Arquivo do autor:Comunicação - Representação Regional Nordeste do MinC

Ancine oferece programação inédita para 199 TVs públicas

BrTT ano 3_azul_2O campo público de televisão começa a receber os conteúdos audiovisuais inéditos produzidos por 83 produtoras brasileiras independentes das cinco regiões do país. O material é resultado da primeira chamada pública da Linha de Produção de Conteúdos destinados às TVs Públicas do Programa Brasil de Todas as Telas.

Um total de 199 canais de televisão de 26 unidades federativas terá à disposição, gratuitamente, 94 produções, sendo 17 séries de ficção, 19 séries de animação, 48 séries documentais e 10 telefilmes documentários. Os conteúdos estarão disponíveis em caráter exclusivo até maio deste ano para 49 canais universitários e 65 canais comunitários, quando também serão disponibilizados para a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e 85 canais educativos e culturais.

No Catálogo de Obras, que corresponde a 249 horas de conteúdo audiovisual brasileiro independente, a programação é variada: há desde séries de animação e ficção para o público infantil e séries documentais para o público jovem até séries e telefilmes para o público adulto, que abordam temas como rituais de passagem na primeira infância, desigualdades nas relações sociais e relacionamentos na era digital.

Esses e outros perfis de programação são produto de um Seminário de Programação que reuniu intelectuais brasileiros, programadores de TV e produtores culturais para debater junto a mais de uma centena de representantes dos segmentos universitário, comunitário e educativo e cultural do campo público de televisão as questões centrais para os públicos infantil, jovem e adulto, constituindo assim a demanda de programação das TVs públicas.

“Nós estamos entregando à sociedade uma programação de alta qualidade, que dialoga com os diversos aspectos da realidade do País. Uma programação que faz com que o campo público de televisão exerça com plenitude sua função de espaço de oxigenação, de experimentação e de proximidade com a sociedade. São obras audiovisuais que multiplicam as vozes atuantes no País, que mostram a diversidade da nossa produção e que permitem aos brasileiros se conhecerem mais e se reconhecerem no que assistem”, avalia o diretor-presidente da Ancine, Manoel Rangel.

A Linha de TVs Públicas do FSA é uma realização da Ancine, EBC e Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (MinC) e conta com o apoio da Associação Brasileira de Televisão Universitária (ABTU), Associação Brasileira de Canais Comunitários (ABCCOM) e Associação Brasileira de Emissoras Públicas Educativas e Culturais (Abepec).

Sobre o Programa Brasil de Todas as Telas

O Programa Brasil de Todas as Telas foi moldado para atuar na expansão do mercado e na universalização do acesso às obras audiovisuais brasileiras. Trata-se de uma ampla ação governamental que visa transformar o País em um centro relevante de produção e programação de conteúdos audiovisuais. Foi formulado pela Ancine em parceria com o MinC e com a colaboração do setor audiovisual por meio de seus representantes no Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual.

Até meados de janeiro de 2017, o Programa Brasil de Todas as Telas já aprovou 593 propostas de financiamento de longas-metragens e 531 propostas de séries e telefilmes.  O Programa também já investiu em 263 propostas de projetos em fase de desenvolvimento e em 69 núcleos criativos em todas as regiões do País, que gerarão 398 novas obras audiovisuais.

Agência Nacional do Cinema
Ministério da Cultura
Share

Funarte disponibiliza livros para download gratuito

Capa Teatros do Rio_395A Fundação Nacional de Artes (Funarte) disponibiliza suas publicações gratuitamente para download, oferecendo mais uma oportunidade para que o público tenha acesso aos livros lançados pela instituição. A cada ano, é disponibilizado o material publicado no ano anterior, sempre com temas relacionados às áreas de atuação da instituição, como Teatro, Dança, Música, Artes Visuais e Circo.

