Arquivo do autor:Ministério da Cultura - Regional Nordeste

MINC | Com dois premiados no nordeste, MinC e Iphan premiam nesta terça iniciativas na preservação do patrimônio brasileiro

ipham-30-rodrigo-melo-interna

Uma grande festa, reunindo a diversidade da cultura brasileira, vai celebrar os 80 anos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC). Um dos destaques dessa comemoração é a cerimônia de entrega do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, a mais importante premiação do país voltada para ações de valorização, promoção e preservação do patrimônio cultural brasileiro. Nesta 30ª edição, o Prêmio contemplou oito projetos dos estados do Amapá, Ceará, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Durante a cerimônia, que será realizada nesta terça (24), no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, o Iphan também vai homenagear parceiros, entre instituições e personalidades, que se destacaram nos últimos 80 anos na gestão do patrimônio cultural. O instituto entregará a Medalha Mário de Andrade, instituída para celebrar o marco dos 80 anos.

“O Iphan consolidou, ao longo de sua história, uma política de patrimônio cultural que permitiu a preservação de monumentos históricos ou naturais, e de muito do que será lembrado pelas futuras gerações”, afirma o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão. “Ambas as instituições – Ministério da Cultura e Iphan – lidam agora com o desafio de intensificar as políticas de estímulo ao uso do patrimônio cultural brasileiro. Por esse motivo, as ações de salvaguarda, preservação e revitalização devem ser alinhadas com novas formas de utilização, que possam incrementar a economia das comunidades e da sociedade em geral”, destaca.

A presidente do Iphan, Kátia Bogéa, reforça a trajetória do instituto, que primou pela evolução da política de preservação do patrimônio cultural. “Olhando o passado, após oito décadas de muito trabalho, é possível observar que, mais do que preservar ou salvaguardar os bens culturais escolhidos como referências para a Nação, o Iphan foi capaz de firmar-se como uma das mais respeitadas instituições públicas do país e, simultaneamente, construir uma sólida noção do que é o patrimônio cultural do Brasil”, afirmou.

O ministro e a presidente do Iphan, entusiastas do papel do instituto no trabalho de preservar e divulgar a memória, a identidade e as tradições brasileiras, estarão presentes na 30ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. A plateia da premiação, formada por premiados, homenageados e convidados, será agraciada com apresentações culturais de bens registrados, como o jongo do Sudeste, o maracatu, o bumba-meu-boi do Maranhão e a capoeira. Para encerrar a noite, o palco do Theatro Municipal receberá também o show Grande Encontro, com Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo.

Saiba mais sobre os projetos premiados nordestinos

Encontro Mestres do Mundo (CE) – Categoria III (iniciativas que objetivam comunicar, interpretar, divulgar, difundir e educar sobre o Patrimônio Cultural, material e/ou imaterial, para as atuais gerações).

Porto Digital (PE) – Categoria IV (ações que visam valorizar e promover iniciativas que demonstrem o compromisso e a responsabilidade compartilhada para com a preservação e/ou salvaguarda do Patrimônio Cultural brasileiro).

Rodrigo Melo Franco de Andrade

A premiação é uma homenagem ao primeiro presidente do Iphan, Rodrigo Melo Franco de Andrade, que esteve à frente do Instituto desde sua criação, em 1937, até 1967. Advogado, jornalista e escritor, Andrade nasceu em 1898, em Belo Horizonte.

Redator-chefe e diretor da Revista do Brasil, iniciou a vida política como chefe de gabinete de Francisco Campos, atuando na equipe que integrou o Ministério da Educação e Saúde do governo Getúlio Vargas. Entre 1934 e 1945, período em que Gustavo Capanema era ministro da Educação, Rodrigo Melo Franco de Andrade integrou o grupo formado por intelectuais e artistas herdeiros dos ideais da Semana de Arte Moderna, de 1922, quando se tornou o maior responsável pela consolidação jurídica do tema Patrimônio Cultural no Brasil.

