Conheça os Princípios Editoriais da BBC

Home Fóruns Cultura Digital Ensino de Jornalismo Digital – Fórum Conheça os Princípios Editoriais da BBC

Este tópico contém respostas, possui 6 vozes e foi atualizado pela última vez por Foto de perfil de SHELA SHELA 2 semanas, 4 dias atrás.

Visualizando 15 posts - 1 até 15 (de 23 do total)
  • Autor
    Posts
  • #4542
    Foto de perfil de Almanakut Brasil
    Almanakut Brasil
    Participante

    A produção jornalística da BBC segue princípios editoriais específicos, que abordam desde a necessidade de equilíbrio no noticiário até a preocupação com acusações e informações que possam ser contestadas na Justiça.

     

    http://almanakutnews.blogspot.com/2009/11/conheca-os-principios-editoriais-da-bbc.html

    #5461
    Foto de perfil de
    Anônimo

    Obrigado pela informação. Ela será útil em nossas discussões….

    #7325

    Obrigado pela informação. Ela será útil em nossas discussões….

    #5462

    =====================================================================
    Esta mensagem é um informe da APN – Agencia Petroleira de Noticias
    =====================================================================
    Marcada plenária estadual da Campanha “O Petróleo Tem que Ser Nosso”

     

     

    Quem tem compromisso com as causas justas deve anotar essa data: no próximo
    12 de março, sexta, às 18 horas, será realizada a plenária estadual da
    Campanha “O Petróleo Tem que Ser Nosso”, na sede do Sindipetro-RJ (Av.
    Passos, 34, centro do Rio).

     

    A pauta é extensa. Começa com um balanço da conjuntura, no que diz respeito
    à votação dos projetos governamentais sobre o pré-sal. Na sequência, serão
    discutidos os passos que devem ser dados para garantir a votação no Senado
    do projeto assinado pelos movimentos sociais, que propõe o controle estatal
    das riquezas petrolíferas  não só do “pré” mas também do “pós” sal. Retomar
    o caráter nacional da campanha se impõe como desafio.

     

    O debate deverá prosseguir – se a plenária concordar com as propostas do
    operativo – avaliando as atividades de janeiro e fevereiro, como a
    participação no Fórum Social de Porto Alegre e no de Salvador e a presença
    da campanha nos blocos de carnaval carioca.

     

    A organização de um concurso de redação e imagem, junto às escolas públicas
    e particulares do Estado do Rio de Janeiro é outro tema envolvente. O
    regulamento já está pronto. O material de divulgação está em fase de
    finalização. Uma comissão indicada pela última plenária também está
    concluindo as regras  para outro concurso, de caráter nacional, destinado ao
    público universitário. Os premiados dos dois concursos terão seus trabalhos
    publicados, receberão computadores e vale-livros.

     

    Na plenária estadual será apresentado mais um instrumento de divulgação da
    campanha, a revista em quadrinhos, assinada pelo cartunista Mega: aguardem!

     

    A participação no Fórum Social Urbano e a organização de uma agenda de
    atividades para os próximos meses também serão debatidos.

     

    O primeiro compromisso será mobilizar o máximo de pessoas para o ato “Leilão
    é privatização!”, dia 22 de março, às 18 horas, no Clube de Engenharia
    (Avenida Rio Branco, 124, no centro do Rio).

     

     

    Fonte: Agência Petroleira de Notícias, 02/03/2010

    #7326

    =====================================================================
    Esta mensagem é um informe da APN – Agencia Petroleira de Noticias
    =====================================================================
    Marcada plenária estadual da Campanha “O Petróleo Tem que Ser Nosso”

     

     

    Quem tem compromisso com as causas justas deve anotar essa data: no próximo
    12 de março, sexta, às 18 horas, será realizada a plenária estadual da
    Campanha “O Petróleo Tem que Ser Nosso”, na sede do Sindipetro-RJ (Av.
    Passos, 34, centro do Rio).

