PERNAMBUCO | Convocatória do Ciclo Junino 2018 está com inscrições abertas

Sao-Joao-Pernambuco_Afogados-Foto-Beto-Figueiroa-Secult-PE-Fundarpe-607x406

O Governo do Estado, por meio das Secretarias de Cultura/Fundarpe e Turismo, Esportes e Lazer/Empetur, lança nesta sexta-feira (20) a Convocatória do Ciclo Junino 2018. O edital – cuja finalidade é a contratação de artistas, grupos e agremiações para apoiar os municípios pernambucanos que irão realizar a festa neste período – será direcionado a banda de pífanos, bumba-meu-boi, cavalo-marinho, ciranda, coco, embolada, grupo de bacamarteiros, mamulengo, mazurca, quadrilha junina, reisado, repente, São Gonçalo, viola, xaxado, forró pé-de-serra e MPB.

Os interessados em participar da convocatória poderão submeter suas propostas no período de 26 de abril a 9 de maio. As inscrições podem ser feitas na sede da Secult/Fundarpe (Rua da Aurora, 463/469 – Boa Vista – Recife), das 8h às 17h, ou enviadas via Correios, através de SEDEX (só serão validadas as propostas que tenham sido remetidas até o último dia de inscrição).

Confira aqui a Convocatória e seus Anexos.

Com objetivo de garantir uma predominância das músicas e danças da tradição junina, a Convocatória destinará: 30% para a participação de artistas e grupos da categoria de cultura popular; 40% para categoria de música e dança da tradição junina; 10% para os grupos de forró pé-de-serra; e 20% para artistas da música popular brasileira. Ficam limitadas em até três as apresentações para artistas e grupos das categorias de cultura popular, grupos de forró pé-de-serra e música e dança da tradição junina; e em até duas apresentações para artistas e grupos da categoria de música popular brasileira.

O Secretário Estadual de Cultura, Marcelino Granja, destaca que “o formato da Convocatória, pactuado com o Conselho Estadual de Política Cultural, é a reafirmação de uma conquista importante dos fazedores de cultura, além de estar em sintonia com propostas e debates recentes ocorridos em momentos de intensa participação popular, como a IV Conferência Estadual de Cultura”.

Já a presidente da Fundarpe, Márcia Souto, ressalta que o edital, assim como nas últimas edições, é exclusivo à contratação de artistas, grupos e agremiações pernambucanas, ” que, graças ao seu talento e dedicação, mantêm viva a tradição dos festejos juninos de nosso Estado, que é tão rico e diverso culturalmente”.

“O São João é um dos principais festejos de Pernambuco, e por isso estamos sempre trabalhando para promover a festa em nossas atividades de divulgação do destino Pernambuco. A promoção é voltada para os próprios pernambucanos, além dos turistas do mercado nacional e internacional. A ideia é atrair cada vez mais turistas para o ciclo. O São João é um importante momento de propagação da nossa cultura e divulgação dos nossos artistas locais. Queremos promover uma festa sempre integrada, entre o turismo e a cultura, para fazer um São João rico e tradicional”, comenta o presidente em exercício da Empetur, Ciro Couceiro.

As propostas serão analisadas por uma Comissão de Avaliação, formada a partir de uma seleção de profissionais de notório saber nas áreas de música, cultura popular e dança. Os interessados em integrar essa comissão, deverão se inscrever pessoalmente na sede da Secult/Fundarpe (Rua da Aurora, 463/469 – Boa Vista – Recife), no período de 26 de abril a 7 de maio, das 8h às 17h, ou por e-mail comissaosaojoao2018@gmail.com, contendo o assusto da seguinte forma: Nome completo do proponente/Opção de inscrição (registrar qual o segmento). Só serão validadas as inscrições via internet que sejam realizadas até às 23h59 do dia 7 de maio.

Confira aqui a Convocatória para Seleção de Profissionais da Comissão de Avaliação das propostas do Ciclo Junino 2018.

