PERNAMBUCO | Lançado o 7º Prêmio Hermilo Borba Filho de Literatura

As inscrições são gratuitas e deverão ser feitas no período de 27 de janeiro a 31 de março de 2020, exclusivamente pelo Mapa Cultural de Pernambuco

Fomentar a produção de obras de literatura em todas as macrorregiões de Pernambuco, por meio de estímulo à criação literária e editorial. Este é o objetivo da sétima edição do Prêmio Hermilo Borba Filho de Literatura, que está sendo lançado nesta terça-feira (14) pelo Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Cultura, Fundarpe e Cepe Editora.

7-premio-hermilo-borba-filho-de-literatura-607x452

O prêmio é voltado para publicações inéditas, nos seguintes gêneros: conto, poesia ou romance

Poderão se inscrever pernambucanos natos ou que comprovem residência no estado há, pelo menos, dois anos, e que sejam autores de obras inéditas nos seguintes gêneros: conto, poesia ou romance. Por inédito, o edital entende que o original não tenha sido publicado em formato livro, seja físico ou digital, mesmo que partes do seu conteúdo estejam em plataforma digitais como blogs, sites ou redes sociais. O Prêmio Hermilo Borba Filho de Literatura distribuirá R$ 90 mil em prêmios.

As inscrições são gratuitas e deverão ser feitas no período de 27 de janeiro a 31 de março de 2020, exclusivamente pelo Mapa Cultural de Pernambuco, através do link www.mapacultural.pe.gov.br/oportunidade/225.

Este ano, serão entregues cinco prêmios de R$ 18 mil: um para o vencedor de cada macrorregião: Metropolitana, Mata, Agreste e Sertão, além do “Grande Prêmio”, que é a melhor obra dentre todas as regiões. Todos os livros vencedores serão publicados pela Cepe Editora. Os vencedores também poderão passar a integrar atividades de formação do público leitor (oficina, palestra, recital), dentro da programação de literatura realizada pela Secult/Fundarpe.

“É um prêmio muito importante e estratégico. Além do Prêmio Hermilo, temos para o setor da literatura, em Pernambuco, os prêmios Cepe Nacional e Cepe Nacional Infantojuvenil. O fortalecimento desses concursos é uma demanda prevista no Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (PELLLB). Então ficamos felizes em ver que, além de incentivar e valorizar a criação literária, revelando novos autores, estamos com esta ação fortalecendo a própria política pública destinada a este segmento, pelo Governo do Estado”, coloca Gilberto Freyre Neto, secretário de Cultura de Pernambuco.

“Importante destacar também a repercussão do prêmio para o segmento da literatura em Pernambuco. Em ações que realizamos, como o projeto Outras Palavras, nas escolas públicas do Estado, ou no projeto Livros Livres, os livros vencedores do Prêmio Hermilo de Literatura são distribuídos e discutidos. Os escritores também são convidados a darem palestras e assim estimular a formação de um novo público leitor”, coloca Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe.

O julgamento será feito em duas etapas, por duas comissões distintas, entre os dias 27 de abril a 18 de setembro de 2020 (primeira etapa) e 22 de setembro a 23 de outubro de 2020 (segunda etapa). Caberá à comissão julgadora da primeira etapa indicar à comissão julgadora da segunda etapa até 20 (vinte) livros finalistas, sendo preferencialmente cinco de cada macrorregião do Estado. Serão critérios de julgamento das obras: Originalidade/Singularidade (proposta de vanguarda ou peculiar dentro da tradição literária); qualidade técnica (demonstração de domínio das técnicas da narrativa ou do poema) e domínio da linguagem (norma padrão da língua ou adequação da linguagem às variedades pertinentes na construção das vozes das personagens ou do eu lírico/épico).

O 7º Prêmio Hermilo Borba Filho de Literatura se apresenta com algumas mudanças em relação a sua última edição. “As alterações buscaram uma maior valorização do prêmio, que passa a instituir um único ganhador por Região, passando a receber um valor maior. Também estamos ampliando a democratização do prêmio, desburocratizando e instituindo uma quarentena de três edições aos últimos vencedores”, diz Roberto Azoubel, coordenador de Literatura da Secult-PE/Fundarpe.

