MinC entrega restauração do Engenho de São Pedro, no Maranhão.

O Ministério da Cultura (MinC), por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), concluiu a obra de restauração do Engenho de São Pedro, ou Companhia Progresso Agrícola, em Pindaré-Mirim (MA). A edificação foi entregue à comunidade pronta para receber o Centro Vocacional Tecnológico (CVT).

2018-07-03 engenho_de_sao_pedro_3

Engenho de São Pedro, construído na década de 1880, promoveu o progresso econômico e tecnológico da região. Foto: Leandro Sousa (Ascom/MinC)

Tombado pelo Iphan em 1998, o Engenho passou por uma série de adaptações para abrigar o Centro, que terá cursos e oficinas na área de cultura, voltados para confecção de instrumentos, vestimentas e outros elementos do Bumba meu boi. A restauração incluiu a construção de um auditório com 154 lugares, biblioteca, salas de aula e laboratórios, além de uma área central livre destinada a eventos e atividades complementares.

A obra de restauração e adaptação do Engenho Central São Pedro foi executada em duas etapas. A primeira, de responsabilidade do Iphan, compreendeu a contratação do projeto de restauração arquitetônica e projetos complementares de engenharia no valor de R$ 150 mil, bem como o investimento de aproximadamente R$ 4,4 milhões na execução dos serviços de restauração dos elementos estruturais da edificação (alvenarias em tijolo maciço, estruturas metálicas, cobertura, chaminé, esquadrias).

A renovação também focou na urbanização do terreno da edificação, na construção dos espaços destinados à adaptação do imóvel ao novo uso; na instalação das redes de água, esgoto, drenagem de águas pluviais, elétrica, telefônica, lógica, sonorização, na prevenção à intrusão, combate a incêndio e descargas atmosféricas e na climatização, ventilação e execução mecânica do Engenho.

A segunda etapa, com recursos do Governo do Estado do Maranhão, contempla a pintura das novas alvenarias e demais serviços de acabamento necessários ao bom funcionamento da edificação. Nesta fase, ocorreu a compra e instalação de todos os equipamentos e mobiliários (equipamentos de climatização, aquisição de mobiliário, entre outros).

O Engenho

Um dos mais expressivos exemplares dos engenhos centrais brasileiros, o de Pindaré-Mirim foi inaugurado na década de 1880 e é um exemplar arquitetônico açucareiro do século XIX, testemunho de um ciclo histórico na evolução da sociedade e economia brasileira, em especial no processo econômico agroindustrial do Estado.

Foi edificado no auge da produção açucareira maranhense, se tornando um propulsor do desenvolvimento tecnológico. A primeira ferrovia maranhense, com extensão de 13 km, foi instalada para ligar o engenho central ao porto terminal dos canaviais, então conhecido por Santa Filomena. Em 1883, por iniciativa da empresa, os habitantes da região conheceram o sistema de iluminação elétrica, dando a Pindaré-Mirim a classificação de pioneira no Brasil.

O prédio sede do Engenho Central São Pedro foi inaugurado em 16 de agosto de 1884. Possui forma retangular medindo 1,8 mil m² de área construída em três pavimentos, com paredes externas em alvenaria aparente de tijolos maciço e uma chaminé com a altura de cem pés ingleses, cerca de 30 metros, na parede externa. A estrutura do telhado foi confeccionada com ferro, sustentada por 44 colunas do mesmo material, coberta com telhas onduladas de zinco.

Toda a estrutura metálica, o maquinário e a aparelhagem foram fornecidos pela firma inglesa Fawcett, Preston & Cia, de Liverpool, que providenciou, com sua equipe de engenheiros, mecânicos, operários e pedreiro, a construção do Engenho e da via férrea para transporte da cana. A gestão do Centro ficará sob responsabilidade do Governo do Estado do Maranhão por meio da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Inovação– SECTI/MA.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

Share
Este post foi publicado em Sem categoria em por .

Sobre Ministério da Cidadania - Regional Nordeste

São ainda responsabilidade do Escritório Regional Nordeste: fornecer subsídios para a formulação e avaliação das políticas, programas, projetos e atividades da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social; a Secretaria Especial do Esporte; a Secretaria Especial de Cultura; auxiliar o Ministério da Cidadania na articulação com os órgãos federais, estaduais, municipais e entidades privadas, incluindo empresas, instituições culturais e o terceiro setor; atender e orientar o público quanto aos serviços prestados pelo Ministério; prestar apoio logístico e operacional aos fóruns de política cultural; exercer as atividades de ouvidoria; e exercer outras atividades determinadas pelo Ministro de Estado.