Share

MACEIÓ | Curta Avalanche participará de festival de cinema no DF

16298845_1312954925458369_7752828200393048336_n

O curta-metragem Avalanche, dirigido por Leandro Alves e financiado pela Prefeitura de Maceió, por meio do Prêmio Guilherme Rogato, da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac), está entre os 79 filmes selecionados para o II Festival de Cinema de Paranoá, no Distrito Federal, que irá acontecer entre os dias 23 a 29 de abril.

O filme, que estreou na 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas em outubro do ano passado, também se apresentou em outros festivais, como o 12º Festival Audiovisual Comunicurtas (PB), no 21ª Mostra de Cinema de Tiradentes (MG) e na VIII Mostra Sururu de Cinema Alagoano, onde ganhou o Prêmio de Melhor Contribuição Técnica.

Rodado na periferia de Arapiraca, Agreste de Alagoas, “Avalanche” aborda os temas de violência e tradição dentro da história de uma família que tem sua casa invadida por bandidos na celebração da padroeira da cidade. O curta é estrelado por Rafael Nicácio, protagonista de Big Jato, filme mais recente do renomado cineasta pernambucano Cláudio Assis.

No total, foram R$ 2,3 milhões distribuídos pelos prêmios Guilherme Rogato e Eris Maximiano para a efetivação de projetos artísticos e culturais na cidade de Maceió. “A política de editais é muito importante porque é uma forma de incentivo que reforça a produção audiovisual alagoana. Vários filmes estão sendo vistos lá fora, atraindo olhares para o nosso estado e para nossa identidade”, destaca o diretor do curta, Leandro Alves.

Em maio, o curta “Avalanche” terá sua estreia no município de Arapiraca.

Share

CEARÁ | Secult lança Consulta Pública do Projeto de Lei Cultura Viva Estadual

jjjjjjjjjjjj

A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) abriu na última quinta-feira (19), a consulta pública para  contribuição da sociedade na elaboração do Projeto de Lei que institui a Política Estadual Cultura Viva,  a qual seguirá os moldes da Lei Cultura Viva nacional, um marco histórico na evolução das políticas culturais no Brasil. Esta Lei institui a Política Estadual Cultura Viva, com o objetivo de promover a produção e difusão da cultura e o acesso aos direitos culturais à população cearense, constituindo-se como política de base comunitária, territorial e temático-identitária, do Sistema Estadual de Cultura do Estado do Ceará. A consulta está aberta no link http://culturadigital.br/cpe/lei-cultura-viva/ e segue até o a próxima quinta-feita (26).

Dentre as conquistas previstas no Projeto de Lei está a certificação anual de entidades culturais da sociedade civil no âmbito do Programa Cultura Viva que amplia e fortalece a Rede Cearense de Pontos e Pontões de Cultura.

A Lei Estadual  Cultura Viva prevê a manutenção e amplia o programa, garantindo pelo menos um edital público anual que  possibilita o repasse de recursos financeiros aos Pontos e Pontões de Cultura selecionados, garantindo a continuidade de suas ações, simplificando e desburocratizando os processos de prestações de contas, a realização bienal da Teia Estadual e Fórum dos Pontos de Cultura, dentre outras ações de Continuidade.

A minuta foi construída de forma conjunta com a Comissão Estadual dos Pontos de Cultura e ficará aberta até 26 de abril para contribuições dos agentes culturais e a população em geral.

A Política Estadual Cultura Viva está em consonância com o Plano Estadual de Cultura, instituído pela lei estadual nº 16.026, de 1º de junho de 2016, bem como com o Sistema Estadual de Cultura.

