MIMO 2016 anuncia novas atrações da programação para Olinda

A MIMO divulgou novos destaques da programação musical de sua 13ª edição, que acontece em Olinda (18 a 20 de novembro), Tiradentes (7 e 8 de outubro), Ouro Preto (8 e 9 de outubro), Paraty (RJ, 14 a 16 de outubro) e Rio de Janeiro (11 a 13 de novembro). Para a etapa realizada na cidade mãe do festival, Olinda,  os noves nomes são: Sons of Kemet (UK), Mário Laginha e Pedro Burmester e Bixiga 70.

Foto: Divulgação

Divulgação

A banda paulistana Bixiga 70 toca pela primeira vez no festival

Com um som contagiante, que vai do jazz ao groove, a banda paulistana Bixiga 70 toca pela primeira vez no festival, após duas turnês europeias bem-sucedidas, que renderam apresentações em importantes festivais como Glastonbory, no Reino Unido; e Jazz à Vienne, na França. No MIMO, o Bixiga apresentará o disco The Copan Connection: Victor Rice meets Bixiga 70.

Já o arrebatador grupo britânico Sons of Kemet, liderado pelo saxofonista, clarinetista e compositor Shabaka Hutchings,  apresentará quatro estrelas da atual cena do jazz do Reino Unido. O grupo reúne ainda Theon Cruz, na tuba, Seb Rochford e Tom Skinner, na bateria. A formação inusitada produz uma mistura revolucionária de música, que se estende pelo jazz, rock e dub.

Foto: Divulgação

Divulgação

Grupo britânico Sons of Kemet é um dos destaques da programação

Num concerto exclusivo a quatro mãos e dois pianos, os aclamados pianistas portugueses Mário Laginha e Pedro Burmester unirão seus talentos para apresentar obras clássicas e de autores como João Paulo Esteves da Silva, Pixinguinha e Aaron Copland.

Além dos citados, já foram confirmados Totó La Momposina, símbolo da música tradicional colombiana; e Pat Thomas & Kwashiru Area Band. Ele é o maior representante do highlife, gênero musical popular que nasceu nos anos de 1920 no Gana, Serra Leoa e Nigéria, espalhou-se para outros países e influenciou diretamente o surgimento do afrobeat.

Se firmando como uma experiência musical abrangente e inovadora, que une gerações e respeita as diferentes culturas, a MIMO recebe, este ano, cerca de 50 concertos, além de 27 filmes inéditos, poesia, workshops e palestras.

Divulgação

Divulgação

Pianistas portugueses Mário Laginha e Pedro Burmester apresentam concerto exclusivo em Olinda

Share

Divulgada a lista de artigos selecionados para revista Musas nº 7

14494669_925323220906276_3699293859970918081_nFoi definido o resultado da chamada pública destinada à seleção de artigos para a sétima edição da revistaMusas – periódico publicado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) que reúne reflexões de caráter interdisciplinar sobre museus e museologia, experiências museais e cenário cultural, divulgando textos, pesquisas e ações no campo museológico.

A seção Artigos da revista publica trabalhos que versem sobre Museologia, Antropologia, Arqueologia, Arquitetura, Arte, Ciência, Educação, Expografia, História, Restauração, Sociologia e demais assuntos que envolvem museus.

Para esta edição, foram selecionados dez artigos, número máximo definido pelo edital. Confira abaixo a lista de selecionados da chamada pública para a seção “Artigos” da Musas: Revista Brasileira de Museus e Museologianº 7 (em ordem alfabética):

Alejandra Saladino
Aline Dias Kormann e Giane Maria de Souza
Clovis Carvalho Britto
Elaine Cristina Ventura Ferreira
Francislei Lima da Silva
Juliana da Costa Ramos
Marcelo Lages Murta e Mario de Souza Chagas
Rita Morais de Andrade
Tayna da Silva Rios
Thiago Consiglio

A equipe editorial da publicação informa que entrará em contato com os selecionados, por email, a partir de hoje. Confira as edições anteriores da Musas: Revista Brasileira de Museus e Museologia.

