Um site para devoradores de livros!

Seja muito bem-vindo!

Livro: O Sal da Vida

o sal da vida

Hoje quero falar do livro O Sal da Vida, lançado aqui no Brasil pela Editora Valentina. A autora é a francesa Françoise Héritier, antropóloga renomada que morreu em 2017, aos 84 anos.

Ops, antropóloga? Aposto  que você já ficou aí pensando que o livro é denso e pra lá de complicado, não é mesmo? Pois é aí é que você engana. O Sal da Terra é um livreto de poucas páginas com um conteúdo super leve – a narrativa mais ainda.

Nele, a autora compartilha com os leitores os pequenos temperos da vida, aquelas coisas simples e miúdas que fazem a vida valer a pena. Como bem definiu o jornal francês Le Monde, “é um poema em prosa que celebra a vida e o simples fato de existir”.

Justamente por esse formato, eu devorei o livro em uma sentada só. É muito gostoso e fácil de ler, apesar das frases longas e cheias de parênteses.  É como se fosse um monólogo murmurado, como diz a autora.

Essa construção dá ritmo e fluidez à leitura. Você começa e não quer mais parar…É verdade! A autora tem um jeito de escrever muito delicado, que às vezes nos provoca nostalgia, às vezes alegria.

Vou dar alguns exemplos do que ela chama de sal da vida:

  • risadas descontroladas
  • cervejas tomadas no balcão
  • coleções de qualquer coisa
  • ler o jornal em paz (essa é boa!)
  • sair e se divertir
  • ir a um baile de gala
  • ficar acordado à noite enquanto todos dormem
  • construir uma casa imaginária
  • pôr uma bela mesa
  • não pensar em nada
  • bancar o palhaço e fazer imitações
  • jogar boliche
  • trocar piscadelas de cumplicidade
  • saber que estamos agradando
  • dormir até o sono acabar
  • ouvir verdadeiramente os outros
  • passear num barco de pesca

E por aí vai…A lista é enorme e só acaba no fim do livro! rs E nas últimas páginas vêm algumas páginas em branco para que cada leitor escreva o seu sal da vida. Legal, né?

Seguindo a mesma ideia, vi outro dia uma blogueira incentivando o registro das pequenas alegrias diárias que surgem na nossa vida. Registrar mesmo, com papel e caneta. Achei super interessante também. Estou tentando fazer isso, inclusive, na tentativa de valorizar mais o momento presente. Se quiser dar uma olhada, o link é este aqui. 

Até a próxima resenha!

Livro Roube como um Artista, de Austin Kleon

 

Toda obra criativa é construída sob algo que já existe. Nada é inteiramente original.  É disso que se trata o livro “Roube como um artista, do escritor e artista gráfico Austin Kleon.

A obra foi inspirada em uma palestra feita pelo escritor na Universidade do Estado de Nova York, nos Estados Unidos. O vídeo de apresentação viralizou na internet e deu origem a esse livro que já foi traduzido para mais de 20 idiomas e foi apresentado em veículos como The New York Times, The Wall Street Journal e New York Magazine.

E o destaque é realmente merecido. Com um jeito simples e bem-humorado, Austin Kleon dá 10 dicas de criatividade na era digital, partindo da mensagem de que ninguém precisa ser um gênio para ser criativo. Basta ser autêntico.

Mas isso não quer dizer que você precisa ser inteiramente original, pelo contrário, criam suas obras a partir da influência de outros artistas, a partir de ideias que já existem. Não é o mesmo que cópia, vale ressaltar. O que o autor defende é que as pessoas não se sintam na obrigação de criar algo completamente novo. Não há nada de errado em entregar-se à influência sobre o trabalho dos outros, imprimir a sua cara, as suas ideias, os seus pensamentos e criar algo novo a partir daí.

