Na Unesco, em Paris, ministro anuncia apoio técnico para cidades brasileiras ingressarem na Rede de Cidades Criativas

PHOTO-2018-06-13-15-30-13

(Foto: Adam Muniz/Deint)

Em visita à sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) nesta quarta-feira (13), em Paris, o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, expressou interesse em ampliar a participação brasileira na Rede de Cidades Criativas da instituição. Sá Leitão se reuniu com a diretora-geral da Organização, Audrey Azoulay. Para o ministro, o investimento na cultura e na criatividade é fundamental para promover o desenvolvimento sustentável.

Sá Leitão disse que pretende lançar, nas próximas semanas, em parceria com o escritório da Unesco em Brasília, um chamamento público para selecionar duas cidades brasileiras que receberão capacitação técnica para apresentar suas candidaturas para ingressar na Rede de Cidades Criativas. O ministro aproveitou a oportunidade para apoiar a candidatura de Santos (SP) como sede, em 2020, da reunião anual da Rede.

A Rede de Cidades Criativas foi criada em 2004, com o objetivo de estimular a inovação e a criatividade em sete áreas temáticas: artesanato e artes folclóricas, design, cinema, gastronomia, literatura, artes midiáticas e música. No ano passado, a Rede já contava com 180 cidades de 72 países, sendo oito do Brasil: Brasília (DF) e Curitiba (PR), na área de design; Belém (PA), Florianópolis (SC) e Paraty (RJ), em gastronomia; João Pessoa (PB), em artesanato e artes folclóricas; Salvador (BA), em música; e Santos (SP), em cinema.

Centro Lúcio Costa

Durante o encontro, Sérgio Sá Leitão e Audrey Azoulay assinaram a renovação do acordo de credenciamento do Centro Lúcio Costa (CLC) junto à Unesco. Vinculado ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o CLC é um centro de formação profissional que visa aperfeiçoar a gestão do patrimônio cultural e promover a cooperação entre países de língua portuguesa e espanhola, na América do Sul, na África e na Ásia. A cada seis anos, seu credenciamento junto deve ser renovado.

Audrey Azoulay disse que o Centro Lúcio Costa revela a disposição brasileira de contribuir para a cooperação internacional em matéria de gestão do patrimônio, beneficiando países de língua espanhola e portuguesa da América do Sul, da África e da Ásia.

Sá Leitão mencionou o compromisso de criar um centro de referência no Cais do Valongo, no Rio de Janeiro. A ideia é que o futuro espaço funcione como um centro de informações, de visitação e de interpretação do sítio arqueológico do Cais do Valongo, que ingressou na Lista do Patrimônio Mundial da Unesco no ano passado. Nesta sexta-feira, o ministro anuncia cessão de prédio à Fundação Cultural Palmares para a construção desse centro.

O tráfico ilícito de bens culturais foi outro tema da reunião. O ministro fez um breve relato do seminário Proteção e circulação de bens culturais: combate ao tráfico ilícito, promovido pelo MinC e pelo Instituto Itaú Cultural, na semana passada, em São Paulo (SP). Ele adiantou que o ministério vai criar uma Secretaria de Direitos Autorais e Propriedade Intelectual, com uma coordenação específica de combate à pirataria e ao tráfico de bens culturais.

Sá Leitão convidou Azoulay para vir ao Brasil, em novembro, na primeira edição do Mercado das Indústrias Criativas do Brasil (MicBR) – megaevento que reunirá produtores culturais, empresários e artistas da América do Sul e de outros continentes na cidade de São Paulo (SP).

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*