De acordo com a gerente de edições da Funarte, Filomena Chiaradia, ter os livros on-line é fundamental. “Em um país gigantesco como o nosso, a distribuição de livros ainda é tímida. Por isso, é importante disponibilizar as edições on-line, dando mais acesso ao público, inclusive aos deficientes visuais, que podem abrir os nossos livros usando os softwares de leitura que eles costumam utilizar para ler outras obras”, explica a gerente.

Entre os títulos disponíveis estão: Cartas de João do Rio a João de Barros e Carlos Malheiro Dias, organizado por Cristiane d’Avila; Teatros do Rio — do século XVIII ao XX, de José Dias; e Políticas Públicas para as Artes – Volumes 1 e 2, de vários autores, entre outros. Confira outros títulos lançados pelas Edições Funarte e disponíveis para download.

Segundo Filomena, já existem publicações agendadas para 2017. “Lançamos agora em fevereiro os quatro primeiros volumes dos Ensaios Brasileiros Contemporâneos, e vamos publicar os outros cinco ainda este ano. Temos ainda previsão de lançamento de seis volumes da obra teatral de Plínio Marcos, organizados pelo professor de Literatura e crítico Alcir Pécora”, adianta a gerente de edições.

Além do acesso on-line, é possível também comprar os livros, basta enviar e-mail para a Livraria Mário de Andrade (livraria@funarte.gov.br / tel. 2279-8071).

Alessandra de Paula
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share

MinC e IberCultura apoiam 16ª edição dos Tambores Silenciosos

noite_dos_tambores_silenciososO Ministério da Cultura (MinC), por meio do Programa IberCultura Viva, será parceiro na 16ª edição dos Tambores Silenciosos, que será realizada na noite desta segunda-feira (20), em Olinda (PE). A Rede para a Noite dos Tambores Silenciosos de Olinda foi uma das vencedoras do edital de Apoio a Redes de Cultura Comunitária do programa, lançado no final do ano passado. A categoria 2, na qual o projeto participou, premiou eventos de redes de cultura de base comunitária municipais, estaduais, nacionais ou regionais.

A edição deste ano será feita em homenagem ao Mestre Roberto, do Maracatu Nação de Luanda, e será comandada por Mestre Afonso, do Maracatu Leão Coroado. Participarão do evento os maracatus Nação Badia, Nação Pernambuco, Maracatu Nação Peixinhos, Nação Camaleão, Nação Leão Coroado, Nação Maracambuco, Nação Tigre e Nação Estrela de Olinda. A saída dos maracatus está prevista para as 20h dos Quatro Cantos em direção à Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, no Bom Sucesso.

A Noite dos Tambores Silenciosos é uma cerimônia de origem africana que reúne nações de maracatus de baque-virado, procedentes de todo o estado de Pernambuco, com a finalidade de louvar a Virgem do Rosário, padroeira dos negros, e reverenciar os ancestrais africanos, que sofreram durante a escravidão no Brasil Colonial. Os ritos de reverência aos antepassados é um costume que os escravos trouxeram para o Brasil, como na cerimônia de Coroação do Congo, na qual elegiam seus reis e rainhas, lamentavam seus mortos e pediam proteção aos Orixás.

Mesmo depois da abolição da escravatura, esse ritual continuou a ser realizado. Com o passar do tempo, as comunidades negras do Recife foram se agregando. O evento sempre foi realizado às segundas-feiras, dia das almas nas religiões de origem africana. Essa festa de evocação e reverência era realizada no pátio da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, localizada na Rua Estreita do Rosário, no bairro de Santo Antônio. Entretanto, em 1965, por iniciativa do sociólogo e jornalista Paulo Viana, deu-se início a uma campanha de valorização e resgate dos ritos africanos, que durante o período da ditadura militar entrou em decadência, pois o número de participantes desse tipo de evento foi bastante reduzido devido às perseguições políticas. Assim, foi criada a Noite dos Tambores Silenciosos, que tem início com a leitura do poema Lamento Negro, de Paulo Viana, no pátio da Igreja de Nossa Senhora do Terço ou Pátio do Terço, como é mais conhecido, no bairro de São José, musicada pelo compositor João Santiago, em memória dos escravos que nunca tiveram direito de brincar o carnaval, motivo pelo qual o evento era sempre realizado nessa época.

