HUMARIMBA

.

tocando humarimba decorada

Humarimba construída e decorada nas oficinas. Foto: Roberto Luis

.

Uma etapa intermediária bastante rica, na sequência de construção dos elementos do xilofone de arco típico da Congada de Ilhabela, foi a experiência realizada com as teclas de madeira no formato da “Humarimba”.
A Humarimba é um instrumento desenvolvido pelo australiano Linsey Pollak em 1989, buscando eliminar as dificuldades representadas pela moldura e pelas câmaras de ressonância, na construção das marimbas. O principal atrativo do instrumento é poder ser tocado por duas ou três pessoas simultaneamente, sendo as teclas, simplesmente distendias por cordas, fixadas na cintura de dois executantes. Daí o nome Humarimba, “uma marimba tensionada entre dois humanos”, ou seja: marimba humana. É imperativo lembrar que na África, como na América Central e México, é comum a prática de dois ou mais executantes para um mesmo instrumento.
Explorando livremente a Humarimba, os nossos alunos evidenciaram naturalmente uma forte tendência de tocar em rítmo de Ijexá, conferindo uma conotação local ao uso desse instrumento. Surge assim a Humarimba baiana.
Um exemplo disto foi quando, em interação com Dona Sissi (agente cultural da Ação Griô), surgiu o improviso registrado neste vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=bLGbWmirpYI

Cantos em yoruba, como os do disco de Camafêu de Oxóssi,  poderão ser interpretados com essa orquestração.
Esses cantos são próprios dos grupos de afoxé do carnaval, uma manifestação do sagrado no profano.

– Afoxé Loni
– Adabaô no Mafé
– Moriô

A Humarimba se revelou como um elemento apropriado à natureza das atividades desenvolvidas no Espaço Cultural Pierre verger, pela sua simplicidade e riqueza, possibilitando o jogo, o movimento, a dança. Acreditamos que esse instrumento ficará incorporado ao acervo de brinquedos e jogos do espaço lúdico da instituição.

Outros vídeos dessa experiência, inclusive com a participação do professor Everton, da Oficina de Percussão, podem ser vistos na seção VÍDEOS:

http://culturadigital.br/construindoosom/?page_id=202

.

CONSTRUÇÃO DAS HUMARIMBAS

.

Gabarito

Gabarito para as teclas. Foto: Roberto Luis

.

Foi feito um gabarito para a construção das teclas,  já que todas possuem as mesmas dimensões e o mesmo posicionamento dos furos. Este procedimento visou a produção das Humarimbas e também da Marimba de Arco da Congada paulista.

Riscando uma tecla com o gabarito. Foto: Roberto Luis

.

Demonstrando o corte da tecla com a serra de arco. Foto: Wagner

.

Serrando uma tecla. Foto: Roberto Luis

.

Serrando uma tecla. Foto: Roberto Luis

.

Serrando com apoio. Foto: Roberto Luis

.

Corte e primeiro furo. Foto: Roberto Luis

.

Furando uma tecla. Foto: Roberto Luis

.

Este procedimento para a furação das teclas NÃO é eficiente. Na falta de morsa para fixar a madeira, preferimos prender a tecla na bancada e usar a furadeira na posição livre, já que a broca helicoidal exerce uma pressão que força a peça de madeira a se deslocar para cima e no sentido do giro. Concluímos pela necessidade de trabalhar com a broca chata, como está ilustrado adiante.

Demonstrando como furar com a furadeira elétrica manual. Foto: Wagner

.

Furando uma tecla. Foto: Roberto Luis

.

Furando uma tecla. Foto: Roberto Luis

.

Furando com broca chata em furadeira de bancada. Foto: Roberto Luis

.

Aqui o procedimento ideal para furar as teclas: usando a broca chata e uma furadeira de coluna ou um suporte vertical para a furadeira manual, evita-se o risco da madeira pular (com a pressão do giro da broca helicoidal), provocando acidentes. É necessário providenciar um apoio posterior para encostar a tecla. Assim, podemos simplesmente apoiar a peça com a mão. O apoio que usamos (um perfil de madeira cortada em “L”)serve também para padronizar a distância da extremidade da madeira em relação à posição dos furos no sentido da largura.

Detalhe do furo com a broca chata. Foto: Roberto Luis

Lixando a tecla com apoio. Foto: Roberto Luis

.

Lixando e conferindo o acabamento. Foto: Roberto Luis

.

Tecla apoiada e finalização dos furos. Foto: Roberto Luis

.

humarimba

Humarimba montada. Foto: Roberto Luis

.

Etapa de decoração das Humarimbas. Foto: Roberto Luis

.

Pintando a Humarimba. Foto: Roberto Luis

.

Pintando a Humarimba. Foto: Roberto Luis

.

humarimba 8 tons

Pintando a Humarimba. Foto: Roberto Luis

.

humarimba 7 tons

Pintando a Humarimba. Foto: Roberto Luis

.

humarimba 6 tons

Criatividade em alta nos traços dos alunos. Foto: Roberto Luis

.

tocando humarimba decorada

Tocando a Humarimba, já finalizada, no pátio. Foto: Roberto Luis

.

Humarimbas em ação no ensaio na Sala de Música. Foto: Ricardo Pamfílio

2 ideias sobre “HUMARIMBA

  1. Benedito Pereira

    Senhores professores Instrutores

    Solicito, respeitosamente, me informar como se determina o comprimento das peças de madeira das Humarimbas.

    Prof. Benê!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*