18

07 de outubro de 2010

Tendem a ser considerados como “não recomendado para menores de 18 anos” obras, diversões e espetáculos que contenham cumulativa ou alternativamente as seguintes categorias de conteúdos, observados os elementos que podem contribuir para reduzir ou elevar a faixa etária atribuída a obra audiovisual em questão:

07 de outubro de 2010

– A tendência é aplicada quando há várias cenas ou apenas uma cena de longa duração (imprescindível para a trama), de forte impacto, com tortura.

EXEMPLO: Exibição de mais de uma cena de tortura.

video

VÍDEO: A Cela 2

07 de outubro de 2010

– A tendência é aplicada quando há várias cenas ou apenas uma cena de longa duração (imprescindível para a trama), de estupro1;

1 – Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso.(Lei 12015)

EXEMPLO: Exibição de mais de uma cena de estupro.

video

VÍDEO: The Last House on The Left

07 de outubro de 2010

– A tendência é aplicada quando há várias cenas ou apenas uma cena de longa duração (imprescindível para a trama), de atos ou tentativas de desmembrar um personagem, vivo ou não, incluindo escalpelamentos, degolações ou esquartejamentos, ocasionando dor ou não. Contempla-se também a exibição de partes de cadáveres; ou quando são exibidas cenas com personagem decidido a se matar.

EXEMPLO: Exibição de mais de uma cena de mutilação ou uma cena de longa duração e forte impacto.

video

VÍDEO: OZ

07 de outubro de 2010

– A tendência é aplicada quando há várias cenas ou apenas uma cena de longa duração (imprescindível para a trama), de violação sexual mediante fraude1; favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual2; Tráfico internacional ou interno de pessoa para fim de exploração sexual3.

1 – Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com alguém, mediante fraude ou outro meio que impeça ou dificulte a livre manifestação de vontade da vítima.(Lei 12015)

2 – Induzir ou atrair alguém à prostituição ou outra forma de exploração sexual, facilitá-la, impedir ou dificultar que alguém a abandone.(Lei 12015)

3 – Promover ou facilitar a entrada, no território nacional, de alguém que nele venha a exercer a prostituição ou outra forma de exploração sexual, ou a saída de alguém que vá exercê-la no estrangeiro ou o deslocamento de alguém dentro do território nacional para o mesmo fim. (Lei 12015)

EXEMPLOS: Exibição de mais de uma cena de personagem sendo abusada sexualmente ou personagem mantém estabelecimento onde se pratica prostituição.

07 de outubro de 2010

– A tendência é aplicada quando há várias cenas ou apenas uma cena de longa duração (imprescindível para a trama), de suicídio. Inclui-se não apenas cenas de suicídio, com o modus operandi, mas também aquelas que apresentam tentativas de suicídio. Cenas que exibem conflitos em que o personagem cogita tirar a própria vida, também são contempladas nessa tendência.

EXEMPLOS: Em mais de uma cena personagens tiram a própria vida.

video

VÍDEO: Os Mortos Estão Vivos

07 de outubro de 2010

– A análise embasada nas proporções citadas no Manual da Nova Classificação Indicativa não tem sido utilizada como tendência de indicação, vinculada a uma faixa etária. Quando utilizadas, as proporções são para efeito agravador ou amenizador para classificação da obra.

07 de outubro de 2010

– As tendências são aplicadas quando são apresentadas cenas que enalteçam e incentivem a prática de violência. Também quando a violência é retratada como se fosse “bonita”, “interessante”, “positiva”, valorizando o ato violento e/ou os agressores. Apesar do Manual da Nova Classificação Indicativa apresentar, separadamente, as tendências “Elogio à Violência” e “Glamourização e/ou apologia à violência”, elas foram agrupadas por estarem inseridas no mesmo referencial teórico.

EXEMPLO: Diálogos com frases como “matar alguém é o sentimento mais prazeroso que um ser humano pode sentir”.

video

VÍDEO: OZ

07 de outubro de 2010

– A tendência é aplicada quando é apresentada cena realista de violência, de maneira sádica, capaz de gerar identificação e tensão, que produza intensos padecimentos psicológicos ou físicos. Também quando há o prolongamento desnecessário do sofrimento ou quando o ato violento for praticado por pessoa de confiança.

