Arquivo do autor:Comunicação - Representação Regional Nordeste do MinC

Prorrogado o Edital de Apoio à Tradução e à Publicação de Autores Brasileiros no Exterior

No último dia 3 de maio, a presidente da Biblioteca Nacional, Helena Severo, assinou Decisão Executiva que prorroga a vigência do Edital de Apoio à Tradução e à Publicação de Autores Brasileiros no Exterior até 12 de junho de 2018.O documento foi divulgado no Diário Oficial da União no dia 5.

Dessa forma, duas novas reuniões de avaliação foram incluídas no cronograma:

  • 6ª reunião, a ser realizada em setembro de 2017; e
  • 7ª reunião, a ser realizada em abril de 2018.

O documento traz detalhamento de todas as fases e etapas previstas para cada uma das reuniões de avaliação, a saber:

Etapa 6ª Reunião 7ª Reunião
Prazo para recebimento de inscrições 31/8/2017 5/3/2018
Divulgação da lista de inscrições habilitadas 4/9/2017 7/3/2018
Prazo para envio de recursos 6/9/2017 9/3/2018
Divulgação da lista final de inscrições habilitadas 8/9/2017 12/3/2018
Data da reunião 25/9/2017 2/4/2018
Divulgação da lista de projetos aprovados 2/10/2017 9/4/2018
Share

ANCINE lança edital para credenciamento de pareceristas externos

FSA ANCINEA Agência Nacional do Cinema – ANCINE lançou nesta segunda-feira, 22 de maio, edital para credenciamento de  profissionais do mercado audiovisual para atuarem como pareceristas na avaliação das propostas inscritas em Chamadas Públicas do Fundo Setorial do Audiovisual – FSA. As inscrições ficam abertas até o dia 4 de julho.

Para se candidatar ao credenciamento, os profissionais devem preencher ao menos um dos requisitos abaixo:

:: ter participado como roteirista, script doctor, diretor, diretor de animação ou produtor em pelo menos duas obras de longa-metragem, telefilme ou série de ficção, animação ou documentário exibidas comercialmente nos últimos 10 anos;

:: ter participado como membro de comissão de seleção em no mínimo dois processos seletivos públicos, realizados por pelo menos duas entidades da administração pública ou organismo internacional, nos últimos 10 anos;

:: ter participado como parecerista de projetos de obras audiovisuais no Ministério da Cultura, no FSA, no Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE, ou na ANCINE, nos últimos 10 anos;

:: ter atuado na seleção de conteúdo, nas funções de distribuidor, programador, gerente de conteúdo, diretor de conteúdo ou função semelhante por, no mínimo 3 anos, em empresas distribuidoras, programadoras ou exibidoras;

:: ter atuado como jurado ou curador na seleção de filmes em no mínimo três edições de festivais nacionais ou internacionais de cinema nos últimos 10 anos; ou

:: ter lecionado disciplina relacionada ao audiovisual em cursos de nível superior em instituição autorizada pelo Ministério da Educação durante um mínimo de 5 anos.

Os interessados têm até as 18h do dia 4 de julho para solicitar o credenciamento por meio de inscrição eletrônica no Portal ANCINE. Será necessário ainda apresentar documentação que comprove a experiência profissional. O edital, os documentos relativos ao processo de habilitação e o valor da remuneração podem ser consultados aqui.

As inscrições serão avaliadas por uma Comissão que divulgará uma decisão preliminar de habilitação da qual caberá recurso no prazo de 10 dias corridos. Após a decisão da Diretoria Colegiada da ANCINE sobre os recursos, a decisão final de habilitação será publicada no Diário Oficial da União. A ordem de contratação e distribuição de projetos audiovisuais para os pareceristas credenciados será definida em sorteio eletrônico realizado em sessão pública.

Os credenciados ficarão responsáveis por emitir parecer detalhado que expresse opinião sobre aspectos relevantes do projeto avaliado. As notas deverão estar de acordo com as normas e critérios estabelecidos nas chamadas públicas do FSA, observando as orientações e modelos de avaliação fornecidos pela ANCINE ou pelo BRDE.

Share

Descentralização da cultura, maior transparência e eficiência marcaram gestão Freire no MinC

30938026893_5b67408129_z (1)Foi publicada em edição extraordinária no Diário Oficial da União da última segunda-feira (22) a exoneração de Roberto Freire do posto de ministro da Cultura. Durante os seis meses em que esteve à frente do Ministério da Cultura (MinC), Freire implantou medidas importantes para aumentar a transparência da pasta, melhorar a eficiência da gestão e descentralizar o fomento cultural.

Destaca-se como uma das principais marcas da sua gestão a reformulação da Lei Rouanet, no sentido de democratizar o acesso e o fomento à cultura e dar mais transparência à prestação de contas dos proponentes. Buscou democratizar também a formulação da política nacional do cinema, ao dar posse a especialistas e representantes da sociedade civil no Conselho Superior de Cinema (CSC), defendendo uma atuação mais forte dos cineastas brasileiros, que estavam ausentes na composição do CSC.

