Nota de esclarecimento: Vale-Cultura

vale-interna-1O Programa de Cultura do Trabalhador, que criou o Vale-Cultura, foi instituído em Lei e não tem prazo de término. O que tem previsão de término no exercício 2017, ano-calendário 2016, é o incentivo fiscal concedido às empresas que são tributadas com base no lucro real.  Entretanto, a renovação desse incentivo já está em tramitação e deve ser publicada em breve.

Além do benefício fiscal, TODAS AS EMPRESAS que participam do programa, ofertando o Vale-Cultura aos seus funcionários, têm benefícios sociais e trabalhistas, independentemente do seu regime de tributação.

Vale-Cultura. Bom para empresa! Bom para o Trabalhador!

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share

Museu da Cidade do Recife sedia 9º Encontro Fotográfico da Associação de Fotógrafos Fototech

DivulgaçãoDivulgação

Promovido pela Associação de Fotógrafos Fototech Regional Pernambuco, a 9ª edição do Encontro Fotográfico acontece neste sábado (18), a partir das 15h, no Museu da Cidade do Recife. Durante o evento, que é aberto ao público e contará com palestras dos fotógrafos Domingos Luna, do Estúdio 81, e Eduardo Souza, da Art.Monta Design, haverá a Exposição Coletiva da Fototech, intitulada ‘Amar, (des)Amar’, realizado pela Art. Monta.

Divulgação

Divulgação

Eduardo Souza

Graduado em Publicidade e Propaganda e pós-graduado em Artes Visuais, Domingos Luna estará pontuando o conceito de fotografia Fine Art, o que é impressão Fine Art, os materiais utilizados para a impressão de fotografia Fine Art, a importância adequação dos materiais para impressão e para o ambiente expositivo, recomendações para manipulação e conservação do material impresso, cuidados a serem tomados ao fotografar e no tratamento das imagens para impressões em grandes formatos.

Divulgação

Divulgação

Domingos Luna

Já Eduardo Souza, da Art.Monta Design, estará abordando sobre a importância de pensar uma exposição desde o primeiro momento com todos os profissionais envolvidos: fotógrafo(a),curador(a), pesquisador(a), arte educador(a), e expagráfo(a) com isso construir os projetos expográficos observando e agregando as contribuições desses profissionais, os cuidados que se deve ter com a montagem e desmontagem.

Serviço:
9º Encontro Fotográfico da Associação de Fotógrafos Fototech
Quando: sábado, 18 de fevereiro
Horário: das 15h às 17h
Local: Museu da Cidade do Recife – Forte das Cinco Pontas (Praça das Cinco Pontas, s/nº – São José, Recife)
Acesso gratuito

Share

ANCINE publica acompanhamento de indicadores do Plano de Diretrizes e Metas para o Audiovisual

C4u9a67XUAITArBA ANCINE começou a disponibilizar em seu Portal a aferição dos indicadores propostos para o cumprimento de metas aprovadas no Plano de Diretrizes e Metas para o Audiovisual – PDM.  O documento aprovado pelo Conselho Superior do Cinema em 2012 estabelece as bases para o desenvolvimento do mercado audiovisual brasileiro entre 2010 e 2020. Formulado pela ANCINE, o Plano funciona como um guia para as ações do poder público para o setor. Partindo de um diagnóstico detalhado, definiu as diretrizes para o fortalecimento da indústria, com destaque para a ocupação do mercado interno e atenção para a inserção internacional de conteúdos brasileiros. Em suas diretrizes e indicadores, o PDM apresenta metas e situações parametrizadas para o meio (2015) e o final do período (2020).

Com base em informações de mercado coletadas pela Agência, o trabalho apresenta um monitoramento da situação dos indicadores em 2015 comparando-os com as metas pactuadas pelo PDM, com o objetivo de avaliar a efetividade das políticas públicas adotadas e seu impacto em relação a cada um dos indicadores previstos, a fim de permitir subsídios para possíveis ajustes nas ações regulatórias e de fomento da Agência.

