“Xingu Cariri Caruaru Carioca” e “Aquarius” estreiam no Cine São Luiz em Recife

A programação do Cinema São Luiz nesta semana conta com duas grandes estreias: o documentário Xingu Cariri Caruaru Carioca (2015), dirigido por Beth Formaggini, e o novo filme de Kleber Mendonça, Aquarius (2016), que tem faturado uma série de prêmios mundo a fora.

Divulgação

Divulgação

No documentário “Xingu Cariri Caruaru Carioca”, o pife é o condutor dos encontros musicais pelas regiões brasileiras

No documentário Xingu Cariri Caruaru Carioca, o encontro é ponto de partida. A troca entre as chamadas “culturas populares” e a “cultura pop”. Músicos que se reúnem para conversar e tocar junto sons tradicionais e contemporâneos que se complementam mostrando que tudo está sempre em movimento e que o patrimônio cultural não é constituído de coisas passadas.

O longa-metragem traz como personagem o músico Carlos Malta, que viaja pelo Brasil para buscar as suas origens musicais, procurando não só compreender as raízes do pife e das flautas, mas também as suas transformações, o seu contexto e as suas interdependências. Encontros criativos com muita música mostram as diferentes sonoridades das flautas tradicionais e do pife, sua origem, sua transformação, o dom do sopro, a passagem do conhecimento e a entrada da flautinha na música pop.

Divulgação

Divulgação

Irandhir Santos e Sônia Braga compõem o elenco de “Aquarius”

Já Aquarius, dirigido pelo cineasta pernambucano Kleber Mendonça Filho e estrelado por Sônia Braga, conta a história de Clara, escritora e jornalista aposentada que mora no Aquarius, edifício dos anos 1940 construído na orla do Recife. O prédio à beira mar é o último de seu estilo no bairro de Boa Viagem. Ali, Clara vive cercada por discos, livros e recordações, enquanto recebe propostas de uma construtora que quer demolir o Aquarius para construir um novo empreendimento. O filme, que representou o Brasil na competição oficial de Cannes este ano, foi aplaudido por mil pessoas que compareceram ao Cinema São Luiz no último dia 20/8, durante sua sessão de pré-estreia.

O elenco do longa, que conta com incentivo do Funcultura, tem ainda Maeve Jinkings, Irandhir Santos, Humberto Carrão, Zoraide Coleto, Carla Ribas, Paula de Renor, Fernando Teixeira, Barbara Colen, Daniel Porpino, Julia Bernat e Pedro Queiroz.

Segue também em cartaz no cinema patrimônio de Pernambuco a animação estadunidense A Era do Gelo: o Big Bang (2015).

Com som e projeção digitais, o São Luiz é o cinema de rua mais moderno de Pernambuco, um equipamento público sob a gerência da Secult-PE e da Fundarpe. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Às terças, os valores caem para R$ 6 e R$ 3, respectivamente.

Confira a programação completa abaixo:
Semana: 1º a 7 de setembro

A ERA DO GELO: O BIG BANG
(Ice Age: Collision Course, EUA, 2015, 94min.)
Gênero: Animação | Diretor: Mike Thurmeier, Galen T. Chu
Classificação Indicativa: Livre

Sinopse: Depois que o esquilo Scrat, involuntariamente, provoca um acidente espacial em sua incansável perseguição pela noz, um enorme meteoro entra em rota de colisão com a Terra, ameaçando o lar de Manny, Diego, Sid e cia. Sem saber o que fazer para reverter a situação, eles terão que confiar em Buck, a elétrica doninha caolha do terceiro filme – único do grupo que realmente tem um plano para evitar o trágico fim de todos. Paralelamente, Mannie e Ellie têm que lidar com iminente saída de Amora de casa, ao passo que Diego e Shira pensam em aumentar a família e Sid finalmente parece encontrar o amor.
Dias e horários: sábado (2), domingo (3), terça-feira (6) e quarta-feira (7), às 13h30.

AQUARIUS
(Brasil, França, 2016, 141min.)
Gênero: Drama, Suspense | Direção: Kleber Mendonça Filho | Elenco: Sônia Braga, Maeve Jinkings, Irandhir Santos
Classificação Indicativa: 18 anos

Sinopse: Clara (Sonia Braga) tem 65 anos, é jornalista aposentada, viúva e mãe de três adultos. Ela mora em um apartamento localizado na Av. Boa Viagem, no Recife, onde criou seus filhos e viveu boa parte de sua vida. Interessada em construir um novo prédio no espaço, os responsáveis por uma construtora conseguiram adquirir quase todos os apartamentos do prédio, menos o dela. Por mais que tenha deixado bem claro que não pretende vendê-lo, Clara sofre todo tipo de assédio e ameaça para que mude de ideia.
Dias e horários: quinta-feira (1º) e sexta-feira (2), às 14h50 e às 19h20 | sábado (3), domingo (4), terça-feira (6) e quarta-feira (7), às 17h e às 19h35.

