Aracaj√ļ est√° entre os munic√≠pios selecionados no edital das Cidades Criativas divulgado pelo Minist√©rio da Cultura

cidades-criativas-interna_(1)

Foi publicado nesta sexta (19), no¬†Di√°rio Oficial da Uni√£o, o resultado final do edital do Minist√©rio da Cultura (MinC) que selecionou munic√≠pios para receber consultoria com o objetivo de desenvolver candidatura √† Rede das Cidades Criativas da UNESCO. Foram contempladas 15 cidades, em quatro categorias: Diamantina (MG), Campinas (SP), Rio das Ostras (RJ), Pelotas (RS), Aracaj√ļ (SE) e Taubat√© (SP), em m√ļsica; Cataguases (MG), Niter√≥i (RJ) e Novo Hamburgo (RS), em cinema; Belo Horizonte (MG) e S√£o Paulo (SP), em gastronomia; Itabora√≠ (RJ), Imbituba (SC) e Santana de Parna√≠ba (SP), em artesanato e artes folcl√≥ricas; e Duque de Caxias (RJ) em artes midi√°ticas.

A rede tem o objetivo de promover a cooperação internacional entre cidades que investem na cultura e na criatividade como fatores de estímulo ao desenvolvimento sustentável.

Plano de desenvolvimento da candidatura

Para estender o apoio ao maior n√ļmero de cidades poss√≠vel, o MinC convocou todos os candidatos com nota igual ou superior a 60 (sessenta). Assim foram selecionados os 15 munic√≠pios que receber√£o a consultoria, contratada pelo MinC, para elaborar dossi√™ de suas candidaturas para a pr√≥xima sele√ß√£o de Cidades Criativas da Unesco, prevista para 2019. A candidatura deve demonstrar de forma clara e pr√°tica a disposi√ß√£o, o compromisso e a capacidade do munic√≠pio em contribuir com os compromissos da Rede.

Deve apresentar um plano de a√ß√£o real√≠stico, incluindo detalhamento de projetos, iniciativas e pol√≠ticas a serem executadas nos quatro anos seguintes √† admiss√£o ao Programa, al√©m de identificar a √°rea tem√°tica preferencial, que j√° seja significativa para a cultura e a economia locais. Os setores criativos poss√≠veis s√£o: artesanato e artes folcl√≥ricas, design, cinema, gastronomia, literatura, artes midi√°ticas ou m√ļsica.

Além de auxiliar as cidades vencedoras na construção do dossiê, o MinC também busca estimular as cidades na elaboração de planos de desenvolvimento com o edital, que impulsionem a economia criativa, tenham a cultura como base e que contribuam com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos na Agenda 2030 da ONU. Com o encerramento do processo seletivo e a designação das categorias das cidades selecionadas, a previsão é de que as consultorias sejam iniciadas já em novembro.

Brasil e as Cidades criativas

Atualmente, 180 cidades de 72 pa√≠ses fazem parte da Rede. Oito cidades brasileiras j√° s√£o consideradas Cidades Criativas pela UNESCO: Bel√©m (PA), Florian√≥polis (SC) e Paraty (RJ), no campo da gastronomia; Bras√≠lia (DF) e Curitiba (PR) no do design; Jo√£o Pessoa (PB), artesanato e artes folcl√≥ricas; Salvador (BA), m√ļsica; e Santos (SP), cinema.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

Share

ONG de Maceió promove feira multicultural neste sábado

Global Village (2)

Conhecer novas culturas, vivenciar experi√™ncias, aprender ou aperfei√ßoar um idioma e criar la√ßos de amizade s√£o alguns das consequ√™ncias de quem busca realizar um interc√Ęmbio. Mas, √© poss√≠vel viajar o mundo sem sair de Macei√≥? Com embarque marcado para o dia 20 de outubro, no Parque Shopping, a Global Village vai permitir aos alagoanos experimentar alguns desses benef√≠cios, com entrada franca.

Localizada no n√≠vel da pra√ßa de alimenta√ß√£o do Parque Shopping, a quinta edi√ß√£o da feira trar√° estandes com exibi√ß√£o de itens culturais de diversos pa√≠ses, como Argentina, M√©xico, Portugal e Egito, entre outros, bate papo com jovens alagoanos que j√° estiveram na posi√ß√£o de intercambista, apresenta√ß√Ķes musicais e muita troca de conhecimento. A exposi√ß√£o ter√° in√≠cio √†s 11h e segue durante o dia inteiro, at√© 22h.