Merecem destaque ainda o incentivo à leitura por meio de apoio a 11 feiras literárias e a criação do Prêmio Monteiro Lobato de Literatura Infanto-Juvenil, em parceria com o governo português; o lançamento dos dois primeiros volumes do Atlas Econômico da Cultura Brasileira; a retomada de projetos culturais emblemáticos, como Pixinguinha e Mambembão; além de editais de premiação a produções culturais nos campos do audiovisual e culturas populares. Freire encaminhou ainda as reformas da Biblioteca Demonstrativa Maria da Conceição Moreira Salles e do Teatro Nacional Cláudio Santoro, em Brasília.

Veja abaixo balanço completo da gestão de Roberto Freire na liderança da pasta da Cultura, de 23 de novembro de 2016 a 18 de maio de 2017.

Nova Lei Rouanet

Em março de 2017, Freire anunciou uma série de alterações na Lei Rouanet, por meio de Instrução Normativa, para corrigir as principais distorções. Entre as mudanças, destacam-se o estabelecimento de um teto para o preço de ingressos e de mecanismos para promover a descentralização de recursos para investimentos. Com isso, possibilita democratizar o acesso aos recursos do incentivo fiscal e aos produtos culturais e evitar a concentração por proponente (pessoa física ou jurídica que apresenta o projeto), região do país, projeto e beneficiário (público que consome). Também foi criada a prestação de contas em tempo real, via internet, a partir de ferramentas tecnológicas que aumentam o controle, a fiscalização e a transparência dos projetos. Além disso, as novas regras otimizam os fluxos de análise de projetos, o que deve reduzir o tempo médio entre a admissão de um projeto e sua execução e desonerar os gastos do Estado com a análise de projetos sem perspectiva real de viabilidade de execução.

Contratação de profissionais para desafogar passivo de prestação de contas dos projetos culturais do MinC

Freire articulou com o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão a liberação de 40 profissionais temporários para intensificar a força-tarefa para otimizar a análise de prestação de contas de projetos realizados com o incentivo fiscal via Lei Rouanet, de convênios de Pontos de Cultura e de contratos de audiovisual. O profissionais formam cadastro reserva do processo seletivo simplificado realizado pelo MinC conforme o edital nº 001/2013.

Democratização e maior atuação do Conselho Superior de Cinema (CSC)

Freire inovou a composição do CSC, dando posse a especialistas e representantes da sociedade civil, com grandes nomes do setor audiovisual e do cinema nacional, como os cineastas Bruno Barreto e Cacá Diegues. Defendeu uma atuação mais forte e presença mais representativa dos cineastas brasileiros, que estavam ausentes na composição do Conselho. “Não pretendo que seja um conselho de imposições ou de fácil consenso, com um caráter meramente homologatório. Nesta gestão, o CSC estará à frente das diretrizes e definições sobre o audiovisual e o cinema brasileiro”, afirmou. Pouco antes de deixar a pasta, o ministro estava dando encaminhamento aos trâmites oficiais para assegurar ao Conselho a atribuição de indicar a comissão que define os filmes brasileiros que vão ao Oscar e outros festivais de cinema – o que é atualmente feito pelo Ministério da Cultura.

Relançamento do Projeto Pixinguinha

Moraes Moreira e o grupo A Cor do Som rememoraram o encontro histórico que tiveram no palco em 1978 pelo projeto Pixinguinha (Fotos: Diego Mendes)

Freire retomou uma das iniciativas mais emblemáticas e virtuosas da cena cultural brasileira entre os anos 1970 e 1980: o Projeto Pixinguinha. Extinto em 2009, o projeto foi relançado por Freire em novo formato, agora com a preocupação em descentralizar as caravanas e incentivar as apresentações não só nas capitais e grandes cidades, mas também nos municípios do interior. Haverá 60 espetáculos musicais, realizados em 60 cidades das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul, entre os meses de maio e novembro de 2017. Serão selecionadas 15 duplas de artistas, formadas por um artista consagrado e um mais novo, associado à região onde os espetáculos serão realizados. Cada dupla ficará responsável pela apresentação de quatro espetáculos musicais, percorrendo quatro cidades de uma determinada região.

Retomada do Projeto Mambembão

Freire estava em vias de relançar também o Projeto Mambembão, que fez sucesso nas décadas de 1970 e 80, quando abriu espaço para que montagens teatrais aplaudidas fora do eixo Rio-São Paulo conseguissem chegar ao Sudeste. O objetivo era colocar na estrada montagens que se destacaram em sua região de origem, seja pelo sucesso do público ou elogios da crítica.  No novo Mambembão, idealizado por Roberto Freire, serão apresentados 70 espetáculos, que farão 1.050 apresentações divididas entre as regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste. As melhores apresentações, escolhidas pela Funarte, farão um tour por todas as regiões, esclareceu o diretor designado do Centro de Artes Cênicas (Ceacen) da Funarte, Ginaldo de Souza.