Share

PERNAMBUCO | Inscrições abertas para o curso “Economia e Mercado do Cinema e do Audiovisual”

curso-audiovisual-mercado-607x230

O curso Economia e Mercado do Cinema e do Audiovisual segue com inscrições abertas até a quarta-feira (25/4).  Com carga horária de 64h, o curso acontece entre os dias 02 e 29 de maio com a proposta de qualificar os produtores audiovisuais pernambucanos. Entre os destaques do programa, que será apresentado pelo crítico, curador e pesquisador Marcelo Ikeda, estão informações atualizadas e específicas sobre o funcionamento do mercado audiovisual brasileiro (cadeia produtiva e segmentos de mercado).

Durante o curso, serão abordadas suas características, explorando possibilidades de desenvolvimento através de ações, preparando o aluno para uma maior competitividade no mercado profissional por meio do fortalecimento das empresas produtoras e do maior conhecimento das políticas públicas para o audiovisual (captação de recursos pelas leis de incentivo federal e funcionamento da ANCINE). Os participantes poderão conhecer melhor o funcionamento do mercado brasileiro e receberão ainda dois livros de autoria de Marcelo Ikeda como complemento do material didático do curso.  As inscrições podem ser feitas através do site. O resultado da seleção será divulgado no dia 27 de abril.

O curso Economia e Mercado do Cinema e Audiovisual é realizado pela Tarrafa Produções e Palíndromo Produções, conta com incentivo do Governo de Pernambuco (Secult e Fundarpe) e parceria do Portomídia, Oyá – Estúdio Criativo e Vitrola Banana Estúdio Criativo.

marcelo-ikeda-486x486

Sobre Marcelo Ikeda

Marcelo Ikeda é mestre pelo PPGCOM da Universidade Federal Fluminense (UFF). Trabalhou na Agência Nacional do Cinema (ANCINE) entre 2002 e 2010, ocupando diversas funções. Sua principal pesquisa acadêmica é sobre as políticas públicas para o setor cinematográfico a partir dos anos noventa, e sobre a economia do audiovisual. Ministrou cursos e palestras sobre Leis de Incentivo e Economia do Audiovisual em diversos cursos, como IETV e FGV/RJ (Film & TV Business). É autor dos livros “Lei da ANCINE comentada (MP 2.228-1/01)”, “Leis de incentivo para o audiovisual” e “Cinema brasileiro a partir da retomada: aspectos econômicos e políticos”, entre outros. Diretor e Roteirista de diversos vídeos, participou de diversos festivais nacionais e internacionais. Crítico de cinema, escreveu para variados veículos, especialmente na internet, como ViaPolítica, Claquete, CurtaoCurta, Revista Etcetera, mantendo o blog Cinecasulofilia desde 2004. Foi curador da Mostra do Filme Livre, do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (2014), do Circuito Penedo de Cinema (2016), entre outros. Desde 2010 integra o quadro de professores do Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Ceará (UFC). Atualmente cursa o Doutorado em Comunicação na Universidade Federal de Pernambuco.

Serviço:
Curso Economia e Mercado do Cinema e do Audiovisual
02 a 29 de Maio | Segundas a Quintas, das 18h às 22h (64 horas/aula)
Auditório do Portomídia – Rua do Apolo, nº 235, Bairro do Recife
Investimento:
R$ 50 à vista (depósito ou transferência bancária)
R$ 60 cartão de crédito (pagseguro)
Contato e mais informações:
contato@tarrafaproducoes.com.br
http://economiadocinema.tarrafaproducoes.com.br/
https://www.facebook.com/economiadocinema/

Share

ALAGOAS | Mapeamento do artesanato já contempla cinco regiões em Alagoas

c43cbcd48f66d06d71c9befedc06e73b_L

A originalidade e diversidade do artesanato alagoano vem ganhando mais espaço e notoriedade dentro e fora do Estado. Diante disso, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur) promove inúmeros mecanismos de valorização e comercialização dos produtos genuinamente alagoanos.

Uma das principais ações consiste no mapeamento e sinalização das oficinas dos artesãos locais. Com a placa “Alagoas Feita à Mão” é possível identificar os principais ateliês espalhados por toda Alagoas.