Serviço
7º Prêmio  Hermilo Borba Filho de Literatura
Inscrições gratuitas de 27 de janeiro a 31 de março de 2020, exclusivamente pelo Mapa Cultural de Pernambuco: www.mapacultural.pe.gov.br/oportunidade/225
Mais informações: (81) 3184-3021 / literatura.secultpe@gmail.com

Share

NOTÍCIAS | Governo federal vai pagar auxílio emergencial para pescadores afetados pelo óleo no litoral brasileiro

Ministério da Cidadania vai repassar mais de R$ 130 milhões a trabalhadores de 128 municípios; lista de quem receberá os recursos foi elaborada pelo Ministério da Agricultura,
Pecuária e Abastecimento

O governo federal vai repassar mais de R$ 130 milhões para pescadores artesanais de onze estados. O recurso é um auxílio emergencial para os trabalhadores que foram atingidos pelas manchas de óleo no litoral brasileiro. O pagamento começa nesta segunda-feira (16) e vai até a segunda-feira (23), de acordo com o final do Número de Identificação Social (NIS). Eles receberão R$ 1.996 cada, dividido em duas parcelas. A medida provisória que garante os recursos foi publicada no Diário Oficial da União.

Foto: Sérgio Amaral

Foto: Sérgio Amaral

No total, a iniciativa vai beneficiar cerca de 66 mil pescadores de 128 municípios. Para ter direito ao benefício, os pescadores devem estar inscritos e ativos no Registro Geral da Atividade Pesqueira, com atuação em área marinha ou estuarina – os manguezais -, e residentes nos municípios afetados. O pagamento será feito mesmo que o beneficiário tenha direito a outro valor pecuniário pago pela União.

Segundo o secretário Especial do Desenvolvimento Social, Lelo Coimbra, o benefício segue a orientação do presidente Jair Bolsonaro de não deixar nenhum brasileiro para trás. “Como não temos um responsável, o governo precisava tomar uma iniciativa. E por isso, fez uma medida provisória que foi publicada no Diário Oficial. São recursos que serão distribuídos para pessoas que vivem da pesca artesanal, onde esse óleo que chegou impediu que o seu trabalho continuasse e a sua renda fosse subtraída. Então, esse repasse é muito importante porque significa não deixar ninguém para trás”, avaliou o secretário do Ministério da Cidadania.

Serão beneficiados 65.906 pescadores de 11 estados e 128 municípios:
1) Alagoas (4.949 pescadores de 16 municípios)
2) Bahia (24.439 pescadores de 31municípios)
3) Ceará (8.370 pescadores de 17 municípios)
4) Espírito Santo (1.896 pescadores de 8 municípios)
5) Maranhão (7.713 pescadores de 9 municípios)
6) Paraíba (2.608 pescadores de 7 municípios)
7) Pernambuco (4.236 pescadores de 12 municípios)
8) Piauí (77 pescadores de 4 municípios)
9) Rio de Janeiro (184 pescadores de 2 municípios)
10) Rio Grande do Norte (4.237 pescadores de 13 municípios)
11) Sergipe (7.197 pescadores de 9 municípios)

Saiba Mais
A parcela poderá ser sacada no prazo de até 90 dias, a partir da data da disponibilização do crédito ao beneficiário. A relação dos pescadores profissionais artesanais foi produzida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Já o auxílio será pago pelo Ministério da Cidadania aos beneficiários, com recursos disponibilizados pelo Ministério da Economia.

ssessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
(61) 2030-2266 / 2412
www.cidadania.gov.br/imprensa

Share

Museu da Abolição promove evento no mês da Consciência Negra sobre acesso da população afro-brasileira

O Conexão MAB visa construir reflexões coletivas, por meio de oficinas e palestras gratuitas, sobre a presença negra nos espaços digitais, na comunicação, na tecnologia e no acesso à informação.

Ao contrário do que muitas pessoas acham, a população negra no Brasil ainda tem acesso limitado a importantes áreas da sociedade, como comunicação, tecnologia e informação. Pensando nisso, o Museu da Abolição – MAB/Ibram, em parceria com agentes externos, irá promover o Conexão MAB, nos dias 22 e 23/11, no auditório do próprio Museu.

73513706_2541967872517269_8724575400048459776_o

Uma iniciativa que visa proporcionar engajamento junto aos nossos públicos reais e potenciais, a fim de garantir reflexões coletivas, formações e trocas. Ofertando oficinas e palestras gratuitas que abordarão a presença negra nos espaços digitais, na comunicação, na tecnologia e no acesso à informação.

