Brasiliana Fotográfica: as imagens que são documentos

Fotografias de prédios hoje históricos de Aracaju (SE), feitas na década de 1930; panoramas da cidade do Rio, no final no século 19, pelo fotógrafo Marc Ferrez (1843-1923); ou imagens raras da Guerra de Canudos (1896-1897), tiradas por Flávio de Barros, são alguns exemplos do que se pode encontrar na Brasiliana Fotográfica.

Avenida Barão de Maroim em Aracaju em 1931

Avenida Barão de Maroim (Aracaju) em 1931/Brasiliana Fotográfica

Repositório dedicado a dar visibilidade, fomentar o debate e a reflexão sobre a fotografia documental, assim como os temas da preservação e curadoria digitais, a Brasiliana Fotográfica é resultado da parceria entre a Fundação Biblioteca Nacional e o Instituto Moreira Salles, que juntos disponibilizam ao público mais de 4 mil imagens de relevante interesse histórico e cultural.

Aberto para a integração com acervos de outras instituições, o repositório desenvolvido em DSpace interopera com outros sistemas de bibliotecas digitais por meio do protocolo Iniciativa de Arquivos Abertos, para a coleta de registros de metadados de objetos digitais.

além das coleções, na página têm destaque ainda as áreas de curadoria digital – peças dos acervos são esmiuçadas por curadores convidados – e preservação digital, tema indispensável de discussão tendo em vista garantir a qualidade e perenidade das imagens disponibilizadas online.

Foto (destaque): 400 jagunços prisioneiros (1897)Flávio de Barros/Brasiliana Fotográfica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*