Em 1968, a Noite dos Tambores Silenciosos passou a ser realizada no Pátio do Terço, lugar onde tradicionalmente aconteciam as festividades afrodescendentes. Hoje, o ritual é destaque no carnaval pernambucano, faz parte do calendário das festividades de Momo, sendo prestigiado por foliões, curiosos e turistas de toda parte do Brasil e até do exterior. A cerimônia começa com a apresentação dos maracatus de baque-virado, que são considerados nações (raça, espécie, casta de gente ou coisa) africanas. O tambor tem lugar de destaque nesse evento. Segundo Valente (1952-1956), o tambor é considerado o principal instrumento da orquestra dos xangôs e tem uma função mágica nas religiões africanas. Sua sonoridade envolvente tem um poder hipnótico sobre adoradores de Orixás, representando um elo mágico entre as criaturas humanas e as divindades, espécie de meio de comunicação entre o mundo material e o mundo espiritual dos Orixás. À meia-noite, o ritual chega ao auge, quando as luzes do bairro de São José são apagadas e o público presente no pátio silencia. Tochas são acesas e levadas até a porta da Igreja pelos líderes dos maracatus. Uma voz entoa loas (verso de louvor, louvação em versos improvisados ou não) em louvor à rainha dos negros, Nossa Senhora do Rosário. O silêncio é interrompido apenas pela batida intermitente dos tambores de todas as nações de maracatus, que entoam cânticos de Xangô. A marcha dos dançarinos é marcada pela batida de tambores. Estandartes trazem o nome dos maracatus e são seguidos por uma corte de reis e rainhas africanas devidamente caracterizadas. Nesse momento, o babalorixá responsável pelo ritual alinha os batuques e rege um coro de mães de santo, que rezam com ele, e termina o culto abençoando os membros dos maracatus e o público presente na cerimônia.

 Sobre o Ibercultura Viva

O programa Ibercultura Viva reúne nove países (Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, El Salvador, México, Paraguai, Peru e Uruguai). O Brasil preside o programa por meio da Secretaria da Cidadania e Diversidade Cultural (SCDC), que comanda as atividades do programa.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Com informações da SCDC
Leia mais
Share

Tradições carnavalescas e 7ª ExpoCarnaval antecipam a folia na Torre Malakoff

Um dos equipamentos públicos mais plurais de Pernambuco, a Torre Malakoff, se transformou, desde o domingo (19), em ponto de encontro e vivência das nossas tradições carnavalescas, com a sétima edição da ExpoCarnaval, que contou na abertura com show de Lia de Itamaracá, às 19h.

Jorge Farias

Jorge Farias

Apresentação de Lia de Itamaracá abre programação da 7ª ExpoCarnaval

O evento ocupará o tradicional ponto turístico no bairro do Recife com apresentações gratuitas de verdadeiros ícones da folia pernambucana, como os Caiporas de Pesqueira, o Caboclinho Canindé de Camaragibe, Maracatu Leão Coroado, Bloco da Saudade e o Clube Carnavalesco Misto Taibares, e contará ainda com a participação de 24 expositores de artesanato e moda pernambucanos. A programação especial é realizada pelo Governo de Pernambuco, através da Secult-PE e Fundarpe.

Rodrigo Ramos

Rodrigo Ramos

Caiporas de Pesqueira também se apresentam neste domingo (19)

Até a quinta-feira (23), moradores e turistas terão a oportunidade de conhecer melhor as brincadeiras centenárias que animam, especialmente, a folia no interior do Estado. “Vamos aproveitar o Carnaval para prestigiar toda a riqueza e a diversidade da nossa cultura, agregando expressões que não apenas os turistas, mas também muitos moradores da Região Metropolitana ainda não tiveram a oportunidade de aplaudir”, comenta a presidente da Fundarpe, Márcia Souto.