Share

Inscrições abertas para o Prêmio Funarte de Composição

XXI-Bienal-de-Musica-Brasileira-Contemporanea.-Abertuara-10.10.-Theatro-Municipal-Rio.-Orquestra-Juvenil-da-Bahia-Neojiba.-Foto-S.-S.-Castellano_FunarteO Prêmio Funarte de Composição Clássica está recebendo partituras inéditas até o dia 13 de outubro. No concurso, serão selecionadas 45 obras para compor o repertório da XXII Bienal de Música Brasileira Contemporânea, a ser realizada pela Fundação Nacional de Artes (Funarte) em outubro de 2017.

De acordo com Flavio Silva, coordenador de música erudita da Funarte, o prêmio revela talentos e reconhece profissionais que já tem experiência comprovada. “Os participantes têm um bom nível. O concurso é uma iniciativa importante para escolher as obras que vão para a bienal, realizada desde 1975”, destaca. “Desde 2004, o prêmio funciona no formato atual. Conseguimos fazer com que os compositores recebessem prêmios em dinheiro, o que dá a eles reconhecimento não apenas moral, mas também financeiro. E nossos prêmios estão entre os melhores”, ressalta o coordenador.

No edital, estão contempladas uma obra para orquestra de câmara, com prêmio de R$ 22 mil; seis peças para orquestra de cordas (R$ 18 mil); 10 partituras para conjuntos de seis a dez intérpretes (R$ 17 mil); 12 obras para conjuntos de três a cinco intérpretes (R$ 12 mil); e 16 peças para solista ou duo (R$ 11 mil). “Uma comissão de seleção formada por 11 regentes e compositores de todo o Brasil reúne-se no Rio para escolher as obras”, explica Flavio.

Também integrarão o repertório da XXII Bienal de Música Brasileira Contemporânea outras 15 obras, encomendadas a compositores selecionados por uma comissão eleitoral de dez intérpretes, de notório saber, escolhidos pela Funarte. São eles: Aloysio Fagerlande, André Cardoso, Celina Szrvinsk, Erick Magalhães de Vasconcelos, Fabio Mechetti, Fabio Presgrave, Freddy Gerling, Guilherme Mannis, Luís Afonso Montanha e Roberto Tibiriçá.

A seleção realizada por esses músicos contemplou os compositores Aylton Escobar, Dimitri Cervo, Edino Krieger, Edson Zampronha, Eli-Eri Moura, Ernani Aguiar, João Guilherme Ripper, Liduino Pitombeira, Marisa Rezende, Marlos Nobre, Oiliam Lana, Paulo Costa Lima, Ricardo Tacuchian, Ronaldo Miranda e Wellington Gomes.

As propostas deverão ser encaminhadas, juntamente com a ficha de inscrição e a documentação solicitada, para o seguinte destinatário:

Prêmio Funarte de Composição Clássica 2016
Centro da Música / Fundação Nacional de Artes – Funarte
Rua da Imprensa 16, sala 1308

20030-120 – Rio de Janeiro (RJ)

Mais informações sobre o edital podem ser obtidas pelo e-mail clássicos@funarte.gov.br.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share

Praças históricas de Sobral (CE) são entregues à comunidade

praca_samuel_pontes_395Dois espaços de convivência com valor cultural inestimável voltarão a fazer parte da vida social de Sobral (CE), como resultado do PAC Cidades Históricas, programa do governo federal. As Praças Senador Figueira e Samuel Pontes foram requalificadas e foram entregues à população nesta quarta-feira (28). Os espaços públicos integram o conjunto arquitetônico e urbanístico da cidade, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no ano 2000.

senador_figueira_3

A cerimônia de entrega dos bens foi realizada às 18h, com a presença da presidente do Iphan, Kátia Bogéa, do prefeito de Sobral, José Clodoveu de Arruda Neto, do diretor do PAC Cidades Históricas, Robson de Almeida, e da superintendente do Iphan no Ceará, Geovana Cartaxo de Arruda. O evento terá início na Praça Senador Figueira, com o descerramento da placa de inauguração, e em seguida a comitiva seguirá a pé para a Praça Samuel Pontes, onde as autoridades presentes discursarão.