Criação do Atlas Econômico da Cultura Brasileira

Um trabalho, inédito no Brasil, fundamental para a compreensão da importância da cultura na composição do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Em evento realizado no Itaú Cultural, em São Paulo, o Ministério da Cultura promoveu o lançamento dos dois primeiros volumes da Coleção Atlas Econômico da Cultura Brasileira. Ao todo, serão seis obras que pretendem, utilizando metodologia e critérios unificados de aferição, dimensionar o impacto da cultura na economia do País. Por meio do Atlas, Freire pretendia conscientizar até mesmo o Governo Federal de que, em vez de se cortar recursos da Cultura em um momento de crise, é importante fazer o contrário: investir em Cultura para movimentar a economia e fazê-la crescer. Com investimento de R$ 1,3 milhão por parte do MinC, a obra completa da coleção tem conclusão prevista para abril de 2018. Em junho deste ano, deve ser lançado o terceiro volume.

Apoio a feiras literárias

Ampliar o incentivo e o acesso à leitura foi uma das metas perseguidas pela gestão Freire. Em contato com prefeitos e governadores, o MinC articulou o apoio a 11 feiras literárias, prevendo um investimento de cerca de R$ 2,1 milhões. A primeira delas será a Feira Literária Pan Amazônica (PA), com financiamento no valor R$ 300 mil. Além desta, foram iniciadas tratativas para convênios para realização de eventos literários em Passo Fundo (RS), Ponta Grossa (PR), Montes Claros (MG), Jandaíra (BA), Teresina (PI), Campos dos Goytacazes (RJ), Rio Branco (AC), Fortaleza (CE), Palmeira dos Índios (AL) e na região do Cariri (CE).

Criação do Prêmio Monteiro Lobato

Ministros da Cultura do Brasil e de Portugal assinam documento de lançamento do Prêmio Monteiro Lobato de Literatura, em Salvador (Foto: Nayhara Queiroz)

Em parceria com o governo português, o MinC criou o Prêmio Monteiro Lobato de Literatura para a Infância e a Juventude, que tem paralelo com o Prêmio Camões de Literatura, mas será destinado exclusivamente a autores (escritores e ilustradores) que publiquem livros voltados ao público formado por crianças e adolescentes. Assim como no Camões, a comissão julgadora será composta por representantes do Brasil, de Portugal e de países africanos de língua oficial portuguesa. A premiação vai consagrar, a cada dois anos, um escritor e um ilustrador de livros de língua portuguesa para a infância e a juventude. O valor da premiação não foi divulgado, mas a expectativa é que seja igual ao do valor do Prêmio Camões, que concede 100 mil euros ao vencedor. A divulgação do Prêmio foi feita durante a X Reunião de Ministros da Cultura da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Salvador (BA). A capital baiana foi eleita este ano capital da cultura dos países de língua portuguesa em 2017 e 2018, por indicação de Freire.

Reabertura da Biblioteca Demonstrativa

O “envelopamento” da Biblioteca Demonstrativa Maria da Conceição Moreira Salles simboliza a retomada dos trabalhos para a reabertura da unidade pela nova gestão, prevista para ocorrer até o fim deste ano (Foto: Janine Moraes/Ascom MinC)

Sob a gestão Freire, o Ministério da Cultura instalou uma estrutura de painéis em frente à fachada da Biblioteca Demonstrativa Maria da Conceição Moreira Salles (BDB), em Brasília (DF), fechada desde 2014. O “envelopamento” sinaliza a retomada dos trabalhos para a reabertura da unidade pela nova gestão, prevista para ocorrer até o fim deste ano. A Comissão de Licitação do Ministério da Cultura também selecionou a empresa responsável por elaborar os projetos executivos de arquitetura e complementares de engenharia para reforma e modernização da biblioteca.  A biblioteca vai oferecer maior acessibilidade para pessoas com deficiência, com um parque tecnológico com equipamentos de tecnologia assistiva. A instituição ainda terá um café e um espaço de convivência, uma sala flexível que poderá servir de auditório, sala de aulas ou de estudos. Uma curadoria digital, com midiateca integrada, possibilitará ao usuário, especialmente ao mais carente, utilizar equipamentos tecnológicos modernos, como computadores e aparelhos de áudio e vídeo.

 
Reforma do Teatro Nacional

Fachada do Teatro Nacional Rodrigo Santoro, em Brasília (Foto: João Cruz)

Apesar de o Teatro Nacional Cláudio Santoro, em Brasília, ser de responsabilidade do Governo do Distrito Federal (GDF), Freire tomou para si o compromisso de contribuir para reativação da obra de Oscar Niemeyer fechada desde 2014. Defendia ser inadmissível equipamento cultural de tal magnitude, localizado em plena Esplanada dos Ministérios, estar desativado. Pouco antes de deixar o MinC, em maio, Freire e o governador do Distrito Federal (GDF), Rodrigo Rollemberg, definiram os termos da cooperação entre os dois órgãos, que garantirá a reforma do Teatro Nacional Cláudio Santoro, por meio de um Chamamento Público para que uma Organização Social Sem Fins Lucrativos apresente projeto via Lei Rouanet ao MinC, a partir do qual poderá ser feita a captação dos recursos necessários para as obras.