Share

CEARÁ | XVI Feira da Música divulga as atrações para a edição 2017

Logo-feira-da-musica2016

De 01 a 04 de novembro, diversos pontos culturais de Fortaleza receberá a programação da XVI Feira da Música, que destaca-se por ser um espaço de convergência de interesses que, de forma democrática e criativa, estimula a troca de informações e conhecimento, intercâmbio, circulação e geração de negócios para o setor musical. Em 2017, serão 16 atrações que irão reverberar o som da música independente local pela capital cearense através do Teatro Carlos Câmara, Cineteatro São Luiz, Centro Cultural Dragão do Mar e Theatro José de Alencar. A curadoria foi realizada pelos músicos e produtores cearenses George Frizzo, Rafael Bandeira e Ivan Ferraro.

As 16 bandas selecionadas para participarem da 16a edição são:

Casa Maré (Fortaleza)

OUSE (Fortaleza)

Zéis (Fortaleza)

COLORIDA (Fortaleza)

Dazara Sounds (Crato)

Limiar do Desconhecido (Juazeiro do Norte)

Lilt (Fortaleza)

Projeto Rivera (Fortaleza)

Erivan Produtos do Morro (Fortaleza)

Berg Menezes (Fortaleza)

New Model (Fortaleza)

Procurando Kalu (Sobral)

Matheus Santiago (Russas)

Intuición (Fortaleza)

Clau (Fortaleza)

Pulso de Marte (Fortaleza)

Novo ciclo

A Feira da Música anuncia o novo ciclo, sintonizado com as conquistas e ações realizadas em seus primeiros quinze anos de atuação. O evento volta a olhar para as suas origens, ajustando o foco novamente para a cena local. É hora de reconhecer os avanços que muitas bandas e artistas ganharam, ao longo do primeiro ciclo e voltar os olhares para a nova cena local, revisitando o cenário cearense desta vez com maturidade diferente, novos cenários e oportunidades que devem ser aproveitadas.

“Temos agora uma cena reconhecida e conectada, precisamos aproveitar os frutos do trabalho e rentabilizar, valorizar e criar oportunidades, ajudando novos artistas a alcançarem seu potencial”, comenta Ivan Ferraro, idealizador do evento. O objetivo desta edição é renovar o olhar para o cenário local da música, dando espaço para bandas e artistas que ainda não tiveram a chance de mostrar o seu trabalho e redescobrir essa cena que é famosa por sua criatividade, autenticidade e diversidade.

A Feira da Música

Realizada desde 2002 pela Associação dos Produtores de Cultura do Ceará (PRODISC), a Feira da Música é um espaço de convergência de interesses que de forma democrática e criativa, congrega participantes de todo o território nacional, possibilitando trocas de informações e conhecimento, intercâmbio, circulação e geração de negócios para o setor.

A 16ª Feira da Música é realizada com apoio institucional da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) por meio do Edital Mecenas, tendo a Enel como empresa apoiadora por meio da Lei Estadual de Incentivo a Cultura e apoio do Cineteatro São Luiz, Theatro José de Alencar, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e Teatro Carlos Câmara.

Serviço

16ª Feira da Música

Data do evento: 01 e 04 de novembro de 2017

Ingressos: R$ 10 (inteira), R$ 5 (meia)

Contato: 85 – 3262.5011

Share

MINC | Sá Leitão participa do maior prêmio do patrimônio brasileiro

aviso_de_pauta-01

Em agenda no Rio de Janeiro, o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, participa da cerimônia do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade e da entrega das medalhas Mário de Andrade, ao lado da presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, a partir das 19h. A festa, fechada ao público, deve reunir mais de 2 mil convidados, entre artistas, autoridades e especialistas do setor. Haverá apresentação de manifestações artísticas consideradas patrimônio cultural.

O evento de premiação faz parte das comemorações dos 80 anos do Iphan e dos 30 anos do Prêmio Rodrigo Melo Franco – maior premiação de ações de preservação do Patrimônio Cultural, concedida pelo Ministério da Cultura por meio do Iphan. Os oito projetos vencedores receberão R$ 30 mil cada um.

Jornalistas interessados em participar do evento devem enviar e-mail para imprensa@cultura.gov.brcom cópia para comunicacao@iphan.gov.br até as 16h de terça-feira (24/10) com a identificação do veículo, nome e contatos dos profissionais que farão a cobertura.

