11º Festival de Teatro de Rua do Recife – 11 anos de Arte Pública de Rua

O teatro de rua vai agitar as praças, becos e bairros de Recife e Olinda. No mês de Dezembro, a partir desta quarta-feira (07) até sábado (10), as ruas serão os palcos do 11º Festival de Teatro de Rua do Recife 11 anos de Arte Pública de Rua. Ofertando gratuitamente espetáculos em vários bairros da Região Metropolitana do Recife. Nesta edição, o Festival presta homenagem ao Ator, Diretor e Encenador Pernambucano, Carlos Sales (in memórian), com uma trajetória artística nos palcos e no universo do Teatro Popular.

15400354_1310135412382579_884888223827014502_n

A realização é do Movimento de Teatro Popular de Pernambuco (MTP/PE), com apoio da Secult/PE através da Fundarpe. Um Festival que mobiliza, aglutina e envolve diferentes grupos teatrais, protagonizado por um coletivo popular, com práticas singulares de fazer, pensar e criar Teatro e principalmente, fomentar sua manifestação pública em territórios onde a fruição dessa linguagem necessita ser potencializada.

Foto: Sandro Barros/Divulgação

Após dois anos de latência, o festival traz uma programação a nível estadual e nacional com a participação de grupos do Movimento Popular Escambo Livre de Rua\RN, as apresentações acontecem na Região Metropolitana do Recife. No centro, nos bairros da cidade do Recife e Olinda. Segue abaixo a programação.

Carlos Salles

O homenageado desta 11º edição do festival era um membro atuante do nosso movimento. Desta forma resolvemos fazer o um texto que tenta traduzir nossa admiração e respeito por esse artista brasileiro.

 “Lembrado de diferentes maneiras, como ator, diretor, encenador, produtor, líder e uma das suas maiores facetas, a de ser um pedagogo do teatro, melhor dizendo um professor. Iniciamos esse texto já afirmando que nosso homenageado de 2016, foi e é um personagem que deixou além de espetáculos, criações, deixou histórias de ensinamentos e formação para muitas atrizes e atores de Pernambuco. Carlos Salles do Nascimento, nascido (falta data e local) poderia ter trilhado o caminho da construção de prédios, casas, ruas ou avenidas, pois tem sua formação em Edificações na Escola Técnica Estadual de Pernambuco, contudo ele arquitetou criaturas de outra natureza, planejadas e construídas por ele a partir de poéticas, espacialidade, discursos, cena, TEATRO. E justamente em 1981 que iniciou suas atividades artísticas, no Grupo de Teatro da Escola Técnica Federal de Pernambuco (CEFET) sendo dirigido por Lúcio Lombardi e Lucide da Veiga, em várias montagens. Em seguida Carlos Salles inicia sua busca por conhecer e aprender mais da arte teatral, participando de diversas formações entre elas o Curso Básico de Formação de Ator da fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) em 1990. A caminhada como ator se aprofunda e outro lugar de contribuição para artes cênicas pernambucana descortina-se, a atuação como Diretor e Pedagogo, que irá lhe acompanhar toda a vida, sendo um momento que se iniciou quando fundou o Grupo Cênico Arteatro. Carlos Salles dirigiu mais de 20 espetáculos, atuou em tantos outros, recebeu diversas indicações e premiações como diretor teatral, com destaque para sua direção no espetáculo “Pluft, o fantasminha” que lhe rendeu em 2000 pelo APACEPE a premiação de Melhor Diretor. Mas foi no início do sec. XXI, por volta de 2001 que ele se integra ao Movimento de Teatro de Popular de Pernambuco, descortinando então outro espaço de criação e atuação, o Teatro de Rua. O MTP-PE com sua especificidade de atuação nas comunidades e periferias da região metropolitana do Recife, assim como, apresentando um discurso cênico e dramatúrgico político-social foi uma troca fértil para esse formador e encenador que inicia uma relação poética e visceral com a poesia, a rua, os cheiros e cantos da Recife. No Teatro de rua ele integra o elenco do Te AMU e CIA da região da Mustardinha, assumi a presidência do MTP-PE de 2000 a 2004, sendo um dos coordenadores do II Festival de Teatro de Rua do Recife e em 17 de julho de 2007 funda o Grupo de Teatro de Rua Loucos e Oprimidos da Maciel. Os Loucos, como muitos se acostumaram a chamar, essa trupe ou coletivo surgiu da aglutinação de artistas frequentadores da Pça Maciel Pinheiro, reduto da boemia do Centro do Recife. Estreando em outubro de 2007, tendo a direção de Carlos Salles com o espetáculo “Do Moço e do Bêbado Luna” trabalho baseado na obra literário-poética e musical do polêmico Ericson Luna. Em março de 2010 o grupo estreia “Pólo Marginal” MTP/PE.