Editais de Cinema

Sob a gestão de Freire, o MinC voltou a patrocinar festivais, proposta que estava paralisada há mais de dez anos. Freire anunciou também o lançamento de editais inéditos no MinC que atendem às demandas do mercado e ao advento de novas tecnologias. O objetivo é lançar sete editais de fomento à produção audiovisual para valorizar novos talentos e incentivar a diversidade cultural. Um deles tem como foco canais culturais na web – juventude vlogueira. Outro, voltado para o desenvolvimento de aplicativos culturais. Ainda estão previstos os editais de longa-metragem documentário; curta-metragem; mostras e festivais; desenvolvimento de roteiro; e de credenciamento de especialistas.

Prêmio Literário Ferreira Gullar

O MinC, na gestão Freire, lançou este novo edital para desenvolvimento de jogos e aplicativos inspirados na obra de Ferreira Gullar, no valor total de R$ 30 mil, destinado a alunos dos ensinos fundamental e médio.

 

Edital de Culturas Populares

Com o intuito de valorizar as culturas populares, como o cordel, o maracatu, as quadrilhas dentre outros, Freire criou o Edital “Leandro Gomes de Barros”, em homenagem ao cordelista paraibano homônimo, considerado o rei dos poetas populares do seu tempo. O edital deve ser lançado ainda este semestre. Vai entregar 500 prêmios no valor total de R$ 6 milhões. Nunca o Ministério da Cultura contemplou tantas iniciativas no mesmo edital. É o primeiro edital de cultura popular lançado pelo MinC desde 2015 e o primeiro a ser lançado com recursos próprios desde 2012.

 

Edital de Cultura de Paz

Freire também criou o prêmio Incentivo à Cultura de Paz do MinC, a ser lançado este ano, que incluirá 80 iniciativas do universo LGBT entre os 300 projetos escolhidos. A ideia de Freire é premiar ideias “que promovam transformações socioculturais positivas nas comunidades em que estão desenvolvidas”.

Lançamento do Plano de Dados Abertos

A iniciativa, que será lançada ainda este semestre, consolidará em um único repositório dados de todo o campo cultural. A sociedade terá acesso às informações mantidas pelas instituições públicas, aumentando a transparência e estimulando sua reutilização na geração de novos serviços e produtos. Os dados serão disponibilizados pelo endereço http://dados.cultura.gov.br/. A iniciativa é resultado de esforços que envolveram todas as unidades do Sistema MinC: as Secretarias e vinculadas, como o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Fundação Nacional de Artes (Funarte), Agência Nacional do Cinema (Ancine), Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB) e a Fundação Biblioteca Nacional (FBN).

 

Criação do GT do Depósito Legal

Diante da dificuldade de manter todo o acervo bibliográfico nacional na Biblioteca Nacional em um único local, um desafio pendente há anos sem ser debatido, Freire criou um Grupo de Trabalho formado por servidores e representantes do setor para discutir e propor novas formas de gestão do depósito legal e garantir o controle bibliográfico nacional. O grupo discutirá a possibilidade de descentralizar o armazenamento das obras e viabilizar que publicações em outros formatos digitais também sejam contempladas.

Gestão compartilhada da Serra da Capivara

Em janeiro, Freire viajou até o Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí, para assinar um acordo de cooperação para a gestão compartilhada do Parque em parceria com ICMBio, Governo do Estado, Iphan e a Fundação do Homem Americano (Fumdham). O local, que tem a maior quantidade de sítios arqueológicos pré-históricos das Américas e é considerado Patrimônio Cultural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), é extremamente carente de investimentos do governo federal.

Parque Histórico Nacional dos Guararapes (Foto: Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes)

Revitalização do Parque Histórico Nacional dos Guararapes (PE)

Freire, em parceria com o ministro da Defesa, Raul Jungman, com o Governo de Pernambuco e a Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, lançaram projeto de revitalização do Parque Histórico Nacional dos Guararapes, no município do Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife. Além da recuperação e requalificação do Parque – Patrimônio Histórico Nacional -, o projeto, preparado por meio da Lei Rouanet, receberá, inicialmente, um investimento de R$ 5 milhões para a construção de um novo memorial. O objetivo é preservar a memória do equipamento e homenagear a participação de brasileiros na Batalha dos Guararapes, ocorrida em 1648.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share

BAHIA: Oficinas de Teatro Lambe-Lambe no Auditório da Funceb

img email e site_lambe lambeNo próximo dia 31 de maio, quarta-feira, começam a oficina de Teatro Lambe-Lambe, com Denise Di Santos e Ismine Lima. A aulas acontecerão até o dia 04 de agosto, sempre as segundas e quartas-feiras, das 14h às 17h, no Auditório do Liceu na Fundação Cultural do Estado da Bahia. Podem se inscrever os interessados a partir de 14 anos e a inscrição tem o valor de R$ 25 (vinte e cinco reais).