Ainda no Rio de Janeiro, na tarde de terça-feira, Sá Leitão participa, às 16h, da cerimônia de posse dos novos diretores da Agência Nacional do Cinema (Ancine), Alex Braga e Christian de Castro.

Pela manhã, às 10h, o ministro terá um encontro com artistas e com o presidente da Associação de Produtores de Teatro do Rio (APTR), Eduardo Barata, no Theatro Net Rio, em Copacabana.

AGENDA NO RIO DE JANEIRO

Encontro com artistas

Data: 24 de outubro de 2017

Hora: 10h

Local: Theatro Net Rio

Endereço: Rua Siqueira Campos, 143 – Copacabana

Reunião na Fundação Casa de Rui Barbosa

Data: 24 de outubro de 2017

Hora: 14h30

Local: Fundação Casa de Rui Barbosa

Endereço: R. São Clemente, 134 – Botafogo

Posse dos diretores da Ancine

Data: 24 de outubro de 2017

Hora: 16h

Local: Ancine – Edifício Sede

Endereço: Avenida Graça Aranha, 35

Comemoração 80 anos do Iphan – Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade

Data: 24 de outubro de 2017

Hora: 20h

Local: Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Endereço: Praça Floriano, S/N – Centro

Mais informações:

Assessoria de Imprensa Ministério da Cultura

imprensa@cultura.gov.br

(61) 2024-2412/2492/2401/2456

(61) 99642.4792

Share

MINC | Juventude Vlogueira: confira resultado preliminar de seleção

proav-ultimo-dia-interna

💡 Formulário de recurso

💡 Confira o resultado preliminar da fase de seleção e homologação

O Ministério da Cultura (MinC) divulgou nesta segunda-feira (23), no Diário Oficial da União, o resultado preliminar da fase de seleção e homologação do edital Juventude Vlogueira: Canais Culturais na Web. O objetivo da iniciativa é apoiar o desenvolvimento de 16 canais de conteúdos audiovisuais culturais brasileiros veiculados de forma gratuita na internet, inéditos e originais, com temática cultural livre. Cada um dos contemplados receberá R$ 50 mil.

Responsáveis por projetos não selecionados têm prazo de quatro dias úteis para a interposição de recursos, por meio de formulário disponível nesta página, o qual deve ser enviado para o endereço eletrônico concurso.sav@cultura.gov.br. Nos recursos, não serão admitidas documentações complementares nem retificações dos documentos apresentados na inscrição.

O Juventude Vlogueira: Canais Culturais na Web é um dos cinco editais lançados em julho deste ano pelo Ministério da Cultura, por meio do Programa Nacional de Fomento ao Audiovisual (Proav). Também foram lançados editais para Novos Roteiristas, Curtas-Metragens (parte destinada a diretoras mulheres), Apoio a Festivais e Mostras e produção de aplicativos e jogos eletrônicos (App pra Cultura).

No total, os seis editais destinarão mais de R$ 8,6 milhões para 135 projetos do setor audiovisual. Desde 2011, o MinC não lançava com recursos próprios um pacote de editais tão amplo para o setor de audiovisual.

Ao todo, foram inscritos 1232 projetos para o edital de Novos Roteiristas, 1055 para o de Curtas-Metragens, 149 para o de Festivais e Mostras, 364 para o App pra Cultura e 361 para o Juventude Vlogueira.

O objetivo da Secretaria do Audiovisual do MinC com os editais do Proav é ampliar o conceito de audiovisual, buscando possibilidades de sustentabilidade de mercado.

💡 Saiba mais sobre o edital Juventude Vlogueira: Canais Culturais na Web

Share

MINC | Ibram divulga o tema da 16ª Semana de Museus

SemanaMuseus2016_MVM_Foto_AnaViegas

Atividade com estudantes no Museu Victor Meirelles/Ibram, em Florianópolis (SC), durante a 14ª Semana de Museus (2016) (Foto: Ana Viegas/Museu Victor Meirelles)

Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos é o tema da 16ª Semana de Museus, coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), que será realizada entre os dias 14 e 20 de maio de 2018. O objetivo do evento é valorizar espaços de memória e cultura no país, aprimorar a relação dos museus com a sociedade e ampliar o público visitante. O tema foi escolhido pelo Conselho Internacional de Museus (Icom).

