cataratas

Foz do Iguaçu é destaque no turismo nacional

Foz do Iguaçu é um município brasileiro do estado do Paraná. Com uma população de 264.044 habitantes, conforme estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, de agosto de 2017.

Segundo o Ministério do Turismo, Foz do Iguaçu, no Paraná, é um dos principais destinos turísticos do país e a cidade não recebeu esse título à toa. São tantos atrativos importantes para serem visitados que o turista precisa se organizar para não perder nada. É bom estar preparado para fortes emoções, como navegar em águas turbulentas, dar de cara com animais silvestres ou adentrar a maior geradora de energia do mundo.

PARQUE NACIONAL DO IGUAÇU – Em meio à Mata Atlântica, está o Parque Nacional e uma das sete maravilhas do mundo, as Cataratas do Iguaçu, que são imponentes no nome (Iguaçu significa “águas grandes”, em tupi-guarani) e na composição geográfica. Com 200 mil anos, as quedas têm 80 metros de altura e deixam os turistas boquiabertos. O passeio inclui visitá-las por meio de trilhas ou navegando em turbulentas águas.

A magia das Cataratas vai além do rio Iguaçu e a cultura dos ancestrais indígenas está enraizada na lenda dos apaixonados Naipi e Tarobá. A história conta que Naipi era a prometida do deus M’Boy, mas resolveu fugir pelo rio com Tarobá. O resultado veio em forma de castigo do deus e a índia foi transformada em uma das rochas centrais das cataratas, sendo fustigada eternamente por águas revoltas. Já seu amado tornou-se uma palmeira situada à beira de um abismo.

O Parque Nacional do Iguaçu fomenta turismo não só pelas Cataratas, mas por ser amplo em biodiversidade de fauna e flora. Criado em 1939, o local recebe 1,5 milhão de turistas por ano e movimenta a economia dos 14 municípios que estão ao seu redor. O Parque protege algumas espécies ameaçadas de extinção, como a onça-pintada, o puma, o jacaré-de-papo-amarelo e o gavião-real. Então, há possibilidade de o turista encontrar um desses bichos, mas nada preocupante, uma vez que os visitantes são acompanhados por guias preparados.

USINA ITAIPU – Sentir-se pequeno dentro da gigante Itaipu Binacional é uma das sensações que o turista vivencia ao visitar a Usina. Considerada a maior geradora de energia limpa e renovável do planeta, a barragem de Itaipu tem 7.919 metros de extensão e 196 de metros de altura máxima, o que corresponde a um prédio de 65 andares. Recebe 900 mil turistas por ano e aguça a curiosidade de quem gosta de história e tecnologia.

Em Itaipu, o turista inicia o tour no Centro de Visitantes e vai ao topo da barragem. O passeio inclui observar a atividade do rotor de uma das unidades geradoras, conhecer o comando central, navegar pelas águas do lago e estar em contato com natureza. O local é tão grande que o turista pode escolher quais passeios deseja fazer. Itaipu foi criada em 1973 por meio de um tratado entre Brasil e Paraguai. Cada país tem direito a 50% da energia gerada, mas o Paraguai usa apenas 11% da energia e vende o restante para o Brasil.

MARCO DAS TRÊS FRONTEIRAS – As águas também são responsáveis por separar Foz do Iguaçu da Argentina e do Paraguai. A demarcação dessa divisão pode ser visitada por turistas no Marco das Três Fronteiras. Instaurado em terras brasileiras, o Marco permite que o visitante aviste a Argentina de um lado e o Paraguai do outro, além de conhecer a Vila Cenográfica das Missões Jesuíticas e aprender sobre os indígenas e jesuítas que viveram na região nos séculos XVI e XVII. O túnel do tempo conta também com o Memorial Cabeza de Vaca e com o Obelisco das Três Fronteiras.

*Foto de Capa; Joel Rocha / Ministério do Turismo

05 de Janeiro de 2016 -Passaporte .Foto: Roberto Castro/MTur

Distancia entre Brasil e China ficará menor com acordo para facilitação de vistos

Os acordos para facilitar os vistos de brasileiros em viagens para a China são uma boa novidade para quem pretende visitar o país oriental ou manter relações comerciais.

