Arquivo do autor:Ministério da Cultura - Regional Nordeste

MINC | Abertas as inscrições para festival de filmes realizados por indígenas

dia-indio-destaque

Estão abertas as inscrições da 3ª edição da Mostra de Cinema Tela Indígena, festival de filmes realizados por indígenas ou que abordem essa temática. O evento, que reunirá cineastas indígenas e colaboradores não-indígenas, é um dos festivais selecionados no edital Apoio a Festivais e Mostras Audiovisuais, lançado em 2017, dentro do Programa Nacional de Fomento ao Audiovisual (Proav), da Secretaria do Audiovisual (SAv) do Ministério da Cultura. Os realizadores interessados em participar da Tela Indígena têm até o dia 10 de junho para  inscreverem seus filmes. Serão aceitas produções do Brasil e da América do Sul.

A 3ª edição da Mostra Tela Indígena será realizada em setembro deste ano na Cinemateca Capitólio, em Porto Alegre, e, pela primeira vez, em cinco dias consecutivos. Nas edições anteriores, foram promovidas sessões mensais distribuídas ao longo de cinco meses. De acordo com o curador e um dos idealizadores da mostra, Marcus Wittmann, a Tela Indígena deste ano deverá imprimir uma nova dinâmica ao festival. “O público da mostra é bem fiel. Nos cinco dias de festival, será possível fazer uma imersão em temas cotidianos e de direitos dos povos originários. É uma proposta mais interessante tanto para nós (organizadores), quanto para o público e para os cineastas”, destacou.

A mostra terá duas sessões diárias, sendo uma vespertina – com filmes voltados para o público infantojuvenil – e outra noturna – com a exibição de longas-metragens e documentários seguidos de debates. A Tela ainda vai contar com sessões comentadas pelos realizadores dos filmes e conferências com pensadores e artistas indígenas de todo o Brasil. Será uma oportunidade para o público conhecer diferentes olhares de vários povos do Brasil e das Américas.

Sobre o festival

A Tela Indígena surgiu em 2016 a partir de um projeto desenvolvido por estudantes de Antropologia e de Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRS) para divulgar produções e coproduções audiovisuais de cineastas indígenas e também aquelas produzidas por colaboradores não-indígenas.

Para Marcus Wittmann, a mostra pôde dar vazão à produção cinematográfica de temática indígena que havia em todo o País. “Na época em que desenvolvemos o festival, percebemos que havia muitos filmes sobre a temática indígena, muitos dos quais feitos por indígenas, mas cujo acesso era difícil. Já na primeira edição, conseguimos conectar indígenas e seus filmes a um público amplo, que ia além do ambiente universitário”, enfatizou.

A ideia, segundo Wittman, é que a 3ª Edição mostre para um público ainda maior a diversidade de povos indígenas que estão em todo Brasil. Em suas edições passadas, a Mostra já exibiu produções como “Martírio”, de Vincent Carelli, “ETE Londres”, do cineasta Takumã Kuikuru, e “TAVA”, a casa de pedra, dos cineastas guarani mbyá Patrícia Ferreira e Ariel Ortega.

Regras

A Mostra recebe curtas e longas-metragens, em animação ou live action. Os filmes não necessitam ser inéditos e podem estar disponíveis online.  As inscrições podem ser feitas aqui.

Cotas para indígenas

Para estimular a participação de cineastas indígenas, o Ministério da Cultura lançou em fevereiro deste ano o programa #AudiovisualGeraFuturo, o maior já lançado pelo MinC no setor audiovisual em termos de volume de recursos e de projetos. O pacote de editais, que trouxe em seu escopo cotas específicas (com percentuais distintos) para novos diretores, diretores de regiões fora do eixo Rio e São Paulo, negros, indígenas e mulheres, representa um marco na inclusão social de segmentos da população que normalmente não estão contemplados.

São 11 editais, no valor global de R$ 80 milhões, que além das cotas, contam com duas linhas específicas para documentários, uma exclusiva para a criação de obras com as temáticas Afro-Brasileira e Indígena. Os projetos de valorização das culturas afro-brasileira e indígena receberão R$ 500 mil (cada um) para a realização de dez obras documentais inéditas com duração a partir de 52 minutos.