XINGU CARIRI CARUARU CARIOCA
(Brasil, 2015, 92min.)
Gênero: Documentário | Diretor: Beth Formaggini | Elenco: Carlos Malta
Classificação Indicativa: 10 anos

Sinopse: Em busca de suas origens musicais e as raízes das flautas, Carlos Malta é um dos músicos que se reúnem para conversar e tocar juntos os sons tradicionais das “culturas populares” e “cultura pop”. Um encontro entre mundos diversos e que se complementam, uma mostra de que tudo está sempre em movimento e um registro da capacidade criativa da música contemporânea, sempre em transformação.
Dias e horários: quinta-feira (1º) e sexta-feira (2), às 17h35 | sábado (3), domingo (4), terça-feira (6) e quarta-feira (7), às 15h15.

Share

Feira Brasil Original recebe inscrições até 5 de setembro

14191938_1101320376613161_4771119818119853337_nA Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), por meio da Diretoria de Promoção do Artesanato, lançou Edital de Chamamento Público com objetivo de selecionar artesãos e entidades representativas do artesanato, com suas produções, para ocupação de espaço coletivo na 1ª Feira Brasil Original. O evento acontece entre os dias 20 e 23 de outubro, em São Paulo, no Pavilhão de Exposições do Anhembi. O edital pode ser acessado no site da AD Diper ou no endereço do Centro de Artesanato de Pernambuco.

Serão selecionados 12 profissionais ou entidades que irão representar Pernambuco no evento e que terão parte das despesas custeadas. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas presencialmente, por e-mail ou Sedex, até o próximo 5 de setembro. A lista provisória de selecionados será divulgada em 12 de setembro. O interessado em participar da seleção deverá preencher o formulário de inscrição e apresentar os documentos exigidos no edital.

“Nossa principal meta é valorizar o trabalho do nosso artesão e levar a arte genuinamente pernambucana para novos espaços de divulgação. Participar de eventos como este motiva as pessoas a produzirem, a se relacionarem, enfim, a se sentirem parte de um projeto maior, que envolve justamente aquilo que lhes dá maior prazer: fazer artesanato”, disse o diretor-presidente da AD Diper, Jenner Guimarães Rêgo.

Podem participar artesãos maiores de 18 anos, cadastrados no Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (Sicab), com Carteira Nacional de Artesão, dentro do prazo de validade. Já as entidades representativas (associações ou cooperativas) precisam estar legalmente constituídas e também cadastradas no Sicab.

Poderão participar artesão nas classificações: arte popular, artesanato tradicional, artesanato de referência cultural, artesanato contemporâneo e artesanato de reciclagem. Podem ser selecionadas obras dos seguintes tipologias: argila, madeira, fios e tecidos, fibras vegetais, papel, semente, casca, flores e folhas secas, pedra, couro, pele, pena, conchas e escamas de peixe, chifres e ossos, cera, massas, gesso, parafina, metais ou vidro.

Os selecionados deverão arcar com suas despesas de passagens aéreas e alimentação, ficando o traslado, hospedagem e participação no evento cobertas pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP) e AD Diper.

Mais informações: (81) 3181-3457

Share

Pernambuco: Caixa Cultural apresenta exposição fotográfica “Êxodos”, de Sebastião Salgado

Premiado internacionalmente e considerado um dos maiores talentos da fotografia mundial pelo teor social de seu trabalho, Salgado viajou durante seis anos, por 40 países, para mostrar a humanidade em trânsito, provocando uma reflexão sobre as questões políticas, sociais e econômicas de pessoas que foram obrigadas a deixar a sua terra natal.

A mostra traz o resultado desta pesquisa, retratando pessoas que abandonam a terra natal contra a própria vontade, tornando-se migrantes, refugiadas ou exiladas, fugindo da pobreza, repressão ou guerras.

Foto Êxodos SS 1

A coleção com 60 imagens que compõem essa exposição foi doada por Lélia Wanick e Sebastião Salgado ao Instituto Terra, ONG ambiental que o casal fundou em 1998, em Aimorés (MG). A abertura será às 19 horas de 1º de setembro, aberta ao público visitante.