 

Para ajudar os que sofrem do chamado “bloqueio criativo“, o autor dá 10 dicas sobre criatividade. São elas:

  • Roube como um artista
  • Não espere até saber quem você é para poder começar
  • Escreva o livro que você quer ler
  • Use as mãos
  • Projetos paralelos e hobbies são importantes
  • Faça um bom trabalho e compartilhe-o com as pessoas
  • A geografia não manda mais em nós
  • Seja legal. O mundo é uma cidade pequena.
  • Seja chato. É a única maneira de terminar um trabalho.
  • Criatividade é subtração

Além desse livro, o autor lançou “Roube como um Artista – O Diário”, que é um caderno de atividades práticas e divertidas para quem deseja se libertar do fardo de ser completamente original. Mais informações aqui. 

Abaixo vou deixar o vídeo da palestra que inspirou a produção do livro Roube como um Artista. E a seguir deixo uma dica: um aplicativo de livros que disponibiliza a versão resumida da obra que acabei de indicar. Basta se cadastrar e assinar o trial gratuito de três dias.  O app é o 12 minutos. 

Até a próxima!

Livro Por que fazemos o que fazemos?

livro-cortella

 

O livro de hoje vendeu cerca de 115 mil cópias em 2017, sendo o terceiro mais vendido na categoria Autoajuda, segundo o ranking do portal Publishnews. 

A publicação, lançada em 2016 pela Editora Planeta, é de autoria do filósofo e escritor brasileiro Mário Sérgio Cortella., que já lançou outros livros que se tornaram best-sellers no Brasil.

O sucesso de Cortella talvez esteja nas respostas que o autor traz para as principais inquietações humanas, entre elas as nossas preocupações com relação ao trabalho, carreira e realização. Todos nós, em algum momento da vida, nos questionamos sobre as nossas escolhas profissionais, não é mesmo? Queremos encontrar algum sentido e propósito para levantarmos da cama todos os dias para trabalhar. Aliás, a palavra “propósito” nunca esteve tão em evidência como hoje.

A maioria de nós quer descobrir o seu propósito, ou seja, aquilo que lhe impulsiona a seguir em frente, apesar de todas as dificuldades. Quem não deseja se sentir mais realizado no trabalho? Quem não quer acreditar naquilo que faz todos os dias?

E é justamente a partir do tema “propósito” que parte o livro “Por que fazemos o que fazemos?”. O primeiro capítulo, intitulado “A importância do propósito”, o autor nos propõe a reflexão sobre a maneira como encaramos o nosso trabalho. Como uma  mera obtenção da sobrevivência (o que é absolutamente legítimo) ou também como um modo de marcar nossa presença no mundo?

Você já parou para pensar sobre isso? Já se perguntou se o seu trabalho está alinhado com os seus valores, com aquilo que você realmente deseja para a sua vida? Já se questionou o porquê das suas escolhas profissionais? Se essas reflexões fazem sentido para você, não deixe de ler o livro do Mário Cortella. Abaixo deixo a sinopse para você se inteirar mais um pouquinho sobre a obra:

Livro: Por que fazemos o que fazemos?

Autor: Mário Sérgio Cortella

Editora: Planeta (2016)

Sinopse: Bateu aquela preguiça de ir para o escritório na segunda-feira? A falta de tempo virou uma constante? A rotina está tirando o prazer no dia a dia? Anda em dúvida sobre qual é o real objetivo da sua vida? Em “Por que fazemos o que fazemos?” o filósofo e escritor Mário Sérgio Cortella desvenda estas e outras preocupações com relação ao trabalho.

Preço: R$ 17,40 no site da Amazon Brasil 

Resumo gratuito: disponível no aplicativo 12 minutos

 

Livro Comunicação Não Violenta, de Marshall Rosenberg

livro-comunicacao-nao-violenta

Olá, mais uma indicação de livro para vocês!

Hoje vou falar sobre um título que acabei de ler. Chama-se Comunicação Não Violenta e foi escrito pelo autor Marshall Rosenberg. Ele é americano, psicólogo e desenvolveu uma abordagem de comunicação chamada Comunicação Não Violenta.

Neste livro, Rosenberg apresenta as técnicas para melhorarmos nossos relacionamentos pessoais e profissionais, por meio da Comunicação Não Violenta, que é eficaz não apenas para solucionar conflitos de forma pacífica, mas também para nos comunicar com mais compaixão, autenticidade, profundidade.

