Classifique

Com um perfil bastante variado, os selecionados para o Projeto Classifique tiveram, nos dois dias do evento, a oportunidade de conhecer a política pública e os critérios de classificação de obras de entretenimento.

foto1

A abertura foi realizada pelo secretário de Justiça, Paulo Abrão, que destacou a importância do projeto como ferramenta de participação social. Em seguida, a diretora do Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação, Fernanda dos Anjos, agradeceu a parceria com a Universidade Federal de Goiás e com o Ministério da Educação que auxiliaram no desenvolvimento e distribuição do aplicativo da Classificação Indicativa para professores da rede pública. O objetivo é que o aplicativo seja uma ferramenta de conscientização de crianças e adolescentes e de divulgação da política pública.

Na seqüência, a consultora Tatiana Tannús apresentou como se deu o desenvolvimento do projeto e sua expectativa com o projeto. “Esse é um sonho de muito tempo. É uma forma de possibilitar a participação da sociedade civil em um processo que precisa dessa participação, sem ficar exclusivamente como obrigação do poder público”, explica.

foto2

Ainda na primeira etapa do projeto, os classificadores externos tiveram a oportunidade de se apresentar. Em seguida, o diretor adjunto do DEJUS, Davi Pires, fez uma retomada histórica do desenvolvimento da política pública de Classificação Indicativa, ressaltando as conquistas e desafios que ainda persistem. “É preciso ampliar a divulgação da política de classificação e o lançamento do aplicativo juntamente com o projeto Classifique são esforços importantes neste sentido”, disse.

Na segunda parte do primeiro dia de projeto, os classificadores selecionados participaram de uma nova exposição sobre os conceitos básicos da classificação indicativa. Em seguida, a professora do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília, Laércia Vasconcelos, apresentou noções de psicologia do desenvolvimento, explicando de que forma a Classificação Indicativa pode auxiliar no aprendizado e desenvolvimento de crianças e adolescentes e quais efeitos um obra audiovisual pode ter sobre os jovens.

Após o primeiro dia de projeto, a socióloga de Santa Catarina, Morgana Laemmle, 28, revela empolgação com o projeto. “As explanações de hoje foram bastante esclarecedoras, foi possível tirar algumas dúvidas que eu tive quando acessei os documentos oficiais, por exemplo. Sempre tive uma curiosidade sobre o tema mas com o projeto eu terei a oportunidade de aprender a fazer na prática a classificação indicativa”, diz.

William de Almeida destacou alguns aspectos que considerou positivos sobre o primeiro dia de projeto. “A primeira impressão foi excelente, principalmente no comprometimento e na imparcialidade. Eu cheguei com uma expectativa de que talvez o conteúdo fosse tratado de alguma forma tendenciosa mas mostrou-se um trabalho comprometido. O meu desejo é absorver o máximo de conhecimento que nos será passado nesses dois dias para poder aplicar de forma coerente a política de classificação indicativa”, explicou o assistente executivo de 29 anos, que veio do Paraná para participar do grupo de monitoramento de TV.

O segundo dia do Projeto Classifique contou com a participação de Júlia Maass, assessora de imprensa da vice-presidência e ex-estagiária da coordenação de classificação indicativa. Formada em cinema, Maass apresentou conceitos da linguagem audiovisual aos classificadores externos. Na segunda etapa, a coordenadora de classificação indicativa, Alessandra Macedo, apresentou cada uma das tendências contidas no Guia Prático, a principal referência utilizada para a classificação de obras de entretenimento.

A partir do projeto, os classificadores externos darão apoio ao monitoramento de jogos e aplicativos digitais, ao monitoramento de programas exibidos nos âmbitos nacional ou regional, nas tvs aberta e fechada e apoio à classificação prévia de obras audiovisuais. Por fim, os selecionados irão preencher e entregar relatórios exclusivos do Projeto Classifique, que serão disponibilizados posteriormente aqui no Portal.

Deixe uma resposta