Últimos Posts

  • Oficina Técnica: Plataforma Aberta e Distribuída de Conteúdos Digitais – Apresentações

    0 comentários

    por: VJ pixel, em Sem categoria no dia 07/05/2010

    Algumas apresentações foram feitas entre as atividades, trazendo novas idéias às discussões e questões relevantes à construção da plataforma.
    Continuar lendo…

  • Oficina Técnica: Plataforma Aberta e Distribuída de Conteúdos Digitais – GT 3: Modelos de Negócio

    0 comentários

    por: VJ pixel, em Sem categoria no dia 07/05/2010

    A pauta do grupo de trabalho 3 da Oficina Técnica conteve: geoblock, venda de partes de conteúdo para uso em propaganda, programas/shows sob demanda, possibilidades não contempladas na lei Rouanet, envolvimeto do Ecad, Condecine, direitos autorais, cross media.

    A planilha com o resultado do GT pode ser baixada aqui.

  • Oficina Técnica: Plataforma Aberta e Distribuída de Conteúdos Digitais – GT 2: Interface e infraestrutura

    0 comentários

    por: VJ pixel, em Sem categoria no dia 28/04/2010

    A pauta do grupo de trabalho 2 da Oficina Técnica conteve: métodos de troca, distribuição e broadcast, formatos de entrada e saída, relatórios, notificações do sistema, licenças, permissões de acesso, busca contextual, tagging de vídeos, acessibilidade, estatísticas, interação com o usuário (recursos de comunidades e edição de vídeo).

    A planilha com o resultado do GT pode ser baixada aqui.

  • Oficina Técnica: Plataforma Aberta e Distribuída de Conteúdos Digitais – GT 1: Metadados

    0 comentários

    por: VJ pixel, em Sem categoria no dia 26/04/2010

    A pauta do grupo de trabalho 1 da Oficina Técnica continha: XML, padrões educacionais, associação de recursos e anotações, redes sociais, integração de rede, metadados semânticos (OWL), programação interativa (usuários escolhem os vídeos).

    A planilha com o resultado do GT pode ser baixada aqui.

  • Oficina Técnica: Plataforma Aberta e Distribuída de Conteúdos Digitais – Introdução

    1 comentário

    por: VJ pixel, em Sem categoria no dia 22/04/2010

    O Ministério da Cultura, em parceria com a RNP, promoveu no Rio de Janeiro nos dias 17 e 18/03 uma conversa entre aproximadamente 40 técnicos e especialistas em projetos de armazenamento e disponibilização de conteúdos digitais na rede. O objetivo foi debater os novos cenários no campo do armazenamento e distribuição de acervos digitais, buscando consolidar a posição do MinC e parceiros na especificação do projeto de desenvolvimento de uma plataforma aberta para disponibilização de conteúdos digitais. O governo acredita que vídeo digital é um debate essencial, pois sua produção e circulação via Internet tende a aumentar rapidamente nos próximos anos, de modo a ocupar boa parte da banda da Internet.
    Continuar lendo…

  • Histórico do GT de Vídeo

    0 comentários

    por: VJ pixel, em Sem categoria no dia 22/04/2010

    As atividades do GT de vídeo do Simpósio começaram a acontecer no Seminário Internacional do Fórum da Cultura Digital Brasileira, que ocorreu em novembro de 2009 na Cinemateca de São Paulo. Foi lá que, através de reuniões informais, idealizou-se a Oficina Técnica sobre a Plataforma Aberta de Conteúdos Digitais, que correu no Rio de Janeiro, nos dias 17 e 18 de Março.
    Continuar lendo…

  • Apresentação

    0 comentários

    por: VJ pixel, em Sem categoria no dia 20/04/2010

    O Ministério da Cultura do Brasil e o Projeto Brasiliana USP e a Casa da Cultura Digital estão organizando um Simpósio Internacional de Políticas Públicas para Acervos Digitais, a ser realizado na cidade de São Paulo, entre os dias 26 e 29 de abril de 2010, com o objetivo de formular um modelo sustentável de preservação e o acesso universal do patrimônio cultural brasileiro.

    O Grupo de Trabalho (GT) de Vídeo têm a tarefa de estimular e documentar a discussão sobre um modelo de plataforma aberta e distribuída para armazenamento e distribuição de acervos digitais, através do debate com atores nacionais e estrangeiros. Ente esses atores se destacam desenvolvedores, pesquisadores, empresários e produtores audiovisuais.

    A transformação da informação analógica em dados digitais implica em uma mudança urgente em relação a preservação do patrimônio cultural imaterial brasileiro. Dados que estão registrados em suportes físicos carecem de tratamento e conservação apropriada e novas tecnologias, assim como caminhos para a formação de uma rede efetiva entre as instituições e os projetos já existentes são soluções possíveis para essa questão. Ao mesmo tempo, as leis de direito autoral ora ajudam, ora atrapalham este processo de conservação e compartilhamento da informação.

    Neste sentido, o MinC, a Brasiliana USP e a Casa de Cultura Digital estão trabalhando na organização de reuniões de especialistas e profissionais para a troca de experiências, conceitos e soluções tendo em vista a proposição de políticas públicas de digitalização dos acervos e de formulação de um modelo sustentável de preservação e acesso universal do patrimônio cultural brasileiro.

    Para propiciar a discussão prévia dos temas relevantes para o Simpósio, foram criados 4 grupos de trabalho (GTs):