Conforme dados da Gerência de Artesanato da Secretaria, em dois anos do projeto, mais de 100 pontos já receberam as placas em diferentes regiões como Sertão, Serrana dos Quilombos, Agreste, Litoral Norte e Zona da Mata.

O próximo passo é instalar placas nas casas de produção artesanal da região metropolitana de Maceió, incluindo municípios como Marechal Deodoro, Coqueiro Seco e Paripueira. O projeto de sinalização “Alagoas Feita à Mão” é desenvolvido em parceria com a empresa Pointer, responsável por fornecer as placas.

Atividade econômica

De acordo com dados do IBGE, o Brasil tem hoje 8,5 milhões de artesãos e o setor movimenta perto de R$ 50 bilhões todos os anos, o que representa 3% do PIB no Brasil. Já em Alagoas, mais de 14 mil pessoas possuem a Carteira do Artesão, desse montante, o ofício integra a renda familiar de 60%.

Um desses artesãos é o Mestre Valmir Lessa, do povoado da Ilha do Ferro, que recebeu a placa em 2016. Para ele, a sinalização ajuda a demarcar onde encontrar peças e obras de artesãos locais. “É muito bom porque, quando os turistas aparecem por aqui, eles já batem na porta perguntando sobre as peças, sabem que ali é possível encontrar o artesanato da terra”, afirma Valmir.

O escultor é um dos mais reconhecidos artesãos de madeira da Ilha do Ferro. O profissional integra junto a outros artistas do sertão, o Programa de Apoio à Comercialização do Artesanato no Estado, denominado Alagoas Feita à Mão, desenvolvido em parceria com a primeira-dama, Renata Calheiros, e coordenado por meio da Sedetur.

Além das placas de sinalização, o Alagoas Feita à Mão realiza outras ações em prol da atividade no Estado como publicação de edital para seleção na participação nas feiras e eventos nacionais; divulgação do catálogo comercial do artesanato alagoano, além da emissão e renovação da carteira do profissional.

Share

MINC | Festivais de dança ocorrem neste mês em Brasília e Salvador

destaquinho_iberescena

O público de Brasília (DF) pode conferir, até o dia 29 de abril, a 4ª edição do Movimento Internacional de Dança (MID), um dos principais festivais na área do País. Ao longo do MID, que teve início dia 13, serão apresentadas 34 coreografias de grupos de dança nacionais e internacionais. Apoiado pelo Ministério da Cultura (MinC), por meio da Fundação Nacional de Artes (Funarte), o festival foi um dos doze projetos selecionados pelo Fundo de Ajuda para as Artes Cênicas Ibero-americanas (Iberescena), no ano passado. O Movimento Internacional de Dança é integrante de um projeto que inclui a 12ª edição do Vivadança Festival Internacional, realizado em parceria, que vai de 19 a 29 de abril, em Salvador.

Em Brasília, o MID apresentará diferentes estilos, com espaço para a dança contemporânea, urbana, de salão, sapateado, solos, entre espetáculos adultos e infantis. São 19 atrações nacionais e 15 internacionais, oito oficinas, seis aulas de dança, duas mesas de debate, uma residência artística, batalha de breaking, ação educativa, rodadas de negócios e bate-papos com artistas do Brasil, França, Colômbia, Argentina, Costa Rica, Israel, Espanha, Congo, Cuba, Eslovênia e Itália.

Parte da programação será apresentada nos espaços da Funarte na capital federal. Tanto o MID quanto o Vivadança contam, em sua agenda internacional, com destaques como os espetáculos franceses “Boomerang”, “Partituur” e “Black Belt”. Dentro da programação latino-americana estão os espetáculos espanhóis “And That’s Why I’m Here Today” e “I Leave The Lights On”; os argentinos “Isadora Sur” e “Acto Blanco”; o colombiano “Super Tejido Limbo” e “Sordito”, da Costa Rica. “Red Belt” representa Israel e a programação dos Solos de Stuttgart da Alemanha apresenta coreografias premiadas de artistas da França, do Congo, da Itália, da Espanha e da Eslovênia.