Oferecida pela AIESEC, maior organiza√ß√£o sem fins lucrativos gerida por jovens do mundo, a Global Village √© uma a√ß√£o mundial, ocorrendo tamb√©m nas dezenas de pa√≠ses que a entidade tem endere√ßo. S√≥ nos √ļltimos 5 anos a organiza√ß√£o levou mais de 300 jovens de Macei√≥ para realizar o sonho de interc√Ęmbio em terras estrangeiras, com obras de real impacto na comunidade em que viveram, instigando questionamentos sobre problemas globais e a experi√™ncias desafiadoras.

‚ÄúMeu interc√Ęmbio foi muito mais do que uma viagem legal, foi o momento que me impulsionou a lutar pelo meu maior prop√≥sito, que √© a redu√ß√£o da desigualdade que existe no mundo. √Č por isso que eu me conectei e continuo me conectando tanto com o prop√≥sito da AIESEC‚ÄĚ, conta Thayn√° Sales, estudante de Direito.

Nesta edi√ß√£o, o Grupo System, que gerencia a filial da Experimento em Alagoas, pioneira em interc√Ęmbios no Brasil, junta for√ßas para contribuir com a propaga√ß√£o da cultura de interc√Ęmbios. Voltada a programas de car√°ter estudantil, a empresa tamb√©m marca presen√ßa na feira multicultural.

 

Sobre a AIESEC

Criada após a Segunda Guerra Mundial com o objetivo de atingir a paz e o preenchimento das potencialidades humanas, a AIESEC atualmente está vinculada à ONU como representante dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para 2030, portanto, todos os projetos da organização se relacionam a temáticas sociais, como sustentabilidade, educação de qualidade e igualdade de gênero.

 

SERVIÇO

Global Village (5¬ļ edi√ß√£o)
Data: 20 de outubro de 2018
Horário: das 11h às 22h
Local: Parque Shopping Maceió (próximo à praça de alimentação)
Informa√ß√Ķes: 82 99303-1082 / 99953-0918

Share

Museu da Abolição no Recife promove Curso de Extensão sobre Cultura Indígena e Afro-Brasileira

cultura_indigena

O Museu da Aboli√ß√£o realiza na pr√≥xima sexta-feira (26) mais uma aula do Curso de Extens√£o T√≥picos da Hist√≥ria e Cultura Ind√≠gena e Afro-Brasileira. A aula ser√° ministrada pelo Professor Edson Silva, das 9h √†s 12h e ter√° como tema “A inven√ß√£o dos √≠ndios na inven√ß√£o do Brasil”.

A organização do curso sugere a realização de um lanche colaborativo para o momento dos intervalos.

Para se inscrever, basta enviar um e-mail para mab.educativo@museus.gov.br, com nome completo, telefone e instituição ao qual se encontra vinculada (trabalho ou estudos). Para assegurar sua vaga, o Museu pede que a confirmação seja feita até o dia 22/10, quando será divulgado o curso nas redes sociais e mailing lists.

SERVIÇO:

Curso de Extens√£o T√≥picos da Hist√≥ria e Cultura Ind√≠gena e Afro-brasileira ‚Äď 2018
QUANDO: 26 de outubro de 2018
ONDE: Museu da Abolição (R. Benfica, 1150 РMadalena, Recife)
HORA: 9h
ENTRADA: Inscrição gratuita

Share

Aberta chamada p√ļblica para interc√Ęmbio internacional de curadores

header_pt_v6

A Associa√ß√£o Brasileira de Arte Contempor√Ęnea (ABACT), por meio do Projeto Latitude, realizado em parceria com a Ag√™ncia Brasileira de Promo√ß√£o de Exporta√ß√Ķes e Investimentos (Apex-Brasil), abriu¬†chamada p√ļblica¬†para curadores interessados em participar de interc√Ęmbio junto ao Getty Research Institute, institui√ß√£o sediada em Los Angeles (EUA) e voltada √† pesquisa na √°rea de artes visuais.

A oportunidade se destina a brasileiros ou estrangeiros atuantes e residentes no Brasil h√° pelo menos cinco anos, com flu√™ncia em l√≠ngua inglesa. Para o Interc√Ęmbio de Curadores 2018/2019, o Getty Research Institute busca um candidato com pesquisa sobre arte contempor√Ęnea brasileira j√° em andamento e que apresente rela√ß√£o com um ou mais de seus acervos apontados¬†aqui.

