Música – Série Harmônica

Dando prosseguimento a atividade de relacionar a música com a pintura, mais primitivamente, os sons e as cores, é preciso nos embasarmos com informações necessárias às análises que faremos futuramente na associação das duas artes.

Algo então importante a ser apresentado é a série harmônica na constituição do som obtido pelo “soar”de um instrumento.

Quando se toca uma corda de um violão, por exemplo, a corda vibra em toda a sua extensão e produz um nota que é chamada de nota fundamental, que é a nota que dá seu nome.  Se tocar a quinta corda do violão, por exemplo, ouvirá a nota lá (fundamental).

Mas se pudesse ampliar a visão da vibração da corda, veria que em um segundo momento, ela formaria uma espécie de “nó” exatamente no meio da corda, como se a dividisse em duas cordas vibrando simultâneamente, cada qual com o dobro da frequência da vibração original (fundamental). E isso aconteceria sucessivamente. A vibração original da corda seria dividida em 3, depois em 4 e assim por diante, gerando os harmônicos da nota fundamental.

1(f) vibração do harmônico fundamental
seguido dos próximos 15 harmônicos

Pitágoras foi quem mais se destacou nas pesquisas, experimentos e descobertas desta área. Estudando as propriedades do som e das notas, observou que existem notas que mantém uma relação harmoniosa, ou seja, que são agradáveis ao ouvido. A partir desta observação foi possível construir uma escala em que cada nota mantém uma relação bem definida com a outra (como mencionado em artigo anterior).

No caso do violão, devido à limitação da elasticidade da corda, os primeiros harmônicos soam com maior força que os posteriores e exercem um papel mais importante na determinação da forma de onda e consequentemente, no timbre do instrumento.

Veja na tabela abaixo os 16 harmônicos obtidos a partir da nota :

Harmônicos

Nota Frequência(Hz)
1(F) 110
2 Lá2 220
3 Mi3 330
4 Lá3 440
5 Do#4 550
6 Mi4 660
7 Sol4 770
8 Lá4 880
9 Si4 990
10 Do#5 1100
11 Ré#5 1210
12 Mi5 1320
13 Fá#5 1430
14 Sol5 1540
15 Sol#5 1650
16 Lá5 1760

Se entendermos que o som de uma nota é a resultante da sobreposição de todos os seus harmônicos, começamos a entender por quê instrumentos tocando uma mesma nota possui “timbres” diferentes.

Sobreposição de ondasFormato da onda resultante da sobreposição
de 3 harmônicos.

Com isso, uma simples nota carrega consigo toda uma séria de outras notas que juntas moldam seu timbre, corpo e textura.

A presto,

D.

Veja os apps do autor na App Store

Veja os livros do autor no iTunes

Esta entrada foi publicada em Arte, Tencologia e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Música – Série Harmônica

  1. Jessé disse:

    Interessantíssimo! Bem como citou Pat Metheny, em entrevista à Guitar Player (não lembro a edição), que estudava física para perceber harmonias “bonitas”. Parabéns pelo estudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*