Psico-Ativismo Neodarwinista

Autores:
Edmunda Freudina e Bráuzio Varanella

Resumo: A utilização de psicoativos é encontrada em várias culturas e de formas rebuscadas em vários campos de atuação humana. Vale notar que o consumo de substâncias alteradoras do estado de conciência é também encontrado em outros mamíferos. Estas ocorrencias sugerem que os indivíduos (ou as espécies) se beneficiam desta utilização. Enfim, o Psico-Ativismo Neodarwinista procura reconhecer as vantagens para a perpetuação da espécie na utilização de psico-ativos.

“- Tenho saudades. Tenho muitas saudades.
– De? – perguntou Tortuga.
– Tudo. Bem, na verdade quase tudo, praticamente tudo.
– Quase? Praticamente? – perguntou Tortuga duplamente contraíndo os membros posteriores.
– Sim. Não tenho saudades do que aconteceu, do que foi vivido, disso estou abastado agora mesmo e desde que nasci.
– Então você tem saudades do que não foi, do que não aconteceu, é isso? – perguntou Tortuga.
– Exato. Cada escolha é a negação de todo o resto. Tenho saudades de todas as possibilidades descartadas, a maioria delas sem o mínimo de honraria.
– Mas isso é algo ou é quase tudo? -perguntou Tortuga.
– Isso é tudo menos o algo que escolhemos que é quase nada. Repare, Tortuga, a cada escolha negamos todas outras possibilidades oferecias, que são infinitas. Isso é tudo ou, caso queira ser mais justo porém menos verdadeiro, é quase tudo.”
– Victor Hugo, escritor e psico-ativista francês, passagem sobre a lebre e o coelho em rascunhos pessoais (arquivos da Université Paris 8).

Embora este seja um compêndio, uma série de apontamentos em favor da permissividade ao uso de psicoativos, de antemão é necessário afirmar que há sim problemas relacionados ao uso destas substâncias. Estes problemas são menos críticos do que doenças cardiacas ou respiratórias, não há dúvida inclusive segundo os dados. Além disso, salientamos que as complicações advindas de vícios ou dificuldades cognitivas e emocionais são, por concenso de comunidades inteiras, resultantes de má orientação no cumprimento deste instinto. Com esta perspectiva, apontamos alguns dos benefícios mais valiosos e inequívocos dos estados mentais alterados, sejam eles resultado de contato com as artes, com meditação ou com substâncias psicoativas.

Começaremos com uma análise qualitativa dos algoritmos-base de inteligência artificial (IA): Hill Climbing e SImulated Anealing. Sem a necessidade de matemática explícita ou códigos avançados, as constatações relacionadas ao uso de substâncias saltam aos olhos pois nosso sistema cognitivo possui memória e possui discernimento, ou seja atribui fitness aos eventos. De forma indolor, analisaremos o esquema básico de busca por otimização. Absolutamente central ao caso são as vantagens que perturbações (ruido) efetivamente trazem a um sistema com memória e discernimento. Como isso é vantajoso para um sistema cognitivo? Da mesma forma como é utilizado em computação pelo mundo todo para otimizar situações em que os métodos analíticos – e mesmo outros métodos também matemáticos –  são inócuos ou muito custosos.
Dito isso, deixamos as repetições para os que as escolherem. Partimos para constatações históricas desta notável vantagem que os psicoativos apresentam a uma pessoa comum. Grandes personalidades e também desenvolvimentos científicos impulsionados pelo uso de psicotrópicos serão citados brevemente pois são numerosos.
Alguma atenção especial é merecida para os entendimentos de cunho neodarwinistas pois de fato elucidam os prós e contras, para o indivíduo e para a espécie, e em uma perspectiva racional, sobre o que foi comprovadamente benéfico. Seria uma comprovação dita científica se pudéssemos repetir o experimento. No caso especulamos evolutivamente com base em duas coisas. 1) Na constatação de que o ser humano (e até outros mamíferos) faz uso de psicoativos, a nossa evidência factual. 2) Em que evitar os mínimos locais é uma atividade melhorada com a inserção de ruído/aleatoriedade, como no caso do comportamento Simulated Anealling. Ou seja, com vistas ao uso de alteradores, apontamos a evidência de que é uma prática preservada pela evolução (i.e. benéfica para individuo ou espécie) e apresentamos um dos motivos pelos quais é benéfico. Outros possíveis mecanismos através dos quais a alteração do estado de consciência é algo bom e positivo são apontados ao final

0. Indícios evolucionaistas

  • Presentes em diversas populações mamíferas.
  • Presente em quase todas as culturas humanas.
  • Constante da humanidade mesmo que sem ritos instituídos, infringindo leis e sem motivação transcendental ou religiosa.
  • Uso mais incidente em população com grande contribuição intelectual: cientístas, artistas, políticos. Isso inclui os menos favorecidos, que colaboram na transformação do estado das coisas e portanto sua contribuição intelectual é acentuada.


Com este conjunto de evidências é razoável assumir que seja um instinto humano, inclusive instinto de outras espécies.

Sendo evidência de que é um instinto, devem haver benefícios para a espécie como um todo ou para o indivíduo ao menos.