 “O Conexão MAB é uma oportunidade de valorizar projetos e pensar sobre o real acesso da população negra a áreas, hegemonicamente, brancas, elitistas e excludentes. Ressaltando a necessidade de representação e estimulando um processo de valorização de iniciativas que já pensem sobre essas questões”, ressaltou Wellington Silva, estagiário do MAB e um dos curadores do evento.

O Conexão MAB pretende conectar pessoas e agregar propósitos, oferecendo o olhar de quem trabalha, pesquisa ou simplesmente curte os temas do evento, por meio de uma oportunidade para dialogar sobre valorização de carreiras, conteúdos e projetos de pessoas negras do Recife/Nordeste.

O evento conta com uma programação ocupada apenas por pessoas negras, ressaltando a importância do lugar de fala e da construção da representatividade, sendo pensado pelo Museu da Abolição como atividade principal para o Mês da Consciência Negra. Tendo como anfitriões a Larissa Santiago, publicitária e coordenadora do site Blogueiras Negras; e o Eliel David, advogado e membro da Comissão de Igualdade Racial OAB/PE. Ambos embaixadores do Projeto Selos 2019 do Museu da Abolição.

A ocasião contará com seis atividades, entre minicursos e palestras, onde serão debatidos assuntos como negros na tecnologia, cultura periférica, acesso a comunicação e empoderamento nas redes sociais. Além de um encontro de Influenciadores digitais, onde será debatida a importância dos criadores de conteúdo na luta antirracista e no empoderamento negro.

“A internet tem um papel muito importante na educação e na atuação dos movimentos negros e de mulheres negras brasileiras. É preciso estar atento e ser sagaz no que significa ser influencer nesse cenário, nessa época”, pontuou Larissa Santiago, curadora do evento e embaixadora do Projeto Selos 2019.

No último dia do evento, o Museu da Abolição, em parceria com Larissa Santiago, coordenadora do site Blogueiras Negras, Irá iniciar uma pesquisa online que busca mapear criadores negros de conteúdo, da região nordeste, e entender a relação deles com a internet.

O Conexão MAB busca agregar discussões ao Projeto Selos 2019, um projeto que norteia todas as atividades anuais da instituição e que tem o objetivo de unir as capacidades do MAB com as nuances que permeiam a vida dos afro-brasileiros e afro-brasileiras. Para o ano de 2019, escolhemos como tema os “Contextos Afros Digitais”, que buscam apresentar a forma como a população negra está inserida nos espaços digitais, sobretudo, na internet.


Serviço:

O que: Conexão MAB
Quando: 22 e 23 de novembro
Onde: Museu da Abolição, nº 1150, Madalena – Recife/PE
Entrada: Gratuita

Inscrições: https://forms.gle/nBQH4WbhNKxR74dc9 (ou acessando o @museuabolicao nas redes sociais).

Share

EDITAL | Inscrições para o Prêmio #amorpeloBrasil são prorrogadas até 30 de janeiro

Edital vai selecionar vídeos produzidos, com celular, por jovens de 12 a 18 anos de todo o País. No total, serão R$ 2 milhões em prêmios e em capacitações na área do audiovisual

destaquinho_Amor_pelo_Brasil-768x808

Estão prorrogadas até 30 de janeiro de 2020 as inscrições para o edital #amorpeloBrasil, que vai premiar vídeos produzidos por jovens de 12 a 18 anos sobre iniciativas de pessoas ou projetos que tenham impactado suas comunidades de forma positiva. Ao todo, serão R$ 2 milhões em prêmios e também em capacitações na área do audiovisual. As inscrições podem ser feitas em www.cultura.gov.br/inscricaoamorpeloBrasil.

Para o secretário do Audiovisual da Secretaria Especial da Cultura, Ricardo Rihan, o prêmio é uma oportunidade para os jovens que têm interesse em ingressar em um dos mercados que mais crescem no mundo, o audiovisual. “Eu quero, mais uma vez, convocar a garotada brasileira, os futuros cineastas, diretores, roteiristas, fotógrafos, atores, para fazerem seus vídeos, para participarem deste edital, que premiará os melhores cineastas em potencial. Vamos filmar, vamos produzir”, incentiva Rihan.