Além de uma planilha que apresenta as metas e indicadores previstos para cada diretriz ao lado dos dados relativos ao monitoramento dos indicadores em 2015 e aos percentuais de cumprimento da meta e de crescimento previsto e alcançado, também estão sendo disponibilizadas notas explicativas relativas a cada uma das diretrizes do Plano. As notas trazem análises que contextualizam os dados e explicam fatores que influenciaram no alcance das metas.

Por conta do volume e da complexidade do conjunto dos indicadores do Plano de Diretrizes e Metas para o Audiovisual, a ANCINE optou por realizar a sua aferição em lotes. Neste primeiro momento estão sendo disponibilizadas as aferições dos indicadores relacionados às diretrizes 1 e 2: “Ampliar e diversificar a oferta de serviços de exibição e facilitar o acesso da população ao cinema”; e “Desenvolver e qualificar os serviços de TV por assinatura e de vídeo por demanda oferecidos em todos os ambientes, e ampliar a participação de programadoras nacionais e do conteúdo brasileiro nestes segmentos de mercado”.

Clique aqui para acessar a aferição de resultados dos indicadores das diretrizes do Plano de Diretrizes e Metas para o Audiovisual.

Share

Esclarecimento: cerimônia de entrega do Prêmio Camões

nota-oficial-2016-destaqueO Ministério da Cultura (MinC) lamenta, mais uma vez, a prática do Partido dos Trabalhadores em aparelhar órgãos públicos e organizar ataques para tentar desestabilizar o processo democrático. Durante a cerimônia de entrega do  Prêmio Camões de Literatura, em São Paulo, o ministro da Cultura, Roberto Freire, teve sua fala interrompida por manifestantes partidários, sinal de desrespeito à premiação oficial dos governos de Brasil e Portugal.

Considerada a mais importante distinção da Língua Portuguesa, o prêmio concedeu 100 mil euros (sendo 50 mil euros arcados pelo MinC) ao escritor brasileiro Raduan Nassar.

O agraciado foi respeitado por todos durante sua fala, ao contrário do que ocorreu com o ministro da Cultura, interrompido de forma agressiva. Apesar de ser um adversário político do governo, Raduan recebeu o prêmio, legitimando sua importância. Uma premiação literária com essa dimensão não merecia esse comportamento intolerante de alguns, que tentaram partidarizar o evento.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share

“Rec-Beat Apresenta” traz novas apostas para Olinda e João Pessoa

O “Rec-Beat Apresenta” antecede o Festival Rec-Beat, que ocorre durante o carnaval do Recife, destacando artistas emergentes e promissores do cenário local, nacional ou internacional. Este ano, serão realizadas duas edições, uma em Olinda, no dia 18/02 e outra em João Pessoa, no dia 24/02, pelo segundo ano consecutivo.Screen Shot 2017-02-15 at 14.54.56Em Olinda, o Rec-Beat Apresenta, acontece na Casa do Cachorro Preto e direciona suas apostas para Amaro Freitas, Márcio Oliveira e o grupo feminino Arrete. O pianista Amaro Freitas lançou no final do ano passado o elogiadíssimo álbum de estréia “Sangue Negro” e abre a noite com seu trabalho autoral que transita pelo jazz , bebop, afrojazz, samba e frevo.

Na sequência vem Márcio Oliveira, que se dedica ao trompete desde os doze anos de idade e já passou por inúmeros projetos relevantes, como a Orquestra Popular do Recife. Para o “Rec-Beat Apresenta” Márcio traz o resultado do álbum “Encabeçando”, lançado em 2015, onde ele explora toda a diversidade e linguagem da música afro-brasileira. Este trabalho colocou-o entre os melhores instrumentistas do país, na opinião da crítica.

Confirmando uma das principais características do Rec-Beat, que é dar espaço para a diversidade, Arrete complementa a programação em Olinda. Formado pelas Mcs Ya Juste ,Nina Rodrigues e Weedja Lins e a Bgirl Duda Serafim e já preparando disco de estréia, Arrete mostra a força da nova geração das mulheres cujo trabalho agrega conhecimentos adquiridos na cultura hip hop, com estilos como rap,ragga, drum and bass e trap.