Para o presidente do Ibram, Marcelo Araujo, a Semana de Museus “é um momento privilegiado de divulgação, reflexão e visibilidade para os museus brasileiros”, que contribui para o reconhecimento “da importância e do papel dos museus na contemporaneidade”.

Em 2017, foram realizados 3.079 eventos em todo o Brasil durante a 15ª Semana de Museus, cujo tema foi Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus. Participaram 1.070 instituições de 26 estados. Veja os números de todas as edições (2003-2017).

Para a edição de 2018, museus, espaços de memória e centros culturais brasileiros poderão inscrever atividades, como exposições, shows, palestras etc., na página de eventos do Ibram a partir da segunda quinzena de novembro de 2017.

As datas de início e término de inscrições, assim como o formulário online, serão divulgadas nas próximas semanas. Dúvidas e outras questões relacionadas à Semana de Museus podem ser enviadas para o endereço eletrônico semana@museus.gov.br ou esclarecidas pelos telefones (61) 3521.4142/4135.

Share

PERNAMBUCO: Ganhadores do 2º Prêmio Ariano Suassuna são certificados em cerimônia

premiacao-607x302 (1)

(Foto: Aluísio Moreira/SEI)

Uma cerimônia especial, agendada para a próxima terça-feira (24), às 11h, no Teatro Arraial, marcará a entrega dos certificados aos vencedores do 2º do Prêmio Ariano Suassuna de Cultura Popular e Dramaturgia, que, a cada ano, visa reconhecer, valorizar e incentivar práticas de transmissão de saberes e fazeres da Cultura Popular, além de estimular a escrita dramática e revelar novos dramaturgos.

Nesta edição, o edital registrou 68 inscrições (35 em Cultura Popular; 33 em Dramaturgia), advindas de todas as Macrorregiões do Estado, e, motivado pelo inestimável legado de Ariano para a cultura brasileira, premiou dez iniciativas: oito, no segmento de Cultura Popular, e duas, no segmento de Dramaturgia. Para o secretário estadual de Cultura, Marcelino Granja, a iniciativa fortalece o compromisso do Governo do Estado com os grupos, mestres e artistas pernambucanos, a partir da valorização de segmentos estratégicos e estruturantes da Cultura, como são a dramaturgia e as práticas ligadas aos saberes e fazeres populares. “Pernambuco é um grande celeiro cultural de nosso país, e o Prêmio Ariano Suassuna coroa toda essa diversidade que circula e é produzida em nosso Estado por pessoas e grupos que, assim como o mestre Ariano Suassuna, dedicam suas vidas à valorização da arte e da cultura popular”, diz o gestor.

Já a presidente da Fundarpe, Márcia Souto, destaca que o prêmio, além de reconhecer a diversidade das nossas expressões populares, tem estimulado o surgimento de novos dramaturgos. “Ariano foi um dos maiores autores do teatro brasileiro. Com o segmento de Dramaturgia, vemos, já nessa segunda edição, que estão surgindo na cena teatral pernambucana textos e autores que, de alguma forma, dão continuidade à obra do mestre do Movimento Armorial”, afirma.

A seleção das propostas vencedoras na área de Cultura Popular foi avalizada por uma comissão formada pelos especialistas Francisco Adriano da Costa Souza, José Bezerra de Brito Neto, Débora Fernandes Herszenhut e André Alexandre Mendes Freiras. Na área de Dramaturgia, a análise ficou por conta de Morgana Pessoa, Cristiana Gimenes e Luiz de Assis Monteiro.

PREMIAÇÃO – Os vencedores da categoria Mestres e Mestras dos Saberes e Fazeres foram contemplados com R$ 10 mil, cada. Na categoria grupo, o valor do prêmio é de R$ 15 mil. Na área de Dramaturgia, o prêmio para o primeiro lugar é de R$ 10 mil; e R$ 7 mil para o segundo colocado.