Homenagens

A quarta edição do MID fará homenagens a dois importantes artistas do cenário cultural: Yara de Cunto e Jean Pascal Quiles. Como um dos maiores nomes da dança no Brasil, Yara de Cunto fundou o Balé do Teatro Guaíra, em Curitiba, trabalhou no Rio de Janeiro e se instalou em Brasília na década de 70, quando se dedicou ao ensino superior da Universidade de Brasília (UnB). O músico, concertista e diplomata Jean Pascal Quiles é especialista em políticas públicas culturais, empreendedorismo cultural e economia criativa.

Iberescena

O Fundo de Ajuda para as Artes Cênicas Ibero-americanas foi criado em novembro de 2006, como um programa de fomento, intercâmbio e integração das atividades de artes cênicas ibero-americanas. Composto por 14 países ibero-americanos, o Fundo promove a construção de um espaço cênico na região, incentivando trocas e intercâmbios artísticos entre os países-membros. Compõem o Iberescena: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, México, Panamá, Paraguai, Peru e Uruguai. Todos colaboram em conjunto com a Secretaria Geral Ibero-americana e Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento.

Vivadança

19 a 29 de abril de 2018

Programação

PÁGINA INICIAL

Movimento Internacional de Dança

13 a 29 de abril de 2018

Programação 

20/4 Sexta-feira

11h – 15h – Eliminatórias  Batalha de Breaking

JK Shopping | Livre | Gratuito

20h – Um Indivíduo Qualquer – Foco Cia. de Dança – DF | 20 min

Suit a 4 Mãos – Corpo de baile Noara Beltrami – DF | 10 min

CCBB | R$20/10 | 10 anos | Bate-papo após apresentação

21/4 Sábado

13h – 15h – Batalha de Breaking Final

CCBB | Livre | Gratuito

15h, 17h e 19h – Partituur  – França

CCBB | Livre | Gratuito | Espetáculo infantil

17h e 18h – Aulas de Dança

CCBB | Livre | Gratuito

18h às 22h – Festa “Vem dançar com a gente!” – Food Trucks e DJ

CCBB | Livre | Gratuito

18h – Palco Aberto 2 – DF

Resiliência- Charadas – DF | 10 min

Socialize – Elo61 | 4 min

Massa Charme – Edgar Fortunato | 10 min

CCBB | Livre | Gratuito

22/4 Domingo

17h – Sacolas Na Cabeça – Anti Status Quo – DF

CCBB | Livre | Gratuito | 60 min

19h – Sordito – Gabriel Rodríguez – Costa Rica

CCBB | Livre | Gratuito | 12 min

20h – Black Belt – Kubilai Khan Investigations – França | 32 min

Red Belt – Israel | 15 min

CCBB | 14 anos | R$ 20/10

24/4 Terça

20h – I Leave The Lights On – Victoria P. Miranda – Espanha

CCBB | 18 anos | R$ 20/10 | 55 min

25/4 Quarta

12h – And That’s Why I’m Here Today – Victoria P. Miranda – Espanha

IFB Campus Brasília | Livre | Gratuito | 15 min

20h – Um Indivíduo Qualquer Foco Cia. de Dança – DF  | 20 min

Suit a 4 Mãos – Corpo de baile Noara Beltrami – DF | 10 min

Sesc Taguatinga – Teatro Paulo Autran | Gratuito | 10 anos | Bate-papo após apresentação