Programação

DIA 07 DE DEZEMBRO – QUARTA-FEIRA

15:30 – Abertura do Festival

Homenagem a Carlos Sales

16:00 – Te amu e Cia “O Bê a Bá do Teatro Popular” – Recife PE

LOCAL: Praça do Diário

 DIA 08 DE DEZEMBRO – QUINTA-FEIRA

16:00 – Coletivo Compalhaçaria “Palhaço é Poesia” – Carnaúba dos Dantas/RN

LOCAL: Praça do Diário

19:00 – Mamulengo Jurubeba “As aventuras de uma viúva alucinada” – Recife PE

20:00 – Trupe Circuluz – Roda de Conversa “Espaço Público e o Teatro de Rua”

LOCAL: Cidade Tabajara – Olinda (Praça da Paz)

 DIA 09 DE DEZEMBRO – SEXTA-FEIRA

16:00 – Cia Arte Riso “Quem aposta come brocha” – Umarizal RN

LOCAL: Praça do Diário

20:00 – Trupe Circuluz “Intervenções de Rua” – Olinda PE

20:00 – Grupo Cafuringa “Cafuringa” – Recife PE

LOCAL: Alto José do Pinho – Recife

DIA 10 DE DEZEMBRO – SÁBADO

17:00 – Trupe Circuluz “Circo Trupiada” – Olinda PE

18:00 – Coletivo Gambiarra “Cine Crubinho” – Recife PE

19:00 – POESIS “Intervenções poéticas” Recife PE

20:00 – Grupo de Teatro de Rua Loucos e Oprimidos da Maciel “Polo Marginal – Opereta de Rua” – Recife PE

22:00 – Coco de Seu Mané – Olinda PE

LOCAL: Arruda – Recife (Conjunto Habitacional)

Serviço: 11º Festival de Teatro de Rua do Recife

Data: 07 à 10/12/2-16

Horário: 15:30

Local: Praça do Diário

Cidade: Centro do Recife

Valor: Gratuito

Contatos: Alexandre Menezes (81) 9-99701230 / 9-8765-0975

Imprensa: Sandro Barros (81) 9-9840-9819

Ficha Técnica

Equipe de produção

Alexandre Menezes (Grupo Cafuringa)

Luiz Filho (Grupo Cafuringa)

Marília Vilas Boas (Trupe Circuluz)

Raquel Franco (Trupe Circuluz)

Rodrigo Torres (Loucos e Oprimidos da Maciel)

Registro Audiovisual

Adriano Lima

Assessoria de Imprensa

Sandro Barros

Programação Visual

Java Araújo

Share

Ancine lança primeiro edital voltado para o mercado de jogos

photo302398043493348180A Agência Nacional do Cinema (Ancine) anunciou, nesta segunda-feira (5), o lançamento de seu primeiro edital voltado ao investimento na produção de obras audiovisuais brasileiras independentes de jogos eletrônicos. A Chamada Pública Prodav 14/2016, com inscrições abertas a partir de amanhã (6), vai disponibilizar R$ 10 milhões em recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), que deverão resultar na produção de 24 jogos eletrônicos para a exploração comercial em consoles, computadores ou dispositivos móveis. O anúncio foi feito pelo diretor-presidente Manoel Rangel em evento na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, que contou com a presença da diretora Rosana Alcântara, da chefe do Departamento de Cultura, Entretenimento e Turismo do BNDES, Luciane Gorgulho, e do codiretor de Relações Institucionais da Abragames (Associação Brasileira das Empresas Desenvolvedoras de Jogos Digitais), Ale McHaddo.
Os investimentos do FSA serão distribuídos entre três categorias. A categoria A vai contemplar até dois projetos com R$ 1 milhão, cada; a categoria B selecionará até dez projetos, que receberão R$ 500 mil; e a categoria C oferecerá R$ 250 mil a até 12 projetos. Assim como nos demais editais do Programa Brasil de Todas as Telas, o regulamento prevê que ao menos 30% dos recursos sejam destinados para projetos de empresas sediadas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, e no mínimo 10% para produtoras da região Sul e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo.
“O Brasil é um importante mercado consumidor de jogos eletrônicos, mas são poucos os jogos brasileiros existentes. Com esta ação, estamos estimulando o desenvolvimento de mais jogos no Brasil e esperamos contribuir para o fortalecimento dos desenvolvedores brasileiros independentes. Os jogos eletrônicos trazem enorme impacto cultural, econômico e tecnológico. Além de entreter, eles influenciam hábitos, transmitem valores e podem contribuir para a difusão da cultura brasileira de uma forma lúdica”, afirma o diretor-presidente da Ancine, Manoel Rangel.
Representando a Abragames, Ale McHaddo saudou a iniciativa: “Hoje é um dia histórico para quem produz jogos no Brasil. O edital é importante, mas o mais significativo é ver que os jogos foram inseridos na política pública de audiovisual do Brasil. Os jogos são um vetor importante na construção de identidade e temos muito a contribuir com a indústria criativa no Brasil”.  O sentimento foi compartilhado também por Luciane Gorgulho, do BNDES: “É fundamental essa entrada da Ancine oficializando a existência do setor de games dentro do segmento audiovisual e inaugurando uma era de políticas públicas para o desenvolvimento do setor que eu tenho certeza que vai trazer muitos resultados”, afirmou.
Como participar do Edital
Poderão participar do edital empresas produtoras audiovisuais e desenvolvedoras de jogos eletrônicos registradas e classificadas na Ancine como agente econômico brasileiro independente.
As inscrições serão realizadas por meio do Sistema de Inscrições do Fundo Setorial do Audiovisual, com o preenchimento de um formulário eletrônico e o envio da documentação prevista no ANEXO I da Chamada Pública, de 6 de dezembro a 23 de janeiro de 2017. Podem ser inscritos projetos que se encontrem em qualquer etapa de produção, desde que o jogo não tenha sido lançado comercialmente. Cada proponente pode apresentar apenas um projeto.
Processo de seleção