VENCEDORES NO SEGMENTO CULTURA POPULAR

RMR – GRUPO
Cambinda Estrela: No Baque da Cidadania – Uma reflexão sobre cultura popular, saberes e fazeres (Recife)

Braço social do Maracatu Nação Cambinda Estrela, que permanece vivo e atuante desde 1935, o Centro Cultural Cambinda Estrela ministra ao longo de todo o ano cursos de percussão geral, corte e costura, bordados, produção de adereços, dança afro e popular, capoeira, canto (toadas/loas), roda de leitura, cine – clube, debates/ seminários sobre raça, gênero, orientação sexual, cultura negra, saúde, cidadania e direitos humanos, confecção de instrumentos percussivos, oficinas sobre a beleza e estética afro, grafitagem, aulas de alfabetização, reforço escolar para os alunos do fundamental, médio e universitários para meninos e meninas da comunidade de Chão de Estrelas adjacências, zona norte da cidade do Recife. Ao longo desses anos de trabalho podemos afirmar que pequenas ações como os cursos ministrados contribuem efetivamente para a sociabilidade dos meninos e meninas, bem como as aulas têm se mostrado um excelente espaço para a afirmação da identidade sócio educacional e cultural das comunidades de afrodescendentes, o que tem fortes imbricações na questão da cidadania e da inclusão social.

RMR – MESTRE
Dona Glorinha do Coco (Olinda)

Maria da Glória Braz de Almeida, ou Dona Glorinha do Coco, mestra de coco e viúva de pescador, tem 83 anos de idade e herdou de seus antepassados o gosto pelo coco de roda, principalmente aquele que se cantava, e se canta ainda hoje, na beira da praia. Neta de Joana, uma escrava fugida de um engenho em Catende/PE no século XIX, e filha de Maria Belém, mulher fundamental para a história do carnaval de Olinda, Dona Glorinha é atualmente a mestra mais velha do Amaro Branco, memória viva da comunidade, guarda histórias singulares acerca dos antigos coquistas da Vila dos Pescadores, onde reside desde que nasceu. Dando continuidade ao legado deixado por sua mãe, uma das fundadoras do Acorda Povo, folguedo que já contabiliza mais de 60 anos, Dona Glorinha organiza durante o dia de São João, uma sambada animada e frequentada por todos os moradores do bairro e adjacências, promovendo lazer cultural para aqueles que buscam programação alternativa e descentralizada durante as festas juninas. Foi em 2013 que D. Glorinha do Coco lançou seu primeiro CD, que leva o seu nome, e com ele foi finalista do Prêmio da Música Brasileira edição 2015, nas categorias melhor álbum regional (produzido por Isa Melo) e melhor cantora regional. Ainda em 2015, se apresentou no SESC Pompéia, no projeto Prata da Casa, retornado em Fevereiro de 2016 como uma das melhores atrações do ano de 2015. Ainda em 2013, no mês de março, faz show no Espaço Brasil em Lisboa – Portugal, na programação do Ano do Brasil em Portugal, promovido pela Funarte/Minc. Dona Glorinha participou do premiado documentário de Mariana Fortes, “O Coco, A Roda, O Pneu e o Farol”, e teve seu primeiro registro fonográfico na coletânea “Coco do Amaro Branco Vol. 2”. Participou da exposição “Coco do Amaro Branco – Retratos”, de maio a setembro de 2011, no Museu da Abolição em Recife/PE; da exposição coletiva “Olinda Patrimônio Cotidiano”, de agosto a outubro de 2011 na casa do IPHAN, na Rua do Amparo em Olinda/PE; e da “Olinda Patrimônio Cotidiano – Exposição em Estêncil”, do fotógrafo olindense Emiliano Dantas.