A pesquisa em andamento não precisa estar vinculada a uma instituição de ensino, podendo estar vinculada a uma instituição cultural e/ou ser uma pesquisa independente do candidato. O processo seletivo será feito por meio da análise de projetos, que devem ser inscritos no até o próximo dia 8 de novembro. O selecionado receberá remuneração pela pesquisa, passagens aéreas, hospedagem e seguro de viagem durante o tempo de estadia no exterior. O período de estadia para pesquisa é de oito semanas, com início em 8 de abril e término em 31 de maio de 2019. Para mais detalhes, leia o edital.

O Projeto Latitude ‚Äď Platform for Brazilian Galleries Abroad, iniciativa da ABACT em parceria com a Apex-Brasil, objetiva promover internacionalmente a produ√ß√£o art√≠stica e intelectual brasileira, a difus√£o cultural, a capacita√ß√£o t√©cnica e o fortalecimento da rela√ß√£o de profissionais brasileiros atuantes nesta √°rea com institui√ß√Ķes no exterior.

Em dez anos de atua√ß√£o, o n√ļmero de empresas participantes do Latitude cresceu de 5 para 50. O volume das exporta√ß√Ķes das galerias do projeto Latitude vem crescendo significativamente: em 2007 foram exportados US$ 6 milh√Ķes e em 2015 atingiu-se um pico de quase US$ 70 milh√Ķes. De acordo com a ABACT, as galerias Latitude foram respons√°veis por 41% do volume total das exporta√ß√Ķes do setor em 2016.

Share

ANCINE inaugura sistema digital para filmagem estrangeira no Brasil

ancine

Por meio de parceria com o Minist√©rio do Planejamento, a Ag√™ncia Nacional do Cinema – ANCINE desenvolveu um sistema digital, com objetivo de facilitar e desburocratizar a Comunica√ß√£o de Filmagem Estrangeira no Brasil, procedimento regido pela¬†Instru√ß√£o Normativa no 79¬†e operacionalizado atualmente pela Coordena√ß√£o de Programas Internacionais de Coopera√ß√£o e Interc√Ęmbio da Assessoria Internacional da ag√™ncia.

O referido sistema, que foi inaugurado na √ļltima segunda-feira (15) no¬†Portal de Servi√ßos do Governo Federal, permite o envio, por meio digital, da documenta√ß√£o exigida para fins de comunica√ß√£o de filmagem estrangeira no Brasil, a ser realizada por empresas produtoras brasileiras respons√°veis por produ√ß√Ķes estrangeiras em territ√≥rio nacional.

Com esta nova ferramenta, a ANCINE busca simplificar o procedimento em quest√£o, atendendo de forma mais moderna e √°gil o cidad√£o. D√ļvidas poder√£o ser encaminhadas ao e-mail¬†filmagem.estrangeira@ancine.gov.br.

Para mais informa√ß√Ķes acerca da Comunica√ß√£o de Filmagem Estrangeira no Brasil, favor acessar ok links¬†em destaque:

Filmagem Estrangeira no Brasil

Share

Centenário de Ingmar Bergman é comemorado com mostra no Panorama Coisa de Cinema

O centen√°rio do cineasta sueco Ingmar Bergman (1918-2007) ser√° comemorado no XIV Panorama Internacional Coisa de Cinema, com a exibi√ß√£o de cinco t√≠tulos da sua filmografia. A mostra re√ļne longas-metragens realizados em diferentes momentos da carreira de Bergman, que estreou como diretor em 1945 e se manteve ativo por quase seis d√©cadas, dirigindo um total de 47 filmes.

Sonata de Outono - Divulgação 1 (1)

Sonata de Outono. Foto: Divulgação

 

Premiado no Festival de Berlim, Morangos Silvestres (1957) é uma das obras mais conhecidas e celebradas do cineasta. A trama acompanha um professor de medicina se deparando com a culpa e o medo da morte durante uma viagem para receber um prêmio pelos seus 50 anos de carreira.

 

Tamb√©m lan√ßado em 57, O S√©timo Selo aprofunda os questionamentos sobre vida e finitude, em d√ļvida sobre a exist√™ncia de Deus, o cavaleiro vivido por Max Von Sydow desafia a Morte para uma partida de xadrez.