As inscrições podem ser feitas no sistema Mapas Culturais, no link mapas.cultura.gov.br. Para participar, as produtoras precisam ter registro regular e estarem classificadas como produtoras independentes na Agência Nacional do Cinema (Ancine), vinculada do Ministério da Cultura responsável pela gestão dos recursos do FSA. Os editais exigem que os projetos sejam acompanhados de teasers – pequeno vídeo de divulgação.

Assessoria de Comunicação

Ministério da Cultura

Share

MINC | Balanço: SAv lança editais, entrega Núcleos de Produção Digital e retoma agenda internacional em 2017

balanço-sav-interna

Em 2017, o Ministério da Cultura (MinC) promoveu o fortalecimento da política pública para o setor audiovisual, por meio do Conselho Superior de Cinema, instância representativa do setor, que teve sua agenda reativada e ampliada, bem como ampla articulação com as entidades representativas do diversos segmentos audiovisuais.

No âmbito da Secretaria do Audiovisual, além da efetiva participação na agenda da política, o ano foi marcado pelo lançamento de programa de fomento, composto por cinco editais que destinaram mais de R$ 8,6 milhões a 135 projetos. As demandas desse programa de fomento foram analisadas por especialistas em atividades audiovisuais, também selecionados por meio de edital de credenciamento da SAv, o que constituiu um banco de jurados para atuarem em comissões de seleção dos diversos editais realizados pela Secretaria. O ano foi marcado, ainda, pela retomada da Revista Filme Cultura, a mais importante e tradicional publicação do país voltada ao debate sobre o cinema nacional e, pela instalação de Núcleos de Produção Digital (NPDs), estrutura composta de equipamentos de imagem, som e luz, etc…, para a formação e produção audiovisual.

A SAv cumpriu, em 2017, uma extensa agenda internacional, que incluiu nova edição do DOCTV América Latina, tendo lançado edital para o apoio à produção de documentários em 18 países integrantes da Rede DOCTV. Também houve lançamento da segunda edição do CPLP Audiovisual, com fomento à produção de documentários e telefilmes nos países da Comunidade de Língua Portuguesa.

Dentre as atividades no nível internacional, a SAv promoveu em outubro, na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, a 29ª Reunião Especializada de Autoridades Cinematográficas e Audiovisuais do Mercosul (Recam), como parte integrante da presidência pro tempore brasileira no bloco sul-americano. “Durante o encontro, foi firmado o compromisso de fortalecer a Rede de Salas Digitais (RSD) do Mercosul, circuito de difusão cultural integrado por salas de cinema localizadas na Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. E discutimos ainda a programação e a disponibilização de acervo para essas salas. O Ministério da Cultura forneceu 10 títulos e lançou a versão em espanhol do Guia para Produções Audiovisuais Acessíveis do Mercosul, “destacou o secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura, João Batista Silva.

Oscar

No ano passado, a SAv também promoveu mudanças no processo de escolha do filme brasileiro para representar o país na disputa ao Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira. Pela primeira vez a escolha da comissão que definiu o filme foi feita pela sociedade civil, através da Academia Brasileira de Cinema, em cooperação estabelecida com a SAv. “Bingo o rei das manhãs” foi o filme selecionado.
Revista Filme Cultura
A retomada da revista Filme Cultura, um dos mais relevantes periódicos sobre cinema, foi emblemática após uma pausa de quatro anos. Em junho, a edição nº 62 teve como tema “Infância – Cinema – Futuro”. A edição nº 63, também implementada em 2017, abordou o tema Mulheres, Câmeras e Telas.

Núcleos de Produção Digital

A retomada do Programa Núcleos de Produção Digital (NPDs) foi outro ponto alto das atividades da Secretaria do Audiovisual no ano passado. Ao todo, foram implantados 15 NPDs em 15 cidades brasileiras. Cada NPD recebeu equipamentos de produção e edição audiovisual. No âmbito do programa foi realizado o I Seminário Cinema: Formação em Rede, em parceria com o Instituto Federal de Goiás, que reuniu NPDs e Institutos Federais com cursos na área do audiovisual para discutirem a produção, formação e regionalização audiovisual. No evento, foi realizada também a I Mostra Audiovisual dos Institutos Federais.