Criado por Denise Di Santos e Ismine Lima no final da década de 80, o Teatro Lambe-Lambe, também conhecido como Teatro de Miniaturas, é inspirado nas antigas caixas de fotografia lambe-lambe e é uma forma de teatro de animação que vem tomando proporções significativas ao longo dos anos e levando arte para todos os cantos, largos, ruas e praças.

Serão proporcionados, nos encontros, os conhecimentos básicos para a animação de bonecos, o estudo da dramaturgia visual do Lambe-Lambe, a construção da caixa de teatro Lambe-Lambe, estudo pratico e teórico de cenários, sonorização e iluminação, culminando com uma mostra pública.

A Oficina de Teatro Lambe-Lambe é uma realização da Associação do Teatro de Lambe-Lambe em parceria com a Funceb, entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Teatro Lambe-Lambe – A arte consiste em um espetáculo de teatro feito em uma caixa, coberta por um pano preto, em frente à qual o expectador é colocado para assistir o espetáculo de bonecos em miniatura, proporcionando um espaço para o olhar, com muita intensidade dramática.

Na oficina o participante terá a oportunidade de criar seu próprio espetáculo e transformá-lo em um aprendizado e ferramenta de trabalho, estudando as possibilidades da dramaturgia do teatro, com roteiro e montagem do espetáculo de 2 a 3 minutos, dimensionando-o em sua complexidade, no que impulsiona a sua peculiaridade com o teatro de Lambe-Lambe.

Serviço:

Oficina de Teatro Lambe-Lambe

Quando: de 31 de maio, quarta-feira, até 4 de agosto
Onde: Auditório Liceu/Funceb
Inscrição: Presencial no dia 31 de maio, a partir das 13h
Valor: R$25
Informações: (71) 99162-5966/juliquerino@gmail.com

 

Share

PERNAMBUCO: INCITI exibe curtas do Festival do Minuto

icone+assinaturaEntre os dias 24 e 26 de maio a sede do INCITI, grupo de pesquisa da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), exibirá curtas metragens do Festival do Minuto. As sessões, que são gratuitas e acontecerão sempre às 19h, incluem a seleção dos Melhores Minutos de 2016, com vídeos que abrangem diversos assuntos e técnicas, Mostra Universitária, com vídeos produzidos por estudantes e professores, Animação Infantojuvenil, que traz animações lúdicas, em técnicas de colagem, 3D e stop motion, além dos Mapas Afetivos da Cidade, que reúne produções que colecionam memórias da urbe.

O Festival, criado no Brasil em 1991, inspirou a criação de festivais do minuto em mais de 50 países. Ao longo destes 26 anos, mais de 50 mil vídeos minutos, dos 4 cantos do planeta, foram enviados para o Festival. A partir de 2007, o evento tornou­-se permanente e online, passando a realizar inúmeros concursos no decorrer do ano.

Fora do mundo virtual, o Festival acontece em mais de 100 cidades brasileiras e, em 2017, a rede de exibição do minuto ocorre em mais de 300 espaços espalhados em todos os estados do Brasil. A iniciativa tem por finalidade promover a difusão gratuita da produção audiovisual independente.

Então, prepare a pipoca e venha assistir as produções de minuto! Confira abaixo a programação:

24 de maio (quarta-feira)
19h
Mostra Animação Infantojuvenil (livre, 20 min): animações lúdicas voltadas para o público mais novo do festival. Colagem, 3D e stop motion estão entre as técnicas utilizadas.

19h30
Mostra Universitária (livre, 24 min): vídeos produzidos por estudantes e professores;

25 de maio (quinta-feira)
19h
Mostra Mapas Afetivos da Cidade (livre, 37 min): produções que colecionam memórias da cidade.


26 de maio (sexta-feira)
19h
Melhores Minutos 2016 (livre, 52 min): seleção de vídeos que abrange diversos assuntos e técnicas. Vídeos filmados com celular, animações, vídeo arte, entre outros;

Serviço:

Festival do Minuto 2017
Onde: INCITI/UFPE, Rua do Bom Jesus, 191, Bairro do Recife, Recife – PE
Quando: 24, 25 e 26 de maio
Hora: 19h
Entrada Franca
Informações: (81) 3037-6689

 

Share

Ponto de Cultura Centro de Capoeira São Salomão no Recife estreia em junho o Projeto “Terreiro Musical”

No próximo dia 03 de junho, o Ponto de Cultura Centro de Capoeira São Salomão (único Ponto de Cultura de Capoeira do estado de Pernambuco) estreia mais um projeto musical na casa: o Terreiro Musical. Uma vez por mês o Ponto de Cultura abrirá as portas da sua sede, um charmoso casarão situado no bairro da Várzea, Zona Oeste do Recife, para a  realização de apresentações musicais, numa parceria com grupos, bandas e artistas da cidade e do estado, como uma maneira de fortalecer as ações do Ponto de Cultura e valorizar e fomentar a nossa cena musical.