 

Primeiro filme do diretor com a atriz norueguesa Liv Ullmann, com quem viveu por cinco anos, Persona (1966) mostra uma atriz que perde a fala durante uma apresenta√ß√£o teatral. Seguindo orienta√ß√Ķes m√©dicas, ela se isola em uma ilha sob os cuidados da enfermeira Alma, o que d√° in√≠cio a uma rela√ß√£o com intimidade crescente, estabelecendo trocas de identidade.

 

Liv tamb√©m atua nos dois filmes que completam a mostra, Gritos e Susssuros (1972) e Sonata de Outono (1978), ambos marcados pelas tens√Ķes das rela√ß√Ķes familiares. No primeiro, sua personagem recorda um passado de trai√ß√Ķes e ressentimentos, enquanto cuida de uma irm√£ doente. No segundo, o rancor marca a rela√ß√£o de uma pianista famosa com sua filha t√≠mida e deprimida.

 

O XIV Panorama, que acontece de 11 a 21 de novembro em Salvador e Cachoeira, é uma realização da produtora Coisa de Cinema e do Governo Federal, por meio do Ministério da Cultura e sua Secretaria do Audiovisual; e conta com patrocínio da Ancine, do Fundo Setorial do Audiovisual e do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul; além do apoio financeiro do Estado da Bahia, via Fundo de Cultura.

Share

Com Rouanet, projeto chega a 2,5 milh√Ķes de espectadores

cinema-em-movimento-interna

Mais de 2,5 milh√Ķes de espectadores, em quase 21 mil sess√Ķes, em todas as unidades federativas do Brasil. Esses n√ļmeros n√£o s√£o de um grande lan√ßamento nas salas de exibi√ß√£o, mas do projeto Cinema em Movimento, que completou 18 anos. Criado em 2000 para divulgar o filme¬†O Dia da Ca√ßa, do cineasta Alberto Gra√ßa, a estrutura foi muito al√©m.At√© 2017, 211 filmes foram exibidos em 1.407 munic√≠pios, al√©m de 689 universidades. As sess√Ķes s√£o sempre gratuitas. O Cinema em Movimento √©, atualmente, a maior rede n√£o formal de distribui√ß√£o de filmes do pa√≠s e conta com financiamentos pela Lei Rouanet e por patroc√≠nios e repasses de emendas parlamentares para o financiamento das sess√Ķes de cinema.

“Nas universidades, promovemos um debate ap√≥s o filme, ampliando o impacto da exibi√ß√£o. Mas s√£o nas comunidades onde temos uma recep√ß√£o monstruosa, j√° que a maioria do p√ļblico n√£o tem condi√ß√Ķes de comprar um ingresso ou mesmo tem acesso a um cinema em sua localidade”, relata a produtora do projeto, Luciana Marinho.

As sess√Ķes s√£o separadas em tr√™s categorias: o Circuito Pra√ßa, com exibi√ß√Ķes ao ar-livre ou grandes ambientes internos; o Circuito Escola, voltado para escolas da rede p√ļblica de ensino; e o Circuito Universit√°rio, com exibi√ß√Ķes de filmes em institui√ß√Ķes de ensino superior. Al√©m dessas a√ß√Ķes, o Cinema em Movimento promove oficinas audiovisuais ministradas por uma equipe de profissionais especializados.

“Temos projetos de capacita√ß√£o para estudantes mais jovens e tamb√©m universit√°rios. Na capacita√ß√£o do ensino m√©dio, eles conhecem todas as etapas, desde o roteiro at√© a produ√ß√£o, com produ√ß√£o de um curta-metragem em duas semanas”, explica Marinho. O resultado √© um maior engajamento dos alunos com a linguagem cinematogr√°fica, al√©m de colocar em debate temas de interesse da sociedade.

Para os universit√°rios, al√©m do debate, h√° oferta de est√°gio para um sorteado por circuito. O selecionado passa uma semana no Rio de Janeiro (RJ) dentro da produtora de cinema e televis√£o MPC Filmes, respons√°vel pelo Cinema em Movimento, imerso nas etapas de produ√ß√£o de uma obra cinematogr√°fica. Ao retornar para a universidade, os estudantes realizam sess√Ķes com suas pr√≥prias obras.

Multifacetado

Al√©m das tr√™s categorias de exibi√ß√£o (Pra√ßa, Escola e Universit√°rio), o circuito se molda de acordo com o patrocinador, adaptando a din√Ęmica dos filmes apresentados. Em 18 anos de hist√≥ria, o Cinema em Movimento contou com o apoio de dezenas de empresas, al√©m de centenas de prefeituras, universidades e organiza√ß√Ķes comunit√°rias em todo o pa√≠s.

