por Rodrigo Prates:

Mestre Dona Sirley – é uma criança, uma doce criança. Curiosa e sábia carrega consigo as histórias de sua ancestralidade atravessando as Charqueadas da sua amada Pelotas (RS). Costureira de mão cheia, também fabrica com crianças em vulnerabilidade social instrumentos percussivos como o Agê. Dona Sirley como é chamada carinhosamente por todos que a cercam, é uma figura apaixonante, sensível e de total importância para a reflexão contemporânea sobre a relevância dos Mestres Griôs nos meios urbanos.