Para conhecer um pouco mais das ações da SAv em 2017, confira entrevista com o Secretário do Audiovisual, João Batista Silva:

Qual avaliação o senhor faz das atividades desenvolvidas pela Secretaria do Audiovisual em 2017?
O ano passado foi muito importante para a Secretaria do Audiovisual, com um saldo bastante positivo para todas as políticas públicas desenvolvidas pelo Ministério da Cultura com foco no setor. O Programa Nacional de Fomento ao Audiovisual teve a riqueza de trazer em seu escopo uma série de inovações, como editais para games, para canais web e para vlogueiros. Todos esses editais foram fundamentais para inovar a política de fomento e tiveram uma repercussão muito grande, especialmente entre o público jovem. A demanda de projetos inscritos foi muito muito expressiva, superando todas as nossas expectativas.

Esse programa nacional inovou também no fomento a Mostras e Festivais de audiovisual. Qual é a importância de fomentar a realização desses eventos?
Dentro do Programa de fomento de 2017, tivemos a oportunidade de lançar, pela primeira vez, um edital de Apoio a Mostras e Festivais, que há muitos anos estava sendo reivindicado pelo mercado. Havia uma incompreensão sobre contemplar mostras e festivais em editais por causa de um decreto presidencial, publicado em 2011, que tinha uma vedação expressa à concessão de apoio a eventos. Para mudar esse entendimento, realizamos na Secretaria do Audiovisual um trabalho extenso de pesquisa para buscar a real importância dos mais de 200 festivais realizados anualmente no Brasil, que não podem ser confundidos com meros encontros festivos. Por trás desses eventos, há uma série de ações de natureza técnica, como oficinas de formação de mão de obra, de roteiro, de criação. Além disso, os festivais contam com debates sobre política audiovisual, workshops e ações de mercado como rodadas de negócio. Todas essas atividades compõem um evento audiovisual. E, para nós, trazer os festivais e mostras para os editais representou um marco. O setor audiovisual vem crescendo todos os anos acima da média e gera emprego e renda.

Quais são os principais projetos da secretaria para os próximos meses?
Devemos lançar novas linhas de fomento, no contexto do Programa Audiovisual Gera Futuro, lançado recentemente. Como sabemos, na primeira etapa lançamos um conjunto de 11 editais, representando o maior volume de recursos operados até o momento pela SAv (80 milhões de reais). E agora, na segunda etapa do Programa Audiovisual Gera Futuro lançaremos novas linhas de fomento: uma linha direcionada a preservação e digitalização de acervos audiovisuais, a segunda voltada a formação de profissionais, e capacitação do setor empresarial por meio de curso de gestão e empreendedorismo, e uma terceira linha destinada à inserção de jovens (18 a 29 anos) no mercado audiovisual. Todas as linhas serão lançadas com recursos retornáveis e ainda precisam ser aprovadas pelo Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual (CGFSA). Outra questão importante se refere à transferência de gestão do Centro Técnico Audiovisual (CTAv) para uma Organização Social (OS), semelhante ao que foi feito neste mês de março na Cinemateca Brasileira. Na Cinemateca, fizemos um contrato de gestão com a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto – ACERP, uma Organização Social parceira do Ministério da Educação. Neste momento, estamos cuidando da parte burocrática e administrativa da transferência, além de estudar com os servidores da Cinemateca um plano de viabilidade da instituição. O plano engloba a geração de receitas por meio da prestação de serviços ao setor audiovisual, bem como locação dos espaços para atividades culturais, dentre outros, assim como a própria captação de recursos via patrocínios e parcerias. Agora passamos a construir o processo de mudança de gestão no CTAv, cuja expectativa é implantar o mesmo modelo da Cinemateca. Com a gestão por OS o Centro Técnico obterá melhores condições de sustentabilidade e ampliação de sua atuação. O CTAv tem papel decisivo na formação da mão de obra técnica e apoio à produção independente, e atuará fortemente nesse sentindo, inclusive, atendendo as comunidades de seu entorno por meio de projetos voltados aos jovens da região.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

Share

BAHIA: NATA realiza oficinas de percussão feminina e história do teatro negro brasileiro

nata_foto_andreamagnoni

Dando continuidade às atividades de formação do projeto OROAFROBUMERANGUE em Salvador, o Núcleo Afro Brasileiro de Teatro de Alagoinhas – NATA realiza no mês de maio as oficinas de percussão feminina e história do teatro negro no Brasil e na Bahia. As atividades serão ministradas no Teatro Vila Velha (TVV) pelos integrantes do grupo e as inscrições podem ser realizadas no site do grupo até 29 de abril para percussão feminina e até 6 de maio para a oficina de teatro. As oficinas são gratuitas, mas é cobrada uma taxa de manutenção do uso do espaço do TVV no valor de R$ 30 para cada formação.