7ª ExpoCarnaval

Tradicional espaço para comercialização de artigos carnavalescos, a 7ª ExpoCarnaval integra também a programação especial na Torre Malakoff. De domingo (19) até a quinta-feira (23), o tradicional espaço para venda de artesanato carnavalesco contará ainda com a participação de dez marcas pernambucanas de moda, que puderam desfilar algumas de suas peças na última quinta-feira (16), no evento “Todxs na Moda – Gente é pra Brilhar e Boneco também”, realizado no Recife Antigo.

Jan Ribeiro/Fundarpe/Secult-PE

Jan Ribeiro/Fundarpe/Secult-PE

Marcas e artesãos vão comercializar suas coleções de Carnaval na Torre Malakoff

Para o secretário estadual de Cultura, Marcelino Granja, “o período de folia é também uma ótima oportunidade de fortalecer as diversas cadeias econômicas da nossa cultura”. Desta forma, a ExpoCarnaval “reflete o compromisso da gestão estadual com a sustentabilidade de empreendimentos cooperativos e solidários, liderados por artesãos e designers pernambucanos”, complementa.

Confira a programação completa:

20/02
Caboclinho Canindé de Camaragibe, às 19h
Cavalo Marinho Estrela Brilhante, às 20h

21/02
Maracatu de BS Leão Coroado de Paudalho, às 18h
Maracatu Leão Coroado, às 19h
Mestre Galo Preto, às 20h

22/02
Urso Branco do Zé, às 18h
Troça Carnavalesca Mista Verdureira de São José, às 19h
Bateria Cabulosa, às 20h

23/02
Orquestra de Frevo Tempestade, às 18h
Clube Carnavalesco Misto Tabaiares, às 19h
Bloco da Saudade, às 20h

7ª ExpoCarnaval – Moda e Artesanato pernambucanos
Domingo (19) a quinta-feira (23) | das 15h às 20h

Participantes:
Caidé Art
Hazi Oficial
Moda Mangue
Selete Seleteiras
Ana Rosa Wanderley (Borracha Livre)
Tatiana Basílio
Reizinho Máscaras (Douglas e Ernesto)
Balé Popular do Recife
Maracatu Piaba de Ouro
Lívia Aguiar
Silvia Regina
Kleyton Bessone
Fausto Sobral
Xuruca Pacheco
Contém Glitter
Banana Split
Território Lamparina
Carnavalizei
Rainha da Cocada
Aladê
Vitalina
Abacaxi de Praia
Pirei
Abre Alas

– See more at: http://www.cultura.pe.gov.br/canal/carnaval/tradicoes-carnavalescas-e-7a-expocarnaval-antecipam-a-folia-na-torre-malakoff/#sthash.vwAOsog2.dpuf

Share

Longa BO Ficção: resultado preliminar de seleção

photo4922870280813127597O Ministério da Cultura (MinC) divulgou, na edição desta segunda-feira do Diário Oficial da União, o resultado preliminar da primeira fase de seleção do edital Longa BO Ficção. A iniciativa é resultado de parceria da Secretaria do Audiovisual do MinC com a Agência Nacional do Cinema (Ancine), por meio do Programa Brasil de Todas as Telas – Ano 2, com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).

Serão selecionados 10 projetos para a realização de filmes de baixo orçamento, inéditos, de ficção. Os projetos poderão receber até R$ 1.250.000,00. O orçamento total de cada projeto não pode ultrapassar R$ 1.800.000,00.

Os projetos não classificados têm prazo de quatro dias úteis a partir da data de hoje para impetrar recurso, o qual deverá ser realizado exclusivamente mediante o envio de formulário específico para o endereço eletrônico concurso.sav@cultura.gov.br. Não será aceita documentação complementar, nem retificação da documentação apresentada na inscrição. Somente serão considerados na etapa de seleção aqueles documentos anexados no sistema Salicweb no ato da inscrição. Os pedidos de reconsideração não admitem saneamento de pendências e/ou inclusão de novos documentos.

