Plataforma aberta (e distribuída) para acervos digitais

CulturaDigital.BR

Uma plataforma aberta para hospedar, catalogar e distribuir conteúdos digitalizados, garantindo acesso qualificado a acervos disponíveis na rede.

Este post documenta os encaminhamentos do evento que reuniu especialistas e parceiros para debater o projeto de desenvolvimento de uma plataforma aberta (e distibuída) para acervos digitais. A reunião aconteceu em março último no Rio de Janeiro, e é resultado direto das diretrizes consolidadas no Seminário Internacional do ‘Fórum da Cultura Digital Brasileira‘ — especialmente no eixo Memória Digital. Esta conversa aberta é parte integrante do ‘GT de Vídeo Online‘ do ‘Simpósio Internacional de Políticas Públicas para Acervos Digitais‘ (26 a 29/04, em São Paulo),

Debatendo a Plataforma Aberta (e Distribuída) de Acervos Digitais

O Ministério da Cultura, em parceria com a RNP, promoveu nos dias 17 e 18/03 uma conversa entre técnicos e especialistas em projetos de disponibilização de conteúdos digitais na rede. O objetivo foi debater os novos cenários no campo do armazenamento e distribuição de acervos digitais, buscando consolidar a posição do MinC e parceiros na especificação do projeto de desenvolvimento de uma plataforma aberta para disponibilização de conteúdos digitais.


A reunião serviu para reativar o debate sobre o vídeo on-line iniciado no “Seminário Internacional do Fórum da Cultura Digital Brasileira”, e vários elementos se somam para tornar esta conversa, neste momento, extremamente importante e estratégica. Destacamos, entre outros, o (1) Plano Nacional de Banda Larga, que formula cenários de infra-estruturas públicas para qualificar o acesso à rede e contempla a dimensão conteúdo, os (2) debates públicos sobre o Marco Civil e a nova Lei de Direito Autoral, e a perspectiva de mobilização para se consolidar uma Política Nacional para Acervos Digitais.

A Coordenação de Cultura Digital (SPC/MinC) propõe que o conceito da plataforma contemple três demandas principais:

  • Demanda de instituições públicas detentoras de acervos (museus, bibliotecas, universidades, escolas, arquivos públicos) de uma moderna plataforma digital capaz de acolher e potencializar o valor dos seus conteúdos arquivados.

  • Demanda dos “Pontos de Cultura”, “Pontos de Mídia Livre”, e demais realizadores digitais independentes, além de outras iniciativas de interesse do MinC ligados ao setor de cultura digital (MediaLabs, CineGrid Theaters), de uma moderna plataforma digital capaz de acolher e potencializar o valor do conteúdo dos novos circuitos independentes de produção cultural.
  • Demanda de integração da plataforma web de acervos digitais com o desenvolvimento de aplicações interativas para TV digital brasileira. A oportunidade do lançamento dos canais da TV pública, somado à arquitetura aberta do middleware (Ginga) e do set top box podem apresentar novos espaços para a inovação no acesso aos acervos.

No momento em que estamos definindo e detalhando questões como formatos de disponibilização, mecanismos de visualização, alternativas de interatividade, arranjos para licenciamento customizado de conteúdos, e modelos de hospedagem de arquivos em alta definição para a formulação do projeto, nos parece fundamental promover uma reflexão à luz das novidades que o cenários da web apresenta em 2010. Trata-se de interlocução fundamental para a atualização das premissas que definirão os rumos do projeto brasileiro.

Entendemos que a exploração e o uso de possibilidades avançadas da rede, somada à reflexão sobre o cenário Cultura Digital desde um ponto de vista público, têm revelado o grande valor do acesso livre e qualificado ao conhecimento. A parceria entre MinC e RNP em ‘Cultura Digital’ promove este debate como um exercício de atualização dos elementos que irão inspirar políticas públicas sintonizadas com os nossos tempos atuais.

A Oficina Técnica

Durante o evento, a coordenação do CD.br propôs a organização do debate em três grupos temáticos, para tratar do que consideramos as 3 camadas básicas do universo que abrange as nossas demandas . O objetivo foi reunir os grupos de acordo com temas que tratam, e produzir elementos para uma melhor avaliação de diferentes tecnologias / arranjos para responder às demandas colocadas. Apresentamos abaixo a ementa dos grupos e os arquivos que documentam o resultado bruto das discussões, contendo insumos para o seguimento da iniciativa:

Grupo 1 – Base de dados / Catalogação / Modelos de Metadados.

  • integração de repositórios
    . federação de acervos (rnp)
    . meta-buscador
    . APIs abertas de acesso
    . integração em ambientes de rede social (open id)
  • metadados e plataformas
    . padrões internacionais
    . novos padrões
    . folksonomia
  • plataformas open source (catalogação, ambiente de usuários)
    . dspace
    . drupal
    . wordpress

Grupo 2 – Modelos de Armazenamento e Distribuição / Funcionalidades da Interface
  • funcionalidades de interface / ambiente:
    . cenário html5
    . tradução colaborativa
    . busca por palavra em arquivos de áudio e vídeo
    . edição online de áudio e vídeo
    . busca contextual
    . player
  • modelos de distribuição
    . streaming
    . download
    . p2p (bittorrent)
    . tv digital:

    • distribuição para o set top box
    • modelos de interatividade (UHF, web)

Grupo 3 – Modelos de Sustentabilidade (governança dos projetos de digitalização, e arranjos para recompensar os autores e produtores).
  • serviços
    . venda de arquivos em alta definição
    . serviços de impressão / book machine
  • video
    . venda de trechos / interface de seleção
  • áudio
    . micropagamento para download