Percussão Feminina – A oficina Mulheres, Tambores e Poéticas Futuristas, proposta por Sanara Rocha, pretende, através de exercícios rítmicos práticos, iniciar mulheres no universo da percussão. As aulas ocorrerão dias 04, 05 e 06 de maio, sendo que, na sexta-feira e no domingo o horário é das 14h às 18h, e no sábado, das 09 às 13h. “Esta atividade é como uma estratégia de empoderamento e serve para construção de novas poéticas cênicas femininas”, explica a atriz, musicista e diretora de teatro, que em 2016 estreou o espetáculo solo IYÁ ILU, um ritual afro futurista de saudação a Ayan – a deusa do tambor.

Teatro Negro – O ator Antônio Marcelo e a diretora do grupo Fernanda Júlia Onisajé através de uma oficina expositiva promoverão uma reflexão histórica e teórica a respeito do Teatro de Grupo e Teatro Negro no Brasil. “Visamos o amadurecimento do discurso estético e político dos artistas que participarão da atividade. Além disso, o objetivo é fortalecer o indivíduo através do conhecimento da história e da memória, buscando na teoria o embasamento para a prática”, descreve Onisajé.

Antônio Marcelo expõe que serão trabalhados os seguintes conteúdos: a história do teatro de grupo e do teatro negro brasileiro; além das poéticas de encenação do Teatro Experimental do Negro – TEN, do Teatro do Bando de Teatro Olodum e do NATA. A oficina ocorrerá nos dias 09, 11 e 12 de maio, das 19h às 22h.

O projeto – OROAFROBUMERANGUE conta com o apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura da Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, aprovado no Edital de Apoio a Grupos e Coletivos Culturais da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb).

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Para mais informações, acesse: www.cultura.ba.gov.br

Serviço

Oficina: Oroafro – Mulheres, Tambores e Poéticas
Quando: dias 4 e 6 de maio – das 14h às 18h e dia 5 de maio – das 9h às 13h

Oficina: Teatro de Grupo e Teatro Negro no Brasil
Dias: 9, 11 e 12 de maio – das 19h às 22h
Onde: Teatro Vila Velha
Inscrições: https://www.natateatro.com.br/oficinasoroafrosalvador

Share

Abertas as inscrições para a maior premiação de Patrimônio Cultural do Brasil

premio rodrigodemelo

As inscrições para a 31ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) estão abertas até dia 21 de maio. O objetivo do prêmio é estimular e valorizar aqueles que atuam em favor da preservação do patrimônio cultural brasileiro por meio da distribuição de premiação em dinheiro e do Selo do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade-2018.

A novidade do edital deste ano é a divisão em oito categorias, nas quais poderão concorrer entidades governamentais, empresas, fundações particulares, instituições sem fins lucrativos, pessoas físicas e representantes de grupos ou coletivos, sendo que cada um dos oito premiados receberá o valor de R$ 30 mil.

As ações serão pré-selecionadas pelas comissões estaduais, compostas por representantes das diferentes áreas culturais de cada Estado. Os projetos vencedores na etapa estadual serão analisados pela Comissão Nacional de Avaliação, formada por 16 jurados que atuam nas áreas de preservação ou salvaguarda do Patrimônio Cultural.

As inscrições deverão ser entregues nas Superintendências do Iphan nos estados até o dia 21 de maio e o resultado final será divulgado até o dia 30 de agosto de 2018.

Novo formato

Criado em 1987 em reconhecimento a ações de proteção, preservação e divulgação do Patrimônio Cultural Brasileiro, o prêmio é uma homenagem ao primeiro dirigente do Iphan.