Alguns circuitos s√£o tem√°ticos, focando em assuntos como censura, ditadura militar, manifesta√ß√Ķes culturais locais, meio ambiente, educa√ß√£o, viol√™ncia, seguran√ßa, entre outros. “Para o meio universit√°rio, procuramos exibir obras mais diversas e que gerem conte√ļdo de debate. Nas sess√Ķes comunit√°rias e escolares, damos prefer√™ncia a obras de entretenimento, sem deixar de lado os temas relevantes abordados nas obras”, define a produtora.

H√° 12 anos, uma parceria com o Minist√©rio dos Direitos Humanos permite a realiza√ß√£o da Mostra Cinema e Direitos Humanos. Nas √ļltimas duas edi√ß√Ķes, a mostra percorreu 44 munic√≠pios em todos os estados brasileiros e promoveu 1.424 sess√Ķes, 76 filmes e 176 debates para um p√ļblico total de 67.496 espectadores.

“Em cada local que passamos, sempre capacitamos agentes e promotores culturais, para estimular em suas cidades o cinema e a cultura em geral. Acreditamos que o audiovisual pode ser usado para a transforma√ß√£o social e a constru√ß√£o de uma consci√™ncia cidad√£”, pondera Luciana.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

Share

MinC lança edital inédito de Formação no Audiovisual

ctav-verde-interna

O Minist√©rio da Cultura, por meio da Secretaria do Audiovisual (SAv), publicou na quinta-feira (18), no¬†Di√°rio Oficial da Uni√£o¬†(DOU), o primeiro Edital de Forma√ß√£o no Audiovisual j√° lan√ßado pelo governo federal. Ser√£o disponibilizados R$ 16,1 milh√Ķes para realiza√ß√£o de projetos de forma√ß√£o e qualifica√ß√£o de recursos humanos nas √°reas t√©cnica, art√≠stica e gerencial. As inscri√ß√Ķes come√ßam no pr√≥ximo dia 23.

Com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), a chamada p√ļblica prev√™ a realiza√ß√£o de cursos divididos por tr√™s perfis de forma√ß√£o, s√£o eles: de gest√£o audiovisual, de cria√ß√£o e t√©cnico e de acessibilidade audiovisual. As empresas interessadas em participar do edital dever√£o enviar propostas podem conter cursos que se enquadrem em mais de um dos tr√™s perfis, desde que o projeto totalize, no m√≠nimo, 96 horas. O Centro T√©cnico Audiovisual (CTAv) ficar√° respons√°vel pelo recebimento das propostas, que ser√£o avaliadas por uma comiss√£o em conjunto com a Ag√™ncia Nacional do Cinema (Ancine).

Para o ministro da Cultura, S√©rgio S√° Leit√£o, que vem trabalhando para ampliar os investimentos no setor audiovisual, o incentivo √† forma√ß√£o faz parte de uma pol√≠tica maior que visa dar condi√ß√Ķes para que o audiovisual brasileiro se consolide como atividade criativa estrat√©gica. “Este √© um setor que gera emprego, renda e desenvolvimento para o pa√≠s. Estamos trabalhando no fomento aos diferentes elos da cadeia, na amplia√ß√£o da demanda pelo produto audiovisual brasileiro e buscando formar m√£o de obra que atenda √†s necessidades desse novo momento”, afirmou.

Por ser um investimento do Fundo Setorial do Audiovisual, todas as propostas devem conter, obrigatoriamente, atividades ou a√ß√Ķes com perspectivas de gera√ß√£o de receita como: taxa de matr√≠cula, mensalidade, valor do curso, venda de materiais did√°ticos, dentre outros.

Cotas e indutores

A exemplo de outros editais lan√ßados este ano no programa AudiovisualGeraFuturo, o edital prev√™ cotas regionais e indutores espec√≠ficos que tornam a chamada p√ļblica ainda mais acess√≠vel. De acordo com as regras, no m√≠nimo 30% dos recursos dever√£o ser destinados a projetos de empresas sediadas nas regi√Ķes Norte, Nordeste e Centro-Oeste, 20% dos recursos dever√£o ser destinados a projetos de empresas sediadas na regi√£o Sul e nos Estados de Minas Gerais e Esp√≠rito Santo.

