Cultura nos Jogos Olímpicos e Paralimpícos

OlimpíadasEm 2016, os olhos do mundo estarão voltados para o Brasil. Entre 5 e 21 de agosto,  10,5 mil atletas de 206 países chegarão ao Rio de Janeiro para disputar 306 medalhas olímpicas. Em seguida, será a vez dos Jogos Paralímpicos, de 7 a 18 de setembro. Com estimativa de cerca de 5 bilhões de telespectadores, os dois megaeventos esportivos representam oportunidade única para deixar legado de maior desenvolvimento no País e mostrar ao mundo diferentes aspectos do Brasil, que incluem manifestações culturais, gastronômicas e turísticas. 

Com esse foco, o ministério da Cultura criou um Comitê Executivo responsável por organizar e implementar projetos e programações culturais durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016. O grupo, coordenado por Adriano de Angelis, assessor especial do ministro da Cultura, Juca Ferreira, se reuniu, pela primeira vez, nesta quinta-feira (2), em Brasília.

Durante o encontro, foram sugeridas atividades e linhas de trabalho em torno da promoção da Cultura pelo MinC para esses megaeventos.  Na ocasião, também foram propostos espaços para realização das diferentes programações culturais e definida a elaboração de um plano executivo com cronograma – com previsões de custos e atividades – a ser seguido pelo MinC para implementação de atividades.

Tocha Olímpica

Uma das ações do MinC para os grandes jogos esportivos diz respeito à promoção de atividades culturais nas cidades do revezamento da tocha olímpica e paralímpica, entre 4 de maio e 4 de agosto. “Cada cidade vai criar sua celebração com seus elementos turísticos e culturais mais emblemáticos”, comentou Adriano de Angelis. “A nossa sugestão é que as diferentes localidades trabalhem, se possível, com a valorização dos patrimônios materiais e imateriais; de grupos de cultura populares, de arte local, com artistas com deficiência, espetáculos inovadores, cultura negra e de periferia e eventos que valorizem a cultura alimentar e gastronomia típica”, exemplificou.

Outras ações

Outro ponto importante de trabalho é a programação artística cultural em diferentes espaços da cidade e nos equipamentos culturais das entidades vinculadas ao Ministério da Cultura, como a Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB), Fundação Biblioteca Nacional (FBN), Fundação Nacional de Artes (Funarte) e Museu Nacional de Belas Artes, entre outros. Além disso, existe a expectativa de outras diversas atividades na Casa Brasil, espaço de referência do governo federal no Rio de Janeiro, que também terá uma programação artística cultural.

Além de Adriano de Angelis participaram da reunião o presidente da Funarte, Francisco Bosco, a subsecretária de Planejamento, Orçamento e Gestão do MinC, Ana Flávia Leite,a coordenadora de cooperação e assuntos bilaterais da DRI, Elisabeth da Silva, o assessor especial do ministro Fred Maia, a coordenadora de comunicação integrada e assessora do ministro Helenise Brant e o chefe da Assessoria de Comunicação Social, José Flávio Maciel.

Comitê

O comitê tem representantes de diferentes áreas do Ministério da Cultura: Funarte, Secretaria Executiva, Assessoria de Comunicação Social, Diretoria de Relações Internacionais e Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Administração.

Além dessas áreas, Secretarias e Diretorias do Ministério e outras entidades vinculadas ao Sistema MinC também integrarão o Comitê, em Grupos de Trabalho especialmente designados.

Cecilia Coelho | Assessoria de Comunicação/Ministério da Cultura

Share
Este post foi publicado em Textos em por .

Sobre Ministério da Cidadania - Regional Nordeste

São ainda responsabilidade do Escritório Regional Nordeste: fornecer subsídios para a formulação e avaliação das políticas, programas, projetos e atividades da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social; a Secretaria Especial do Esporte; a Secretaria Especial de Cultura; auxiliar o Ministério da Cidadania na articulação com os órgãos federais, estaduais, municipais e entidades privadas, incluindo empresas, instituições culturais e o terceiro setor; atender e orientar o público quanto aos serviços prestados pelo Ministério; prestar apoio logístico e operacional aos fóruns de política cultural; exercer as atividades de ouvidoria; e exercer outras atividades determinadas pelo Ministro de Estado.