A política de fomento a conteúdos audiovisuais é fundamental para a renovação e permanência do cinema brasileiro. É competência da SAv a descoberta e a formação de novos talentos. O estímulo a produções de longa-metragem de baixo orçamento – conhecido com Longa BO – é uma ação estratégica e fundamental para a formação de novos cineastas.  Além disso, por não ter que se encaixar na lógica mercadológica, o apoio à produção de filmes de baixo orçamento estimula a inovação da linguagem e da estética audiovisual. O incentivo à experimentação é, ainda, uma competência histórica da SAv.

Apesar de ter valores considerados abaixo do mercado, filmes de baixo orçamento, muitas vezes, conseguem alcançar uma boa repercussão nacional – sendo aclamados por público e crítica. Nos últimos 10 anos, a Secretaria do Audiovisual finalizou seis editais para filmes de Baixo Orçamento e teve 38 filmes contemplados. Essas produções participaram de diversos festivais ao redor do mundo, competindo, ganhando prêmios, visibilidade e reconhecimento da crítica especializada.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share

Grande sambada comemorou os 51 anos do Maracatu Estrela de Ouro de Aliança (PE)

DSC_4695

Foto: Canário Caliari

No último sábado (18), o Sítio Chã de Camará, localizado no município de Aliança, zona da mata pernambucana, foi palco de mais uma grande sambada do Maracatu Estrela de Ouro. Dessa vez a festa teve como mote a comemoração dos 51 anos da agremiação e, como de costume, seguiu madrugada adentro com a participação de diversos mestres e brincantes.

Considerado um dos principais representantes do maracatu rural, ou de baque solto, do estado de Pernambuco, o Estrela de Ouro já recebeu a medalha da Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura em 2009, em função do trabalho desenvolvido de valorização das práticas e tradições culturais. Anteriormente, em 2004, foi reconhecido como Ponto de Cultura Atualmente faz parte do Grupo Especial de agremiações do carnaval pernambucano.

Berço importante para a história da cultura popular, o grupo formado em 1966 pelo Mestre Batista já formou em seu terreiro vários mestres como Manoel Salustiano, Luiz Paixão, Biu Roque e Zé Duda, e tem em seu currículo apresentações em cidades da França e nas Paraolimpíadas de 2016.

Amauri Lins
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura / RRNE

Share

Atividades de formação do Funcultura Geral e Música foram realizadas em todo o estado de Pernambuco

Mais de 800 pessoas já participaram das oficinas do Ciclo de Capacitação Regionalizada do Funcultura Geral e Música edição 2016/2017, realizadas por todo o estado. Um aumento de mais de 100% no número de participantes, em relação a 2016. As atividades levaram mais informação e esclarecimento aos interessados em inscrever projetos para o Funcultura, principal instrumento de fomento da política pública cultural de Pernambuco.

Anizio Silva

A Casa da Cultura recebeu uma das oficinas de formação do Funcultura Geral e Música (Foto: Anizio Silva)

Artistas, produtores e fazedores de cultura também frequentaram o Birô de Atendimento realizado no Espaço Pasárgada, onde puderam conversar com os coordenadores e assessores das linguagens da Secult-PE / Fundarpe e tirar dúvidas sobre os editais. Esta foi a primeira edição do Birô.

“Tivemos o maior cuidado de fazer todo esse processo de capacitação antes do encerramento do prazo de inscrição no Cadastro de Produtor Cultural (CPC). Este cadastro permite que o produtor e artista inscreva seu projeto no Funcultura”, explicou a Gerente de Formação e Capacitação da Secult-PE, Tarciana Portella. Outra inovação foi o recebimento dos documentos dos participantes das capacitações, interessados em se inscrever no CPC, pelos técnicos da secretaria que acompanhavam todo o processo de formação.