Serviço:

Exposição fotográfica: “Êxodos” – Sebastião Salgado

Período: de 1º de setembro a 16 de outubro de 2016

Horário: das 10h às 19h, de terças-feiras a domingos

Local: CAIXA Cultural Recife – Av. Alfredo Lisboa, 505 – Recife-PE

Entrada franca

Share

Inscrições para editais da Fundação Biblioteca Nacional terminam no início de setembro

Autores brasileiros interessados em candidatar-se a intercâmbio no exterior e tradutores estrangeiros que desejam fazer residência no Brasil têm até o início de setembro para se inscreverem nos editais lançados, no fim de julho, pela Fundação Biblioteca Nacional (FBN), instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC). O objetivo da iniciativa é a internacionalização da cultura e da literatura brasileira.

Criado em 2012, o edital de Intercâmbio de Autores Brasileiros no Exterior está em sua quinta edição. Ele é destinado a editoras estrangeiras que tenham publicado obras de autores brasileiros, ou já adquirido os direitos para publicação, que desejam promover a participação desses autores em eventos literários internacionais. Podem participar instituições culturais estrangeiras que desejam organizar atividades literárias com autores brasileiros ou convidar autores brasileiros para períodos de residência no exterior. Para poder pleitear a ajuda, tais eventos devem estar programados para ter início entre 20 de outubro e 31 de dezembro de 2016.

edital_intercambio_fbn

Para participar, os autores deverão ter publicado no Brasil ao menos um livro nas áreas de literatura e humanidades, especialmente nos seguintes gêneros: romance, conto, poesia, crônica, infantil, juvenil, história em quadrinhos, teatro, obra de referência, ensaio literário, ensaio social, ensaio de vulgarização científica. O prazo de recebimento de inscrições vai até 5 de setembro de 2016.

Residência de tradutores estrangeiros

Também criado em 2012, o edital Programa de Residência de Tradutores Estrangeiros no Brasil está em sua terceira edição. Ele concede bolsas a tradutores profissionais estrangeiros que estejam traduzindo – do português para qualquer outro idioma – uma obra literária brasileira, publicada previamente no Brasil. Os tradutores precisam contar com um contrato editorial para a tradução.

Durante a residência, cada tradutor participará de uma programação desenvolvida a partir do projeto de tradução, elaborada pela FBN em parceria com centros de estudos de tradução, universidades e instituições culturais. A agenda poderá incluir a participação em debates com autores, tradutores e outros interlocutores; participação em oficinas de tradução; e visitas a instituições culturais.

As bolsas concedidas pelo programa cobrirão, parcial ou totalmente, as despesas necessárias para permanência do tradutor no Brasil durante um período de 15 a 30 dias, entre 17 de outubro e 20 de dezembro de 2016. O prazo para envio de inscrições vai até o dia 2 de setembro de 2016.

Internacionalização da literatura

Os dois editais fazem parte do Programa de Apoio à Tradução, Publicação e Intercâmbio de Autores Brasileiros no Exterior, executado pela FBN. De 1991 até 2016, foram concedidas 898 bolsas de apoio à tradução e à publicação de autores brasileiros – mais de 70% destas a partir de 2011, quando o programa foi reformulado e recebeu mais recursos. Ainda por meio do Programa de Apoio, mais de 80 escritores brasileiros apresentaram trabalhos em feiras e eventos literários no exterior.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Com informações da Fundação Biblioteca Nacional
Share

MinC recebe sugestões para revisão da Lei Rouanet

Sugestões para a revisão da Lei Rouanet e para o fortalecimento da Fundação Nacional de Artes (Funarte) foram apresentadas ao ministro da Cultura, Marcelo Calero, por representantes do Fórum Brasileiro pelos Direitos da Cultura, em encontro realizado na tarde dessa terça-feira (30), no Museu Nacional da República, em Brasília.

Ministro Marcelo Calero se reuniu com representantes do Fórum Brasileiro pelos Direitos da Cultura (Foto: Janine Moraes/Ascom MinC).

Ministro Marcelo Calero se reuniu com representantes do Fórum Brasileiro pelos Direitos da Cultura (Foto: Janine Moraes/Ascom MinC).

O documento com as sugestões apresenta pontos debatidos pelo Fórum com representantes de 80 instituições e entidades de classe ligadas à cultura de várias partes do Brasil. Das pautas referentes ao Ministério da Cultura (MinC), o destaque é a Lei Rouanet.