Foram investidos mais de R$ 1,3 milhão do PAC Cidades Históricas e R$ 200 mil de recursos da Prefeitura de Sobral, que executou as obras. Os trabalhos compreenderam a substituição da pavimentação, instalação de sistema de irrigação automatizado, reparo na rede hidráulica e execução da instalação elétrica. Além disso, o projeto de urbanização e paisagismo inclui gramado, bancos de concreto armado, cabines telefônicas, mesas de jogos e um busto em homenagem a Samuel Pontes. A Praça Samuel Pontes também terá um playground com brinquedos para crianças.

Praça Senador Figueira

Construída no final do século XIX, no centro da cidade, a Praça Senador Figueira foi durante muitas décadas o espaço de lazer preferido dos sobralenses. A denominação é uma homenagem a Jerônimo Martiniano Figueira de Melo (1809-1878), sobralense que atuou na política pelo desenvolvimento do Ceará e na produção acadêmica como historiador reconhecido, com inúmeros trabalhos publicados, notadamente a Crônica da Rebelião Praieira (1850). Em 1868, Figueira de Melo fez uma significativa doação para as autoridades municipais de Sobral aplicarem no embelezamento da cidade. Os recursos foram utilizados na confecção de uma planta urbanística e na restauração da praça.

Na década de 1960, o espaço passou por um período de relativa decadência, tendo sido recuperado em 1977 e, mais uma vez, vinte anos depois, em 1997. Agora, com a requalificação, a praça recebeu investimentos de R$ 900,5 mil.

Praça Samuel Pontes

Homenagem ao empresário sobralense e colaborador de Dom José Tupinambá da Frota, Samuel Pontes, o espaço público faz parte do conjunto de praças que equilibra as áreas privadas e públicas do centro de Sobral. O local é reconhecido como importante conexão externa à área de tombamento, assim como contribui para a clareza visual da paisagem, junto com a Igreja do Patrocínio. A requalificação da Praça Samuel Pontes foi realizada com o aporte de cerca de R$ 600 mil.

Sobral: Cidade Histórica

Os estilos artísticos art déco e vernaculares que prevaleceram durante o período colonial ainda estão inscritos na paisagem, história e memória da cidade cearense de Sobral. Sua importância não se dá somente pelas características artísticas e arquitetônicas, mas pelo valor atribuído pelos moradores, que nessas construções encontram sua relação com a cidade.

O conjunto arquitetônico e urbanístico de Sobral abrange uma área que se estende da margem do rio Acaraú à Rua Coronel Monte Alverne, onde estão inúmeros imóveis e espaços públicos. Dentre suas valiosas edificações remanescentes do século XVIII, estão o Teatro e a Praça São João, um conjunto de casas em estilo art nouveau, sobrados decorados com motivos greco-romanos e várias construções religiosas, como as igrejas da Sé e dos Pretinhos de Nossa Senhora do Rosário (construída por escravos).

Sobral foi palco (com a Ilha do Príncipe, em São Tomé e Príncipe, na costa da África) da comprovação da Teoria da Relatividade de Albert Einstein, pela Expedição Britânica do Eclipse Solar que, em 1919, constatou nos dois locais a distorção sofrida pela luz ao chegar à Terra. Um monumento na Praça da Igreja de Nossa Senhora do Patrocínio e o Museu do Eclipse são os marcos desse fato na cidade. O Museu do Eclipse também está contemplado no PAC Cidades Históricas.

PAC Cidades Históricas

O PAC Cidades Históricas é um avanço nas políticas culturais que viabiliza, por meio de investimentos juntos às prefeituras, a preservação do patrimônio cultural brasileiro, valorizando a cultura e promovendo o desenvolvimento econômico e social com sustentabilidade e qualidade de vida para os cidadãos. O Programa atua em 44 cidades, de 20 estados da federação, com a disponibilização de R$ 1,6 bilhão para obras públicas.