Na abertura, intervalos entre as bandas e para encerrar a noite, a Casa do Cachorro Preto recebe o DJ Rimas.INC, que envereda pela música pop e eletrônica e traz no set um mix com suas próprias faixas produzidas a partir de mashups, bootlegs e reworks, indo do coco ao moombahton, da embolada ao raggamuffin, do baião a cumbia, do forró a música balkan.

Em João Pessoa, na sexta-feira de Carnaval, o Rec-Beat Apresenta leva à capital paraibana, apostas e um pouco do lineup do Festival. O Centro Cultural Piollin receberá O Terno, Negros de Harvar,  ÀTTØØXXÁ, Seu Pereira, Dj Dolores e a DJ Sarah Blackbird.

A realização do “Rec-Beat Apresenta” é da Rec-Beat Produções e, em João Pessoa, com parceria e produção da Garatuja e Rabissaca Produções. Incentivo do Funcultura – Fundo Pernambucano de Incentivo a Cultura/Governo do Estado de Pernambuco. Player oficial, Spotify e media partner, Brasileiríssimos e OGrito!.

Serviço:

“Rec-Beat Apresenta” Olinda

Data: 18/02 (sábado)

Horário: 19h

Local: Casa do Cachorro Preto
Rua Treze de Maio, 99, Carmo, Olinda, Recife

Entrada Gratuita

Atrações:

Amaro Freitas

Márcio Oliveira

Arrete

Rimas.INC (a.k.a. Clécio Rimas)

* Todos artistas de PE

“Rec-Beat Apresenta” João Pessoa

Data: 24/02 (sexta-feira)

Horário: 19h

Local: Centro Cultural Piollin

Rua Professor Sizenando Costa, S/N, Róger, João Pessoa

Entrada: antecipado (até dia 23/02) – R$ 30,00 Inteira / R$ 15,00 Estudante

No dia – R$ 40,00 Inteira / R$ 20,00 Estudante

Ingressos, venda online: https://www.sympla.com.br/rec-beat-apresenta—joao-pessoa__116258

Share

Secult Piauí convoca atores para audição do espetáculo da “Batalha do Jenipapo”

A Secretaria Estadual de Cultura – Secult está convocando atores profissionais e amadores que queiram participar do espetáculo da Batalha do Jenipapo, que será encenado no dia 13 de março, em Campo Maior. A audição vai acontecer na próxima terça-feira (21), a partir das 18 horas, no Club dos Diários. As inscrições serão feitas no local.20160313_121405Durante o processo, os atores inscritos fazem uma pequena apresentação, avaliada por profissionais da área, incluindo o diretor do espetáculo, Arimatan Martins, que já dirigiu a peça 17 vezes (das 21 apresentadas). A montagem homenageia os heróis da batalha e a adesão do Piauí à independência do Brasil, em 13 de março.

No ano passado, mais de 100 atores participaram da encenação, no Monumento da Batalha do Jenipapo, em Campo Maior. Uma das novidades foi a participação de índios de comunidades piauienses no elenco, além da apresentação do espetáculo no palco do Theatro 4 de Setembro.

Este ano, a apresentação do espetáculo será às 16 horas, antes das solenidades oficiais. “A Batalha do Jenipapo é uma forma de expressão de grande alcance popular. É uma dívida histórica com a sociedade piauiense, com as novas gerações, que têm na historiografia oficial e na extra oficial um registro que eleve à real potência dos acontecimentos aqui realizados”, afirma Arimatan Martins.

Gleyca Lima / Ascom Secult Piauí

Share

Serra da Barriga é candidata a Patrimônio Cultural do Mercosul

A Serra da Barriga, localizada no município de União dos Palmares, Zona da Mata alagoana, pode se tornar Patrimônio Cultural do Mercosul. Um dossiê, que está sendo produzido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Fundação Cultural Palmares, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), instituições públicas e sociedade civil, será entregue em março para avaliação da Comissão de Patrimônio Cultural do bloco econômico.