     

    A pauta é extensa. Começa com um balanço da conjuntura, no que diz respeito
    à votação dos projetos governamentais sobre o pré-sal. Na sequência, serão
    discutidos os passos que devem ser dados para garantir a votação no Senado
    do projeto assinado pelos movimentos sociais, que propõe o controle estatal
    das riquezas petrolíferas  não só do “pré” mas também do “pós” sal. Retomar
    o caráter nacional da campanha se impõe como desafio.

     

    O debate deverá prosseguir – se a plenária concordar com as propostas do
    operativo – avaliando as atividades de janeiro e fevereiro, como a
    participação no Fórum Social de Porto Alegre e no de Salvador e a presença
    da campanha nos blocos de carnaval carioca.

     

    A organização de um concurso de redação e imagem, junto às escolas públicas
    e particulares do Estado do Rio de Janeiro é outro tema envolvente. O
    regulamento já está pronto. O material de divulgação está em fase de
    finalização. Uma comissão indicada pela última plenária também está
    concluindo as regras  para outro concurso, de caráter nacional, destinado ao
    público universitário. Os premiados dos dois concursos terão seus trabalhos
    publicados, receberão computadores e vale-livros.

     

    Na plenária estadual será apresentado mais um instrumento de divulgação da
    campanha, a revista em quadrinhos, assinada pelo cartunista Mega: aguardem!

     

    A participação no Fórum Social Urbano e a organização de uma agenda de
    atividades para os próximos meses também serão debatidos.

     

    O primeiro compromisso será mobilizar o máximo de pessoas para o ato “Leilão
    é privatização!”, dia 22 de março, às 18 horas, no Clube de Engenharia
    (Avenida Rio Branco, 124, no centro do Rio).

     

     

    Fonte: Agência Petroleira de Notícias, 02/03/2010

    #5463

    Estágio EBC

    Estão abertas de, 12 a 17 de março, as inscrições para o Processo
    Seletivo de Estágio 2010 da EBC – Empresa Brasil de comunicação. As
    vagas são para Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro e destinam-se para
    estudantes de Jornalismo.

    Participe e faça sua inscrição pelos telefones:

    CIEE BRASÍLIA: (61) 3701-4850
    CIEE SÃO PAULO: (11) 3046-8220
    CIEE RIO DE JANEIRO: (21) 3535-4545

    As provas estão agendadas para o dia 19/03/2010 e serão realizadas nas
    unidades do CIEE de Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. O Resultado
    será divulgado no dia 24/03/2010.

    #7327

    Estágio EBC

    Estão abertas de, 12 a 17 de março, as inscrições para o Processo
    Seletivo de Estágio 2010 da EBC – Empresa Brasil de comunicação. As
    vagas são para Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro e destinam-se para
    estudantes de Jornalismo.

    Participe e faça sua inscrição pelos telefones:

    CIEE BRASÍLIA: (61) 3701-4850
    CIEE SÃO PAULO: (11) 3046-8220
    CIEE RIO DE JANEIRO: (21) 3535-4545

    As provas estão agendadas para o dia 19/03/2010 e serão realizadas nas
    unidades do CIEE de Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. O Resultado
    será divulgado no dia 24/03/2010.

    #5464
    #7328
    #5465

    TV PÚBLICA – A IDEOLOGIA

    A difusão de conteúdos democráticos e plurais, é um imperativo para a construção de uma sociedade mais justa e humana, certas partes da realidade não podem ser vendidas como a realidade absoluta, deslocando uma situação irreal para o campo do real, somente para atender interesses de um grupo em detrimento de outro.

    A sociedade brasileira está no limiar de uma nova era nas comunicações, ela pode se realizar ou não, dependendo de nós. Cabe aos diversos atores inseridos no processo de expansão do espaço público de radiodifusão, fazer valer a sua voz em prol da universalização do acesso ao meio de transmissão digital via tv pública.

    A ampliação da alfabetização digital com formação contínua, vai gerar sinergia e alavancar um processo de dominação cultural pela sociedade de suas manifestações espontâneas de cultura, sem precisar de mediadores estranhos aos seus modos de ver e viver o mundo. Sem dúvida que mediadores sempre existirão, mas iremos ampliando as discussões em torno dessa questão, sempre buscando formas coletivas de harmonização.