Durante o encontro, o vice-presidente da Associação de Produtores Teatrais Independentes, Odilon Wagner, destacou que a Lei Rouanet tem um papel fundamental no financiamento da cultura no País, mas avaliou serem necessárias melhorias e o aprofundamento da governança e transparência do mecanismo.

A opinião é compartilhada pelo ministro Marcelo Calero, que acredita ser natural um processo de atualização da legislação após 25 anos da sua criação. “A reforma da Lei é uma tarefa complexa e precisamos ouvir outros interlocutores, as demandas da sociedade, assim como estamos fazendo aqui”, afirmou.

A revisão da Lei Rouanet passa pela necessidade de atualizá-la à luz de um novo marco regulatório. Atualmente, apenas está em franco funcionamento. As outras ferramentas previstas na lei – Fundo Nacional da Cultura (FNC) e Fundos de Investimento Cultural e Artístico (Ficart) – não são operacionais, o que acaba contribuindo para que haja distorções na distribuição regional dos recursos. Segundo Calero, é preciso fortalecer o FNC e criar o ambiente para a implementação do Ficart.

O ministro considerou as propostas apresentadas pelo Fórum muito oportunas no momento de resgate de um bem de primeira necessidade para o povo brasileiro, como a cultura. “Nossas tarefas no Ministério são complexas. Precisamos de uma agenda de entregas. O documento apresentado vem ao encontro dos objetivos da nossa gestão e, acima de tudo, refletem demandas concretas de uma classe artística pujante”, frisou Calero.

Reformulação da Funarte

Outra pauta do Fórum apresentada ao ministro da Cultura foi a reformulação da Funarte. “Buscamos quase que uma refundação da Funarte. Há quase um consenso em resgatar sua capacidade operacional e a busca pela perenidade dos recursos para uma política consistente de formação, difusão e fomento ao artista brasileiro”, destacou o ministro.

As propostas do Fórum se basearam em eixos de trabalho e foram apresentadas pelos colaboradores de cada grupo, que agradeceram a disponibilidade do ministro ao diálogo com os diversos setores. Também debatido pelo Fórum, outro assunto caro à administração de Calero é a Economia da Cultura, tanto que uma das primeiras ações da nova gestão foi a criação de uma secretaria para a área.

“Estamos dispostos a trabalhar em sinergia com a secretaria do Ministério para fortalecer a política pública. O objetivo é viabilizar e dar visibilidade aos projetos culturais como vetor de desenvolvimentos social e econômico do Brasil”, destacou Antenor Neto, representante da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

Lara Aliano
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share

Funarte disponibiliza catálogo on-line de seu acervo e canal de atendimento

CrH2KLPWcAA1InVA partir do dia 29 de agosto, os usuários do Centro de Documentação e Pesquisa da Fundação Nacional de Artes (Cedoc – Funarte) poderão acessar o catálogo on-line da instituição, através da base de dados Sophia. O terminal será mais um canal de atendimento ao público interessado na pesquisa em arte.

O projeto de implantação do software e migração de dados é fruto de um esforço coletivo, que durou pouco mais de um ano e mobilizou todos os técnicos do Cedoc e a Divisão de Informática da Funarte.

Como importante instrumento de pesquisa, o Sophia possibilitará a consulta do público ao acervo, bem como sua maior divulgação, além da prestação de alguns serviços para usuários cadastrados – como reserva de livros e renovação de empréstimos. Dentre outros recursos, os pesquisadores, estudantes e demais interessados poderão: consultar, de forma atualizada, a relação das últimas aquisições do Cedoc; cadastrar seus perfis de interesse e desta forma receber por e-mail os títulos das publicações e autores de sua preferência, bem como sugerir a aquisição de novas obras.

A base de dados possui também um repositório digital, que tornará acessíveis cerca de 35 mil objetos digitais, dentre fotografias, desenhos, cartazes e outros documentos, num total de quase 10 terabytes de conteúdo digital.

A disponibilização do catálogo é a terceira etapa de um processo, que atende também a meta 34 do Plano Nacional de Cultura. Nela está prevista a modernização de 50% das bibliotecas públicas, em concomitância com as diretrizes do PNC, que determinam providências como a ampliação do emprego de tecnologias –.