26/4 Quinta

20h – Super Tejido Limbo – Maldita Danza – Colômbia

CCBB | 16 anos| R$ 20/10 | 40 min

27/4 Sexta

16h – Isadora Sur- Carla Rímola – Argentina

Instituto Cervantes | 12 anos | Gratuito

20h – Acto Blanco – Argentina

CCBB | 16 anos | R$ 20/10 | 45 min

20h – Um Indivíduo Qualquer – Foco Cia. de Dança – DF  | 20 min

Suite a 4 Mãos – Corpo de baile Noara Beltrami – DF | 10 min

Sesc Gama – Teatro Paulo Gracindo | Gratuito | 10 anos | Bate-papo após apresentação

28/4 Sábado

17h e 18h – Aulas de Dança

CCBB | Livre | Gratuito

20h – Boomerang – Malka Compagnie – França

Funarte | Livre | R$ 20/10 | 55 min

29/4 Domingo

16h30 – Flecha – Luara Learth – DF  | 14 min

Frango –  Zé Reis – DF | 15 min

Corpo Afeto – Ceda-si – DF | 10 min

Teatro Dulcina | Gratuito | 18 anos

18h – Eros – Tempos Dança-Teatro – DF

Funarte | 16 anos | Gratuito | 70 min

20h – Solos De Stuttgart – Alemanha

Mutiko ala Neska – Benoit Couchot – França

Kifwebe.01 – Miguel Mavatiko | Congo

I am – Erika Silgoner & Gloria Ferrari – Itália

Work on Julius Caesar – Marina Migueléz-Lucena – Espanha

Separation Among Us – Jernej Bizjak – Eslovenia

CCBB | R$ 20/10 | Livre

21 e 22/4 sábado e domingo

Oficina de intervenção urbana com Luciana Lara

21/4 14 às 17h e 22/4 

15h às 17h | CCBB Brasília | vagas ilimitadas

Apresentação da performance: Dia 22/04 das 17h às 19h

Oficina residência gratuita sobre intervenção urbana com Luciana Lara que finaliza com a realização da intervenção urbana Sacolas na Cabeça da Anti Status Quo Companhia de Dança

24 e 25/4 

Um corpo que dança, oficina com Ana Paula Bouzas

8 às 12h | IFB Campus Brasília | 15 pessoas

Assessoria de Comunicação

Ministério da Cultur

Share

MinC prorroga inscrições de cinco editais #AudiovisualGeraFuturo

editais-sav-interna

As inscrições dos editais de Jogos Eletrônicos, Desenvolvimento de Projetos para a Infância e Desenvolvimento de Projetos – 200 anos da Independência do Brasil foram prorrogadas. Agora, os interessados têm até 30 de maio para se inscrever nos três editais e para os de Narrativas Audiovisuais para a Infância – Curta (Live Action) e Narrativas Audiovisuais para a Infância – Série (Live Action). As inscrições são feitas por meio do endereço eletrônico mapas.cultura.gov.br.

Com temática livre, o edital de Jogos Eletrônicos vai selecionar dez jogos eletrônicos, voltados para adolescência e juventude. Foram reservados R$ 2.500.000,00 para os projetos. Cada um dos contemplados receberá R$ 250 mil.

edital Desenvolvimento de Projetos para a Infância vai selecionar 22 propostas de obras audiovisuais de produção independente e seus respectivos teasers, sendo dez propostas de obra audiovisual não seriada de longa-metragem, ficção ou animação; e 12 propostas de obra audiovisual seriada para televisão, ficção ou animação. Os vencedores receberão R$ 200 mil.

Já o edital de Desenvolvimento de Projetos – 200 anos da Independência do Brasil vai selecionar 35 propostas de obras audiovisuais de produção independente e seus respectivos teasers, sendo dez propostas de obra audiovisual não seriada de longa-metragem, ficção ou animação; dez propostas de obra audiovisual não seriada de longa-metragem, documentário; e 15 propostas de obra audiovisual seriada para televisão, ficção ou animação. As obras de ficção selecionadas receberão R$ 200 mil e as documentais, R$ 100 mil.