Serviço
Entrega de Praças Históricas de Sobral (CE)
18h – Cerimônia de descerramento da placa de reinauguração da Praça Senador Figueira.

Local: Rua Anahid Andrade, Sobral (CE).

Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)
Ministério da Cultura
Share

Teatro alternativo toma conta do Recife em outubro

Mais de 50 espetáculos teatrais irão movimentar o Recife de 3 a 29 de outubro com ingressos a preços populares. Trata-se do Outubro ou Nada – 1º Mostra de Teatro Alternativo do Recife, que vem pra solidificar um circuito alternativo, à margem dos palcos tradicionais. Catorze espaços vão acolher o público com mais de 24 companhias e coletivos, incluindo performances, ensaios abertos, estreias, rodas de diálogos e oficinas, aproximando mais de sessenta artistas pernambucanos em torno de uma mesma ideia: a questão da representatividade do teatro na nossa sociedade contemporânea.

Plínio Maciel abre seu baú de memórias afetivas em “Na Beira”, espetáculo que inaugura a Mostra no dia 3 de outubro

“Desde 2014, quando nós, artistas de teatro, escoamos nossos espetáculos em casas e apartamentos do Recife, vimos que é possível estarmos juntos, de forma independente, para mostrarmos nosso trabalho. Que não dá para ficar esperando. Este movimento foi tão forte e afetivo que desenvolvemos uma Mostra de Teatro Domiciliar e oferecemos ao Janeiro de Grandes Espetáculos, edição de 2015.  Assim também foi no 26º Festival de Inverno de Garanhuns (FIG 2016). Levamos propostas de espetáculos para espaços alternativos e conseguimos um diálogo riquíssimo com outros artistas e também com o público que circulou pelo evento. É necessário que, cada vez mais, parcerias como essas sejam feitas”, avalia Cleyton Cabral, um dos organizadores do evento.

Dentro desse contexto de resistência e mobilização, se observou a construção de uma agenda de apresentações e novos espetáculos. Outros espaços periféricos e edifícios foram sendo ocupados, andares inteiros abrindo suas portas e saudando os espectadores que chegam. Hoje é possível perceber diversos ciclos de valorização do Teatro Alternativo no Recife. Entre os  mais recentes, estão as iniciativas do movimento de teatro de grupo, que vem abrindo corajosamente suas sedes, a exemplo da Cia Fiandeiros, da Cênicas Cia. de Repertório, do Grupo Magiluth e d’O Poste.

Segundo Jorge Clésio, coordenador de Artes Cênicas da Secult-PE, que levou ao 26 º FIG seis apresentações do gênero, é muito instigante “perceber que o  movimento permanece organizado a ponto de desenvolver uma mostra com mais robustez na cidade do Recife. Essa inciativa foi acolhida no FIG de maneira embrionária. Recebemos 6 espetáculos na Casa Galeria Galpão. Era um pleito antigo da classe artística, que o festival comportasse essa demanda alternativa no teatro e foi possível trazer para o festival mesmo num contexto de contingenciamento. Foi um sucesso não só de público e crítica, mas de apreciação estética, influenciando até outros estados”, observa.

Laís Domingues

Laís Domingues

Teatro alternativo integrou a programação oficial do 26º FIG – Festival de Inverno de Garanhuns

Neste sentido, a 1º Mostra de Teatro Alternativo marca o momento atual de como as artes cênicas vêm acontecendo, apontando para o principal objetivo de reelaborar novos diálogos e relações com o público que aprecia e valoriza esta produção. Uma das características da Mostra é a multiplicidade das linguagens, grande parte delas periféricas, como uma forma de ressignificar o mapa cênico e reforçar a ideia de não fazer o teatro acontecer apenas nos espaços oficiais, mas por toda a cidade, até mesmo numa casa privada ou apartamento, como ocorreu na origem desse movimento.

