Memorização

memorização

O mundo virou um completo paradoxo: quanto mais as pessoas investem em tecnologia, mais elas reclamam de esquecimento.

A impressão é que os aparelhos eletrônicos estão nos deixando mais esquecidos, não é? Sim, na verdade é isso mesmo!

Quanto mais investimos em memórias artificiais, mais abandonamos as memórias naturais e quanto mais a abandonamos, mais fraca ela fica.

É como a calculadora, quanto mais você a utiliza, mais lento você fica para fazer cálculos.

memorizacao

Curso de Memorização Renato Alves

O Renato Alves sempre diz que tem orgulho de dizer que não esquece de nada. Nada mesmo!

Tudo que ele se propõe a memorizar, ele não esquece, sabe porque? Porque um dia resolveu usar a sua memória com inteligência.

O primeiro passo foi diminuir a dependência eletrônica. Estimulando a sua memória natural o Renato pode se sentir mais confiante e dominou tanto a minha memória que recebeu em 2006 o título de homem com a melhor memória do Brasil.

O Renato preparou para você três dicas básicas de memorização, mas são dicas básica, ok?

As dicas Top, as avançadas são mais elaboradas e não daria para ensinar num e-mail, mas com uma conversa passo a passo que teremos no curso avançado de memorização. O Curso de Memorização Renato Alves é um sucesso no Brasil, e já ajudou muitas pessoas a realizar seu sonho de serem aprovadas em um concurso público, ou passar no vestibular, ou mesmo alcançar o emprego desejado.

Sigas estas dicas direitinho e perceberá uma melhora significativa no processo de memorização.

1. Associe suas memórias com objetos físicos

Você já deve ter passado por esse problema: acabou de ser apresentado a alguém e, assim que a pessoa vira as costas, você já esqueceu o nome dela. Acontece – mas é extremamente embaraçoso precisar perguntar o nome dela novamente, não é?

A dica é associar o nome a algum objeto. Por exemplo, se você acabou de conhecer a Giovana e ela estava próxima de uma janela, pense nela como a Giovana da Janela.

Parece um truque bobo, mas funciona. E, claro, não só para nomes de pessoas, mas para qualquer coisa: relatórios, documentos, marcas. Associando conceitos a objetos fica mais fácil de lembrar. E, claro, quanto mais absurdas forem as associações mais fácil é lembrar delas.

2. Repita menos, memorize mais

Ao ver ou participar de apresentações você deve ter sentido isso – é muito claro quando alguém apenas decorou o que devia falar.

Mas basta acontecer alguma mudança no roteiro ou um ‘branco’ para que a pessoa se perca. Memorizar algo de fato depende de compreensão.

Então, ao pensar em falas e apresentações, tente entender o conceito todo ao redor do que você está falando.

Pesquisas mostram que apenas a repetição automática pode até impedir que você entenda o que está expondo.

3. Rabisque!

Estudos indicam que rabiscar enquanto ‘ingerimos’ informações não visuais (em aulas, por exemplo) aumenta a capacidade de nossa memória. Uma pesquisa feita em 2009 mostrou que pessoas que rabiscavam enquanto ouviam uma lista de nomes lembravam 29% a mais dos nomes ditos.

Da próxima vez que for a uma palestra, leve uma caneta e bloquinho e rabisque!

Nunca mais confunda falta de memória com falta de estratégias de memorização. Aprenda a usar a memória com inteligência e diminuir a dependência eletrônica. Seu cérebro vai adorar isso e na velhice irá com toda certeza lhe agradecer.

Sucesso Sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*