Ser√° conferida pontua√ß√£o diferenciada de 5 pontos, no m√°ximo, para propostas que se associarem a N√ļcleos de Produ√ß√£o Digital, ao Centro T√©cnico Audiovisual (CTAv), √† realiza√ß√£o de projetos de forma√ß√£o nas regi√Ķes Norte, Nordeste e Centro-Oeste, e √† execu√ß√£o de projetos de forma√ß√£o nas regi√Ķes Sul e nos Estados de Minas Gerais e Esp√≠rito Santo.

Cursos previstos

Os valores a serem investidos variam de R$ 300 mil a R$ 1,2 milh√£o e cada proponente poder√° apresentar at√© duas propostas distintas. As empresas interessadas podem enviar no perfil de gest√£o audiovisual propostas para realiza√ß√£o de cursos de gest√£o empresarial, legisla√ß√£o audiovisual, plano de neg√≥cios, distribui√ß√£o e comercializa√ß√£o, direito autoral, gest√£o da propriedade intelectual, mercado audiovisual, monetiza√ß√£o de jogos eletr√īnicos, marketing espec√≠fico para jogos eletr√īnicos, marketing para conte√ļdos audiovisuais de forma geral, produ√ß√£o executiva, elabora√ß√£o de Game Design Document ‚Äď GDD, realidade virtual e realidade aumentada.

De acordo com a SAv, os cursos do Perfil de Gestão Audiovisual buscam competências de gestão que valorizem a eficiência e eficácia de alcance dos objetivos dos projetos de produção audiovisual no que se referente à gestão orçamentária, planejamento, articulação de parceiros, gestão da produção, inserção no mercado audiovisual, compreensão da legislação base para a criação audiovisual. Os cursos desse perfil deverão ter carga horária mínima de 40 horas.

No perfil de cria√ß√£o e t√©cnico, as propostas podem sugerir programas de ensino sobre roteiros para cinema, TV, jogos eletr√īnicos ou anima√ß√£o, constru√ß√£o de storyboard, modelagem em 2D/3D para anima√ß√£o e jogos eletr√īnicos, anima√ß√£o em 2D/3D, cenografia, figurino, maquiagem, anima√ß√£o em Stop Motion, narrativas transm√≠dias, dire√ß√£o, p√≥s-produ√ß√£o, entre outros. Para este perfil, foram previstos mais de 40 tipos distintos do curso.

O edital reservou ainda uma s√©rie de cursos na √°rea de acessibilidade audiovisual, como L√≠ngua Brasileira de Sinais (Libras), Aplica√ß√Ķes e usos da janela de LIBRAS no cinema e na televis√£o, Audiodescri√ß√£o audiovisual, Legendagem para surdos e ensurdecidos (LSE), entre outros. Para os cursos alinhados a este perfil, os alunos precisam ter conhecimento pr√©vio de linguagem audiovisual.

O secret√°rio do Audiovisual, Frederico Mascarenhas, refor√ßa: “A iniciativa tem por finalidade atender √† crescente demanda por profissionais gerada pelo desenvolvimento da ind√ļstria audiovisual, que tem crescido muito nos √ļltimos anos, fortalecendo e expandindo as a√ß√Ķes de forma√ß√£o nas mais diversas modalidades”.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

Share

Entidades do audiovisual lançam Cartilha Antiassédio

antiassedio_destaquinho-01

A Ag√™ncia Nacional do Cinema (Ancine) participou, na quarta-feira (17), do lan√ßamento do “Pacto de Responsabilidade Antiass√©dio Sexual no Setor do Audiovisual”, ocorrido dentro do 1¬ļ debate antiass√©dio no setor audiovisual, na sede da Federa√ß√£o das Ind√ļstrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). No evento foram discutidas formas de identificar o ass√©dio e apresentada¬†uma cartilha, com o objetivo de combater e prevenir o problema no meio audiovisual.

Baixe aqui a cartilha

Participaram da mesa Debora Ivanov, diretora da Ancine; Magda Hruza (Sindicato Interestadual da Ind√ļstria Audiovisual); Daniela Muller (Ju√≠za em direito da mulher); Silvana Andrade (Mestre pela FGV em carreiras e trajet√≥rias de mulheres); Mariana Souza (APRO – Associa√ß√£o Brasileira da Produ√ß√£o de Obras Audiovisuais); e Leonardo Edde (SICAV), como moderador.