Pela primeira vez, a maior parte da produção dos espetáculos independe dos editais. Não se tratam de ações isoladas de apenas um grupo ou companhia, mas um recorte muito significativo de artistas na sua maturidade de criações. ”A nossa resposta é um diálogo coletivo e ressoa em prol da proliferação e permanência desses espaços alternativos importantíssimos para a vitalidade da cena local, da valorização deste circuito alternativo que faz sustentar e estimular o teatro, nas suas múltiplas funções sociais, do próprio histórico do Movimento Teatro em Casa, que sempre pensou, defendeu e propagou essas questões”, acredita o artista e produtor Rodrigo Dourado.

Para conferir a programação completa do Outubro ou Nada – 1º Mostra de Teatro Alternativo do Recife, clique aqui. 

SERVIÇO
Outubro ou Nada – 1º Mostra de Teatro Alternativo do Recife
De 3 a 29 de outubro
Consulte locais, horários e valor de ingressos na página do evento

Share

Brasil de Todas as Telas divulga investimentos em cinema e TV

Logo BrTT_Rosto_04_10A Agência Nacional do Cinema (Ancine) e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) divulgaram uma nova lista de projetos para cinema e TV que receberão investimentos do Programa Brasil de Todas as Telas. São 16 projetos no total: nove longas-metragens para as salas de cinema (seis de ficção, dois documentários e uma animação), dois telefilmes, quatro séries documentais e uma série de ficção para veiculação na televisão por assinatura, que receberão um total de R$ 16,1 milhões em recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).

Pela Chamada Pública Prodecine 02/2013, na qual as distribuidoras apresentam projetos de produção de longas-metragens, foram cinco os contemplados: os documentários Proibido nascer no paraíso, de Joana Nin, apresentado pela Boulevard Filmes, e Jair Rodrigues – Deixa que digam, de Rubens Rewald, apresentado pela Elo Company; e os filmes de ficção Albatroz, de Daniel Augusto, apresentado pela Paris Filmes, Montanha Russa (Molambo), de Vinicius Reis, apresentado pela Pandora Filmes, e Argelino por acaso, de Karim Aïnouz, apresentado pela Gullane Entretenimento.

Três longas-metragens foram selecionados pela Chamada Pública Prodecine 03/2013 e receberão recursos para a fase de comercialização da obra. Foram contemplados dois filmes de ficção (Antes o tempo não acabava, de Sérgio Andrade e Fábio Baldo, e A cidade onde envelheço, de Marília Rocha) e um de animação (Bruxarias, de Virginia Curia).

Já a Chamada Pública Prodecine 04/2013, que investe na complementação de recursos, selecionou o projeto O beijo, com direção de Murilo Benício.

Sete projetos para a TV entre os contemplados

A operação também contemplou sete projetos destinados às grades de programação das TVs por assinatura. Pela Chamada Pública Prodav 01/2013, foram contemplados três projetos documentais com a primeira exibição prevista para o canal CineBrasilTV: as séries Brasil do povo, de Ugo Giorgeti, e Marcadas para morrer, de Belisário Franca, e o telefilme A idade da água, de Orlando Senna.

Outros dois projetos de teor documental estarão na programação do Canal Curta!: a série Balanço black, de Flavio Frederico, e o telefilme Em busca de Carlos Zéfiro, de Silvio Tendler. Com estreia prevista para o canal Prime Box Brazil, a série Retratos do cárcere, de Tatiana Sager, também figura entre os contemplados. Completa a lista de investimentos em conteúdo para TV, a série de ficção Toda forma de amor, de Bruno Barreto, para o Canal Brasil.