Para participar, os vídeos precisam ter sido gravados com celular, ter duração de um a dois minutos e abordarem temas relacionados à promoção da cidadania. Além disso, também precisam ter sido publicados em plataformas digitais gratuitas e de livre acesso, como YouTube, Vimeo e Dailymotion.

Seleção

Os vídeos passarão por duas fases de seleção. Na primeira, serão escolhidos os 12 melhores de cada estado e do Distrito Federal. Cada um deles vai receber R$ 3 mil. Na segunda etapa, os primeiros lugares em cada uma das 27 unidades da Federação serão novamente avaliados. O vídeo selecionado em primeiro lugar irá receber R$ 20 mil; o segundo, R$ 15 mil; o terceiro, R$ 10 mil; o quarto, R$ 8 mil; e o quinto, R$ 6 mil. Os premiados que ficarem entre o sexto e o 27º lugar irão receber R$ 5 mil.

Os responsáveis pelos 27 vídeos selecionados farão curso de capacitação em Brasília, para o qual receberão ajuda de custo para deslocamento e permanência na capital federal, acompanhados por um responsável. Nesta segunda fase, o vídeo selecionado em primeiro lugar irá receber R$ 20 mil; o segundo, R$ 15 mil; o terceiro, R$ 10 mil; o quarto, R$ 8 mil; e o quinto, R$ 6 mil. Os premiados que ficarem entre o sexto e o vigésimo sétimo lugares irão receber R$ 5 mil.

Além da premiação, os responsáveis pelos 27 vídeos vencedores farão curso de capacitação em Brasília, para o qual receberão ajuda de custo para deslocamento e hospedagem, acompanhados por um responsável.

Mais informações sobre o edital podem ser acessadas neste link.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania
Informações para a imprensa:
(61) 2024-2266 / 2412
www.cidadania.gov.br/imprensa

Share

CONSELHO | Candidatos da sociedade civil ao CNPC vão à votação popular

Qualquer cidadão maior de 18 anos poderá votar, entre os próximos dias 14 e 25, pelo site do CNPC; antes da votação, é preciso se inscrever na plataforma Votacultura

EJWsmbqW4AIMya2

Os candidatos da sociedade civil indicados por Conselhos de Cultura dos estados e do Distrito Federal a constituírem o Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) estão prestes a serem definidos. Entre os dias 14 e 25 de novembro, qualquer cidadão maior de 18 anos pode ajudar a definir os representantes: a votação popular acontece pelo site cnpc.cultura.gov.br/votacultura. O CNPC é responsável pelas proposições de políticas públicas para o desenvolvimento e fomento das atividades culturais brasileiras.

Os 10 mais votados serão integrantes titulares das vagas do conselho. Já os classificados entre a décima primeira e a vigésima posição serão os suplentes. Ou seja, serão dois titulares e dois suplentes por macrorregião: Norte, Centro-Oeste, Nordeste, Sudeste e Sul. O secretário da Diversidade Cultural do Ministério da Cidadania, Gustavo Amaral, explica o processo de votação e faz o convite para a participação dos brasileiros.

No dia 14 de novembro, iniciaremos a etapa de eleição dos indicados pelos Conselhos de Cultura das cinco regiões brasileiras para compor o Conselho Nacional de Política Cultural, como membro da sociedade civil”, afirma. O secretário lembra que o processo de votação é simplificado: “Basta se cadastrar como eleitor na plataforma cnpc.cultura.gov.br/votacultura, escolher um candidato de qualquer região e realizar o seu voto. O seu voto é muito importante para a cultura nacional”.

Para votar nos candidatos da sociedade civil indicados pelos conselhos, é preciso se inscrever na plataforma Votacultura e preencher o formulário eletrônico, informando nome completo, RG, CPF, e-mail, data e local de nascimento. Podem participar brasileiros natos ou naturalizados, com mais de 18 anos. As inscrições na plataforma já estão abertas.

O CNPC

Previsto na Constituição Federal (art. 216-A, § 2º, inciso II), o Conselho Nacional de Política Cultural é responsável pela proposição de políticas públicas, visando promover a articulação e o debate entre as esferas governamentais e a sociedade civil organizada para o desenvolvimento e o fomento das atividades culturais brasileiras. É também a instância de caráter consultivo e de gestão compartilhada do Sistema Nacional de Cultura (SNC).