A diretora da Ancine abriu a palestra ressaltando a import√Ęncia da a√ß√£o. “O ass√©dio tem sido pautado na m√≠dia e nas redes sociais. Mas do ponto de vista das empresas, pouco se faz. √Č a primeira vez que vejo em nosso setor uma a√ß√£o conjunta, que demandou muito tempo de constru√ß√£o. Entre a ideia de se construir um pacto at√© se realizar, foram muitos meses de trabalho”, disse.

Ivanov tamb√©m salientou que a cartilha foi uma iniciativa que reuniu v√°rias entidades do meio. “Foi necess√°rio observar as melhores pr√°ticas do mundo, e construir alian√ßas entre as entidades. Entidades de norte a sul do pa√≠s est√£o assinando este pacto. Para mim, √© um momento hist√≥rico do setor audiovisual”, afirmou.

Leonardo Edde, presidente do Sindicato da Ind√ļstria Audiovisual (Sicav), fez quest√£o de lembrar de que se trata de uma cartilha, n√£o de um conjunto de regras. “Cada empresa vai internalizar √† sua maneira. O objetivo √© trazer esclarecimentos e mudar uma cultura que √© muito grave e ainda est√° enraizada na sociedade. Isso n√£o √© tarefa f√°cil”, reconheceu.

Para Mariana Souza, gerente executiva da Associa√ß√£o Brasileira de Produ√ß√£o de Obras Audiovisuais (Apro) e uma das formuladoras da cartilha, n√£o se trata de uma ca√ßa √†s bruxas, mas sim de uma agenda positiva, a fim de educar e prevenir novos casos e situa√ß√Ķes constrangedoras. “A cultura foi permissiva durante muitos anos, mas hoje n√£o √© mais. Com o movimento Time’s Up, o PGA (sigla em ingl√™s para Sindicato dos Produtores da Am√©rica) distribuiu uma cartilha sobre ass√©dio sexual, e ent√£o adaptamos para a nossa realidade e nossa legisla√ß√£o”, explicou.

Tamb√©m presente ao debate, a ju√≠za Daniela Muller explicou alguns fundamentos dos direitos trabalhistas ligados ao tema e enumerou medidas pr√°ticas a serem tomadas em casos de ass√©dio, como ter sempre um canal de acolhimento para as poss√≠veis v√≠timas, guardar provas e buscar orienta√ß√£o jur√≠dica e psicol√≥gica. “Se queremos combater algo que est√° enraizado culturalmente desde o Brasil colonial, em que o senhor de engenho tinha acesso ao corpo de escravas, √© fundamental n√£o naturalizar o ass√©dio”, completou.

Silvana Andrade comentou da import√Ęncia dos movimentos “Agora √© que s√£o elas”, no Brasil, e “Me too”, nos Estados Unidos, j√° que ambos fizeram com que a m√≠dia olhasse para casos de abusos dentro do entretenimento. “Nosso pa√≠s √© muito violento no que diz respeito √†s mulheres e a informa√ß√£o vai ser a nossa principal ferramenta.¬† Uma cartilha vai ser fundamental para essa tomada de consci√™ncia. √Č uma informa√ß√£o valiosa e acess√≠vel para todos”, ratificou.

A segunda parte da palestra consistiu na apresenta√ß√£o da cartilha, com maneiras de como evitar e lidar com o ass√©dio. Ao fim do evento, Mariana concluiu dizendo que a iniciativa quer estimular que homens e mulheres denunciem abusos. “N√≥s queremos garantir um bom ambiente dentro dos sets, das produtoras, e dentro desse universo audiovisual. Ass√©dio √© ass√©dio, independente do g√™nero ou orienta√ß√£o sexual”, finalizou.

A Cartilha

As principais entidades do audiovisual brasileiro lan√ßam a Cartilha Antiass√©dio, documento produzido em regime colaborativo que inclui um leque de informa√ß√Ķes, recomenda√ß√Ķes de procedimentos ante comportamentos abusivos e boas pr√°ticas em casos de ocorr√™ncias no ambiente de trabalho e adjac√™ncias.

A cartilha √© fruto dos esfor√ßos de um grupo de trabalho surgido a partir da provoca√ß√£o ao setor feita por Ant√īnia Pellegrino (escritora, roteirista e cofundadora do blog da Folha de SP “Agora √© Que S√£o Elas”) e sob lideran√ßa da Associa√ß√£o Brasileira da Produ√ß√£o de Obras Audiovisuais (APRO).