    O ser humano não pode ser considerado como objeto para interesses comerciais ou particulares de poderosos grupos financeiros, que não levam em conta o desenvolvimento sócio-cultural da nação brasileira, a tv pública deve ter por missão a promoção de valores humanos, através de uma programação multidisciplinar, criação de redes colaborativas, promovendo a livre circulação de obras e idéias, ampliando as oportunidades de acesso à informação.

    Nas palavras de Gilberto Gil: “trata-se de potencializar a pesca que se faz há muito tempo, em especial nas áreas de risco social, nos territórios de invisibilidade, nos grotões e nos guetos das grandes cidades brasileiras, onde pulsa uma cultura e uma arte tão fortes, mas tão fortes, que não há miséria, não há indigência, não há descaso ou violência que as façam calar. Ao contrário. Elas crescem,elas se consolidam, elas se desdobram e interagem com outras manifestações, influenciando diretamente a cultura nacional”.

    A transformação da situação de calamidade provocada pelos altos índices de violência nas cidades e nos territórios rurais, surge de uma desvalorização da vida humana, provocada pelo desconhecimento mútuo das várias partes sociais, então a tv pública tem uma função de provocar o diálogo e suprimir as indiferenças.

    Erik Oliveira
    Cineasta

    #7329

    TV PÚBLICA – A IDEOLOGIA

    A difusão de conteúdos democráticos e plurais, é um imperativo para a construção de uma sociedade mais justa e humana, certas partes da realidade não podem ser vendidas como a realidade absoluta, deslocando uma situação irreal para o campo do real, somente para atender interesses de um grupo em detrimento de outro.

    A sociedade brasileira está no limiar de uma nova era nas comunicações, ela pode se realizar ou não, dependendo de nós. Cabe aos diversos atores inseridos no processo de expansão do espaço público de radiodifusão, fazer valer a sua voz em prol da universalização do acesso ao meio de transmissão digital via tv pública.

    A ampliação da alfabetização digital com formação contínua, vai gerar sinergia e alavancar um processo de dominação cultural pela sociedade de suas manifestações espontâneas de cultura, sem precisar de mediadores estranhos aos seus modos de ver e viver o mundo. Sem dúvida que mediadores sempre existirão, mas iremos ampliando as discussões em torno dessa questão, sempre buscando formas coletivas de harmonização.

    O ser humano não pode ser considerado como objeto para interesses comerciais ou particulares de poderosos grupos financeiros, que não levam em conta o desenvolvimento sócio-cultural da nação brasileira, a tv pública deve ter por missão a promoção de valores humanos, através de uma programação multidisciplinar, criação de redes colaborativas, promovendo a livre circulação de obras e idéias, ampliando as oportunidades de acesso à informação.

    Nas palavras de Gilberto Gil: “trata-se de potencializar a pesca que se faz há muito tempo, em especial nas áreas de risco social, nos territórios de invisibilidade, nos grotões e nos guetos das grandes cidades brasileiras, onde pulsa uma cultura e uma arte tão fortes, mas tão fortes, que não há miséria, não há indigência, não há descaso ou violência que as façam calar. Ao contrário. Elas crescem,elas se consolidam, elas se desdobram e interagem com outras manifestações, influenciando diretamente a cultura nacional”.

    A transformação da situação de calamidade provocada pelos altos índices de violência nas cidades e nos territórios rurais, surge de uma desvalorização da vida humana, provocada pelo desconhecimento mútuo das várias partes sociais, então a tv pública tem uma função de provocar o diálogo e suprimir as indiferenças.

    Erik Oliveira
    Cineasta

    #5466

    TV PÚBLICA – A ÉTICA

    Os meios eletrônicos de comunicação de massa devem servir a sistemas racionais para o desenvolvimento social e econômico. A uma sociedade não interessa o nivelamento por baixo da programação de seus meios de comunicação. Uma empresa que detém permissão (espectro) para difusão audiovisual é responsável pelo padrão de sua programação, pela consequente interpretação dos eventos sociais e pela avaliação da importância dos mesmos.