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
(61) 2024-2266 / 2412
www.cidadania.gov.br/imprensa

Share

RESULTADO | Iniciativas culturais são selecionadas para residências artísticas em Estações Cidadania

Ministério da Cidadania concederá, no total, R$ 360 mil em bolsas para os 18 contemplados no edital da Funarte

Projetos culturais nas áreas de dança, teatro, circo, música e artes visuais foram selecionados para atuar em Estações Cidadania de todas as regiões do País. São 18 iniciativas, que serão contempladas com R$ 20 mil para realizarem uma residência de três meses nos espaços públicos. Desenvolvidas pelo Ministério da Cidadania, as estações oferecem a comunidades que moram em regiões de vulnerabilidade social atividades esportivas, ações de assistência social, além de diversos atrativos culturais. O edital da Fundação Nacional de Artes (Funarte), vinculada ao Ministério, é mais uma forma de levar cultura a quem mais precisa. No total, serão investidos R$ 360 mil nas iniciativas contempladas.

Por meio do projeto Costuras Errantes, a artista Ítala Isis propõe aliar técnicas de costura e bordado de peças a narrativas sobre a cidade (Foto: Ítala Isis)

Por meio do projeto Costuras Errantes, a artista Ítala Isis propõe aliar técnicas de costura e bordado de peças a narrativas sobre a cidade (Foto: Ítala Isis)

Um dos projetos selecionados é o Costuras Errantes, da artista, pesquisadora e educadora Ítala Isis, do Rio de Janeiro. Ela se propõe a trabalhar em Catalão, no estado de Goiás, as técnicas de costura e bordado de peças e, também, de narrativas sobre a cidade. “O principal desejo desse projeto é constituir um grupo lá na cidade de Catalão, que é onde ele vai ser realizado. Constituir um grupo de experimentação em bordado e em costura. E ter como tema, como mote para essa experimentação, as histórias de vida da comunidade de lá. Então eu vou levar várias vivências, várias atividades que vão puxar esse fio de histórias, tanto histórias pessoais, quanto histórias coletivas”, afirma.

A ideia da bolsa é promover uma troca entre o artista e as comunidades atendidas pelo equipamento público. Os beneficiados pelo edital também terão a oportunidade de se relacionar com outros profissionais, construindo um ambiente de experimento, pesquisa e criação. Para o secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Ricardo Braga, o intercâmbio cultural é um dos ganhos mais importantes da residência artística.

“Neste edital, o artista selecionado vai escolher uma Estação Cidadania fora da sua região geográfica, o que também proporciona um intercâmbio cultural importante, não só para ele, mas para a comunidade que terá contato com a sua arte. Esta é mais uma ação do Ministério que qualifica ainda mais as Estações Cidadania, ampliando ações do desenvolvimento social, esporte e cultura”, destaca.

O governo federal inaugurou 24 Estações Cidadania desde o início do ano. A expectativa é concluir 2019 com 40 equipamentos entregues à sociedade.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania
Informações para a imprensa:
(61) 2024-2266 / 2412

Share

INFRAESTRUTURA | Estação Cidadania leva cultura, esporte e assistência social à Paraíba

Equipamento recebeu investimento de R$ 2,5 milhões. Bairro Malvinas foi escolhido por ter população numerosa e ser estratégico para implementação de ações que reduzam vulnerabilidade social na região

Com investimento de R$ 2,5 milhões, o Ministério da Cidadania inaugurou, nesta quinta-feira (8), a Estação Cidadania de Campina Grande (PB). O novo equipamento para a promoção de cultura, desenvolvimento social e esporte fica no bairro Malvinas, o mais populoso do município.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Construída em uma área de três mil metros quadrados, a Estação Cidadania dispõe de espaços multiuso, telecentro, biblioteca e um cineteatro. O local ainda conta com quadra poliesportiva, pistas de caminhada, praças infantis e equipamentos de ginástica. Também funciona na Estação um Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

O secretário de Difusão e Infraestrutura Cultural do Ministério da Cidadania, Paulo Nakamura, destacou a importância do equipamento para a comunidade do bairro Malvinas. “Esta Estação Cidadania tem como objetivo a integração de atividades e serviços culturais, esportivas, de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, funções socioassistenciais e políticas de prevenção à violência, assim como inclusão digital”, informa. “Este bairro foi escolhido principalmente por ter uma população numerosa e ser considerado estratégico na questão de implementação de ações que possam diminuir a vulnerabilidade social na região”, destaca.

