Infância valorizada nos CEUs: 144 espaços de cultura no País

pracas-ceus-interna

Os Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUs) – espaços implementados e apoiados financeiramente pelo Ministério da Cultura (MinC) em conjunto com prefeituras municipais desde 2010 – têm introduzido crianças e jovens de territórios de alta vulnerabilidade social no universo das artes em 137 municípios em 23 unidades federativas do País. De acordo com pesquisa inédita realizada pelo MinC em 2017, o público infanto-juvenil corresponde a 79% dos frequentadores dos 144 CEUs em funcionamento no Brasil. Em média 368 pessoas por semana participam das atividades programadas dos centros, que incluem oficinas de música, dança, leitura, capoeira, artesanato, informática, vôlei, futebol e skate.

“Um dos efeitos colaterais positivos dos CEUs nas comunidades é a ressocialização de crianças e adolescentes. É engajar as crianças e os jovens em atividades culturais que são lúdicas, atraentes e integradoras – elas ajudam a construir elos e vínculos que são fundamentais”, destaca o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão.

Além de oferecer acesso gratuito a programas e ações culturais, educacionais, socioassistenciais, esportivas e de lazer em um único espaço, os CEUs promovem a ampliação do acesso a direitos sociais, impulsionando a formação de grupos e aumentando as possibilidades de interação, criação de vínculos e troca de saberes. Assim, a integração da comunidade também pode ser observada a partir da instalação do centro e do funcionamento de suas atividades. Contribui para essa integração o fato de os centros terem, em sua estrutura física, a marca do livre acesso: o espaço aberto com paredes de vidro possibilita que quem está de fora perceba as atividades e movimentações de dentro e se sinta chamado a interagir. A pesquisa do Ministério da Cultura aponta, por exemplo, que 89% das Praças são utilizadas para ensaios, oficinas ou apresentações de grupos da comunidade, independente das atividades programadas. O levantamento mostrou ainda que 70% destes centros abrem também aos finais de semana e 71% funcionam nos três turnos.

“O espaço comunitário de cultura e lazer ofertado pelos CEUs tem sido, de fato, um importante elemento de educação e entretenimento para milhares de crianças inseridas em áreas socialmente carentes. As crianças, nos turnos de funcionamento desses equipamentos, têm atuado como participantes importantes das práticas culturais e esportivas. É foco, portanto, de atenção e compromisso desta gestão do MinC, na sua competência de ir além da obra física em si, garantir conteúdos que permitam um exercício ainda mais estimulante dessas atividades, para as quais as crianças são o alvo de um maior nível de envolvimento possível”, afirma o secretário de Infraestrutura Cultural, Alfredo Bertini.

Sobre os CEUS

Os Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUs) ou Praças CEUs fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) no Eixo Comunidade Cidadã. A realização das obras dos centros é feita pelas prefeituras e o MinC faz o monitoramento da execução. Depois de inaugurados, a gestão do local fica a cargo de um comitê composto por representantes do Poder Público municipal, da sociedade civil organizada (ONGs e Pontos de Cultura) e de moradores do local. Participaram da concepção do programa os ministérios do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão; do Trabalho e Previdência Social; da Justiça; do Esporte; do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; e o da Cultura.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*