Local sagrado e de representatividade para o povo negro, Serra da Barriga abrigou o maior foco de resistência escrava do Brasil, o Quilombo dos Palmares (Foto: Neno Canuto)

Local sagrado e de representatividade para o povo negro, Serra da Barriga abrigou o maior foco de resistência escrava do Brasil, o Quilombo dos Palmares (Foto: Neno Canuto)

De acordo com o Iphan, a candidatura se insere na proposta La Geografía del Cimarronaje: Cumbes, Quilombos y Palenques del MERCOSUR, juntamente com Colômbia, Equador e Venezuela, que também apresentaram sítios de interesse para a valoração da contribuição africana no continente sul-americano.

Para Candice Ballester, arquiteta e urbanista do Departamento de Articulação e Fomento da Assessoria Internacional do Iphan, que está em Alagoas comandando as reuniões para a produção do dossiê e diretrizes do plano de gestão do bem, a postulação da Serra como Patrimônio Cultural do Mercosul “é um reconhecimento, uma ação estratégica de valorização da identidade negra na América Latina”.

Entre os benefícios estão a valorização, promoção e fomento do local, além da garantia do uso de recurso do fundo do Mercosul para ações do bem. “A Serra da Barriga é um símbolo da luta pela liberdade e resistência negra. A postulação a Patrimônio Cultural do Mercosul representa um marco para Alagoas e eleva a autoestima da nossa população, despertando o sentimento de pertencimento cultural”, destaca a secretária de Estado da Cultura de Alagoas, Mellina Freitas.

Serra da Barriga

A Serra da Barriga, bem tombado pelo Iphan em 1985 e monumento nacional desde 1988, local sagrado e de representatividade para o povo negro, foi onde milhares de homens rebelados criaram o maior foco de resistência escrava do Brasil, o Quilombo dos Palmares.

Share

Prêmio Camões celebra a Língua Portuguesa

Buri 15/05/2014 Escritor Raduan Nassar , que completa hoje 80 anos . FOTO Paulo Pinto/Fotos Publicas

Buri 15/05/2014 Escritor Raduan Nassar , que completa hoje 80 anos . FOTO Paulo Pinto/Fotos Publicas

Considerada a mais importante distinção da Língua Portuguesa, o Prêmio Camões de Literatura será entregue no dia 17 de fevereiro, em solenidade no Museu Lasar Segall, em São Paulo. O objetivo do prêmio é consagrar anualmente um autor da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e, na edição 2016, Raduan Nassar foi o grande vencedor. Autor de obras célebres como Lavoura Arcaica (1975) e Um Copo de Cólera (1978), o escritor é um dos grandes expoentes da literatura brasileira.

Criado em 1988, o prêmio foi instituído pelo Protocolo Adicional ao Acordo Cultural entre os governos português e brasileiro, representados, respectivamente, pela Direção Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas/Secretaria de Estado da Cultura (Portugal) e pela Fundação Biblioteca Nacional/MinC (Brasil). De acordo com a diretora do Centro de Difusão e Cooperação da Biblioteca Nacional brasileira, Maria Eduarda Marques, o prêmio é o reconhecimento do grande patrimônio comum que une os países, que é a Língua Portuguesa.

“Brasil e Portugal se uniram para fazer esse prêmio, que já consagrou grandes nomes da literatura brasileira, portuguesa e africana, como João Cabral de Melo Neto, Jorge Amado, José Saramago e Pepetela, entre outros. É muito importante que a Biblioteca Nacional, a grande guardiã da memória bibliográfica do País, esteja presente nesse momento”, ressalta a diretora.

A comissão julgadora do prêmio é composta por representantes do Brasil, de Portugal e de países africanos de língua oficial portuguesa. Fizeram parte do júri da edição 2016 Sergio Alcides e Flora Sussekind, pelo Brasil; Paula Mourão e Pedro Mexia, por Portugal; e Inocência Mata e Lourenço de Rosário, pelos países africanos. “O júri congraça grandes críticos e escritores brasileiros e portugueses. É uma oportunidade sensacional de festejar a Língua Portuguesa”, destaca Maria Eduarda.