Nesta edição, o prêmio apresenta um novo formato de edital, com duas grandes categorias subdivididas em quatro seguimentos:

Categoria 1 – Iniciativas de excelência no campo do Patrimônio Cultural Material: ações nas áreas de preservação de bens imóveis como paisagens culturais, cidades históricas, sítios arqueológicos e monumentos; ou móveis, como coleções arqueológicas, acervos museológicos, documentais, bibliográficos, arquivísticos, videográficos, fotográficos e cinematográficos, assim como ações relacionadas de comunicação, difusão e educação, e devem ser apresentadas por pessoas físicas ou jurídicas que sejam responsáveis por sua concepção, autoria ou responsabilidade técnica.

Categoria 2 – Iniciativas de excelência no campo do Patrimônio Cultural Imaterial: Ações nas áreas de salvaguarda de práticas e domínios da vida social que se manifestam em saberes, ofícios e modos de fazer; celebrações; formas de expressão cênicas, plásticas, musicais ou lúdicas; e nos lugares que abrigam práticas culturais coletivas, assim como ações de comunicação, difusão e educação, e devem ser apresentadas por pessoas físicas ou jurídicas que sejam responsáveis por sua concepção, autoria ou responsabilidadetécnica.

Segmento I – Entidades Governamentais da administração direta dos níveis federal, estadual ou municipal ou indireta (autarquias; empresas públicas; sociedades de economia mista; e fundações públicas).

Segmento II – Empresas e Fundações privadas mantidas por empresas.

Segmento III – Outras Instituições sem fins lucrativos da sociedade civil organizada.

Segmento IV – Pessoas Físicas e representantes de grupos ou coletivos.

Veja o Edital em http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/EDITAL_PRMFA_2018.pdf

Share

Prêmio Funarte Arte e Educação 2018: inscrições abertas

funarte-arte-educacao-destaque

Estão abertas desde 13 de abril as inscrições para o Edital Prêmio Funarte Arte e Educação 2018. O objetivo é selecionar e premiar projetos, propostas artísticas e planos de trabalho nas linguagens das Artes Visuais, Música, Dança, Circo e Teatro, em quaisquer meios e formatos, que promovam o reconhecimento e incentivem a continuidade de iniciativas inovadoras e experimentais no campo da arte e educação.

Os projetos deverão ter sido realizados dentro do território nacional, em 2016, 2017 e, este ano, até o fim do prazo das inscrições do edital. A portaria que institui o Prêmio Funarte Arte e Educação 2018  foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 12 de abril.

As inscrições deverão ser feitas exclusivamente pela internet através do preenchimento e envio do formulário online, que estará disponível a partir das 9h01 do dia 13 de abril até às 17h59 do dia 28 de maio de 2018, horário de Brasília no portal da Funarte.

Clique aqui para acessar o formulário de inscrição

Este Edital vai contemplar dez projetos na área de arte e educação. Do primeiro ao quinto lugar, o valor da premiação será de R$ 10 mil (dez mil reais); e do sexto ao décimo lugar, R$ 5 mil (cinco mil reais). O investimento total é de R$ 100 mil, dos quais R$ 75 mil serão concedidos em prêmios e R$ 25 mil serão destinados às despesas administrativas.

Acesse aqui, na página deste edital, todos os documentos relacionados

Assessoria de Comunicação

Ministério da Cultura

Com informações da Funarte

Share

ALAGOAS: Inscrições abertas para o 4º Salão Nacional de Arte Contemporânea de Alagoas

unnamed (1)

Os artistas interessados em participar do 4º Salão Nacional de Arte Contemporânea de Alagoas (Saca) podem inscrever seus trabalhos até o dia 15 de julho. A ficha de inscrição e edital estão disponíveis pelos sites www.diteal.al.gov.br e www.cultura.al.gov.br. As inscrições são gratuitas.

As propostas podem ser enviadas pelos correios, entregues pessoalmente na recepção do Complexo Cultural Teatro Deodoro ou por e-mail, para o endereço trendart2018@gmail.com. Cada artista pode enviar até dois trabalhos.

Podem ser inscritos trabalhos nas categorias fotografia de arte, pintura, escultura, vídeo arte, instalação, grafite, desenho e design. Para participar, os interessados devem atender a algumas exigências como, por exemplo, ter a partir de 18 anos e participação em, no mínimo, três exposições individuais ou coletivas, além de preencher a ficha de inscrição e enviar a documentação exigida no edital.