Segundo o Ministério do Turismo, o país mais populoso do mundo e maior emissário de turistas internacionais, a China firmou acordo para facilitação de vistos com o Brasil. O documento foi assinado durante a viagem da comitiva do Governo Federal ao país asiático, que se encerrou na última semana. A medida será um importante impulso para o governo brasileiro atingir a meta prevista no plano Brasil Mais Turismo de atrair 12 milhões de visitantes vindos do exterior até 2022.

“Este é o horizonte que buscamos alcançar nos próximos anos. O plano Brasil Mais Turismo prevê a facilitação de vistos, justamente para aumentar este fluxo de turistas. O Brasil é o primeiro país em atrativos naturais, dito pelo Fórum Econômico Mundial este ano, o oitavo em recursos culturais, mas não recebe o número de turistas compatível com este potencial”, afirma o ministro Marx Beltrão.

Em 2016, mais de 130 milhões de chineses viajaram pelo mundo, porém pouco mais de 50 mil escolheram o Brasil como destino. A Organização Mundial de Turismo aponta que a facilitação de vistos é uma importante iniciativa para fortalecer o setor. “A facilitação de vistos é uma das nossas prioridades porque temos estudos que comprovam que através da facilitação de vistos há mais turistas, mais receitas e empregos”, defende Sandra Carvao, diretora de comunicação da OMT.

No acordo assinado entre os governos chinês e brasileiro, fica estabelecido um prazo de validade de cinco anos para os vistos de turista, com múltiplas entradas, com período de estada de 90 dias, renováveis por até outros 90 dias, a cada 12 meses. As novas regras passam a valer no dia 1º de outubro. Antes, o visto geralmente tinha validade de três meses.

O Ministério do Turismo também credenciou 316 brasileiras, que estão aptas a receberem turistas chineses no Brasil em 2017. O cadastro das agências é obrigatório na legislação nacional e também segue determinação do governo chinês.

turismo

Distância entre cidades brasileiras é menor quando se tem turismo

O Brasil é um país enorme, isso é inquestionável, porém a distância entre cidades brasileiras tanto culturalmente quanto socialmente deve ser diminuída, o trabalho para aproximação das populações deve ser um trabalho conjunto e parte fundamental deste trabalho está no turismo.

Entender o perfil do viajante brasileiro e obter, assim, informações que auxiliem a formulação de políticas públicas de estímulo ao setor de viagens no país. Esse é o objetivo de uma pesquisa que o Ministério do Turismo irá fazer com moradores de 137 municípios brasileiros (confira a lista completa). O processo será dividido em duas etapas: cadastro de pessoas interessadas em participar e, posteriormente, aplicação do questionário com as perguntas definidas pela Pasta. A primeira fase terá início esta semana e tem como meta cadastrar 30 mil domicílios.

Caberá à Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) realizar as ligações para as residências de municípios selecionados – 27 capitais e outras 110 cidades – para coletar informações sobre as viagens realizadas nos últimos 12 meses e identificar os interessados em participar da pesquisa de Demanda Doméstica a ser iniciada no primeiro trimestre de 2018. A seleção dos municípios foi feita a partir de uma amostra aleatória que buscou ampliar a representatividade da pesquisa.

A metodologia da pesquisa a ser implementada em 2018, com coleta de dados por Painel, é pioneira no Brasil para o monitoramento da atividade turística. Com ela será possível obter resultados da movimentação dos fluxos de turistas e dos seus gastos entre as diferentes regiões do País. O último levantamento de turismo doméstico foi realizado em 2011.

“Temos um enorme potencial de turismo doméstico e queremos avançar para garantir que cada vez mais brasileiros possam viajar pelo seu país. Para isso, precisamos entender o comportamento desses turistas: o que desejam, destinos preferidos e atividades mais procuradas”, explicou o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

*Foto de capa: Embratur