Reforçando o processo de regionalização do Funcultura, várias oficinas foram realizadas em cidades do sertão e agreste do Estado. E também pela primeira vez em diversos bairros periféricos da capital, como no Ibura e Alto Santa Terezinha, além de cidades da Região Metropolitana do Recife como Camaragibe e Igarassu. O principal objetivo é descentralizar e democratizar o acesso aos bens e serviços culturais, que o Estado tem obrigação de garantir à sua população.

Casa da Cultura – Uma das oficinas foi realizada na Casa da Cultura Luiz Gonzaga nos últimos dias 9 e 10 de fevereiro, numa pré-estreia das atividades do programa Pernambuco Criativo neste espaço público localizado no bairro de Santo Antônio, bem no centro de Recife. Com o objetivo de estimular a economia criativa do estado, e resgatando a ideia original da reforma da antiga Casa de Detenção – a criação de um centro de formação e valorização da tradição cultural -, serão realizados cursos de qualificação, oficinas, atendimentos, workshops, palestras e debates, dentre outras atividades ligadas à Economia da Cultura.

Para isso, o local tem recebido obras de reforma, além da aquisição de equipamentos. Isso favorece o uso do espaço para as atividades de economia criativa, além de apresentações artísticas.

Funcultura – O edital Funcultura Geral vai incentivar com R$ 17,5 milhões a produção, a difusão, a pesquisa e a formação nas seguintes linguagens artísticas e áreas culturais: Artesanato; Artes Plásticas e Gráficas; Circo; Cultura popular; Dança; Design e Moda; Fotografia; Gastronomia; Literatura; Ópera; Patrimônio; e Teatro. Existe ainda a categoria Artes Integradas, que possibilita projetos que promovam o diálogo entre diferentes linguagens.

Já o primeiro edital do Funcultura Música oferecerá mais recursos, e portanto mais projetos contemplados nesta área. Estão garantidos R$ 4,55 milhões exclusivamente para os projetos ligados à cadeia da música no Estado.

As inscrições para os editais ocorrerão no período entre 2 e 31 de março de 2017.

Share

Jovens apresentam resultado de oficina em Bom Jesus (PI)

Durante toda a semana cerca de 20 jovens e crianças participaram da oficina de palhaçaria no Espaço Cultural Mestre Joaquim Carlota, em Bom Jesus. Na noite desse sábado (18) eles apresentaram o resultado com o espetáculo “Reprises de Palhaço” durante a programação de carnaval no Beco da Folia. Shows musicais com as bandas Levata, Flaviano e Banda e Lene Alves também fizeram parte da programação.IMG-20170219-WA0006

A oficina recebeu alunos de todas as idades que puderam aprender os princípios básicos para ser um bom palhaço. Além de trabalhar a postura, os alunos também tiveram aulas de improvisação, presença de palco e reprises de palhaço.

“Alguns deles já tinham alguma noção porque participavam de um pequeno circo montado em casa, o do palhaço pipoca. Eles são muito talentosos e fizeram uma apresentação para o Whindersson Nunes, que é da terra. Ele gostou, postou o vídeo em sua página e já está com mais de 1 milhão de visualizações”, contou o professor Jimmy Charles.

IMG-20170219-WA0007

A prévia carnavalesca em Bom Jesus visa atingir também o público infantil com pintura de rosto, produção de esculturas com balões e passeios no Trem da Alegria, para crianças de até 11 anos. A programação segue até este domingo (19) com apresentação de Lene Alves e Banda, Lene Silva e Groove da Negona e Banda Levata.

O Beco da Folia é uma realização da Associação dos Filhos e Amigos de Bom Jesus com o apoio da Secretaria Estadual de Cultura – Secult.