Morador do bairro há 35 anos, Nilton Ventura acredita que a Estação Cidadania vai mudar para melhor a vida de muitos jovens a partir dos serviços que serão oferecidos. “Hoje tivemos vários computadores entregues, uma sala ampla com ar-condicionado para essa juventude pesquisar, para entrar na internet. É muito benefício para a nossa comunidade. Vai ocupar mais o jovem, eles vão ter uma área de skate, sala de computação, miniteatro, aula de teatro. Isso vai ser muito bom, com certeza diminui a violência, não resta dúvida”, enfatiza.

Nesta segunda-feira (11), serão abertas inscrições para aulas de balé, teatro e danças nos estilos mix, folclórica e urbana. As inscrições devem ser feitas presencialmente na Estação Cidadania. O equipamento é administrado pela prefeitura, mas conta com grupo gestor formado por representantes da comunidade e da sociedade civil.

Esta é a 25ª Estação Cidadania inaugurada pelo governo federal desde o início do ano. A expectativa é concluir 2019 com 40 equipamentos entregues à sociedade.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
(61) 2024-2266 / 2412
www.cidadania.gov.br/imprensa

Share

AVISO | Nota sobre a transferência da Secretaria Especial da Cultura

A Cultura no Brasil, nos últimos anos, passou por uma pauta extensa, permeada por muitas controvérsias. Em comum acordo, o governo federal decidiu transferir a Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania para o Ministério do Turismo.

Nesse período, realizamos grandes ações, como a publicação de nova normativa da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com objetivo de atender mais projetos, de modo descentralizado, levando mais produções para mais localidades do país. Até outubro, a captação atingiu valor de R$ 559,6 milhões, montante superior em R$ 47,5 milhões em relação ao mesmo período do ano passado.

Na área de patrimônio e museus, houve aporte de R$ 200 milhões de recursos do Fundo de Direitos Difusos para 29 projetos de restauro e segurança, entre outros.

Foram entregues, ainda, 19 obras de restauro em patrimônio histórico totalizando investimentos de R$ 69 milhões.

A troca reforça o papel da Cultura como um dos eixos fundamentais do desenvolvimento econômico do país, dada a grande demanda que a pasta exige para cumprir seus objetivos.

Assessoria de Comunicação Social
Ministério da Cidadania

Share

PREMIAÇÃO | Ministério da Cidadania divulga 250 vencedores do Prêmio Culturas Populares 2019

Mestres, mestras e instituições jurídicas sem fins lucrativos irão receber R$ 5 milhões em prêmios

74402602_2247035578735027_6758264733997989888_n

O resultado final do Prêmio Culturas Populares 2019 – edição Teixeirinha – foi divulgado nesta quinta-feira (31) pelo Ministério da Cidadania. Foram premiados 150 mestres e mestras de todas as cinco regiões brasileiras, além de 100 grupos e associações, pessoas jurídicas, sendo duas delas da cota de acessibilidade. Cada premiado receberá o valor de R$ 20 mil, sendo, no total, R$ 5 milhões em prêmios para iniciativas que contribuem para fortalecer e dar visibilidade a atividades da cultura popular e tradicional de todo o Brasil.

O nome de todos os premiados pode ser acessado aqui.

O secretário da Diversidade Cultural, Gustavo Amaral, destacou a valorização das mais diversas culturas das cinco regiões do País por meio do prêmio. “Esta atividade busca reconhecer a atuação exemplar de mestres e mestras e entidades culturais de todas as regiões do País. A ação é tão significativa que tem o poder de fortalecer estas expressões, ao mesmo tempo em que reconhece e valoriza as atividades culturais realizadas por todos os fazedores de cultura da nossa nação.”

Segundo o secretário, o recurso financeiro será entregue aos premiados ainda este ano. “Neste momento, estamos reunindo a documentação dos premiados para cumprir o compromisso do governo em promover o pagamento dos prêmios ainda no ano de 2019”, afirmou.

Dos 150 prêmios para iniciativas de mestres e mestras (pessoa física), 30 foram concedidos para cada região. Das premiações de pessoa jurídica, 16 foram para o Centro-Oeste, 25 para o Nordeste, 24 para o Sudeste e 24 para a Sul, além de 9 para a região Norte.

