PATRIMÔNIO | Boi bumbá recebe certificado de Patrimônio Cultural do Brasil

Complexo Cultural do Boi Bumbá do Médio Amazonas e Parintins foi inscrito pelo Iphan no livro das Celebrações em novembro de 2018

Alegoria do Boi GarantidoO Complexo Cultural do Boi Bumbá do Médio Amazonas e Parintins foi inscrito pelo Iphan no livro das Celebrações em novembro de 2018 (Foto: Antonio Neto)

Como cooperar para preservação e visibilidade da exuberante manifestação cultural dos Bois de Arena, dos Bois de Rua e dos bois de Terreiro do Amazonas?  O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), instituição vinculada ao Ministério da Cidadania, entregará em pleno Bumbódromo, durante a festa de Parintins, o certificado de Patrimônio Cultural do Brasil. O reconhecimento foi realizado pelo Instituto no ano passado e é uma importante conquista dos grupos, mestres e atores que fazem parte dos bois-bumbás do Médio Amazonas e Parintins.

Complexo Cultural do Boi Bumbá do Médio Amazonas e Parintins foi inscrito pelo Iphan no livro das Celebrações em novembro de 2018. O certificado será entregue pelo diretor do Departamento de Patrimônio Imaterial (DPI-Iphan), Hermano Queiroz, às 19h desta sexta-feira (28), e a cerimônia contará com a presença da superintendente do Iphan no Amazonas, Karla Bitar; do governador do Amazonas, Wilson Miranda Lima; do vice-governador, Carlos Alberto Souza; além do secretário de cultura do estado, Marcos Apolo Muniz, e do prefeito de Parintins, Frank Luiz da Cunha Garcia.

Segundo o diretor, esse reconhecimento público durante a festividade é importante para valorizar ainda mais o trabalho de todos que constroem a manifestação cultural. “Há um intenso envolvimento da comunidade local na preparação do Boi Bumbá, sendo necessários inúmeros saberes de tradição popular que, juntos, resultam no Complexo Cultural do Boi Bumbá do Médio Amazonas e Parintins”, explica Hermano Queiroz.

Sinhazinha e Amo do Boi Caprichoso

No Médio Amazonas e Parintins, o folguedo geralmente ocorre durante as celebrações juninas dedicadas a Santo Antônio, São João e São Pedro (Foto: Antonio Neto)

Durante as pesquisas realizadas sobre o bem cultural, são levantados pontos importantes para a manutenção da prática que carecem de ações de apoio e fomento. Dentre as atividades de salvaguarda do Complexo Cultural do Boi Bumbá estão a articulação com diversos agentes envolvidos com os bois: seus detentores e organizadores, representantes do poder público de todas as esferas, associações, pesquisadores e membros da sociedade civil, entre outros, como explica a superintendente do Iphan-AM, Karla Bitar. “A partir dessas alianças poderemos elaborar juntos estratégias para garantir os direitos de valorização e visibilidade não apenas da festa, mas daqueles que detêm o saber e fazem parte da criação e mantêm viva a tradição, a chama da nossa história e da cultura popular”, conclui.

O governador do Amazonas, Wilson Lima, ressalta que o título de Patrimônio Cultural do Brasil valoriza a tradição do boi-bumbá no estado e eleva a importância do Festival Folclórico de Parintins, que já é considerado uma das maiores manifestações folclóricas do Brasil. “É um grande reconhecimento de uma tradição cultural que é fruto da criatividade do povo parintinense, que envolve também artistas e brincantes de cidades vizinhas da região. Para o Governo do Estado, é um diferencial que vai impulsionar o turismo e trazer desenvolvimento econômico”, afirmou.

A manifestação cultural

Os festejos relacionados a esse bem cultural ocorrem de diferentes maneiras e de acordo com a localidade em que são realizados, sendo praticados em distintos momentos do ano com variações e denominações próprias na região amazônica. No Médio Amazonas e Parintins, o folguedo geralmente ocorre durante as celebrações juninas dedicadas a Santo Antônio, São João e São Pedro. Nesses contextos, há três principais versões da dança dramática: o Boi de Terreiro, o Boi de Rua e o Boi de Arena.

O presidente do boi-bumbá Caprichoso, Babá Tupinambá, afirma que o certificado do Iphan é uma honra e que fortalece o folclore de Parintins.  “Esse reconhecimento deixa o boi-bumbá Caprichoso muito orgulhoso e valoriza ainda mais um trabalho de quase 100 anos, que é realizado no meio da floresta, numa pequena ilha. Então, ter esse reconhecimento de patrimônio cultural do Brasil é algo que os bois de Parintins mereceram e que vai fortalecer ainda mais a divulgação do nosso folclore, não só na região amazônica, mas no Brasil e no mundo”.

Já o para o presidente do boi-bumbá Garantido, Fábio Cardoso, o certificado reconhece a identidade cultural do Amazonas. “O Garantido se sente muito orgulhoso em ser um dos principais responsáveis pela conquista desse título para a nossa cidade. Parintins, com seu talento extraordinário, deu identidade cultural ao maior estado brasileiro, o Amazonas. Nesse cenário, o Garantido se configurou por sempre ter a vanguarda da arte do Festival, do qual é o maior campeão e que, neste ano, vai trazer mais inovações e amor a esta festa que tanto orgulha o Brasil”.

Por reunir influências tradicionais de diversas etnias, a brincadeira do Boi se caracteriza como importante referência cultural. As origens da manifestação remontam às missões jesuíticas do século XVII, que trouxeram consigo tradições do Mediterrâneo europeu. Por sua vez, essas tradições com o tempo absorveram-se de elementos das culturas afro-brasileira e indígena.

Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)
Ministério da Cidadania

Share
Este post foi publicado em Textos em por .

Sobre Ministério da Cidadania - Regional Nordeste

São ainda responsabilidade do Escritório Regional Nordeste: fornecer subsídios para a formulação e avaliação das políticas, programas, projetos e atividades da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social; a Secretaria Especial do Esporte; a Secretaria Especial de Cultura; auxiliar o Ministério da Cidadania na articulação com os órgãos federais, estaduais, municipais e entidades privadas, incluindo empresas, instituições culturais e o terceiro setor; atender e orientar o público quanto aos serviços prestados pelo Ministério; prestar apoio logístico e operacional aos fóruns de política cultural; exercer as atividades de ouvidoria; e exercer outras atividades determinadas pelo Ministro de Estado.