Os trabalhos inscritos serão analisados por uma comissão e o resultado está previsto para ser divulgado a partir de 10 de agosto. O 4º Saca é produzido pela Trend Art e conta com o apoio da Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas (Diteal) e da Secretaria de Cultura do Estado de Alagoas (Secult). O objetivo do salão é valorizar e promover o conhecimento da arte visual brasileira.

Serão selecionadas 25 obras de 25 artistas inscritos e mais 15 trabalhos de artistas convidados. O 4º Saca vai ser aberto em 4 de setembro e fica em cartaz até 30 de outubro, na galeria de arte do Complexo Cultural Teatro Deodoro, ao lado do Teatro Deodoro, no Centro de Maceió, com entrada gratuita, e curadoria de Fredy Correia. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (82) 99984-9444 ou 98876-8262, pelo e-mail trendart2018@gmail.com ou pela página do Saca no Facebook.

Share

MINC: Nos EUA, Sá Leitão apresenta a empresários oportunidades de negócios no Brasil

visita-ministro-eua-interna

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, será o principal palestrante em evento da Câmara de Comércio Brasil-Califórnia, em Los Angeles, nos Estados Unidos, nesta quinta-feira (19). Ele falará a uma plateia de empresários, com o objetivo de atrair investimentos culturais para o Brasil, inclusive fora do eixo Rio-São Paulo, no setor de entretenimento ao vivo. Sá Leitão desembarcou em Los Angeles nesta terça-feira (17), para uma série de compromissos na cidade.

Como palestrante no evento da Câmara de Comércio Brasil-Califórnia, ele vai destacar o potencial de crescimento do setor em todo o país, chamando atenção também para possibilidades fora de São Paulo e do Rio de Janeiro. O ministro destacará a existência de arenas construídas para a Copa de 2014, como a Arena da Amazônia, em Manaus, onde há infraestrutura para abrigar eventos de grande porte.

Sá Leitão vai detalhar ainda as políticas de fomento à cultura, apresentando o mecanismo de incentivo fiscal previsto na Lei Rouanet, disponível para espetáculos de entretenimento ao vivo. “O Brasil tem enorme potencial para atrair investimentos e promover oportunidades mútuas de negócios”, afirmou ele.

O encontro em Los Angeles leva o nome de Entretenimento ao vivo no Brasil: perspectiva econômica e novas oportunidades (Live Entertainment in Brazil: Economic Outlook and New Opportunities). Além do ministro, falarão produtores culturais e advogados brasileiros com atuação na área artística. A ideia é detalhar as oportunidades que existem no país, de olho no empresariado dos EUA.

A apresentação do ministro deverá abordar as iniciativas recentes do governo brasileiro para o fomento à cultura, os mecanismos de incentivo existentes (Lei Rouanet) e as perspectivas para os próximos anos.

A indústria cultural na Califórnia movimenta em torno de US$ 300 bilhões por ano. Já a economia criativa brasileira é responsável por 2,64% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro – a soma das riquezas produzidas no país –, emprega cerca de 1 milhão de trabalhadores e envolve aproximadamente 200 mil empresas e instituições.

Entretenimento ao vivo

Os principais segmentos de entretenimento ao vivo são os espetáculos musicais e teatrais, e eventos esportivos. O setor como um todo, por sua vez, é bastante amplo e engloba diversas ações, como promoção de eventos; operação de bilheteria; comercialização de alimentos, bebidas e merchandising; gestão de locais de eventos (venues); e venda de patrocínio.

Reuniões

Na quarta-feira (18), véspera do evento na Câmara de Comércio, Sá Leitão terá encontro com cônsules de países da América do Sul em Los Angeles. Ele aproveitará para pedir apoio dos postos diplomáticos na divulgação da terceira edição do Mercado de Indústrias Culturais do Sul (Micsul), que será realizado no Brasil, na cidade de São Paulo, em novembro.

O Micsul é um evento multissetorial organizado por países latino-americanos, que visa promover rodadas de negócios, formação de redes (networking), conferências e oficinas, além de incentivar o consumo e a circulação de bens e serviços culturais da América do Sul.