EXEMPLO: Homem quer se vingar de outro e o pendura em uma árvore e arranca todos seus dedos e dentes antes de matá-lo.

video

VÍDEO: OZ

07 de outubro de 2010

Esta tendência não foi originalmente apresentada no Manual da Nova Classificação Indicativa. Saiba mais

– A tendência é aplicada quando há cenas com diálogos, imagens ou contextos que discriminam as chamadas minorias, promovendo ataques físicos ou verbais motivados por ódio discriminatório por conta de preconceito de gênero ou identidade de gênero, raça ou etnia, religião ou credo, orientação sexual, pertencimento geográfico, idade, condição física ou social, trejeitos e outras situações em que indivíduos pertençam a grupo discriminado.

EXEMPLO: Grupo antissemita encontra judeu na rua e lhe agride sem qualquer outra motivação que não o ódio por sua cultura/raça /religião.

video

VÍDEO: OZ

07 de outubro de 2010

Esta tendência não foi originalmente apresentada no Manual da Nova Classificação Indicativa. Saiba mais

– A tendência é aplicada quando são apresentadas cenas com crimes contra a dignidade sexual de vulnerável (menores de até 14 anos).

EXEMPLO: Adulto pratica sexo com criança de 11 anos, independentemente de consentimento da vítima.

video

VÍDEO: Efeito Borboleta

07 de outubro de 2010

Esta tendência não foi originalmente apresentada no Manual da Nova Classificação Indicativa. Saiba mais

– A tendência é aplicada quando o agressor justifica seu ato criminoso por paixão ou consumo de drogas e que não haja o discurso claro que a conduta seja criminosa.

EXEMPLO: Personagem justifica (e não há discurso contrário) que estuprou a aluna porque estava apaixonado por ela.

video

VÍDEO: OZ

07 de outubro de 2010

– A análise embasada nas proporções citadas no Manual da Nova Classificação Indicativa não tem sido utilizada como tendência de indicação, vinculada a uma faixa etária. Quando utilizadas, as proporções são para efeito agravador ou amenizador para classificação da obra.

07 de outubro de 2010

– A tendência é aplicada quando há apresentação de relação sexual explícita, de qualquer natureza, inclusive masturbação, com reações realistas dos personagens participantes do ato sexual. Necessariamente, são apresentados os órgãos sexuais. Não é utilizado somente em cenas de pornografia.

EXEMPLO: Mulher abre as calças de homem, acaricia seu pênis e a cena apresenta, explicitamente, a introdução na vagina.

07 de outubro de 2010

– A tendência é aplicada quando há cenas de sexo com incesto (apresentação de cenas de sexo ou relações erótico-afetivas entre parentes de primeiro grau ou correlatos, como pai, mãe, irmão, padrasto, enteado).

video

VÍDEO: Do Começo ao Fim

07 de outubro de 2010

– A tendência não tem sido aplicada, uma vez que este tipo de conteúdo está ligado à moralidade. A promiscuidade é considerada como conteúdo temático que pode agravar a classificação indicativa quando associada a conteúdo sexual complexo relacionado à banalização das relações sexuais.

07 de outubro de 2010

– A tendência é aplicada quando o agressor justifica o estupro por paixão sem que haja discurso claro que a conduta seja criminosa.

EXEMPLO: Homem estupra ex-mulher alegando que ainda é apaixonado por ela.

video

VÍDEO: OZ

07 de outubro de 2010

– A tendência é aplicada quando o agressor justifica seu ato criminoso pelo consumo de drogas, lícitas ou ilícitas, sem que haja o discurso claro que a conduta seja criminosa.

EXEMPLO: Após se embriagar, homem sai à rua e estupra mulher, sem que haja punição ao seu ato.

video

VÍDEO: OZ

07 de outubro de 2010

– Há distinção em cenas nas quais vulneráveis são expectadores ou vítimas. Esta tendência se aplica quando são apresentadas cenas com crimes contra a dignidade sexual de vulnerável (menores de até 14 anos).

EXEMPLO: Mulher acaricia órgão sexual de criança.

video

VÍDEO: Efeito Borboleta

07 de outubro de 2010

Esta tendência não foi originalmente apresentada no Manual da Nova Classificação Indicativa. Saiba mais

– A tendência é aplicada quando há cenas de sexo com incesto (apresentação de cenas de sexo ou relações erótico-afetivas entre parentes de primeiro grau ou correlatos, como pai, mãe, irmão, padrasto, enteado etc.), orgias, swing e fetiches.

EXEMPLO: Cena com casal que participa de sadomasoquismo.

video

VÍDEO: De Olhos Bem Fechados