18361326_10154716940682956_1248114804_n

Foto: Divulgação

 

 

Forró Rabecado

Em sua primeira edição, que acontecerá no próximo dia 03 de junho às 20h, já esquentando para as festas juninas da cidade, o Terreiro Musical traz a presença luxuosa do Forró Rabecado. Surgido em 2000, a partir da união dos músicos Publius (bandolim e voz), Gustavo Azevedo (pife, rabeca e voz), Juliano Holanda (baixo e viola de 10), Carlos Amarelo (percussão) e Bruno Vinezof (percussão), o  Forró Rabecado, que iniciou como uma séria brincadeira com o forró como sua fonte de inspiração musical, é um dos mais conhecidos grupos de forró da atualidade na cidade. Tendo lançado dois CDs e um DVD, o Forró Rabecado é aclamado por seu show dançante que mistura a sonoridade de instrumentos tradicionais da cultura nordestina (bandolim, rabeca, pife e viola de 10 cordas) e ritmos do Norte e Nordeste, como o xote o baião, o forró, o carimbó, o côco e o samba.

Terreiro Musical

O evento contará também com uma feirinha empreendedora, com exposições e vendas de artesãos e empreendedores locais, além do bistrô de comedoria que fica dentro do espaço. O projeto “Terreiro Musical” estreia dia 03 de junho, das 21h às 23h, no Ponto de Cultura Centro de Capoeira São Salomão, que fica situado à Rua Amaro Gomes Poroca, 267, no bairro da Várzea-Recife. Os ingressos custam R$ 15,00 (preço único). Maiores informações pelos fones:  9 9172-1957 (Dani Gouveia) ou 9 9761-6984 (Gabi Apolonio), ambos WhatsApp.

.

Share

Pernambuco: Primeiro Museu de Camaragibe promove atividades em maio

Criado em agosto do ano passado, o Museu da Cultura Popular Vera Galvão é uma iniciativa do Centro Comunitário Vivendo e Aprendendo, organização comunitária e Ponto de Cultura de Camaragibe que desenvolve, há 32 anos, várias atividades culturais no município.

O primeiro museu de Camaragibe exibe peças da cultura popular do município (Divulgação)

O primeiro museu de Camaragibe exibe peças da cultura popular do município (Divulgação)

O museu comunitário, criado em homenagem à educadora social e ativista pela valorização da cultura popular Vera Galvão, promove neste mês de maio uma programação em sua homenagem e celebra o Dia Internacional dos Museus, comemorado no dia 18 de maio. Com atividades diárias, o espaço abrirá para grupos escolares, moradores e visitantes em geral. Normalmente, o Museu abre todas as quartas e sextas-feiras, das 9h às 12h e das 14h às 17 h. No segundo domingo de cada mês, o museu fica aberto durante todo o dia.

Atualmente, o museu conta com um acervo de mais de 450 objetos, as quais estão peças de vestuário, brinquedos populares, utensílios domésticos, objetos decorativos, entre outros. Vale destacar que todas as peças deste acervo são provenientes de doações de antigos moradores da cidade, principalmente daqueles situados nas camadas mais populares e periféricas do município. Além de estar em contato com objetos que resguardam a memória do passado dos moradores de Camaragibe, os visitantes também poderão desfrutar de uma paisagem rural, espaço agroecológico, bodega para venda do artesanato local, remédios caseiros e uma mostra fotográfica do Patrimônio Histórico Cultural da cidade.

A importância do museu e sua função social consiste em fortalecer a cultura popular e resgatar a memória dos seus moradores: “É o primeiro museu da cidade de Camaragibe. Somos pioneiros nessa atividade, onde pretendemos promover o resgate da cultura popular. Os mais idosos têm, agora, a oportunidade de recordar a infância e os mais jovens de conhecer”, conclui Elis Galvão, atual coordenadora do Ponto de Cultura Vivendo e Aprendendo.

Para mais informações, entrar em contato pelo telefone (81) 3458 2211.
A entrada custa R$ 2 (dois reais) por pessoa.

SERVIÇO
Exposição em homenagem à Vera Galvão, no Museu da Cultura Popular Vera Galvão
Rua Frois de Abreu, 140 – Celeiro das Alegrias Futuras – Camaragibe – PE
Quartas e sextas-feira, das 09h às 12h e das 14h às 17h
A entrada custa R$ 2,00 (dois reais) por pessoa
Informações e agendamento: (81) 3458.2211
Veja mais: https://facebook.com/PontodeCulturaVivendoeAprendendo

Share

Congresso Nacional vai analisar MP que prorroga Recine

O Congresso Nacional instalou, na última quarta-feira (17), a Comissão Mista da Medida Provisória 770/2017, que prorroga até 31 de dezembro o prazo para utilização do benefício fiscal do Regime Especial de Tributação para Desenvolvimento da Atividade de Exibição Cinematográfica (Recine). Na prática, o Recine suspende a cobrança de todos os tributos federais que recaem sobre a aquisição de equipamentos e materiais necessários à construção ou modernização de salas de cinema.recine_2-01
Com o incentivo, deixam de ser cobrados de investidores e exibidores o PIS, a Cofins, o Imposto de Importação e o IPI que incidem sobre as operações no mercado interno ou na importação dos equipamentos. Instituído por meio da Lei 12.599/2012, o Recine tem por objetivo fortalecer a sustentabilidade e a viabilidade econômica da atividade de exibição cinematográfica, especialmente dos projetos financiados com recursos da União. A redução de custos ajuda a viabilizar os investimentos e empréstimos do Fundo Setorial do Audiovisual, previstos pelo Programa Cinema Perto de Você, e confere sustentabilidade às salas do Projeto Cinema da Cidade, ambos geridos pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC).