Gleyca Lima / Ascom Secult Piauí

Share

Noite para os Tambores Silenciosos inicia semana pré-carnavalesca em Olinda

Com o propósito de manter a tradição dedicada à religiosidade de culturas afro e os seus ancestrais, a 13ª Noite para os Tambores Silenciosos de Olinda acontece hoje, reunindo dez maracatus nação e reverenciando o Mestre Roberto Nogueira, do Maracatu Nação de Luanda. A cerimônia de louvação, que será comandada pelo Mestre Afonso Aguiar, do Maracatu Leão Coroado, Patrimônio Vivo de Pernambuco, é realizada pela Associação dos Maracatus de Olinda (Amo Cultural), contando com o apoio do Governo de Pernambuco, por meio da Fundarpe.

Foto: Passarinho/Prefeitura de Olinda

Foto: Passarinho/Prefeitura de Olinda

Tradição tem seu ápice na Igreja do Rosário dos Homens Pretos, localizada no bairro do Bonsucesso.

O ato de louvação se inicia a partir das 20h, com concentração na Praça de São Pedro, de onde o cortejo seguirá pela rua Prudente de Morais, Quatro Cantos, Rua do Amparo, Largo do Amparo, Ladeira do Bonsucesso, até chegar a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos. Estarão participando o Maracatu Leão Coroado, Maracatu Nação Camaleão, Maracatu Nação Badia, Maracatu Nação Axé da Lua, Maracatu Nação de Luanda, Maracatu Nação Maracambuco, Maracatu Nação Pernambuco, Maracatu Nação Estrela de Olinda, Maracatu Nação Tigre e o Maracatu Almirante do Forte, convidado especial desta edição.

Ao logo do trajeto, batuques de tambores e cânticos engrandecem o ritual. Já na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, cada um dos maracatus participantes cantará algumas loas, dando espaço para o próximo, até a chegada do último quando se reúnem para realização do ritual religioso que começa a 00h00, com cantos africanos entoados pelo zelador de santo. Durante a cerimônia, a frente da igreja é banhada de perfume e, ao final, acontece um dos momentos mais emocionantes da cerimônia, o rufar dos tambores que permanecerão em silêncio durante a celebração, acompanhados da já tradicional queima de fogos.

O Largo do Rosário, abriga e acolhe a nossa herança histórica, mestiça e sincrética simbolizada pela tradição do Rosário, dos seus maracatus e da convivência do diverso. Há meia noite, saudando mais uma vez os nossos ancestrais, encerramos a cerimônia com os dez maracatus em regresso e sua missão cumprida.

Programação:

Concentração: Quatro Cantos às 20:00hs
Cerimonia Religiosa: Largo da Igreja do Rosário dos Homens Pretos de Olinda às 00:00hs

Maracatus participantes:

Nação Leão Coroado;
Nação Camaleão;
Nação Badia;
Nação Maracambuco;
Nação Axé da Lua;
Nação de Luanda;
Nação Pernambuco;
Nação Estrela de Olinda;
Nação Tigre

Convidado: Nação Almirante do Forte

Serviço:
16ª Noite para os Tambores Silenciosos de Olinda
Quando: Segunda-feira, 20 de fevereiro
Concentração: às 20h, nos Quatro Cantos, Sítio Histórico de Olinda, de onde o cortejo seguirá em direção ao Largo do Rosário dos Homens Pretos, no bairro do Bonsucesso.
Acesso gratuito

Share

Nota de esclarecimento: Vale-Cultura

vale-interna-1O Programa de Cultura do Trabalhador, que criou o Vale-Cultura, foi instituído em Lei e não tem prazo de término. O que tem previsão de término no exercício 2017, ano-calendário 2016, é o incentivo fiscal concedido às empresas que são tributadas com base no lucro real.  Entretanto, a renovação desse incentivo já está em tramitação e deve ser publicada em breve.

Além do benefício fiscal, TODAS AS EMPRESAS que participam do programa, ofertando o Vale-Cultura aos seus funcionários, têm benefícios sociais e trabalhistas, independentemente do seu regime de tributação.

Vale-Cultura. Bom para empresa! Bom para o Trabalhador!

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share