Os projetos passarão por três fases de análise e avaliação. Inicialmente, as propostas passam por uma fase eliminatória de habilitação, onde serão julgadas pela compatibilidade e adequação formal às condições do edital. As propostas habilitadas seguem para a fase de seleção, de caráter eliminatório e classificatório, quando serão avaliadas por um analista da Ancine e por um profissional independente, e receberão notas de 1 a 5 para os quesitos previstos no edital.

Após a divulgação das notas e da apresentação e julgamento dos recursos dos proponentes, as propostas classificadas para a fase de decisão de investimento seguem para a defesa oral, quando serão avaliadas por uma comissão de sete membros, formada por dois representantes da Ancine, um representante da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAv/MinC), um representante do BNDES, um representante da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e dois representantes da sociedade civil.

Além dos recursos oferecidos pela Chamada Pública, as empresas proponentes classificadas para a fase de defesa oral poderão se candidatar aos recursos do Procult/BNDES, pleiteando o valor mínimo de R$ 1 milhão, de acordo com as regras do Programa, no prazo de 10 dias contados da publicação da Ata de Resultado da 1ª fase de seleção. O resultado das candidaturas aos recursos do Procult/BNDES será divulgado pelo próprio órgão em um processo conduzido de forma independente à Chamada Pública Prodav 14/2016.

O edital determina que a propriedade intelectual da marca e de softwares relativos ao jogo financiado pelo Prodav 14/2016 devem permanecer com a produtora independente e que as licenças negociadas com empresas distribuidoras precisam prever o lançamento comercial do jogo em no máximo 12 meses após a conclusão da obra. Licenças de comercialização para lojas também deverão observar um período máximo de vigência de dois anos.
Consulta Pública

A Ancine colocou em consulta pública, até o dia 6 de março, uma análise de impacto regulatório sobre o setor de jogos eletrônicos no País. O estudo identificou um elevado faturamento deste setor no mercado brasileiro e uma pequena participação da produção nacional nele. O documento apresenta o detalhamento da cadeia de valor do mercado de jogos, avalia a oferta e demanda de jogos eletrônicos no mercado brasileiro, mapeia as iniciativas em políticas públicas voltadas ao setor no país, além de se debruçar sobre os aspectos tributários aos quais estão submetidas as empresas do setor e sobre as questões de propriedade intelectual inerentes ao negócio.

A Análise de Impacto Regulatório traça um panorama do mercado mundial de jogos eletrônicos, focando em exemplos de oito países (Austrália, Canadá, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, Noruega e Reino Unido) e conclui apontando sugestões de políticas públicas para o fomento ao mercado de games em quatro eixos: fomento à produção de projetos; fomento ao desenvolvimento empresarial; fomento ao elo de distribuição; e estímulo à formação de recursos humanos.

O objetivo da Consulta Pública é reunir sugestões e percepções dos diversos agentes econômicos sobre o cenário do mercado de jogos eletrônicos no Brasil, e testar hipóteses de ação para o poder público. Para contribuir com a consulta pública, é preciso acessar o Sistema de Consultas Públicas e se cadastrar.  Dúvidas sobre o funcionamento do sistema devem ser encaminhadas para o email da Ouvidoria.
Programa Brasil de Todas as Telas

O Programa Brasil de Todas as Telas, lançado em julho de 2014, foi moldado para atuar na expansão do mercado e na universalização do acesso às obras audiovisuais brasileiras. Trata-se de uma ampla ação governamental que visa transformar o País em um centro relevante de produção e programação de conteúdos audiovisuais. Foi formulado pela Ancine, em parceria com o MinC e com a colaboração do setor audiovisual por meio de seus representantes no Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).