Conheça os vencedores das edições anteriores:

2015 – Hélia Correia
País de origem: Portugal
Local da premiação: Rio de Janeiro
Júri:  Affonso Romano de Sant’Anna, António Carlos Secchin, Inocência Mata, Mia Couto, Pedro Mexia e Rita Marnoto
2014 – Alberto da Costa e Silva
País de origem: Brasil
Local da premiação: Lisboa
Júri:  Affonso Romano de Sant’Anna, António Carlos Secchin, José Carlos de Vasconcelos, José Eduardo Agualusa, Mia Couto e Rita Marnoto
2013 – Mia Couto
País de origem: Moçambique
Local da premiação: Rio de Janeiro
Júri:  Alberto da Costa e Silva, Alcir Pécora, Clara Rocha, João Paulo Borges Coelho, José Carlos de Vasconcelos e José Eduardo Agualusa
2012 – Dalton Trevisan
País de origem: Brasil
Local da premiação: Lisboa
Júri:  Abel Barros Baptista, Alcir Pécora, Ana Paula Tavares, João Paulo Borges Coelho, Rosa Maria Martelo e Silviano Santiago
2011- Manuel António Pina
País de origem: Portugal
Local da premiação: Rio de Janeiro
Júri:  Abel Barros Baptista, Ana Paula Tavares, António Carlos Secchin, Edla van Steen, Inocência Mata e Rosa Maria Martelo
2010 – Ferreira Gullar
País de origem: Brasil
Local da premiação: Lisboa
Júri:  António Carlos Secchin, Edla van Steen, Helena Buescu, Inocência Mata, José Carlos Seabra Pereira e Luís Carlos Patraquim
2009 – Armênio Vieira
País de origem: Cabo Verde
Local da premiação: Rio de Janeiro
Júri:  Corsino Fortes, Helena Buescu, José Carlos Seabra Pereira, Luís Carlos Patraquim, Marco Lucchesi e Ruy Espinheira Filho
2008 – João Ubaldo Ribeiro
País de origem: Brasil
Local da premiação: Lisboa
Júri:  Corsino Fortes, João Mello, Marco Lucchesi, Maria de Fátima Marinho, Maria Lúcia Lepecki e Ruy Espinheira Filho
2007 – António Lobo Antunes
País de origem: Portugal
Local da premiação: Lisboa
Júri:  Domício Proença Filho, Fernando Martinho, Francisco Noa, João Mello, Letícia Malard e Maria de Fátima Marinho
2006 – Luandino Vieira
País de origem:  Angola
Local da premiação: Lisboa
Júri:  Evanildo Bechara, Francisco Noa, Ivan Junqueira, José Eduardo Agualusa, Maria Agustina Ferreira Teixeira Bessa Luís e Paula Morão
*Prêmio recusado pelo autor
2005 – Lygia Fagundes Telles
País de origem: Brasil
Local da premiação: Rio de Janeiro
Júri:  António Carlos Secchin, Germano de Almeida, Ivan Junqueira, José Eduardo Agualusa, Maria Agustina Ferreira Teixeira, Bessa Luís e Vasco Graça Moura
2004 – Agustina Bessa-Luís
País de origem: Portugal
Local da premiação: Lisboa
Júri:  Eduardo Prado Coelho, Germano de Almeida, Heloísa Buarque de Holanda, Lourenço do Rosário, Vasco Graça Moura e Zuenir Ventura
2003 – Rubem Fonseca
País de origem: Brasil
Local da premiação: Rio de Janeiro
Júri:  Eduardo Prado Coelho, Heloísa Buarque de Holanda, Lourenço do Rosário, Maria Isabel da Silva Pires de Lima, Pepetela e Zuenir Ventura
2002 – Maria Velho da Costa
País de origem: Portugal
Local da premiação: Lisboa
Júri:  Alberto da Costa e Silva, Alfredo Bosi, Isabel Allegro de Magalhães, José João Craveirinha, Maria Isabel da Silva Pires de Lima e Pepetela