Os editais Narrativas Audiovisuais para a Infância – Curta (Live Action) e Narrativas Audiovisuais para a Infância – Série (Live Action) selecionarão projetos voltados para o público de zero a 12 anos. O Curta (Live Action) vai selecionar 21 obras audiovisuais independentes de curta-metragem, de até 13 minutos, live action, com temática livre. Cada projeto receberá até R$ 100 mil.

A Série (Live Action) vai selecionar cinco obras audiovisuais independentes de minissérie de ficção, de 13 episódios de até sete minutos, live action, com temática livre, e cinco obras audiovisuais independentes de minissérie de ficção, de 26 episódios de até sete minutos, live action, com temática livre, ambas também voltadas ao público de zero a 12 anos. Os prêmios vão de R$ 600 mil a R$ 1 milhão.

#AudiovisualGeraFuturo

Todos os editais têm cotas para projetos de produtoras sediadas nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sul e para os estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Também há cotas para filmes dirigidos por mulheres (cisgênero ou transexual/travesti), pessoas negras ou indígenas e novos diretores, com no máximo um curta-metragem no currículo.

No total, o programa #AudiovisualGeraFuturo conta com 11 editais, sendo o maior já lançado pelo MinC no setor audiovisual em termos de volume de recursos e de projetos e um marco na inclusão social de segmentos da população que normalmente não estão contemplados. Conheça aqui o programa.

Assessoria de Comunicação

Ministério da Cultura

Share

Coprodução Brasil-Portugal vai concorrer no Festival de Cannes

destaquinho_brasil_portugal_longa_cannes_2018

O Festival de Cannes anunciou que o longa-metragem brasileiro em coprodução com Portugal “Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos” concorrerá como parte da seleção oficial de sua principal mostra paralela, Un Certain Regard (Um Certo Olhar). O documentário, dirigido pelo cineasta português João Salaviza e a brasileira Renée Nader Messora (que também assina a direção de fotografia), em 2014 foi selecionada pelo primeiro edital de longa-metragem para produções de baixo orçamento lançado pela Secretaria do Audiovisual (SAv) do Ministério da Cultura com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), em parceria com a Agência Nacional do Cinema (Ancine), o Longa B.O. Doc.

“Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos” foi rodado durante nove meses, em película 16mm e sem equipe profissional, na aldeia Pedra Branca, Terra Indígena Krahô, em Tocantins (TO). O longa-metragem acompanha Ihjãc, um jovem Krahô que, depois de um encontro com o espírito do falecido pai, vê-se obrigado a realizar sua festa de fim de luto.

O documentário foi produzido por Ricardo Alves Jr. e Thiago Macêdo Correia, da produtora Entrefilmes (MG), em coprodução com a Karõ Filmes (Portugal) e a Material Bruto (São Paulo). É a primeira vez que um filme brasileiro está na mostra Un Certain Regard, desde 2011, quando concorreu “Trabalhar Cansa”, de Marco Dutra e Juliana Rojas. Neste ano, a seção paralela terá avaliação de um júri liderado pelo ator Benicio Del Toro. A 71ª edição do Festival de Cannes ocorrerá de 8 a 19 de maio na cidade francesa.

Brasil em Cannes

“O Grande Circo Místico”, o mais novo filme do cineasta Cacá Diegues, também será exibido pela primeira vez no Festival de Cannes. O longa-metragem, que recebeu R$ 3 milhões do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), é uma coprodução Brasil-França-Portugal e um dos sete filmes a serem exibidos na Sessão Especial do evento. Com os atores franceses Vincent Cassel e Catherine Mouchet e os brasileiros Mariana Ximenes, Jesuíta Barbosa, Bruna Linzmeyer e Juliano Cazarré no elenco, “O Grande Circo Místico” conta a história dos 100 anos de existência do Grande Circo e das cinco gerações de uma mesma família que estivem à frente do espetáculo com suas histórias.