Os resultados do Programa vêm superando as metas estabelecidas. Até junho deste ano, foram 437 longas-metragens e 453 séries ou telefilmes apoiados. A aposta no investimento em desenvolvimento de projetos também foi bem-sucedida, rendendo a estruturação de 69 núcleos criativos em todas as regiões do país, e garantindo o desenvolvimento de 700 novos projetos de obras audiovisuais.
Em seu terceiro ano, o Programa Brasil de Todas as Telas garante a continuidade de uma política pública vigorosa para o audiovisual brasileiro. Para dar previsibilidade às suas ações de investimento, a Ancine disponibilizou o Calendário de Financiamento para o biênio 2016/2017, que traz as datas previstas para a abertura e divulgação de resultados das chamadas públicas do Programa.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Com informações da Ancine

Share

PIAUÍ: Festival de teatro reúne espetáculos de 13 estados em Floriano

A cidade de Floriano recebe de 7 a 11 de dezembro o 5º Festival Nacional de Teatro – Pontos de Cultura e grupos independentes. Serão 25 espetáculos de 13 estados do país, que acontecem no Espaço Cultural Maria Bonita, Teatro Cidade Cenográfica e na Avenida Beira Rio. As apresentações vão desde teatro de rua a monólogos e teatro infantil.

O Festival, além de proporcionar a circulação de espetáculos nacionais na cidade, também promove a entrega do Troféu Assai Campelo. A homenagem ao ator, iluminador e fotógrafo se deve à história que Assai Campelo construiu no teatro piauiense.  As categorias premiadas serão: espetáculos infantis, monólogos, teatro de rua e alternativo e teatro crítico.

“A recuperação dos nossos espaços culturais, a exemplo do Maria Bonita, proporciona a realização de grandes eventos como o Festival Nacional de Teatro. É uma forma de dar visibilidade aos nossos artistas e proporcionar também intercâmbio com outros grupos de todo o Brasil”, afirma o secretário estadual de Cultura, Fábio Novo.

Os espetáculos são variados e atendem a diferentes tipos de público, com montagens de grupos do Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Maranhão e Piauí.  Dentro das categorias há apresentações de comédia, drama, tragicomédia, experimental, narrativo, teatro de bonecos, palhaço, circo, performances e intervenções.

O evento também homenageia os 30 anos do Teatro Maria Bonita, um dos pontos turísticos de Floriano onde são realizados diversos encontros artísticos. O espaço cultural também possui museu, sala e teatro e cinema e espaço alternativo para shows de humor, musicais e outras apresentações.

Marisa Oliveira / Ascom Secult Piauí

Share

Teatro Experimental de Caruaru leva ‘Auto da Compadecida’ para Taperoá, na Paraíba

Grande vencedor do 13º Festival Nacional de Teatro da cidade de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, o espetáculo ‘Auto da Compadecida’, do grupo TEA de Caruaru, será encenado gratuitamente na próxima sexta-feira (9), a partir das 20h, na Praça João Suassuna, localizada em Taperoá, na Paraíba. Composto por atores caruaruenses, o TEA, que é ponto de cultura reconhecido como Patrimônio Vivo de Pernambuco, estará demonstrando na cidade natal do seu autor, o escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, falecido em 2014, uma apresentação especial do espetáculo, que se destaca por conter elementos da cultura popular pernambucana, como o folguedo Cavalo Marinho.

Foto: Ryan Júnior/Divulgação

““Fomos convidados pela família Suassuna para demonstrar no local exato onde se passa a história, a riqueza o nosso espetáculo, fazendo parte também das celebrações do ciclo natalino da terra natal de Ariano. Estamos em uma fase muito importante para nossa continuidade, especialmente pelos convites que estão sendo feitos para a participação em vários festivais por todo o país”, comemorou Pedro Henrique Gonçalves, ator e um dos produtores da peça, que completou 6 anos de circulação.

Vencedor em 2009 do Prêmio Funarte Myriam Muniz de Teatro, o ‘Auto da Compadecida’ tem como principal referência a saga de João Grilo, interpretado por David Gadelha, e Chicó, por Jackson Freire. Ainda compõem o elenco Rosbergg Alexander (Padre e Palhaço), Túlio Beat (Severino de Aracajú), Mandy Freire (Mulher do Padeiro), Ícaro Raphael (Padeiro), Edson Barros (Cabra e Encourado), Pedro Henrique Gonçalves (Major Antônio Morais e Jesus), David Lucas (Sacristão), Paulo César (Bispo), Maria Lima (Compadecida). A direção do espetáculo é de José Carlos e a execução de luz é de Vanderson Santos.

Serviço:
Espetáculo ‘Auto da Compadecida’, do grupo TEA de Caruaru
Quando: sexta-feira, 9 de dezembro
Horário: a partir das 20h
Local: Praça João Suassuna, Centro -Taperoá/PB
Acesso gratuito

Share

PIAUÍ: Projeto Boca da Noite leva banda Eufrásia e Sandro Moura ao Club dos Diários

O projeto Boca da Noite desta quarta-feira (7) leva ao Club dos Diários duas atrações: banda Eufrásia e o cantor Sandro Moura. A apresentação acontece a partir das 19 horas, no Espaço Osório Júnior, e a entrada é sempre franca.

