ALAGOAS | Secult inaugura biblioteca comunitária na Unidade de Internação Feminina

3ee5e456b5c09244ecededb751818d92

“Não é todo mundo que abre o coração pra gente”, conta a jovem D.S. que atualmente cumpre medidas socioeducativas na Unidade de Internação Feminina. Ela e outras adolescente ganharam, na terça-feira (5), mais uma incentivo que impulsiona a vontade das adolescentes de mudar de vida. É que a Secretaria de Estado da Cultura (Secult) inaugurou uma biblioteca comunitária na UIF. A ação faz parte do projeto Cultura Socioeducativa, promovida pela Secult em parceria com a Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev).

“Já foram três bibliotecas inauguradas por meio do projeto Cultura Socioeducativa. Uma na unidade Santa Luzia, outra na unidade Kerigman e agora na UIF. As jovens participam semanalmente de atividades culturais, como as oficinas de origami, bordado e aulas de violão. A biblioteca vai ajudar, ainda mais, no desenvolvimento sociocultural dessas meninas”, afirma o superintendente de Formação e Difusão Cultural da Secult, Edlúcio Donato.

Para a supervisora da unidade, Samara Veluma, a ação foi um marco importante na vida das meninas. “As parcerias que temos feito com a Secult são de extrema importância para o funcionamento da Unidade. As meninas ficam ansiosas pelas oficinas e algumas delas só começaram a se desenvolver melhor por conta disso. A biblioteca não é apenas uma ação, é algo que veio pra ficar e mudar a vida dela e de outras que passarão por aqui”, explica. Para o Secretário Executivo da Seprev, Edvaldo Texeira, o dia também foi especial. “É a primeira vez que venho aqui e fiquei encantado com o valor que elas dão aos nossos projetos. É realmente transformador”, conta.

Reescrevendo Histórias

As jovens que fazem parte da Unidade montaram e organizaram o acervo, que conta com mais de 350 livros doados pelo Sistema Estadual de Bibliotecas, com a orientação da coordenadora do Sistema e da Biblioteca Pública Estadual Graciliano Ramos, Mira Dantas. As meninas também ficam responsáveis por controlar os empréstimos de livros e preservação deles.

e8518d970b3feee51e7c2e632ffeb0c6_L

Entre oficinas e livros muitas histórias são transformadas. “Eu amo ler. De verdade. É algo que me faz imaginar que tudo pode mudar, inclusive a minha vida. Leitura não é só ler, é algo que  fica na cabeça e no coração. Eu agradeço demais a essa oportunidade que nós temos de conhecer pessoas maravilhosas que fazem com que a gente mude de vida”, conta a adolescente D.S.

A jovem K.S., também cumprindo medidas socioeducativas na Unidade, vê na nova biblioteca um forma de viajar. “Os livros têm esse poder, né? De levar a gente pra qualquer lugar, é só imaginar. Tenho certeza que vou sair daqui uma nova pessoa, na verdade já sou. Me sinto grata, não são todos que têm esse olhar por nós. Nós erramos e estamos aqui para pagar por isso. É uma grande oportunidade e o que vou levar daqui vou lembrar para o resto da minha vida”, encerra.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*