2001- Eugênio de Andrade
País de origem: Portugal
Local da premiação: Lisboa
Júri:  Alberto da Costa e Silva, Carlos Heitor Cony, Dionysio de Oliveira Toledo, Isabel Allegro de Magalhães, José Manuel Mendes e Maria Irene Ramalho de Sousa Santos
2000 – Autran Dourado
País de origem:  Brasil
Local da premiação:  Rio de Janeiro
Júri:  César Leal, José Manuel Mendes, Maria Alzira Seixo, Maria Irene Ramalho de Sousa Santos, Mário Chamie e Silviano Santiago
1999 – Sophia de Mello Breyner Andresen
País de origem: Portugal
Local da premiação: Salvador
Júri:  António Alfredo Alçada Baptista, Elmer C. Corrêa Barbosa, Lella Perrone Moises, Luiz Costa Lima, Maria Alzira Seixo e Maria Irene Ramalho de Sousa Santos
1998 – Antonio Cândido de Melo e Sousa
País de origem:  Brasil
Local da premiação:  Lisboa
Júri:  António Alfredo Alçada Baptista, Eduardo Portella, Fábio Lucas, Fernando J. B. Martinho, Maria Alzira Seixo e Moacyr Scliar
1997 – Artur Carlos M. Pestana dos Santos, o Pepetela
País de origem: Angola
Local da premiação: Lisboa
Júri:  António Alfredo Alçada Baptista, Carlos Nejar, Eduardo Portella, Fernando J. B. Martinho, Nelida Piñon e Óscar Luso de Freitas Lopes
1996 – Eduardo Lourenço
País de origem: Portugal
Local da premiação: Rio de Janeiro
Júri:  Afonso Romano de Sant’Anna, Carlos Reis, Cleonice Berardinelli, Eduardo Portella, Maria Idalina Cobra Pereira Resina Rodrigues e Urbano Tavares Rodrigues
1995 – José Saramago
País de origem: Portugal
Local da premiação: Lisboa
Júri:  Afonso Romano de Sant’Anna, António Torres, Carlos Reis, Márcio de Souza, Maria Idalina Cobra Pereira Resina, Rodrigues e Urbano Tavares Rodrigues
1994 – Jorge Amado
País de origem: Brasil
Local da premiação: Rio de Janeiro
Júri:  Afonso Romano de Sant’Anna, Carlos Reis, Cleonice Berardinelli, João Ubaldo Ribeiro, Maria Idalina Cobra Pereira e Resina Rodrigues Urbano Tavares Rodrigues
1993 – Rachel de Queiroz
País de origem: Brasil
Local da premiação: Lisboa
Júri:  Arnaldo Niskier, Carlos Reis, Fernando Guimarães, João Escatimburgo, Maria Idalina Cobra Pereira Resina Rodrigues e Óscar Dias Correia
1992 – Vergílio Ferreira
País de origem: Portugal
Local da premiação: Rio de Janeiro
Júri:  Aníbal Pinto de Castro, Cleonice Berardinelli, Fernando Cristovão, Ivo de Castro, Jorge Fernandes da Silveira e Márcio de Souza
1991 – José Craveirinha
País de origem: Moçambique
Local da premiação: Rio de Janeiro
Júri:  Afonso Romano de Sant’Anna, Arnaldo Saraiva, David Mourão Ferreira, Jorge Fernandes da Silveira, Luís Augusto de Sampaio Forjaz de Ricaldes Trigueiros e Márcio de Souza
1990 – João Cabral de Melo Neto
País de origem: Brasil
Local da premiação: Lisboa
Júri:  Afrânio Coutinho, Antônio Houaiss, Eduardo Lourenço, Herberto Salles, Maria de Lourdes Belchior Pontes e Vítor Manuel Pires de Aguiar e Silva
1989 – Miguel Torga
País de origem: Portugal
Local da premiação: Lisboa