A Banda Eufrásia é de Teresina e foi fundada no início de 2012 com o objetivo principal de disseminar seu trabalho autoral. Formada pela união de ideais e verdades de quatro amigos, buscam transportar os desejos musicais e poéticos ao público através de suas canções. A banda segue o estilo rock independente, além da didática rítmica e estrutural de outros ritmos como: pop rock, jazz, brega, bossa nova, marchinha, dentre outros.eufrasia

Em 2013 lançou seu primeiro EP, intitulado “Quase sempre”. Atualmente a banda divulga as canções do primeiro CD “Feito de tempo”. Na sua formação tem André Ribeiro (vocal, violão e guitarra), Ivis Ruan (baixo), Rivanildo Silva (guitarra/voz) e Filipe Augusto.

Sandro Moura também é de Teresina e vem atuando no movimento musical desde 2004. Em 2009, ele gravou o CD promocional “Belas Cores” e atualmente está em processo de gravação do seu novo trabalho, “Pavilhado de Casulo”, que traz músicas autorais, além da parceria com o músico Tairo Silva e com o poeta e escritor Nathan Sousa.

O músico já participou de vários festivais e eventos. Em 2014 ganhou o prêmio da rádio FM Cultura de Música, na categoria pop. Na noite da próxima quarta-feira, Sandro apresenta um repertório com 20 canções, entre elas “Fonte de luz”, “Nêga” e “Maracajú”.

O projeto Boca da Noite é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Cultura (Secult), e em Teresina acontece toda quarta-feira com programação definida até 28 de dezembro.

Juliana Nogueira / Ascom Secult Piauí

Share

PERNAMBUCO: Belo Jardim recebe curso de elaboração de projetos culturais

Arquivo 04-11-16 08 02 19Nos dias 09 e 10 de dezembro, os produtores e artistas de Belo Jardim e região terão a oportunidade de receber aulas de elaboração de projetos culturais com a produtora Clarisse Fraga. O curso que acontece no Cine Teatro Cultura, a partir das 09h é promovido pelo Instituto Conceição Moura em parceria com o Festival No Ar Coquetel Molotov.

Com inscrições abertas no local e limitada a 40 vagas, a ementa aborda os principais editais públicos de cultura, formatação de projetos nas áreas de música, cinema e arte em geral, além da análise de casos bem sucedidos em cada área.

Curso de Elaboração de Projetos Culturais
Data: 09 e 10 de dezembro
Horário: 09h às 17h, com 01 de intervalo
Local: Cine Teatro Cultura – Belo Jardim
Limitado a 40 vagas

Share

PERNAMBUCO: Oficina com fibra de bananeira promove formação de artesãos em Vicência

Envolvendo a produção artesanal de acessórios e diversas utilidades, a Oficina de Artesanato da Fibra de Bananeira, que está sendo realizada desde o mês de agosto pelo Coletivo das Artesãs do Poço Comprido, em Vicência, tem possibilitado a formação de novos artesãos na região rural da Mata Norte. Contando com incentivo do Governo de Pernambuco, através do Funcultura, a atividade que é promovida gratuitamente, já formou o total de 50 artesãos, e atualmente atende em duas turmas com 45 participantes, moradores da zona rural município, na faixa etária dos 12 aos 16 anos.

Bolsas, chaveiros e sandálias são algumas das produções artesanais realizadas com a matéria-prima (Divulgação)

Ocorrendo desde o mês de agosto na Usina Laranjeiras e na Escola de Cultura Canavial Frei Caneca, a oficina segue até dezembro deste ano. “Nossa intenção é possibilitar que os participantes sejam favorecidos com uma nova opção de renda, através da comercialização de bolsas, sandálias, chaveiros e outras confecções, pretendendo também que o coletivo também seja fortalecido com novas integrantes interessadas na sua manutenção”, explicou Juliana de Souza, coordenadora pedagógica da atividade.

Participantes da atividade (Divulgação)

O Coletivo das Artesãs do Poço Comprido pretende continuar com a oficina no primeiro semestre de 2017, quando abrirá inscrições para as próximas turmas, destinadas aos moradores da zona rural de Vicência. As vagas já podem ser reservadas através dos números 99798-7117 e 99363-7145.