Foram avaliadas 909 iniciativas de mestres e mestras, com 672 classificados e 237 desclassificados. No caso de pessoas jurídicas sem fins lucrativos com finalidade ou natureza cultural, foram apreciados 185 projetos, dos quais 178 foram classificados e 7, desclassificados.

Os premiados têm 15 dias para atualizar os dados bancários informados ao Ministério no momento de inscrição, caso tenham mudado. Cabe lembrar que todos os premiados assumem o compromisso de enviar o relatório das atividades realizadas com os recursos da premiação 12 meses após o recebimento. Em caso de dúvidas, basta enviar um e-mail para coicp@cidadania.gov.br.

Prêmio Culturas Populares

Lançado em 2007, o Prêmio Culturas Populares teve seis edições anteriores. No total, incluindo a edição de 2019, foram mais de 12 mil inscrições e 2.295 mestres, grupos e entidades sem fins lucrativos premiados, com um total de R$ 33,75 milhões. A cada edição, o prêmio é dedicado a um ícone da cultura popular nacional. Neste ano, homenageia o cantor gaúcho Vítor Mateus Teixeira, o Teixeirinha.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
(61) 2030-2266 / 2412

Share

Grupo Sonoru’s realiza concerto dedicado às crianças na CAIXA Cultural Recife

Conjunto de flautas doces da Orquestra Criança Cidadã promete encantar público infantil com a execução de temas populares

Formado majoritariamente por alunos de flauta doce da Orquestra Criança Cidadã, o Grupo Sonoru’s volta a se apresentar no teatro da Caixa Cultural Recife, no próximo dia 25 (sexta-feira), às 19h30. Criado há quatro anos, o conjunto musical tem a coordenação da professora Lídia Oliveira e reúne, ao todo, 12 instrumentistas: oito dulciflautistas, três percussionistas e um violoncelista.

72220453_3129363763803404_2083972708168630272_o

Em referência ao Mês das Crianças, o Sonoru’s preparou um concerto dedicado ao público infantil. “Estamos ensaiando um repertório com músicas já tocadas e algumas novas também, mas basicamente pensando nas crianças”, ressalta Oliveira.

Algumas canções populares integram o repertório: Ciranda da rosa vermelha, Sabiá, Xote das meninas, Sambalelê e Só quero um xodó. Além dessas músicas, o Grupo Sonoru’s vai interpretar temas dos filmes Harry Potter e A pantera cor de rosa, assim como as peças Fonerier, de Björn Havgall, e a Marcha persa, de Johann Strauss II.

A apresentação também reserva um solo do Concertino, de Ernst Mahle, a ser executado pela aluna Júlia Paulino. “A expectativa é grande. A gente tem feito os últimos ajustes e o concerto promete ser muito bom”, comenta a jovem instrumentista. A entrada para o espetáculo é gratuita.

A Orquestra Criança Cidadã é um projeto social incentivado pelo Ministério da Cidadania, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, e conta com patrocínio máster da CAIXA Econômica Federal.

Incentivo à cultura:

A CAIXA investiu mais de R$ 400 milhões em cultura nos últimos seis anos. Em 2019, nas unidades da CAIXA Cultural em Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, está prevista a realização de 150 projetos de Artes Visuais, Cinema, Dança, Música, Teatro e Vivências.

A CAIXA Cultural Recife oferece, desde 2012, uma programação diversificada, com opções gratuitas ou a preços populares, estimulando a inclusão e a cidadania. O espaço, situado em um prédio histórico na Praça do Marco Zero, conta com duas galerias, teatro, sala multimídia, e salas de oficinas.  

***

Serviço:

[MÚSICA] Grupos Sonoru’s da Orquestra Criança Cidadã na CAIXA Cultural Recife
Local:
Galeria da CAIXA Cultural Recife – Av. Alfredo Lisboa, 505, Praça do Marco Zero, Bairro do Recife.
Data: 25 de outubro de 2019 (sexta-feira)
Horário: 19h30
Informações: (81) 3425-1915
Entrada Gratuita
Bilheteria: Ingressos devem ser retirados uma hora antes do concerto.
Duração: 60 minutos
Classificação: Livre
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: CAIXA e Governo Federal 

Share