Acesse aqui o Sistema Sophia

Mais informações
Centro de Documentação e Informação – Funarte
cedoc@funarte.gov.br

Share

Orquestra Criança Cidadã comemora 10 anos em concerto oficial no Parque Dona Lindu em Recife

A Orquestra Criança Cidadã comemora na próxima sexta-feira (2), os dez anos de atividades com um concerto oficial no Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem. Na ocasião, haverá o lançamento do CD/DVD intitulado Bach por Orquestra Criança Cidadã e Yoko Kubo. Os ingressos são totalmente gratuitos e limitados. A retirada das entradas deverá ser feita uma hora antes da apresentação, na bilheteria do teatro. Estão confirmados para o repertório, a Sinfonia n° 9 “Do novo mundo”, do compositor tcheco Antonin Dvorák (1841-1904), e Introdução e rondó caprichoso, do francês Camille Saint-Saëns (1835-1921), com participação especial da violinista japonesa Yoko Kubo, além de obras populares.

LFL_5590

Divulgação

Orquestra Criança Cidadã – gerida pela Associação Beneficente Criança Cidadã, com incentivo do Ministério da Cultura via Lei Rouanet –  atende 330 jovens, com idade entre quatro e 21 anos, da comunidade do Coque, no Recife, e do distrito de Camela, no município do Ipojuca. O próximo compromisso internacional da Orquestra será no mês de dezembro, em Nova Iorque, dentro da programação oficial de 70 anos da Unicef, no plenário da ONU.

LFL_5122

Divulgação

O projeto foi idealizado, em 2006, pelo juiz de Direito João José Rocha Targino, em parceria com o maestro Cussy de Almeida e, em uma década de atuação, alcançou qualidade técnica e projeção nacional e internacional, realizando apresentações memoráveis. Entre elas, os concertos para o Papa Francisco, no Vaticano, e para o primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, em Lisboa, ambos em 2014; além da gravação do primeiro CD/DVD, em Roma, em parceria com a violinista japonesa Yoko Kubo, no ano de 2015.

 

SERVIÇO:

Concerto em comemoração aos 10 anos da Orquestra Criança Cidadã
Quando: 02 de setembro às 19:30hs
Onde: Teatro Luiz Mendonça (Parque Dona Lindu, Av. Boa Viagem)
Quanto: Gratuito
Classificação: Livre

Share

‘Soledad’ comemora um ano nos palcos de Pernambuco

Resultado da compreensão do papel da arte como instrumento de resistência e reinvenção humana, mas também diante da atual e conturbada conjuntura política do país, o Grupo Cria do Palco, responsável pela montagem do espetáculo Soledad – a terra é fogo sob nossos pés, decidiu comemorar o primeiro aniversário da obra no palco. A peça volta ao Teatro Hermilo Borba Filho, onde estreou e fez sua primeira temporada. Serão realizadas duas únicas apresentações, sempre às 20h, nos dias 01 e 02 de setembro. No primeiro dia, após a encenação, ex-prisioneiros políticos, militantes da época e pessoas que contribuíram com o processo de montagem serão homenageadas. Na ocasião, também serão comemorados os 37 anos da anistia brasileira.

Ex-presos políticos e colaboradores do espetáculos serão homenageados após a apresentação. | Rick Rodrigues/Divulgação

Ex-presos políticos e colaboradores do espetáculos serão homenageados após a apresentação. | Rick Rodrigues/Divulgação

O enredo da peça aborda a história da militante paraguaia Soledad Barrett Viedma, que nasceu em 1945. Seus pais e irmãos mais velhos já eram militantes e dedicavam quase que integralmente suas vidas à luta. Sua história é desenhada em meio aos embates sócio/políticos de sua família. Os exílios políticos faziam parte da sua vida desde muito nova. Antes dos 12 anos foi do Paraguai à Argentina. Em seguida, voltou ao Paraguai e ainda criança começou a levar recados de sua mãe aos dirigentes comunistas. Posteriormente foi mais uma vez foi exilada, dessa vez para o Uruguai. Aos 17 anos, com toda a família finalmente reunida é sequestrada por um grupo de neonazistas, que gravam a suástica em suas pernas. Logo depois do episódio, segue para a Rússia, onde estudou teorias comunistas, e em 1967 vai para Cuba, treinar para a luta armada. É quando se casa com o ex-marinheiro brasileiro, José Maria Ferreira de Araújo, com quem teve uma filha, Nasaindy Barrett de Araújo. Em meados de 1970, José Maria retorna ao Brasil e no mesmo ano é entregue, preso e torturado até a morte. Cerca de dois anos depois, em meio a uma missão no Brasil, Soledad também foi entregue, junto a outros cinco militantes, pelo seu então “companheiro”, o infiltrado da Polícia, Cabo Anselmo. Ela estava grávida dele.