Agência Nacional do Cinema (Ancine)
Ministério da Cultura
Share

Edital seleciona OS de apoio à gestão da Cinemateca

cinemateca-internaComeçou na última segunda-feira (26) as inscrições para a seleção de uma organização social que irá gerir, durante um ano, as atividades da Cinemateca Brasileira, em São Paulo. O edital privilegia a capacidade técnica e operacional da organização na gestão de projetos culturais e a experiência no trato com a administração pública. Também contam pontos o plano para a preservação e divulgação do acervo. Podem participar da seleção pessoas jurídicas de direito privado, sem fins lucrativos, com natureza de associação civil ou fundação, cujas atividades sejam dirigidas à cultura. As inscrições devem ser feitas até às 17h do dia 17 de outubro de 2016.

A empresa selecionada será responsável por tarefas como identificação, classificação, descrição, catalogação, indexação, conservação e digitalização de itens documentais (livros, periódicos, recortes de jornal, documentos, cartazes e fotografias, dentre outros); restauração, confecção de matrizes de preservação e materiais de difusão e acesso; constituição e alimentação de base de dados informatizada; restauração física e de preparação para projeções de cópias de filmes; análise das características físicas de materiais audiovisuais em diferentes suportes e programação e operação de salas de exibição e espaços de exposição da Cinemateca Brasileira.

Poderão ser repassados anualmente à entidade selecionada e qualificada como organização social, de 2017 a 2019, até R$ 3,5 milhões, que deverão ser integralmente utilizados na realização das ações previstas no Programa de Trabalho apresentado pela entidade, com as devidas orientações e adaptações realizadas pela Secretaria do Audiovisual.

O edital, publicado na edição desta segunda-feira (26) do Diário Oficial da União, justifica a necessidade da contratação da organização social devido ao “crescimento exponencial da produção audiovisual brasileira, decorrente, em grande parte, dos investimentos públicos realizados no setor nos últimos anos”.

A seleção da organização social será feita por uma comissão técnica composta por servidores do Ministério da Cultura (MinC), a serem designados pelo secretário do Audiovisual, Alfredo Bertini. A abertura das propostas será no dia 18 de outubro, às 10h, na sede da Secretaria do Audiovisual, em Brasília, ou em outro local a ser previamente definido.

A avaliação dos candidatos levará em conta critérios como convergência entre as finalidades da entidade (conforme estatuto) com ações de produção, difusão, preservação e formação de mão de obra técnica no campo audiovisual; capacidade técnica da entidade e dos dirigentes e do representante legal da instituição – todos devidamente atestados.

Sobre a Cinemateca

Presente na estrutura do MinC desde 1984, a Cinemateca Brasileira é a mais antiga instituição de cinema do País, responsável pelo registro e pela guarda da produção intelectual cinematográfica e audiovisual nacional. Além disso, exerce atividades de restauro e preservação da produção cinematográfica nacional, cujo acervo conta com cerca de 200 mil rolos de filmes, entre longas, curtas e cinejornais.

Confira o Edital.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share

Oficina capacita empreendedores selecionados ao Micsul

CtZU9DhWcAARMGlO Ministério da Cultura (MinC), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), promoverá, em 5 e 6 de outubro, em São Paulo (SP), oficina com os 61 empreendedores que participarão da 2ª edição do Mercado de Indústrias Culturais do Sul (Micsul2016). Serão realizadas palestras, mesas redondas e workshops com objetivo de dar aos selecionados subsídios para obterem o melhor resultado possível durante o evento, que será realizado de 17 a 20 de outubro, em Bogotá, na Colômbia.

 “A ideia é que os empreendedores selecionados para o Micsul recebam noções de como atuar no mercado de negócios, de como se posicionar em rodadas de negócios da melhor forma possível para internacionalizarem seus negócios”, explica Andrea Guimarães, coordenadora de Promoção e de Exportações Culturais do Departamento de Promoção Internacional da Secretaria de Articulação e Desenvolvimento Institucional do MinC).

Criado por iniciativa dos Ministérios da Cultura de dez países sul-americanos (Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Peru, Paraguai, Uruguai e Venezuela) e destinado a micro e pequenos empreendedores, o Micsul é o principal encontro voltado a mercados culturais e criativos da América do Sul. O evento incentiva o consumo e a circulação cultural na região, além de impulsionar a venda e a comercialização de bens e serviços. A expectativa é que, neste ano, o MicSul reúna mais de 3 mil pessoas dos países da América do Sul participantes, além de compradores da América do Norte, Europa, Ásia e África.