Entidades representativas das empresas e dos trabalhadores do segmento se uniram em torno de um Pacto de Responsabilidade Antiass√©dio no Setor Audiovisual. O objetivo agora √© o desenvolvimento de uma s√©rie de a√ß√Ķes visando orientar e prevenir esse tipo de atitude dentro das produtoras e nos sets de filmagem. A elabora√ß√£o da cartilha contou com a participa√ß√£o dos produtores e de um grupo de advogados especialistas em Direito do Entretenimento.

Participaram da formata√ß√£o da cartilha as entidades do audiovisual: Associa√ß√£o Brasileira da Produ√ß√£o de Obras Audiovisuais (APRO), Brasil Audiovisual Independente (BRAVI), Sindicato das Ind√ļstrias Audiovisual do Estado de S. Paulo (SIAESP), Sindicato Interestadual da Ind√ļstria Audiovisual (SICAV), Sindicato dos Trabalhadores na Ind√ļstria Cinematogr√°fica e do Audiovisual dos Estados de S√£o Paulo, Paran√°, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goi√°s, Tocantins e Distrito Federal (SINDCINE), SATED -SP, al√©m de representantes das principais lideran√ßas do mercado e de produtoras.

Outras entidades tomaram contato com o material e tamb√©m aderiram ao conte√ļdo, em um esfor√ßo de torn√°-lo cada vez mais representativo de todos os profissionais envolvidos na cadeira produtiva do setor. S√£o elas: ABRAGAMES, ABRAMINA, Associa√ß√£o Paulista de Cineastas (APACI), Associa√ß√£o Brasileira de Cineastas (ABRACI), APROSOM, Conex√£o Audiovisual Centro-Oeste, Norte e Nordeste (CONNE), e o F√≥rum Audiovisual Minas Gerais, Esp√≠rito Santo e Sul/Paran√°, Santa Catarina e Rio Grande do Sul (FAMES).

Agência Nacional de Cinema
Ministério da Cultura

Share

Ibram e Wikipédia promovem maratona de museus

maratona_museus_

Aproximar ainda mais os museus brasileiros das plataformas digitais para promover, divulgar e valorizar o campo museol√≥gico s√£o os objetivos da Maratona de Museus: Ibram e Wikip√©dia. O evento acontece no dia 6 de novembro em tr√™s capitais brasileiras: Bras√≠lia (DF), Recife (PE) e Rio de Janeiro (RJ). O projeto possibilitar√° m√ļltiplas a√ß√Ķes de promo√ß√£o e divulga√ß√£o de museus e seus acervos, a partir da cria√ß√£o ou qualifica√ß√£o de verbetes na web sobre elas, suas hist√≥rias, seus itens de cole√ß√Ķes e outros temas relacionados.

A ação acontecerá simultaneamente nas três cidades envolvidas, das 9h às 18h, e contará com a participação de técnicos dos 30 museus vinculados ao Ibram, servidores da sede do órgão em Brasília e técnicos de museus de Recife e Rio de Janeiro. Serão oferecidas mais de 60 vagas para interessados em participar, desde que sejam estudantes ou técnicos na área de Museologia.

Os interessados em participar devem enviar um e-mail at√© sexta (19) para¬†cpgii@museus.gov.br. Em caso de d√ļvidas, o Ibram disponibilizou dois telefones: (61) 3521-4135/4142. A Maratona de Museus: Ibram e Wikip√©dia ser√° um esfor√ßo colaborativo, o que permitir√° ampliar o acesso e o conhecimento dos diversos p√ļblicos sobre os museus participantes e instig√°-los a visitarem essas institui√ß√Ķes culturais.

A a√ß√£o ser√° promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus em parceria com a Wiki Educa√ß√£o Brasil, grupo que conta com a participa√ß√£o de professores, colaboradores e pesquisadores de v√°rias institui√ß√Ķes brasileiras participantes do Programa de Educa√ß√£o da Wikimedia. A funda√ß√£o √© dedicada a incentivar a produ√ß√£o, desenvolvimento e distribui√ß√£o de conte√ļdo livre e multil√≠ngue, disponibilizados ao p√ļblico de forma integral e gratuita.

A Wikip√©dia, um dos 10 sites mais visitados do mundo, √© o projeto mais conhecido da Wikimedia, com mais de 43 milh√Ķes de artigos escritos de forma conjunta por diversos volunt√°rios ao redor do mundo.

Assessoria de Comunicação
Com informa√ß√Ķes do Ibram
Ministério da Cultura

Share