 

Serviço:
Inscrições para Oficina de Artesanato da Fibra de Bananeira, em Vicência
Período de realização: de janeiro a junho de 2017
Informações: 99798-7117 e 99363-7145

Share

MARANHÃO: Cores, encanto e magia marcaram abertura do ‘Natal de Todos’

São Luís começou a respirar o clima natalino nesta quinta-feira (1º) com a abertura oficial do ‘Natal de Todos’, realizado pelo Governo do Maranhão e Prefeitura de São Luís, com patrocínio da Companhia Energética do Maranhão (Cemar). Luzes, cores e alegria marcaram o início das festas natalinas, que este ano contam com uma programação que reforça o encanto da data e envolve as famílias maranhenses até o próximo dia 22 de dezembro.foto_secap_gilsonteixeira-abertura-do-natal-de-todos-3

A cerimônia de abertura da programação natalina da cidade aconteceu em frente ao Palácio dos Leões e trouxe para a capital maranhense o clima natalino repleto de cores, luzes e decorações que anunciam o fim do ano. O governador Flávio Dino, presente na cerimônia, considerou importante o evento, por envolver a cidade em um clima festivo e movimentar os pontos turísticos da cidade. “Nós acreditamos muito que isso é uma forma de melhorar o bem estar da população num momento tão especial para todos, que é o momento do Natal, a festa da fraternidade e a festa maior para quem, como nós, acredita nos valores cristãos”, disse o governador Flávio Dino durante a solenidade que iniciou a programação natalina de São Luís.

“São múltiplos os objetivos dessa parceria do Governo do Estado com a Prefeitura de São Luís. Em primeiro lugar a parceria da comunhão, da fraternidade, do congraçamento em espaços públicos, pois teremos programações aqui e em outros espaços da cidade. Além das dimensões culturais e do calendário turístico que estamos consolidando na cidade para atender tanto a quem mora aqui como a quem vem nos visitar”, completou o governador. As atrações culturais presentes garantiram o início do clima festivo do Natal. O acendimento das luzes de Natal e os fogos de artifício deram um brilho à parte ao evento, acompanhado dos olhares atentos das crianças e sorrisos iluminados das famílias.

O Prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, ressaltou o benefício das parcerias entre o governo e o município. “Já estamos encerrando dois anos de grandes parcerias entre a Prefeitura de São Luís e o Governo do Estado. Hoje essa parceria inicia o período natalino com uma vasta e grande programação realizada pelo governo e pela prefeitura, dando oportunidade para que as famílias venham até aqui acompanhar a programação até o fim do mês”, disse o prefeito.

foto_secap_gilsonteixeira-abertura-do-natal-de-todos-1A chegada do Papai Noel foi um momento todo especial para a criançada que assistiu, também, ao show dos fogos de artifício e ao acendimento das luzes natalinas. Em seguida, a apresentação de ballet da CIA Olinda Saul e o show de Flávia Bittencourt com Orquestra Jovem João do Vale completaram o cenário que encheu o espaço com a magia do natal.

Para o secretário de Estado da Cultura e Turismo, Diego Galdino, o objetivo do Governo com a cerimônia foi repetir o sucesso do ano passado incrementando ainda mais as atrações culturais. “Hoje inicia a grande festa que preparamos, pensando na qualidade e segurança para envolver as famílias maranhenses, fomentar a cultura e o turismo, e fortalecer a procura por São Luís nesse período, incrementando a economia do estado com geração de emprego e renda para toda a cadeia produtiva envolvida nos eventos”, destacou Diego Galdino.

A programação seguirá no Palácio dos Leões às sextas-feiras, prometendo encantar todos que prestigiarem. Na Praça da Lagoa, a programação será voltada especialmente para a criançada. Além das apresentações artísticas que serão realizadas no palco, a praça inteira estará imersa na atmosfera natalina nos sábados do mês de dezembro.

Nesses dias, o Papai Noel abrirá as portas de sua casa para receber as crianças e distribuir doces e fotos, além de uma oficina de leitura. A temporada natalina será encerrada no dia 22 de dezembro com a tradicional Cantata Natalina em frente à Igreja da Sé.

Share

PARAÍBA: Projeto ‘De Repente no Espaço’ reúne pernambucanos Valdir Teles e Afonso Pequeno

Nesta quarta-feira (7), será realizada mais uma edição do projeto ‘De Repente no Espaço’. A partir das 19h, na Fundação Espaço Cultural, em João Pessoa, vão se apresentar os repentistas Afonso Pequeno e Valdir Teles, ambos de Pernambuco.

Como de costume, a noite da poesia popular acontece na primeira quarta-feira do mês, no mezanino do Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural José Lins do Rego. A entrada é gratuita. A apresentação é de Iponax Vila Nova, declamador oficial do evento.

Para o público fiel do projeto, é a oportunidade de conferir a performance desses dois nomes da arte do repente. Poetas que trazem consigo o dom que os permite trazer o verso no improviso. Rápidos no raciocínio e no gatilho mental, os dois têm sempre a resposta de imediato ao oponente.

Valdir Teles – Valdir Teles, 61, é poeta repentista dos mais consagrados da poesia popular nordestina. Nasceu em Livramento, Cariri paraibano, mas foi levado ainda recém-nascidopara São José do Egito, sertão do Pajeú pernambucano, onde recebeu forte influência da cultura local e teve o primeiro contato com a cantoria de viola.