Além de estandes institucionais, o evento contará com fóruns de discussão, rodadas de negócios, cafés setoriais, desfiles de moda, showcases de música e artes cênicas e sessões de pitching – nas quais são feitas apresentações curtas com objetivo de conquistar o interesse do investidor ou cliente.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share

Programa Ibercultura Viva lança três editais

CtTUkHyXYAEXUqHO programa ibercultura Viva iniciou na segunda-feira (19) as inscrições para três editais dedicados a divulgar experiências culturais de base comunitária: um para apoio a redes, outro para a seleção de textos a serem publicados em livro e um terceiro para escolha de vídeos de até um minuto sobre o papel fundamental das mulheres na cultura e na organização comunitária.

O Edital de Apoio a Redes 2016 destinará US$ 100 mil para 20 projetos em duas categorias (10 selecionados em cada categoria, com prêmio de até US$ 5 mil para cada). A categoria 1 é voltada para o apoio a eventos de redes nacionais e/ou regionais que tenham como objetivo a preparação para o 3º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária, a ser realizado em 2017, em Quito (Equador). A categoria 2 irá apoiar a realização de eventos de redes de cultura de base comunitária municipais, estaduais, nacionais ou regionais, incluindo encontros, congressos, seminários, festivais, feiras, colóquios e simpósios.

As inscrições do edital seguem até 31 de outubro. Os eventos devem ser realizados entre 1º de fevereiro e 31 de outubro de 2017. Saiba mais.

Seleção de textos

O segundo edital lançado nesta segunda-feira promoverá a seleção de textos sobre políticas culturais de base comunitária. Para contar um pouco da história da implantação do conceito de “cultura viva comunitária” adotado em vários países ibero-americanos desde 2004, será elaborado um livro. As inscrições estão abertas até 1º de dezembro.

Podem participar do edital pessoas físicas e grupos de qualquer país ibero-americano. Os artigos apresentados devem contar experiências da sociedade civil, relatadas por organizações que são ou tenham sido colaboradoras das políticas governamentais de cultura de base comunitária, além de pesquisadores relacionados com tais temas.

Os países ibero-americanos são Andorra, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

Os textos devem ter entre 1,5 mil e 5 mil palavras, estar escritos em espanhol ou português e ser de autoria da pessoa ou grupo que o assina. Clique aqui para mais detalhes sobre o edital. Para esta edital, não haverá prêmios em dinheiro.

Videominuto

O Concurso Videominuto Mulheres: culturas e comunidades recebe inscrições até 1º de dezembro. O objetivo do edital é dar visibilidade ao papel fundamental das mulheres na cultura e na organização comunitária, fazendo frente a atitudes e estereótipos que contribuem para a desigualdade de gênero e a violência. No valor total de US$ 5 mil, os prêmios serão de US$ 500 a cada um dos 10 vídeos com maior pontuação no processo de seleção.

Os vídeos devem ter duração máxima de um minuto e estar voltados ao público em geral, com classificação indicativa livre. Podem ser de qualquer gênero (documentário, ficção, animação etc.) e utilizar espanhol ou português, podendo inclusive ser realizados em linguagem de sinais.

De acordo com o edital, os vídeos deverão ser publicados em uma plataforma de divulgação gratuita, como Vimeo ou YouTube, em qualquer um dos formatos admitidos pela plataforma, com resolução mínima de 720 x 480 pixels, sob licença de direitos em Creative Commons. Saiba mais detalhes sobre o edital.

Sobre o Ibercultura Viva

Lançado em 2014, o IberCultura Viva é um programa de cooperação técnica e financeira voltado ao fortalecimento das culturas de base comunitária dos países ibero-americanos. Vinculado à Secretaria Geral Ibero-americana (Segib), tem como um de seus objetivos principais a promoção da criação de redes, alianças e intercâmbios para a ação conjunta entre sociedade e governos, propiciando o desenvolvimento de uma cultura cooperativa, solidária e transformadora.

Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, El Salvador, Espanha, México, Paraguai, Peru e Uruguai participam do programa.  O Brasil tem a presidência do Comitê Intergovernamental, por meio da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SCDC/MinC), para um mandato de três anos de duração, que se encerra em 2017.

Fonte de inspiração para políticas públicas culturais semelhantes em vários países, o Brasil teve forte atuação para a criação do programa, tanto do Poder Público como da sociedade civil. A Política Nacional de Cultura Viva tem o Programa IberCultura Viva como uma de suas principais instâncias de articulação em âmbito internacional.

“Trata-se de importante espaço de cooperação, intercâmbio e gestão compartilhada entre órgãos de governo dos países ibero-americanos que integram o Programa, e destes com a sociedade civil. O lançamento desses três novos editais em 2016 confirma a efetividade e relevância dele para os grupos, coletivos e entidades que atuam no campo da cultura de base comunitária, e colabora para a promoção das condições de exercício dos direitos culturais”, avalia a secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural do MinC, Renata Bittencourt.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share

Maranhão se prepara para a 44ª Abav Expo Internacional

2016.09.24-Foto3DestinosturisticosdoMaranhaosaodestaquenafeiradaABAV20151024x678Começa a contagem regressiva para um dos maiores eventos de Turismo do Brasil: a Abav Expo Internacional de Turismo, promovida pela Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav). Em sua 44ª edição, o evento mais uma vez contará com efetiva participação do Maranhão. Por meio da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo (Sectur), o Governo do Maranhão promoverá os principais destinos turísticos do estado de 28 a 30 de setembro, no Expo Center Norte, em São Paulo.

“A Abav é um dos eventos mais aguardados pelo segmento turístico, por sua abrangência e caráter estratégico. A dimensão do evento favorece a divulgação dos nossos polos turísticos e, consequentemente, amplia as possibilidades de negócios e incremento da economia local com a vinda crescente de turistas para o Estado”, explica o secretário adjunto de Turismo da Sectur, Hugo Veiga.

Na edição deste ano, a equipe da Sectur vai estruturar no evento um estande de 75 m², no formato de um casarão revestido de azulejo português, que fará alusão ao centro histórico de São Luís. Para o estande, está programada a presença de 16 empresas cooperadas, que irão participar do evento através da caravana proposta pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Abav/MA. Além do atendimento ao público visitante, no estande haverá a degustação de produtos típicos e distribuição de material promocional. Para aproximar ainda mais da cultura do Maranhão, haverá a interação com o público através de um artista caracterizado como Coreira e outro como Cazumbá.

Além disso, será ministrada uma palestra com o tema “Maranhão Terra das Águas”, que tem o objetivo de capacitar agentes de viagens de todo o país. No dia 29, o público vai conferir a exposição de fotografia “Divino e Seus Devotos”, assinada pelo jornalista Charles Eduardo. Durante a exposição, caixeiras do Divino vão ambientar os visitantes, neste que é um dos mais tradicionais festejos maranhenses.

A Abav

Realizada pela Associação Brasileira das Agências de Viagens – Abav, a Abav Expo Internacional de Turismo é a mais completa, tradicional e importante feira de turismo brasileira. Por estar presente nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal, a Associação consegue absorver as diferentes demandas de seus associados, e com isso, formatar uma feira para atender as necessidades do principal canal de distribuição de viagens no Brasil: as agências de viagens.

Em um mercado cada vez mais competitivo, participar da Abav Expo é estar em contato com os principais elementos que garantam competitividade ao agente de viagens: negócios, conhecimento e relacionamento.

Para se ter uma ideia da dimensão do evento, na edição de 2015, foram registradas a participação de 32.176 profissionais do setor, 3.121 marcas expositoras, 926 profissionais de imprensa e mais de 60 destinos internacionais em divulgação.

Share