De acordo com Malú Bazan, diretora do espetáculo, “o trabalho partiu da inquietação e do desejo da atriz Hilda Torres em contar essa história”. Desde o inicio, “o projeto contou com a ajuda de muitas pessoas: ex-prisioneiros políticos, militantes da época que tiveram contato com Soledad, ou não, além de parentes e compatriotas paraguaios, também recebeu o apoio de militantes contemporâneos, que entenderam a relevância do projeto como contribuição importante para diversas lutas sociais, como as de gênero, direitos humanos e a do entendimento da arte como instrumento de formação e empoderamento sociopolítico e cultural”.

Para Hilda Torres, “falar sobre Soledad é traçar um caminho de poesia onde a dor e a alegria estão juntas, seguindo em marcha para erguer ideais libertadores”. A atriz complementa: “falar sobre ‘Sol’ é falar de um pedaço de todos nós, que nos impulsiona diariamente a enfrentar, resistir, sem nunca abrir mão do brilho nos olhos ao imaginar um mundo melhor, com direitos iguais para todos e todas, na compreensão das nossas diferenças”.

SERVIÇO:

Soledad – A terra é fogo sob nossos pés | Apresentações comemorativas
Quando: Dias 01 e 02/09 (sempre às 20h)
Onde: Teatro Hermilo Borba Filho – Cais Apolo, s/n , Bairro do Recife
Contato: (81) 3355.3321
Quanto: R$ 30,00 e R$15,00
Duração: 1h10
Classificação: 14 anos

FICHA TÉCNICA:

Dramaturgia: Hilda Torres e Malú Bazán
Atuação: Hilda Torres
Direção: Malú Bazán
Cenário e figurino: Malú Bazán
Desenho de luz: Eron Villar
Direção musical: Lucas Notaro
Produção geral: Márcio Santos
Produção executiva: Renato Barros
Realização: Cria do Palco
Fotografias: Rick de Eça

 

Share

Ceará: Com apoio da Secult, primeira edição do Festival Sinfonia.Br acontece em Setembro

festival sinfonia br_flyer capa

Comemorando três anos de atividades, o Sistema Brasileiro de Bandas e Orquestras – Sinfonia.Br, realiza de 2 a 4 de setembro, no Cineteatro São Luiz, o Festival Sinfonia.Br, com ações formativas voltadas para estudantes de instituições que trabalham com música no Ceará, concertos e concursos de composição de orquestra e banda de música.

A abertura oficial do evento acontece no dia 2/9, às 09h, no auditório da Secult Ceará, onde o Quarteto Cearense (UFC), fará um pocket show. Em seguida, haverá mesa-redonda com o tema “A educação musical no Ceará: novas perspectivas para bandas e orquestras”, com a participação de Alfredo Barros (Uece), Liu Ying (UFC), Adriano Martins (Sinfonia.br) e Arley França (Instituto Beatriz e Lauro Fiuza).

No período da tarde, haverá a apresentação do Sax in Cena, abrindo programação no Cineteatro São Luiz, seguindo com duas oficinas no auditório “Práticas de Percussão Corporal”, com Rodolfo Ricardo, destinada a alunos de escolas públicas da região metropolitana de Fortaleza e “Abordagens metodológicas para o ensino coletivo de cordas friccionadas”, com Liu Ying, voltada para professores e músicos de nível avançado, interessados no ensino coletivo de instrumentos de cordas friccionadas.

Encerrando o primeiro dia de festival, sobem ao palco a Orquestra Jacques Klein, do Instituto Beatriz e Lauro Fiuza, às 18h30, e a Orquestra de Sopros de Pindoretama, às 20h.

Programação do sábado, 3/9

No sábado, 3/9, às 14h, tem o grupo Siará Quarteto abrindo as atividades. Alunos de música iniciantes ou de nível intermediário podem participar da oficina “O repertório para violino na música ocidental”, com Paulo Leniuson (Orquestra Eleazar de Carvalho). “O ensino da viola no século XXI”, é o tema da oficina de Camila Meirelles, professora de viola na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), tendo como público professores e estudantes interessados no ensino de viola.

Tradicionais grupos como Trio Nepomuceno (18h), Camerata de Cordas da UFC (18h45) e a Banda Sinfônica da UFC (19h30), fecham a programação do sábado em grande estilo.