    A responsabilidade pelas informações veiculadas por uma empresa de comunicação deve ser imputada aos seus controladores, quando vemos linchamentos morais, seja de pessoas, organizações ou governos, fruto de posicionamentos arbitrários, sem a possibilidade de uma contrapartida no direito à resposta e quando a outra parte sai prejudicada por um bombardeio de uma mídia dominada por uma elite egoísta e utilitarista, é sinal de que algo precisa mudar.

    Vemos na mídia brasileira várias pessoas e/ou grupos oriundos da classe alta, se auto-intitularem portadoras da voz das multidões, que vivem escondidas pelos mesmos veículos de comunicação que bancam essa inversão de valores. Não é possível que isso continue, gerando distorções aterradoras e violências estruturais e conjunturais.

    Está na hora de dar voz ao povo, submetido desde o início da colonização brasileira à tutela de um sentimento altruísta por parte de algum poderoso midiático, que se utiliza de uma concessão pública e não dá voz ao público. A tv pública que está sendo criada, deve utilizar os meios digitais para a construção de um verdadeiro espaço público e delimitar seu campo de atuação em consonância com premissas de inclusão cidadã, impulsionando a democracia.

    Não se pode conceder a algumas organizações, associações ou entidades, o poder de definição do que vai ou não vai ser transmitido, a verdadeira forma de construção da tv pública, é a capacitação do máximo possível de cidadãos, não só em técnica mas em formação de conteúdo também, ofertando-lhes a possibilidade de utilização de centrais públicas de audiovisual, para transmissão de suas criações, seus depoimentos, suas tradições, enfim, seus olhares em torno de seu meio-ambiente e sua cultura, oxigenando a vida social e econômica, gerando um ciclo virtuoso em torno de canais comunicantes e uma pulsação onde a vida em comunidade evolua a partir da inteligência coletiva.

    Erik Oliveira
    Cineasta

    #7330

    TV PÚBLICA – A ÉTICA

    Os meios eletrônicos de comunicação de massa devem servir a sistemas racionais para o desenvolvimento social e econômico. A uma sociedade não interessa o nivelamento por baixo da programação de seus meios de comunicação. Uma empresa que detém permissão (espectro) para difusão audiovisual é responsável pelo padrão de sua programação, pela consequente interpretação dos eventos sociais e pela avaliação da importância dos mesmos.

    A responsabilidade pelas informações veiculadas por uma empresa de comunicação deve ser imputada aos seus controladores, quando vemos linchamentos morais, seja de pessoas, organizações ou governos, fruto de posicionamentos arbitrários, sem a possibilidade de uma contrapartida no direito à resposta e quando a outra parte sai prejudicada por um bombardeio de uma mídia dominada por uma elite egoísta e utilitarista, é sinal de que algo precisa mudar.

    Vemos na mídia brasileira várias pessoas e/ou grupos oriundos da classe alta, se auto-intitularem portadoras da voz das multidões, que vivem escondidas pelos mesmos veículos de comunicação que bancam essa inversão de valores. Não é possível que isso continue, gerando distorções aterradoras e violências estruturais e conjunturais.

    Está na hora de dar voz ao povo, submetido desde o início da colonização brasileira à tutela de um sentimento altruísta por parte de algum poderoso midiático, que se utiliza de uma concessão pública e não dá voz ao público. A tv pública que está sendo criada, deve utilizar os meios digitais para a construção de um verdadeiro espaço público e delimitar seu campo de atuação em consonância com premissas de inclusão cidadã, impulsionando a democracia.

    Não se pode conceder a algumas organizações, associações ou entidades, o poder de definição do que vai ou não vai ser transmitido, a verdadeira forma de construção da tv pública, é a capacitação do máximo possível de cidadãos, não só em técnica mas em formação de conteúdo também, ofertando-lhes a possibilidade de utilização de centrais públicas de audiovisual, para transmissão de suas criações, seus depoimentos, suas tradições, enfim, seus olhares em torno de seu meio-ambiente e sua cultura, oxigenando a vida social e econômica, gerando um ciclo virtuoso em torno de canais comunicantes e uma pulsação onde a vida em comunidade evolua a partir da inteligência coletiva.

    Erik Oliveira
    Cineasta

    #5467
    #7331
Visualizando 15 posts - 1 até 15 (de 23 do total)

Você deve fazer login para responder a este tópico.