Júri:  Afrânio Coutinho, Antônio Houaiss, Eduardo Lourenço, Herberto Salles, Maria de Lourdes Belchior Pontes e Vítor Manuel Pires de Aguiar e Silva

Serviço:
Prêmio Camões de Língua Portuguesa 
Data: 17/2/2017 (sexta-feira), às 10h30
Local: Museu Lasar Segall

Rua Berta, 111 – Vila Mariana – São Paulo

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share

Mestrado em Museologia holandês oferece bolsas de estudo para brasileiros

CB-with-maps-kiezen-2A Reinwardt Academy, Escola das Artes de Amsterdã (Holanda) está oferecendo duas bolsas, exclusivas para brasileiros, destinadas à participação na próxima turma de seu mestrado em Museologia.

As bolsas, oferecidas através do programa Orange Tulip Scholarship, cobrem a maior parte do valor das anuidades do curso, sendo cobrado valor de 2.500 euros – o valor normal seria de ‎€ 7.000 para o primeiro ano e ‎€ 3.500 para o segundo ano do mestrado.

O Mestrado Internacional em Museologia da Reinwardt Academy divide-se em três etapas: programa educacional, estágio e produção de tese. Estudantes em tempo integral completam as três etapas em 18 meses.

O programa oferece um amplo leque de conhecimento teórico, auxiliando os participantes a desenvolver uma abordagem acadêmica da Museologia combinada com competências profissionais aplicadas.

Para candidatar-se a uma das vagas, são exigidos diploma de graduação, currículo e três cartas de recomendação, além de domínio básico de língua inglesa. Saiba mais.

Share

Exposição ‘Vitrocerâmicos’ resgata a relação entre a indústria e a arte em Pernambuco

Ao longo de três meses, o projeto Vitrocerâmicos: Pesquisa Artística levou seis artistas pernambucanos para conhecer os processos industriais de uma fábrica de vitrocerâmicas do estado. A proposta era realizar um estreitamento da indústria com a arte, na busca de um novo suporte artístico e de uma reflexão sobre essa relação cada vez mais distante. O resultado desta pesquisa será apresentado nesta quarta-feira (15), às 18h, quando acontece a abertura de uma exposição coletiva no Museu Murillo La Greca, envolvendo os trabalhos desenvolvidos ao longo desta imersão. A entrada é gratuita.

Vitrocerâmicos: Pesquisa Artística conta com incentivo do Governo do Estado de Pernambuco, através do Funcultura. Segundo Hassan Santos, idealizador do projeto, a ideia nasceu quando ele trabalhava na Fábrica Lilou, empresa especializada na impressão digital personalizada em materiais cerâmicos e vítreos.  “Eu era designer da fábrica e o responsável pelo desenho de produtos e experimentações. De repente me vi cercado de maquinários e profissionais de alta qualidade, especializados na mistura de vidro e cerâmica, com corantes, e os donos de lá sempre foram muito abertos à experimentação. Foi quando tive a ideia de iniciar estes estudos”, explica.

Hassan Santos/DivulgaçãoHassan Santos/Divulgação

Inicialmente, Hassan Santos desenvolveu pesquisas que foram expostas na Casa Cor e no Murillo La Greca, em 2013. “A partir dai outras pessoas se interessaram pelo trabalho e foi isso que determinou a escolha dos outros cinco artistas para participarem do projeto: a aproximação e curiosidade de saber o que eu estava fazendo”. Além do idealizador do projeto, a exposição conta com obras de Chico Ludermir, João Lin, Daaniel Araújo, Nando Zevê e Joelson Gomes.

“Nós, como artistas, devemos viver nosso tempo e fazer uso das novas tecnologias e dos novos suportes. E esse projeto apresenta um novo resultado neste sentido”, opina Hasson Santos. Em março, os seis artistas convidados participarão de uma roda de conversa, no Museu Murillo La Greca, sobre os processos criativos, os materiais, as técnicas possíveis e os desafios do processo criativo que durou três meses. No mesmo dia, o catálogo da exposição será lançado e distribuído ao público. Outras informações sobre o projeto estão disponíveis na internet.

