    Horário: 18h30

    São Paulo (SP)
    Liberdade de Expressão para Quem?
    Ato lúdico em frente à prefeitura de São Paulo e caminhada até o Teatro Municipal
    Horário: 17h

    Lançamento da campanha e da plataforma e debate com Marilena Chauí e Rosane Bertotti (Campanha pelo Direito à Comunicação – FNDC)
    Local: Sindicato dos Jornalistas de São Paulo – Rua Rego Freitas, 530 (sobreloja) – metrô República.
    Horário: 19h

    DIA 28

    Aracajú (SE)
    Lançamento da Plataforma para uma Comunicação Democrática em Aracaju,
    Local: Sindicato dos Bancários – Av. Gonçalo Prado Rollemberg, 794/804 – Centro
    Horário: 18h30

    DIA 29

    Maceió (Al)
    Psicologia 50 anos e debate do Lançamento da Campanha Liberdade de Expressão
    Local: Rua Prof°. José da Silveira Camerino, 291
    Horário: 19h

    DIA 30

    Aracaju (SE)
    Seminário Nacional Democracia Direitos Humanos /Mesa Temática: Comunicação, Globalizações e Desenvolvimento.
    Local: Auditório da OAB/SE, no prédio da Caixa de Assistência dos Advogados Sergipe (CAA/SE), situado à Travessa Martinho Garcez, nº 71, Centro.
    Horário: 14 às 16h

    continue lendo
  • Resposta da ANCINE ao CBC sobre adoção de novos mecanismos de transparência, participação e acesso a informações

    Amig@s do Audiovisual

    Registro e compartilho a resposta recebida através do E-SIC acerca dos questionamentos apresentados à ANCINE sobre a adoção de mecanismos voltados a conferir maior transparência, publicidade e garantia de pleno acesso aos processos, debates e decisões resultantes das reuniões do colegiado de diretores, que administra a Agência,  conforme protocolo 01590.000160/2012-61.

    Boa leitura e grande abraço.

    João Baptista Pimentel Neto
    Presidente do CBC / Congresso Brasileiro de Cinema

    Prezado(a) Senhor(a),

    Seu pedido de acesso à informação foi analisado e teve resposta na data de 29/06/2012, cujo teor segue transcrito abaixo.

    Dados do pedido

    Protocolo: 01590.000160/2012-61
    Solicitante: CBC / Congresso Brasileiro de Cinema
    Prazo de Atendimento: 02/07/2012 23:59:00
    Tipo de resposta: Correspondência eletrônica (e-mail)


    Descrição da solicitação:

    Ao Exmo. Sr.
    Manuel Rangel
    Diretor Presidente da ANCINE

    Excelentíssimo Senhor,

    O Congresso Brasileiro de Cinema vem protocolar junto à ANCINE/ Agência Nacional de Cinema uma solicitação de maior transparência, publicidade e garantia de pleno acesso aos processos, debates e decisões resultantes das reuniões do colegiado de diretores, que administra esta Agência.

    Neste sentido, visando garantir estes objetivos estamos formalmente solicitando à direção da ANCINE que, a exemplo do que já acontece em outras agências regulatórias vinculadas ao Governo Federal, promova a divulgação prévia das datas e pautas, bem como a transmissão em tempo real, gravação e posterior divulgação, através de seu portal das reuniões do colegiado diretivo.

    A nossa decisão de solicitar formalmente a ANCINE que adote estas práticas, ocorre após constatarmos que as mesmas já fazem parte do dia-a-dia de outras agências regulatórias federais.

    Acreditamos também que tais práticas vão ao encontro e estão plenamente sintonizadas com as medidas determinadas pela Presidenta Dilma Rousseff objetivando ampliar e garantir que todos os cidadãos brasileiros tenham pleno acesso às informações relacionadas a administração pública federal, consolidadas através da entrada em vigor da Lei de Acesso à Informações Públicas e funcionamento do e-SIC / Sistema Eletrônico do Serviço de Informações ao Cidadão.

    Assim, aguardamos o pronto atendimento de nossas solicitações, que visam contribuir com o aprimoramento dos mecanismos de gestão e de participação popular já adotados pela ANCINE.

    João Baptista Pimentel Neto
    Presidente do CBC / Congresso Brasileiro de Cinema

    Resposta da ANCINE:


    Prezado Senhor
    João Baptista Pimentel Neto
    Presidente do Congresso Brasileiro de Cinema (CBC),

    Em atenção ao seu pronunciamento cumpre informar que, segundo esclarecimentos prestados pela Chefe de Gabinete da ANCINE, não há o que se disponibilizar em termos de dados ou documentos, uma vez que não foram solicitadas informações a este órgão, mas sim feitas sugestões de alteração em seu funcionamento e rotinas, notadamente com respeito às reuniões da Diretoria Colegiada.

    Cabe ressaltar que a ANCINE está atenta ao processo de modernização da gestão da regulação no âmbito federal, e disponibiliza regularmente as atas das Reuniões de Diretoria Colegiada em seu portal na internet, bem como as pautas e resumos de resultado da área de fomento aos projetos audiovisuais.

    Vale lembrar que a ANCINE é membro ativo do PRO-REG (Programa de Fortalecimento da Capacidade Institucional para Gestão em Regulação –www.regulacao.gov.br), cuja coordenação é da Casa Civil da Presidência da República. Por esta via, e também por decisão própria, esta Agência continuará em processo de contínua modernização de sua gestão regulatória.

    Neste mesmo sentido, as sugestões feitas pelo Senhor quanto à “transmissão em tempo real, gravação e posterior divulgação, através de seu portal das reuniões do colegiado diretivo” serão, dentro das possibilidades institucionais, devidamente avaliadas pela Direção da ANCINE.

    Atenciosamente,

    Valério Nunes Vieira
    Coordenador – SIC ANCINE

    continue lendo
Pular para a barra de ferramentas