A segunda reunião do colegiado, composto por deputados e senadores, ainda não tem data marcada para ocorrer. Os integrantes da comissão irão avaliar a proposta que, se for aprovada, seguirá para votação nos plenários da Câmara dos Deputados e do Senado. A comissão ainda aguarda a designação de relator.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

Share

Cine Jardim exibe o premiado Martírio e inova com exibições em comunidades rurais

O Cine Jardim – Festival Internacional de Cinema de Belo Jardim (PE) chega à sua 3ª edição com o tema Cinema Social e de Identidade, de 22 a 27 deste mês. Mais de 70 títulos foram selecionados, entre cerca de 800 inscritos, e serão exibidos. Há curtas, nacionais e internacionais, e longas-metragens, estes na mostra competitiva. São cinco: os ficcionais Elon Não Acredita na Morte e Fome mais os documentários Jonas e o Circo Sem LonaXale e Martírio, filme já premiado no Festival de Brasília, na Mostra São Paulo e no Janela, entre outros festivais.

“É importante ter esta janela aberta no interior, especialmente para compreender e apreciar outros mundos reais e possíveis. Na mágica tela branca são projetadas infinitas possibilidades de encontros e intercâmbios com um único compromisso, o de fazer este mundo mais humano e mais perto de todos nós”, diz Leo Tabosa, da Pontilhado Cinematográfico, responsável pela realização do festival junto com o Instituto Conceição Moura. Produções de várias partes do Brasil e de outros países, como França, Portugal, Coreia do Sul e Eslováquia, já integraram o festival.

Nessa missão de interiorizar ao máximo o cinema, uma novidade nesta edição são as exibições ao ar livre, programadas para acontecer em três localidades distantes da sede do município de Belo Jardim: em Água Fria, na comunidade quilombola do Barro Branco e também na Serra dos Ventos. A programação geral, com todos os filmes, locais e horários de exibição, pode ser conferida no site da Pontilhado Cinematográfico: http://pontilhadocinematografico.com.br/cinejardim/. Assim como a programação paralela, com homenagem, lançamento de livro, debates e oficinas.

 MarceliaCartaxoHomenagem – A atriz paraibana Marcélia Cartaxo será a homenageada deste ano. Ela estreou no cinema em 1985, como a protagonista Macabéa de A Hora da Estrela, filme de Suzana Amaral, trabalho pelo qual recebeu o Urso de Prata do Festival de Berlim. Com a mesma personagem, Marcélia venceu, ainda, o Festival de Brasília, premiação a qual voltou recentemente para receber troféu por sua atuação em Big Jato, de Claudio Assis. A atriz vai a Belo Jardim, dia 26, para falar da sua trajetória, em encontro no Jardim Plaza Hotel, a partir das 14h.

Lançamento – No evento de homenagem a Marcélia Cartaxo haverá também o lançamento do livro Cinema de Fato – Anotações Sobre Documentário, do crítico e pesquisador de cinema Carlos Alberto Mattos, pela editora Jaguatirica. A publicação reúne 79 textos, entre resenhas e ensaios, assinados por ele sobre obras de importantes documentaristas, desde o brasileiro Eduardo Coutinho ao polonês Krzysztof Kieslowski.

Oficinas – Ainda durante esta edição, são ofertadas quatro oficinas, duas delas abertas ao público em geral, mesmo de fora da cidade: Direção para Documentário, ministrada por Dea Ferraz, de 23 a 26, das 9h ao meio-dia, e Novas Formas de Produção ou Como Fazer um Filme de Baixo Orçamento, por Cavi Borges, de 24 a 26, das 14h às 18h, ambas no Centro de Treinamento Edson Mororó. As inscrições ainda podem ser feitas no Cine Teatro Cultura. Mais informações pelo telefone (81) 3726-1132.

O Cine Jardim – Festival Internacional de Cinema de Belo Jardim é realizado com patrocínio do Ministério da Cultura, através da Lei Rouanet, e das Baterias Moura. O incentivo é do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura), do Governo de Pernambuco.

FICHA TÉCNICA DOS LONGAS-METRAGENS DA MOSTRA COMPETITIVA:

thumbnail_JonasEOCircoSemLonaJONAS E O CIRCO SEM LONA
(Documentário / 81’ / 2016 / BA)
DIREÇÃO: Paula Gomes

SINOPSE: Jonas, 13 anos, é filho e neto de artistas de circo. O garoto tem seu próprio circo improvisado, frequentado pelos moradores do pobre bairro onde vive, na Bahia. É ele quem coordena os números, prepara os figurinos, a música e controla os ingressos. Jonas pretende abandonar a escola para se juntar ao tio e viver num circo itinerante, mas a mãe prefere que ele permaneça. No meio desta briga, ele descobre as dificuldades da vida adulta.

thumbnail_ElonNaoAcreditaNaMorteELON NÃO ACREDITA NA MORTE
(Ficção / 75’ / 2016 / MG)
DIREÇÃO: Ricardo Alves Jr.