Mais do que um método, a Comunicação Não Violenta é uma nova forma de se viver. É uma nova maneira de cuidarmos da nossa saúde e das nossas relações. Indo um pouco mais além, a CNV pode mudar o mundo, transformando conflitos potenciais em diálogos pacíficos.

É claro que esse conceito pode parecer abstrato demais falando assim, tão superficialmente. É por isso que indicamos fortemente a leitura do livro do Rosenberg, que apresenta a Comunicação Não Violenta de uma maneira muito fácil de entender. Em vários trechos, por exemplo, o autor utiliza diálogos reais para exemplificar a teoria ou exercícios práticos para o leitor colocar em prática o que aprendeu.

É realmente uma leitura obrigatória para quem quer começar a se aprofundar nos estudos da CNV. Eu posso apostar que, em algum momento, o livro vai tocar você de alguma maneira. Você vai ler e se identificar com algum comportamento, algum diálogo, algum exemplo.

É uma obra sobre relacionamentos, quer algo mais difícil do que isso? rs Não pense então que esse assunto de CNV não tem nada a ver com você. Tudo bem se você não costuma se meter em brigas e evita conflitos, mas uma coisa é certa: você também quer conversas melhores, mais profundas, mais autênticas, mais honestas. Isso está em falta hoje em dia, no “mundo líquido” do sociólogo Zygmunt Bauman.

Portanto, esse livro é pra você, é pra todo mundo. Pode ter certeza! E para quem quiser conhecer um pouquinho as ideias de Marshal Rosenberg, autor da obra, recomendamos esse vídeo a seguir:

E para quem quiser aprofundar ainda mais na Comunicação Não Violenta, vamos deixar uma dica de curso específico sobre o assunto. É ministrado pela Carolina Nalon, especialista em CNV aqui no Brasil.

Para mais informações, clique aqui e leia essa resenha. 

Na próxima semana voltamos com mais! Até!

Livro Ansiedade, de Augusto Cury

livro-ansiedade

Esse livro é de um autor mundialmente conhecido. Ele é brasileiro e já vendeu mais de 25 milhões de livros apenas no Brasil. O nome dele é Augusto Cury ou Dr. Augusto Cury, médico e psiquiatra especialista no funcionamento da mente humana.

Seu livro “Ansiedade – como enfrentar o mal do século” liderou o topo da lista dos mais vendidos de 2014, ano em que foi lançado. Desde o lançamento, a obra não sai da lista dos mais vendidos aqui no nosso país.

O sucesso tem justificativa: a obra aborda um assunto que afeta boa parte da população brasileira atualmente: a ansiedade, que é resultado da Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA), considerada o novo mal do século, suplantando a depressão.

O que vem a ser isso? É uma doença causada pelo excesso de informações, de atividades, de trabalho, de preocupações, de cobrança, de uso do celular, de uso do computador. É caracterizada por alguns sintomas: sofrimento por antecipação, intolerância com pessoas lentas, dor de cabeça ou muscular, problemas de memória, entre outros.

E se engana quem pensa que a SAP é exclusividade do Brasil, o país com a maior taxa de transtornos de ansiedade do mundo. Na verdade, a Síndrome do Pensamento Acelerado é um problema que atinge grande parte da população mundial – crianças, jovens, adultos e idosos.

Como lidar com a Síndrome do Pensamento Acelerado 

No livro “Ansiedade – como enfrentar o mal do século”, o Dr. Augusto Cury ensina várias técnicas para aliviar a Síndrome do Pensamento Acelerado. Todas elas se sustentam em três pilares: gerenciar o pensamento, proteger as emoções e filtrar estímulos estressantes.

Quer saber como fazer isso? Não vamos contar, você vai ter que ler o livro! hahaha Ou pelo menos o resumo dele, caso esteja muito ansioso por aí e não aguente esperar. Neste caso, a sugestão é procurar uma das redes sociais ou sites de livros. A Skoob é uma delas.  É muito legal essa rede social, entra lá para conhecer depois! Vale a pena!

Tem também os sites de resumo de livros, como o 12 minutos, que é totalmente em português.

No mais, um beijo e até o próximo post!

Pular para a barra de ferramentas