Os benefícios relatados são geralmente ligados a:

  • Energia mental
  • Melhora de quadros de demência
  • Diversificação: aumento de matizes do pensamento e ideias/concepções novas
  • Elementos mentais (ideias) se multiplicam e mutam viralmente, sendo exatamente eles que permitem ao ser humano sobreviver com maneiras diferenciadas, mais rebuscadas no comprimento do raciocínio e com resultados mais extravagantes, inclusive perigosos como é apontado por previsões climáticas.
  • entendimento de linguagens mais sutis e inconscientes, como a corpórea e outras mais subjacentes/subliminares.
  • desfazer vícios de pensamento e mesmo bloqueios mentais.
  • Treinamento do córtex cerebral.
  • Robustez aos pontos extremos locais: exemplificado no item a seguir.

0.1. Especulações e observações usuais

  • A repressão ao uso de psico-ativos leva a população a fazer uso sem critério e sem orientações mais proveitosas. Boa parte da população bebe ou usa drogas estimulantes de formas abusivas. O uso instruído leva não somente a menores riscos e abusos como a usos potencialmente benéficos para a vida mental/intelectual e até corporal.

1. Inteligência e a evitação dos Extremos locais: Hill Climbing e Simulated Annealing
Existe um procedimento computacional simples utilizado na computação, que geralmente não é entendido como inteligência artficial. Mas que lança muita luz sobre a maneira pela qual os psico-ativos tornam o mundo mental mais robusto a extremos, a vencer bloqueios mentais e gerar nosvas ideias, incluindo pensar sem impedimentos ligados à tabus e convenções (sociais ou indivuduais). Este é o procedimento chamado Hill Climbing, em que se busca otimizar, vendo pra que la

Este funcionamento dos psicoativos é bem ilustrado na vantagem que o procedimento utilizado no ‘simulated annealing’ apresenta quando inserido o ruído, a perturbação do sistema.

Em palavras usuais, pode-se entender um processo de otimização como um procedimento que procura um máximo ou um mínimo. Como na figura a seguir:
Figura1: Hill Clibing, uma única partícula subindo um único monte até o topo.

O problema com este procedimento é que ele não é resistente a extremos locais, note como a figura acima o morrinho é um morrinho com outro maior ao lado mas ele ficou naquele máximo local.

A solução usual para isso na prática é inserir uma perturbação de tempos em tempos. Isso não nos dá sempre o melhor resultado, mas evita que fiquemos restritos a algum máximo local.

Tendo memória e discernimento (critério de melhor e pior), podemos escolher o ponto mais promissor já visitado.

O máximo ou o mínimo podem ser maiores capacidades de entendimento sobre a realidade que nos cerca, pode ser autoconhecimento, cuja recompensa é bem estar e capacitação. Um ponto extremo pode ainda ser a qualidade dos resultados atingidos em alguma atividade, como criação artística, pesquisa científica, inteligência interpessoal e emocional, etc.

2. Pessoas com vida e produtividade mental privilegiada, que faziam uso de substâncias psico-ativas:

– freud
– shakespeare
– cara da teoria do caos
– fortes indícios de que einstein tamb utilizava algumas substâncias
– fora que praticamente todos utilizavam álcool e tabaco.
– gil, rita lee, beatles, jazzistas, young,
– timothy leary
– xamãs indígenas, aborígenes, euro-ásia,
– adous huxley
– poe
– jimi hendrix
– tim maia
– erasmo carlos
– elis regina
– bill clinton
– Feyman
– Especula-se sobre Fernando Henrique
– John Cunningham Lilly (January 6, 1915 – September 30, 2001) was an American physician, neuroscientist, psychoanalyst, psychonaut,philosopher and writer.

O Psico-Ativismo pode ser a utilização de substâncias para produzir mídia ou atuar de forma a desfazer os vícios de raciocínio/visão e os tabus.

autor: Loreta Braba
subst: loló?

Os líderes são a fonte da corrupção

Eles são a verdadeira fonte de mazelas.

Mas não
culpemos ninguém pois aliás é pretensão achar que seríamos
melhores líderes na posição.

Simplesmente não devemos causar este mal a ninguém, tampouco
carregar este fardo ou comprometer o bem estar coletivo com este
tipo de contra-senso. Um lider é o alvo fácil. O homem certo a
quem deve-se recorrer caso queira atrapalhar a causa que ele
lidera.

Caso queira ajudar, procure periféricos. Ou procure alguém
próximo.

E foi procurando o próximo nos encontramos. E periféricos.

‘Movimento Sciedade Civil Organizada’?

MOSCO

((((((((**************************************))))))))))))))))))))))))
titulos possíveis:
Psico-Ativismo
Psico-Ativismo Neo-Darwinista: um apelo às Mães e aos Filhos. A Higiene Mental contronta a Lavagem Cerebral.
Psico-Ativismo Neo-Darwinista Anti-Lavagem: um Apelo Sincero às Mães e aos Filhos.
Neo-Darwinismo Psico-Ativo ou Psico-Darwinismo Neo-Ativo
Psico-Darwinismo Neo-Ativo
Ativismo Darwinista e neo-psicótico: a velha contra-cultura otimiza a parada
))))))))*************************(((((((((((((((((((((((((((((((((((((((

copiado do pad:
http://pontaopad.me/psico-ativismo

Estamos trabalhando neste.

REFERÊNCIAS
Darwin
Vida