A partir de 1979, quando fixa residência em Patos (PB), inicia a trajetória poética que já se anunciava de grande dimensão para a cultura popular nordestina. Seu primeiro LP foi com o poeta Lúcio da Silva pela gravadora Chantecler. Em 1993, Valdir Teles muda-se para Tuparetama (PE), cidade vizinha a São José do Egito e também situada no alto sertão do Pajeú, região conhecida como ‘paraíso dos cantadores’.

Com admirável acesso no meio artístico, Valdir traz em seu rol de confrades artistas como Maciel Melo, Alcymar Monteiro, Chiquinho de Belém, Santana, Flávio José, Flávio Leandro, Galego Aboiador, Nico Batista, Amazan, Bia Marinho, Val Patriota e Raimundo Fagner.

Valdir já cantou em dupla com os maiores nomes do universo da poesia popular, a exemplo de Louro Branco, Ivanildo Vila Nova, Sebastião Dias, Sebastião da Silva, Zé Viola, Geraldo Amâncio e Zé Cardoso. É a primeira vez que Valdir Teles participa de uma edição do ‘De Repente no Espaço’.

Com mais de 500 troféus de primeiro e segundo lugares, uma turnê pela Europa com Ivanildo Vila Nova, outra pelo norte do país até a Bolívia, Valdir (com mais de 50 CDs e DVDs) é reconhecido e mencionado em tudo que envolva os grandes nomes da viola.

Afonso Pequeno – Poeta, cantador e forrozeiro da cidade de São José do Egito, em Pernambuco, Afonso Pequeno tem uma paixão imensa pela sanfona. Ele é vocalista e sanfoneiro na banda Forró Encantador, que toca pé de serra, destacando composições autorais. É a primeira vez que Pequeno participa de uma edição do ‘De Repente no Espaço’.

Ano passado, ele participou da homenagem aos 120 anos do aniversário de Pinto do Monteiro, formando dupla com Xexéu da Paraíba, na cidade de Monteiro. Também se apresentaram as duplas Renê Cavalcante e José Feitosa, Asa Branca do Ceará e José Jabitacá e os irmãos Paulo e Ginaldo Pereira. A noite também teve apresentação de Carlinhos da Prata e Lito Campos (Lito de Dona Socorro).

Iponax Vila Nova – Nascido na cidade de Cajazeiras no Alto Sertão paraibano, filho do pernambucano Ivanildo Vila Nova, o maior dos repentistas da atualidade, Iponax cresceu com a poesia no seu dia-a-dia. A poesia e a viola de Ivanildo estava em todos os lugares da casa, e aos poucos foi despertando no menino o desejo de participar dessa disseminação da cultura popular.

Fez da poesia a régua e compasso no seu projeto de vida. Ainda muito jovem, levou sua arte para os mais distantes grotões do país. Um verdadeiro ativista da cultura matuta, é um grande articulador da arte do repente, considerado um dos grandes nomes da poesia e da declamação dos nossos dias.

Cadastro de repentistas – A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) lançou o cadastro de poetas populares que desejam participar do projeto “De Repente”. Os interessados podem se cadastrar pela internet, preenchendo o formulário online, disponível no endereço http://funesc.pb.gov.br/cadastroderepente/ e enviando-o para o e-mail derepente.funesc@gmail.com .

Também é possível a inscrição presencial, junto à Diretoria de Desenvolvimento Artístico e Cultural (DDAC), da Fundação. O chamamento público tem como objetivo a seleção de poetas para a temporada 2016/2017, tanto para apresentações a serem realizadas nas unidades culturais administradas pela Funesc (Espaço Cultural José Lins do Rego, Cine-Teatro São José e Teatro Íracles Pires) quanto para circulação regional e nacional quando houver oportunidade.

Os inscritos serão avaliados por uma curadoria formada pelo coordenador do projeto, juntamente com um poeta popular convidado de notório saber da sociedade cível e a pela diretoria de desenvolvimento cultural da Funesc. Os selecionados receberão cachês estabelecidos da seguinte forma: R$ 2.000,00 para apresentações no Espaço Cultural José Lins do Rego; R$ 2.500,00 para apresentações fora da cidade de João pessoa, dentro do Estado da Paraíba; R$ 3.000,00 para apresentações em estados da região Nordeste; R$ 5.000,00 para apresentações em outros estados do país.

Sobre o projeto – Em julho passado, o projeto completou um ano de existência em grande estilo com o 2º Desafio De Repente, edição especial que reuniu cinco duplas de competidores mais uma dupla convidada. Para celebrar à altura, o evento aconteceu no Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural, que ficou lotado.

O “De Repente no Espaço” é um evento mensal da Funesc lançado em julho do ano passado e faz parte das ações de ocupação do Espaço Cultural. Os encontros acontecem na primeira quarta-feira do mês. A cada nova edição, o público conta com diferentes atrações da Paraíba e de outros Estados da região. De julho a dezembro de 2015, foram realizadas seis edições simples.