Assessoria de Comunicação

Ministério da Cultura
Share

ALAGOAS: Projeto ‘Papo de Mestre’ debate a evolução da literatura de cordel no Brasil

unnamed

A evolução da literatura de cordel no Brasil será tema da próxima edição do projeto “Papo de Mestre”, que tem como intuito expandir e disseminar a cultura alagoana. O projeto acontece nesta segunda-feira (23), às 14h, na Biblioteca Pública Estadual Graciliano Ramos. No evento também acontecerá a inauguração da sala da sede da Academia Alagoana de Literatura de Cordel.

Segundo a coordenadora da Biblioteca Pública, Almiraci Dantas, o objetivo da ação é “promover um bate-papo sobre a evolução da literatura de cordel brasileira, ao tempo que propicia a importância da oralidade, onde o mestre fala e os participantes escutam”.

Os convidados para discutir a temática são o presidente da Academia Alagoana de Literatura de Cordel,  Ciro Veras, e a cordelista Alexandra Lacerda. O público alvo são cordelistas, estudantes e toda a comunidade alagoana.

A Biblioteca Pública Estadual está localizada na Praça Dom Pedro II, Centro de Maceió. Mais informações pelo telefone: (82) 3315-7877.

Share

CEARÁ | Estudantes participam de seleção para produzir curta-metragem que abrirá o Cine Ceará

oficina enel compartilha animao 8

Segurança da população. Esse é o tema escolhido pelo projeto Enel Compartilha Animação para sensibilizar estudantes do ensino fundamental e médio a discutir a reconstrução do espaço social. Ao todo 100 alunos de cinco escolas públicas de Fortaleza participam de oficinas sobre cinema de animação, entre os dias 16 e 26 de abril, nas próprias unidades de ensino.Após essa primeira etapa, o professor e cineasta Telmo Carvalho escolherá dois jovens de cada instituição para formar a turma do curso, que será ministrado, durante um mês, no Núcleo de Cinema de Animação da Casa Amarela Eusélio Oliveira (UFC). Ao final da experiência, os estudantes vão criar um curta-metragem de até cinco minutos que será exibido no dia 04 de agosto durante a abertura da 28ª edição do Cine Ceará, evento apoiado pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult).

O principal objetivo do curso é introduzir por meio de aulas teóricas e práticas a linguagem do audiovisual à rotina desses alunos. Telmo afirma que quem participar vai ter acesso a equipamentos e programas de computador utilizados em grandes estúdios cinematográficos.

“Geralmente o roteiro é feito pelos estudantes, eles que dão as ideias e criam a história, nós interferimos só na parte técnica. A gente tem um dia para fechar o roteiro, então começamos a dividir a turma e trabalhamos como se fosse em um estúdio profissional, tem os animadores, tem o pessoal que vai finalizar, o pessoal que vai fazer o cenário, entre outros”, explica o cineasta.

Projeto 

O Enel Compartilha Animação já beneficiou mais de 2 mil crianças de escolas públicas de Fortaleza e outras cidades do interior do estado. Há dez anos, o projeto integra a rede de ações de responsabilidade social desenvolvida pela Enel e é realizado pela Associação Cultural Cine Ceará e pelo Instituto Agua Boa Cultural, em parceria com a Casa Amarela Eusélio Oliveira, da Universidade Federal do Ceará (UFC). O Enel Compartilha Animação é viabilizado pelo Mecenato Estadual do Ceará e conta com apoio do Governo do Estado do Ceará através da Secretaria de Cultura (Secult).

Dessa forma a Enel reforça seu compromisso com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) “Educação de Qualidade”, uma agenda de objetivos e metas originados a partir da Rio +20 e aprovados na Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável (25-27 de setembro 2015). Ao todo são 17 objetivos e 169 metas úteis para o desenvolvimento sustentável, desafios que requerem uma parceria global com a participação ativa de todos, incluindo governos, sociedade civil, setor privado, academia, mídia, e Nações Unidas. Mais informações em: http://www.pnud.org.br/.

Share