Ainda na quarta-feira (18), Sá Leitão deverá visitar o MOLAA (Museum of Latin American Art), único museu dos Estados Unidos dedicado exclusivamente à arte latino-americana moderna e contemporânea.

A ida de Sá Leitão aos Estados Unidos faz parte da agenda de promoção da cultura brasileira no exterior, com o propósito de incentivar a internacionalização de artistas e empreendimentos culturais brasileiros.

Share

BAHIA: Nordestelab abre inscrições para rodadas de negócios

Insc_RodadaDeNegocios

O NordesteLab 2018, acontecerá de 29 de maio a 01 de junho, tendo como sede principal o Goethe Institut Salvador. Uma das atividades mais procuradas por produtoras audiovisuais independentes, a Rodada de Negócios, está com inscrições abertas até o dia 20 de abril, no site www.nordestelab.com.br. Na última edição, foram gerados R$24,5 milhões em negócios, que segundo o SEBRAE/BA, parceiro e auditor da atividade, o montante pode ter chegado a R$64.9 milhões, através de projetos apresentados durante o evento, com contratos fechados ao longo do ano.

Para a quarta edição, estão confirmados canais de televisão como FOX, GNT, Mais Globosat, Curta!, MTV Brasil, A&E, Canal Futura, Cine Brasil TV, BOX Brasil, TV RáTimBum, Warner Channel Brasil, TNT Brasil, Space Brasil, Rede Bahia, Paramount Channel Brasil, TV Aratu, Band Bahia, Turner, Canal Brasil e TAL – Telévisión America Latina.  Entre as distribuidoras, a O2 Play e Vitrine Filmes.  O valor para participação por representante de produtoras é de R$100,00 (cem reais), sendo ilimitado a quantidade de projetos submetidos para avaliação dos canais de televisão e distribuidoras audiovisuais nacionais e internacionais.

Pela primeira vez, além de produtoras do Nordeste, a atividade voltada para realização de negócios entre os canais, distribuidores audiovisuais e as produtoras independentes, também será aberta para produtoras do Norte e do Centro-Oeste do país, através de uma articulação realizada junto ao CONNE – Conexão Audiovisual Centro-Oeste, Norte e Nordeste.

RODADAS 10

Durante os quatro dias do evento, o NordesteLab também conta com uma vasta programação gratuita composta por mesas, conferências, apresentações de cases e debates, voltada para estudantes e profissionais do mercado audiovisual. As inscrições gratuitas estarão abertas a partir do dia 04 de maio, no site do evento.

Sobre o NordesteLab

O NordesteLAB, uma realização do Laboratório Audiovisual, se configura como uma plataforma de articulação voltada para fortalecimento do setor audiovisual nordestino. Suas ações consistem na realização de um evento principal, entre o final de maio/ início de junho, na cidade do Salvador-BA, reunindo espaços de articulação, comercialização, formação e intercâmbios profissionais e culturais. E, também, com a realização de atividades continuadas itinerantes voltadas para a formação de agentes com diferentes níveis de experiências no setor – de estudantes a profissionais experientes. Suas atividades são construídas em torno de cinco eixos principais: intercâmbios profissionais; horizontes e tendências de mercado; (des)locais – apontando pautas políticas como as políticas de descentralização da produção audiovisual; difusão e oportunidades para aumento da circulação de obras audiovisuais nordestinas; e conexões emergentes, a partir da articulação com mercados audiovisuais em crescimento – como Argentina, Uruguai, Colômbia e Chile.

Público participante: Executivos de mídias digitais, Broadcasting e mobile; programadores, produtoras independentes, criadores, compradores de conteúdos, distribuidoras, agentes de venda, agentes do setor público e estudantes.

Assessoria de Comunicação NordesteLab

Tati Rabêllo

(71) 99155-5310

tatilemosrabello@gmail.com

www.nordestelab.com.br

Share

PARAÍBA: Festival de Cinema de Rua de Remígio abre inscrições para produções audiovisuais da região

Festival de Cinema de Rua de Remígio (2)

A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), através da Coordenadoria de Comunicação (CODECOM) em parceria com a Prefeitura Municipal de Remígio, realizará, entre os dias 16 a 20 de maio, o primeiro Festival de Cinema de Remígio, que tem como finalidade difundir a produção cinematográfica e incentivar conteúdos audiovisuais locais e regionais, ofertando também oficinas gratuitas nas áreas de fotografia, comunicação, produção audiovisual, entre outras.