Atrações do domingo

A oficina “A utilização do ar na prática de instrumentos de sopro/metais”, com Radegundis Tavares (professor de Trompa da UFRN), voltada para professores e instrumentistas de sopro e metais, acontece no domingo, 4/9, último dia do Festival Sinfonia.Br, que encerra com o lançamento da Orquestra Contemporânea Brasileira, sob a regência do maestro Arley França, tendo como solista convidado um dos maiores e mais conhecidos nomes da música de câmara atualmente, o flautista Marcelo Leite.

A Orquestra Contemporânea Brasileira é fruto do Sistema Brasileiro de Bandas e Orquestras – Sinfonia.Br e, em sua primeira temporada, será composta por músicos da Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Rio Grande do Sul e São Paulo.

A ideia é que a orquestra se apresente por temporadas e cumpra seu papel de intercâmbio com estudantes e professores de todo o país.

Sobre o SINFONIA.BR

Sediado no Ceará e criado em 2013, o Sinfonia.br (Sistema Brasileiro de Bandas e Orquestras) é uma instituição cultural que tem por objetivo promover a educação musical de crianças e jovens, democratizando também o acesso da população à música de concerto. Inspirado no “El Sistema” venezuelano e idealizado pelos maestros cearenses Arley França e Adriano Martins, o Sinfonia.br surgiu a partir da sistematização da experiência formativa musical desenvolvida pelos músicos na Orquestra de Sopros de Pindoretama, no litoral leste do Ceará.

Os intercâmbios realizados pelo maestro Arley França em instituições como Instituto Guido Alberto Fano (Itália), Canford School of Music (Inglaterra) e Pittsburg State University (Estados Unidos) foram essenciais para a ampliação do programa, que inicialmente contemplava apenas bandas de música (instrumentos de sopro) e atualmente mantém ações voltadas também para orquestras (instrumentos de cordas, sopros e percussão).

O projeto prioriza a troca de experiência entre gestores de escolas de música, estudantes de música e músicos profissionais, tendo como foco a gestão, formação musical e difusão de bandas de música e orquestras infanto-juvenis. Através de seus idealizadores, o Sinfonia.br colaborou para a implementação de várias bandas e orquestras em cidades do interior do Ceará, em Fortaleza e no Amapá.

Atualmente, a instituição é coordenada pelo maestro Adriano Martins, regente titular da Orquestra de Sopros de Pindoretama, contando desde 2015 com o apoio do violinista Paulo Leniuson, spalla e regente assistente da Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho. Outros maestros brasileiros decidiram apoiar a iniciativa e, em 2017, o programa levará suas ações para os estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro.

Além da Orquestra de Sopros de Pindoretama, que já representou o Brasil em festivais na Alemanha e na Noruega, integram o Sinfonia.br a Orquestra Alberto Nepomuceno, Orquestra  Sinfonia.br, Banda Sinfônica Jovem do Ceará e  Orquestra Sinfônica Infanto-juvenil de Pindoretama.

Sobre os prêmios de composição

Com objetivo de valorizar a produção de obras musicais de compositores brasileiros, o Festival Sinfonia.br lança os Prêmios Liduíno Pitombeira de Composição, para Orquestra, e Francisco José Costa Holanda de Composição, para Banda de Música. Os prêmios homenageiam os compositores cearenses Liduíno Pitombeira e o maestro Costa Holanda, músicos contemporâneos e renomados nos cenários nacional e internacional.

O regulamento completo referente aos prêmios de composição pode ser acessado no endereço www.sinfoniabr.org .

PROGRAMAÇÃO FESTIVAL SINFONIA.BR

2/09 – Sexta

Auditório da Secult

9h00 – Solenidade de Abertura

9h15 –  Quarteto Cearense

9h30 – Coffee Break

9h45 – Mesa Redonda “A educação musical no Ceará: novas perspectivas para bandas e orquestras”, com a participação de Alfredo Barros (UECE), Liu Ying (UFC), Adriano Martins (Sinfonia.br) e Arley França (Instituto Beatriz e Lauro Fiuza).

Cineteatro São Luiz – Auditório

14h – Sax in Cena

14h20 a 16h00 –  Oficina “Apreciação Musical”, com Rodolfo Ricardo

(Destinada a alunos de escolas públicas da região metropolitana de Fortaleza)

16h00 às 17h40 – Oficina “Abordagens metodológicas para o ensino coletivo de cordas friccionadas”, com Liu Ying

(Destinada a professores e músicos de nível avançado, interessados no ensino coletivo de instrumentos de cordas friccionadas)

Cineteatro São Luiz – Palco

18h30 – Orquestra Jacques Klein

20h00 – Orquestra de Sopros de Pindoretama

3/09 – Sábado

Cineteatro São Luiz – Auditório

14h – Siará Quarteto

14h20 às 16h00 – Oficina “O repertório para violino na música ocidental”, com Paulo Leniuson