Bangiophyceae – Peça de azulejo com impressão digital e vitrocerâmico 30x30cm por João Lin – divulgação – Hassan Santos (1)Bangiophyceae - Peça de azulejo com impressão digital e vitrocerâmico 30x30cm por João Lin - divulgação - Hassan Santos (1)
Durante os 90 dias de imersão, os artistas se encontraram semanalmente na Fábrica Lilou e aprenderam a misturar o vidro com a cerâmica, além de adicionar corantes ou imprimir imagens no azulejo.  As matérias primas utilizadas nas pesquisas e peças, como pó de vidro, azulejo cru, corantes, forminhas e caixas de queima, também estarão à vista do público.

Hassan Santos, por exemplo, apresentará o trabalho Esquemas, em que expõe gráficos feitos em superfícies de vitrocerâmico e outras peças abstratas. “Passamos por um momento político complicado no ano passado, e isso me inspirou a estudar sobre economia e dominação econômica. A partir daí desenvolvi um gráfico que representa nosso PIB, nossa dívida pública e nosso IDH, em peças diferentes. O trabalho conta também com um poema impresso numa placa sobre a relação piramidal que a gente vive, de exploração”.

Hassan Santos/Divulgação

Hassan Santos/Divulgação

Gráfico em Trânsito – Peça em vitrocerâmico com impressão digital 70x70cm por Hassan Santos

Também presente na exposição, o estudo Revestimentos, do fotógrafo e artista Chico Ludermir, dialoga com outras pesquisas realizadas pelo autor nos últimos anos. “Em 2013, por exemplo, também no Murillo La Greca e durante o Spa das Artes, eu já pesquisava essas interferências entre a cidade e o corpo com a pesquisa Entre Prédios e Entre Corpos. Em 2014, desenvolvi o trabalho De Mãos Dadas, na época do Ocupe Estelita, no qual eu também já pensava em como imprimir as texturas do corpo no concreto”.

De acordo com Chico Ludermir, Revestimentos foi a possiblidade de continuar a pesquisa e usar a fotografia como ponto de partida. “Essa relação mútua, entre o corpo e a cidade é algo que me interessa bastante. Para esse estudo, fotografei com uma lente macro as texturas humanas, o que me permitiu chegar muito perto dos detalhes da pele e das nuances que não são vistas a olho nu. Essas texturas foram passadas para o azulejo, que foi o suporte que eu escolhi, numa tentativa de tatuar esse tecido vivo num suporte que comumente é usado para resistir nas paradas e faixadas”, revela.

Chico Ludemir/DivulgaçãoChico Ludemir/Divulgação

A exposição ainda apresenta trabalhos do ilustrador João Lin, na série Arranhados, que levou ao forno materiais descartados na fábrica por erros de produção, sobrescrevendo, nos pedaços de azulejos quebrados, desenhos de corações feitos à mão livre. Já o artista Joelson Gomes, referência de produção artística em cerâmica, é autor de uma série feita a partir da aplicação da imagem de um pássaro em peças de azulejos revestidas com uma fina camada de vidro.

Daaniel Araújo produziu pinturas de temas cotidianos impressas em azulejos. Uma delas é 0075m grande painel com a imagem de um tubarão e as placas de aviso com a frase “Área sujeita a ataque dos Barão”, em que parodia a especulação imobiliária na cidade do Recife. Completando a exposição, o ilustrador, grafiteiro e tatuador Nando Zevê apresenta a sua série de tons vivos intitulada Peixe fora d’água, que já foi explorada em adesivos, lambe-lambes e grafites pelo Recife.

Serviço
Abertura da exposição Vitrocerâmicos: Pesquisa artística
Quarta-feira (15 de fevereiro), às 18h
Museu Murillo La Greca (Rua Leonardo Bezerra Cavalcante, 366, Parnamirim)
Gratuito

Share