Os interessados – sejam amadores ou profissionais – em apresentar filmes de qualquer gênero, que tenham sido produzidos na região Nordeste e com duração máxima de 25 minutos, poderão se inscrever entre os dias 17 de abril e 7 de maio. As inscrições são gratuitas e realizadas on-line através do preenchimento dos dados no endereço: https://goo.gl/knuRpN . Todo material recebido será avaliado por uma comissão julgadora, que selecionará os curtas-metragens a serem exibidos durante o festival.

O Festival de Cinema de Rua de Remígio foi inspirado nos resultados positivos do Festival Audiovisual Comunicurtas Itinerante realizado no município pela CODECOM no ano passado. De acordo com Hipólito Lucena, coordenador da CODECOM UEPB, o evento de 2017 se limitou apenas a exibição de filmes, o que não irá se repetir esse ano. “Foi realizado um festival apenas de exibição de filmes com oportunidades de debates e algumas oficinas ministradas para os moradores. Esse ano, teremos a realização de mostras competitivas”, explicou Hipólito.

Desta feita, estarão à disposições dos realizadores as Mostras Escolar e Regional – esta última dentro de um formato competitivo, no qual serão concedidos aos premiados o Troféu Machado Bitencourt nas seguintes categorias: filme, direção, fotografia, direção de arte, montagem, trilha sonora, melhor ator, entre outras.

“Os próprios moradores de Remígio nos deram a sugestão de realizar na cidade o Festival de Cinema de Rua, nos moldes do Comunicurtas UEPB, com a possibilidade das pessoas inscreverem seus trabalhos e concorrerem a uma premiação”, declarou Ana Carolina Santos, coordenadora da primeira edição do evento. Ela explicou ainda que a Mostra Escolar será composta por filmes e vídeos de curta duração produzidos por professores e alunos das escolas municipais da cidade de Remígio, fruto das oficinas ministradas pela equipe do Comunicurtas Itinerante UEPB.

Durante o evento, as exibições acontecerão no Cine RT – Cinema de Rua de Remígio, localizado na Rua Flávio Ribeiro Coutinho, nº 30, Remígio. Outras informações podem ser adquiridas através do telefone (83) 3315-3439, ou pelo e-mail uepbcomunicurtas@gmail.com.

Share

ARCOVERDE (PE) l Projeto Café em Cena ocupa a Praça da Bandeira nesta terça-feira (17)

Cafe em Cena - divulgacao - Projeto

No propósito de estimular diálogos entre artistas, intelectuais, professores e estudantes de Arcoverde, o projeto cultural ‘Café em Cena’ vai tomar conta na noite desta terça-feira, 17 de abril, do Coreto da Praça da Bandeira, no centro da cidade. A inciativa é aberta ao público e começa às 19h, consistindo em ser uma troca de experiências orais sobre temáticas sociais, além de promover práticas de linguagens artísticas originadas no município.

Criado em 2017, pelo produtor cultural Givaldo Silva, o ‘Café em Cena’ se trata de um encontro itinerante tendo entre os seus objetivos “não se limitar a dialogar somente sobre a cena do teatro e cinema, e sim trazer a realidade para uma reflexão coletiva, abordando o contexto social em que estamos inseridos, ou não”, explica o idealizador do projeto.

Na programação, os participantes terão ainda performances artísticas, apresentações musicais de artistas locais e distribuição gratuita de quitutes gastronômicos. O projeto conta nesta edição com o apoio da Prefeitura de Arcoverde, através da Secretaria de Cultura e Comunicação, além da Livraria Lira Cultural, Estação da Cultura, AESA CESA, Grupo Teatro de Retalhos, Grupo Teatral Tropa do Balaco Baco, Site De 1º Categoria e Site Xis Club.

Serviço:
Projeto Café em Cena

Quando: terça-feira, 17 de abril
Horário: às 19h
Local: Coreto da Praça da Bandeira, no centro de Arcoverde
Evento aberto ao público

Share