A estação mais quente do ano está batendo na porta e, para muita gente, vem aquela vontade de mandar embora os quilos adquiridos, principalmente no inverno, planejando o tão famoso projeto verão.

E quando falamos em projeto verão, não tem jeito, é preciso aliar uma boa alimentação com a prática de atividades físicas. Além de chegar nos meses de dezembro e janeiro com o corpo em cima, a junção dessas duas estratégias trazem diversos benefícios para a saúde.

E para você dar início ao seu projeto e chegar na estação de forma muito mais saudável, entrevistamos diversos especialistas em nutrição e educação física que nos deram dicas valiosas. Confira e aproveite!

De olho na alimentação

Segundo a consultora de nutrição da Inspire Fit, Stephanie Fontanari, nessa época é comum algumas pessoas quererem correr atrás do prejuízo e começarem a fazer dietas radicais e restritivas para conquistar o corpo do verão.

Porém, Stephanie ressalta o quanto é importante  evitar todo tipo de dieta restritiva e sempre procurar um profissional qualificado para auxiliar. “Já que o projeto verão é um estímulo para muita gente, o ideal é começar a introduzir hábitos alimentares saudáveis e levar isso como estilo de vida”.

Para Silvia Ribeiro Messalem, nutricionista especialista em obesidade e emagrecimento e em nutrição clínica e terapia nutricional,  a alimentação deve ser equilibrada, balanceada e o mais próximo do natural possível, contendo todos os grupos alimentares e evitando-se  todos os excessos, principalmente os de gorduras trans e saturadas, sal, alimentos industrializados, carboidratos refinados e o açúcar.

De acordo com a nutricionista, uma alimentação rica em fibras, em boas fontes de gorduras mono e polinsaturadas como o azeite, castanhas, nozes, avelãs, abacate e alguns peixes; proteínas magras como carnes brancas e alguns cortes de carnes vermelhas com menor teor de gordura (patinho, maminha, lagarto, filé mignon, coxão mole e coxão duro) e folhas e verduras verdes são alimentos que podem contribuir positivamente para uma maior saciedade durante o dia.

E alimentar-se bem, junto a prática de atividades físicas, traz benefícios para a saúde. Silvia explica que ao pensar em alimentação saudável e emagrecimento, também devemos lembrar dos resultados em longo prazo que incluem a prevenção de doenças crônicas como diabetes, hipertensão, colesterol (síndrome metabólica) e obesidade, por exemplo.

Diga sim a atividade física

Além de uma boa alimentação, as atividades físicas também são fundamentais para conquistar o tão sonhado corpo do verão.

Márcio Duarte, educador físico do EstudioPass, conta que existem diversos exercícios que ajudam a emagrecer como por exemplo:  corrida, caminhada, zumba, jump, spinning, lutas, treinamento funcional e muitas outras modalidades diferentes. O mais importante é que a pessoa escolha a atividade mais adequada ao seu perfil e isso inclui condição física, tempo de aula e de deslocamento para que o exercício seja agradável e o objetivo alcançado.

Para quem quer correr atrás do prejuízo nesse pouco tempo que falta para o verão chegar, o educador físico explica que é necessária muita disciplina e uma frequência de pelos três vezes por semana. Segundo Márcio, a duração do treino pode variar de acordo com a condição física de cada um e o exercício escolhido.

“Algumas aulas com maior gasto calórico podem ter de 45 a 60 minutos. Já para quem ainda não consegue encarar esse tipo de atividade, 30 a 40 minutos de caminhada ou corrida na esteira já dará um bom resultado. E lembre-se, o descanso é uma parte fundamental na conquista dos resultados”, adiciona Márcio.

E a musculação também pode ser sua aliada nesse processo. Para Alexandre Albuquerque, educador físico e instrutor da DK Academia, a modalidade é hoje uma das mais recomendadas pelos profissionais de saúde para qualquer pessoa pelo fato de ser altamente versátil, podendo ser direcionada para os mais diversos objetivos: emagrecer, aumentar ou definir a musculatura, prevenir lesões e até tratá-las, adequando as cargas e as intensidades dos exercícios para cada indivíduo.

“Com base na idade, peso, sexo e histórico de atividade física, não há muitas restrições para a prática. A musculação torna o coração mais  saudável e o praticante exercita não só o corpo, mas também o cérebro, que fica mais eficiente no comando da massa muscular trazendo melhorias dos aspectos cognitivos como atenção, concentração, memória e aprendizado”, afirma.

Alexandre ainda comenta que a prática de exercícios físicos traz diversos benefícios para a saúde como a prevenção de uma série de doenças (diabetes, osteoporose, artrose, hipertensão entre outras). “Para melhores resultados é indicada a combinação da musculação com alguma atividade aeróbica (caminhada, corrida, pedaladas) promovendo assim uma melhora do conjunto osteomuscular, cardíaco e respiratório. É fundamental lembrar que para cada objetivo existe um tipo de treinamento específico, inclusive na adequação alimentar ”, complementa o educador físico e instrutor.

Projeto Verão – Aproveite Agora para se Exercitar
Pular para a barra de ferramentas