(Destinada a alunos de nível iniciante e intermediário)

16h00 às 17h40 – Oficina “O ensino da viola no século XXI”, com Camila Meirelles

(Destinada a professores e estudantes interessados no ensino de viola)

Cineteatro São Luiz – Palco

18h00 – Trio Nepomuceno

18h45 – Camerata de Cordas da UFC

19h30  – Banda Sinfônica da UFC

4/09 – Domingo

Cineteatro São Luiz – Auditório

15h20 às 17h00 – Oficina “A utilização do ar na prática de instrumentos de sopro/metais”, com Radegundis Tavares

(Destinada a professores e instrumentistas de sopro/metais)

Cineteatro São Luiz – Palco

18h00 – Orquestra Contemporânea Brasileira – Regência, Arley França

Solista convidado, Marcelo Leite (Flauta)

SERVIÇO

I FESTIVAL SINFONIA.BR

Quando: 02 a 04 de setembro

Onde: Cineteatro São Luiz (Rua Major Facundo, 500 – Centro l Fortaleza – CE)

Informações: www.sinfoniabr.org

ACESSO GRATUITO

Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (SECULT-CE)

Share

Diretoria de Teatros de Alagoas (Diteal) promove Identidade Alagoana no dia 2 de setembro

Teatro, música, artesanato e exposições fazem parte do IX Encontro Artístico Identidade Alagoana, uma realização da Diretoria de Teatros de Alagoas (Diteal) e Identidade Alagoana, que será realizado no dia 2 de setembro, a partir das 18h, no Complexo Cultural Teatro Deodoro, com entrada franca.

A noite começa com a tradicional feira de produtos do artesanato alagoano, no estacionamento do Complexo Cultural, com a presença de Vânia Oliveira, artesã mestre, Patrimônio Vivo do Estado de Alagoas.

Exposição Amostra Grátis traz obras de artistas visuais que foram retratadas pelas lentes do fotógrafo Pablo de Luca (Divulgação)

Exposição Amostra Grátis traz obras de artistas visuais que foram retratadas pelas lentes do fotógrafo Pablo de Luca (Divulgação)

Em seguida, será aberta a exposição Revelando o Palco do fotógrafo João Erisson, no Café da Linda, composta de fotografias de grandes protagonistas da cultura alagoana, que passaram pelos palcos dos teatros Deodoro e Arena.

Isso acompanhado de uma intervenção poética da Confraria, Nós Poetas. Já no Teatro de Arena será apresentado o espetáculo Zelodaro Come Pano, do dramaturgo e professor Luiz Sávio de Almeida, com direção de Ana Sofia.

E a música encerra as atividades do IX Encontro Artístico Identidade Alagoana, com o Coletivo Afrocaeté, o músico Júlio Úça e a banda Messias Elétrico. Quem participar do evento pode ainda visitar as exposições Amostra Grátis e 3 em UMA.

A primeira traz obras de artistas visuais que foram retratadas pelas lentes do fotógrafo Pablo de Luca. Além de serem vistas pelo lado de fora do prédio, elas estão expostas no interior do Complexo Cultural. Quem entrar no local, ainda leva como brinde um cartão-postal com o trabalho dos artistas.

Já a exposição 3 em UMA, de Myrna Maracajá, possui três facetas, divididas pelos temas Filhas de Eva, Índios e Miniaturas.

PROGRAMAÇÃO DO IX ENCONTRO ARTÍSTICO

COMPLEXO CULTURAL:

18h às 21h – Visitação exposições Amostra Grátis e 3 em UMA

ESTACIONAMENTO:

18h – abertura da Feira de Artesãos

PALCO 01: CAFÉ DA LINDA

18h30 – abertura da exposição Revelando o Palco

18h30 – Confraria Nós Poetas.

PALCO 02: TEATRO DE ARENA SÉRGIO CARDOSO

19h – Zelodaro Come Pano

PALCO 03: ESTACIONAMENTO

20h – Júlio Uçá

20h30 – Coletivo AfroCaeté

21h –  Messias Elétrico

IX Encontro Artístico Identidade Alagoana

Local: Complexo Cultural Teatro Deodoro
Data: 2 de setembro
Horário: 18h
Realização: Diretoria dos Teatros de Alagoas ( Diteal) e Identidade Alagoana

Apoio: Café da Linda

Regina Martins e Assessoria
Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas – SECULT/AL

Share