SINOPSE: A esposa de Elon (Rômulo Braga), Madalena (Clara Choveaux), desaparece misteriosamente e não volta para casa depois do trabalho. Ele inicia então uma longa jornada por respostas: começa a seguir as rotas diárias da mulher, além de visitar os lugares mais sombrios da cidade. Mas o que ele encontra são vários mal-entendidos e estranhos encontros.

thumbnail_FomeFOME
(Ficção / 90’ / 2015 / SP)
DIREÇÃO: Cristiano Burlan

SINOPSE: Em São Paulo, um morador de rua (Jean-Claude Bernardet) vaga pelas ruas da cidade buscando um lugar onde dormir e água para se lavar. Aos poucos, descobre-se que o homem já foi um renomado professor da USP e mora nas ruas por opção. Uma jovem pesquisadora, fascinada com o caso do homem que batiza de Malbou, começa a refletir sobre as maneiras de ajudar pessoas nessas condições.

thumbnail_MartirioMARTÍRIO
(Documentário / 162’ / 2016 /  PE)
DIREÇÃO: Vincent Carelli, Tita e Ernesto de Carvalho

SINOPSE: Uma análise da violência sofrida pelo grupo Guarani Kaiowá, uma das maiores populações indígenas do Brasil nos dias de hoje, que habita as terras do Centro-Oeste brasileiro, entrando constantemente em conflito com as forças de repressão e opressão organizadas pelos latifundiários, pecuaristas e fazendeiros locais, que desejam exterminar os índios e tomar as terras para si.

 

thumbnail_XaleXALE
(Documentário / 71’ / 2016 / RJ)
DIREÇÃO: Douglas Soares

SINOPSE: Um jovem e sua avó, ambos descendentes de armênios que se refugiaram no Brasil, fugidos do genocídio praticado pelo governo turco, vivem juntos em um apartamento na praia de Copacabana decorado pelas memórias cada vez mais distantes de seus antepassados. Eles decidem, então, que um deles deverá embarcar para a Europa para tentar recuperar a história de suas famílias.

Assista a vinheta: https://goo.gl/OgQPIQ

Share

Encontro cultural popular e modernidade apresenta o projeto “A Letra e o Popular”

5923137d5e8e1-lgObservar e discutir as aproximações e distanciamentos entre expressões percebidas como populares e nossa contemporaneidade são as propostas do projeto Encontros Cultura Popular e Modernidade,realizado durante os meses de maio e junho nos cursos de Comunicação Social e Medicina da UFPE/Campus Agreste. São cinco eventos voltados para alunos e comunidade (os encontros são abertos), nos quais estarão presentes o diretor Gabriel Mascaro, que vai exibir e discutir o premiado filme Boi Neon; a pesquisadora Fátima Finizola (Núcleo de Design e Comunicação Social/NDC), que mostra o também laureado projeto Abridores de Letras; a escritora Maria de Lourdes Alves, que vende livros por R$ 0,80 nas ruas de Caruaru; e a pesquisadora Maria Alice Amorim, que vai falar sobre cordel e cibercultura. O filme Dia de Pagamento, dirigido pela professora Fabiana Moraes, do NDC, também será discutido em debate trazendo os professores Josias de Paula Jr (UFRPE) e Amilcar Bezerra (coordenador do curso de Comunicação Social).

O primeiro encontro da série, que trouxe os mestres Anderson e Carlos, do Maracatu Cambinda Brasileira, foi voltado apenas para alunas e alunos dos cursos de design e comunicação.

Na próxima quarta (24), a professora e pesquisadora Fátima Finizola vai apresentar o projeto Abridores de Letras de Pernambuco – um mapeamento da gráfica popular, no qual investiga o trabalho de pintores e/ou artistas populares que elaboram letreiros comerciais nesta região. O trabalho, realizado durante cinco anos, é resultado de uma pesquisa realizada em diversas cidades e regiões de Pernambuco. Uma das crias da pesquisa é o livro Abridores de Letras no qual foi registrado o trabalho de 12 pintores letristas pernambucanos. Além da pesquisadora, a escritora Maria de Lourdes, que escreve sobre religião e medicina popular, entre outros temas, também estará no evento. Maria vende livros xerocados, feitos com apenas uma folha A4, pelas ruas de Caruaru. O encontro A Letra e o Popular, aberto, acontece no Armazém da Criatividade a partir das 14h. O Armazém da Criatividade fica Localizado na BR 104, KM 62 – no bairro de Nova Caruaru, em Caruaru (PE). Mais informações poderá ser obtido pelo fone (81) 3725-7000

Share