Em janeiro deste ano, quando a iniciativa completou seis meses, contou com um formato diferente – o 1º Desafio De Repente – com a participação de seis duplas de repentistas. Sucesso de público, a edição especial lotou o mezanino do Teatro Paulo Pontes. O apresentador oficial e declamador é Iponax Vila Nova, coordenador do projeto que além conduzir as cantorias realiza oficina de declamação e versos pelo Estado, dentro do projeto.

Serviço

De Repente no Espaço

Com Afonso Pequeno (PE) e Valdir Teles (PE)

Data: 7 de dezembro (quarta-feira)

Hora: 19h

Local: Mezanino do Teatro Paulo Pontes

Entrada: gratuita

Share

PERNAMBUCO: Documentário Lua Nova do Penar, sobre desaparecido político, será exibido no São Luiz

A família de Hiram de Lima Pereira tinha na música e na poesia um elemento central e unificador. Hiram era descrito pelos seus amigos como solidário, de muito humor e muito ligado à sua família. Jornalista, ator e poeta, membro do Comitê Central do Partido Comunista, foi detido diversas vezes até que, em 15 de janeiro de 1975, foi preso como parte da operação Radar, ofensiva do exército iniciada em 1973 para dizimar o PCB, segundo depoimento do ex-sargento e agente do DOI-Codi Marival Dias Chaves do Canto, publicado em 18 de novembro de 1992. No depoimento, o ex-sargento cita nominalmente Hiram entre os membros do Comitê Central do PCB que teriam sido mortos e esquartejados pelo DOI-Codi e jogados na represa de Avaré, interior de São Paulo.

A jornalista Leila Jinkings pesquisou a vida de Hiram Pereira (Acervo Pessoal)

Alguns anos depois, a militante política, fotógrafa e jornalista paraense Leila Jinkings fazia uma pesquisa sobre a Comissão da Verdade e folheava o livro Direito à Memória e à Verdade, preparado pela Comissão Especial Sobre Mortos e Desaparecidos Políticos. Deparou-se então com a página de Hiram de Lima Pereira e lhe chamou a atenção o seu perfil multifacetado. “Ele era jornalista, poeta, ator e comunista, muito ligado à família e bem quisto pela sociedade. Foi assim que Hiram surgiu na minha vida. Sidnei (Pires) também se entusiasmou e resolvemos fazer uma pesquisa mais profunda com a intenção de produzir um documentário”, conta a diretora.

Sidnei Pires fez a produção do documentário, que reuniu as filhas do militante e desaparecido político (Acervo Pessoal)

Assim, surgiu o documentário Lua Nova do Penar, de Leila Jinkings e Sidnei Pires, que traz o encontro das quatro filhas do jornalista – Nadja, Sacha Lídice, Zodja e Hânya – além de depoimentos de antigos companheiros de Hiram no Teatro Popular do Nordeste, como Leda Alves e Ariano Suassuna. O título do filme homenageia a canção Guarânia da Lua Nova de Luiz Vieira, uma das músicas preferidas de Hiram. No documentário, as filhas Nadja, Sacha Lídice, Zodja e Hânya, cantam a música que Hiram compôs na prisão e as músicas que a mãe, musicista, deixou. A trilha sonora é toda da criação familiar.

O filme receberá sessão especial no Recife, na próxima segunda (5), às 19hs. Após a exibição, haverá debate com a diretora Leila e com a filha Zodja Pereira. O DVD do filme também estará à venda, na ocasião. Lua Nova do Penar estreou em São Paulo e já foi exibido em festivais e mostras como o Mumbai Women’s International Film Festival e o Ionian International Digital Film Festival, na Grécia, onde recebeu o prêmio de melhor documentário.

“Entrevistamos muitas pessoas e todas eram unânimes em falar da solidariedade e do humor de Hiram. Ariano fala de maneira graciosa de quando Hiram esteve escondido em sua casa. Leda Alves conta de como era tensa a tarefa de pegar um comunista em determinado lugar e levá-lo para outro lugar. Foi ela quem levou Hiran, a pedido de Dom Helder, para a casa de Ariano”, relata a diretora. O filme traz ainda contribuições de outros personagens pernambucanos, como Marcelo Mario de Melo, que entre algumas histórias sobre Hiram, faz uma análise do atual momento político brasileiro: a história ainda não foi totalmente recontada, os torturadores não foram punidos e estamos em um momento delicado da história atual.

Serviço
Documentário Lua Nova do Penar (exibição e lançamento do DVD e debate com a diretora Leila Jinkings)
Quando: segunda-feira (5), às 19h30
Onde: Cinema São Luiz (R. da Aurora, 175 – Boa Vista, Recife – PE)
Entrada gratuita

Share