AGRESTE – GRUPO
Grupo Bacamarteiros Batalhão 56 (Riacho dos Almas)

Fundado por Janduir João dos Santos, o Grupo de Bacamarte Batalhão 56 é uma das tradições mais populares do município de Riachão das Almas. Com 42 bacamarteiros, entre homens e mulheres, a manifestação segue a tradição tanto na uniformização dos seus membros (todos eles vestem roupa de zuarte – algodão azul, lenços vermelhos sobre os ombros, chapéus de couro de abas largas, quebrado na frente e cartucheiras usadas para colocar a pólvora negra de baixo teor) quanto nos ritmos (assim como em toda manifestação artística ppouplar, o triângulo, o zabumba e a sanfona compõem a banda que os acompanham em suas apresentações). É um dos grupos pernambucanos mais atuantes na transmissão de saberes e perpetuação da cultura nordestina.

AGRESTE – MESTRE
Mestre João Elias Spíndola (Poção)

Há mais de 70 anos, o Estado de Pernambuco é pioneiro na confecção de renda renascença, sendo o maior polo produtivo no Brasil, chegando, inclusive, a exportar esse tipo de artesanato. Um dos nomes mais atuantes por trás desse legado é o do Mestre João Elias Espíndola, intitulado Patrimônio Vivo do Estado no dia 22 de dezembro de 2016. Nascido no dia 4 de março de 1933 no Sítio Candeeiro, no município de Poção, Agreste do Estado, Seu João Elias cresceu naquela que é considerada a Capital da Renascença. Responsável por uma das rendas renascenças mais autorais e requintadas do Nordeste e do Brasil, Seu João Elias trabalhou durante 60 anos de forma autônoma, projetando o nosso Estado de forma grandiosa no Exterior. Uma de suas clientes comprava a sua renda e o representava em inúmeros eventos no Brasil e nas Feiras Internacionais, sobretudo em Portugal e na Alemanha. Além de ter contribuído durante toda a sua vida para a tradição da renda renascença, ele continua repassando sua herança têxtil para as suas sobrinhas.

ZONA DA MATA – GRUPO
Caboclinho Cahetés de Goiana

Os Caboclinhos Cahetés é uma sociedade civil, carnavalesca e cultural fundada no dia 15 de dezembro de 1904, que possui mais de 120 componentes. Seu nome originou-se da tribo dos Cahetés que habitavam as terras do Engenho Japumim na cidade de Goiana. Seu fundador foi João Marinho, tio avô do atual presidente Pedro Gonçalves Ramos. É a mais antiga tribo de caboclinhos da cidade e é conhecida pela sua mistura de ritmos e cores que, permutados com as diversas outras culturas e etnias da região, mantém há mais de 100 anos a tradição e os costumes dos canaviais da Zona da Mata pernambucano.

ZONA DA MATA – MESTRE
Mestre Biu Alexandre (Condado)

Severino Alexandre da Silva, Mestre Biu Alexandre, começou a botar figura aos 13 anos. Em 1979, fundou seu Estrela de Ouro e hoje comemora o fato de ter os filhos e netos envolvidos no brinquedo. Seu Cavalo Marinho conta também com a presença de Seu Martelo, o Mateus mais velho de Pernambuco. Martelo e outros brincantes do Cavalo Marinho Estrela de Ouro integram o elenco do grupo Grial. Em 2006, o Estrela de Ouro fez parte do Coletivo Pernambuco, representando o Brasil no evento “Brasil em Cena” na Alemanha. Compõe, junto com o Cavalo Marinho Estrela Brilhante, o Ponto de Cultura Viva Pareia.

SERTÃO – GRUPO
Samba de Veio (Ilha do Massangano/Petrolina)
Com sede localizada na Ilha do Massangano no submédio Rio São Francisco, em Petrolina, Sertão de Pernambuco, o Samba de Véio é uma manifestação popular de tradição oral, com características lúdicas e religiosas, praticada por alguns moradores da Ilha. A origem do folguedo remonta há mais ou menos 120 anos e vai seguindo de geração em geração. O principal instrumento utilizado pelo grupo é o tamborete, uma espécie de banco de madeira com o assento feito com couro de bode que, para ser tocado, precisa ser afinado com a temperatura de fogueiras. Depois do lançamento do primeiro CD, o grupo começou a realizar apresentações fora de Petrolina, participando de eventos de cultura popular como o Festival de Inverno de Garanhuns e o Festival Pernambuco Nação Cultural. O grupo é formado por 42 integrantes, entre homens e mulheres, cujos saberes são transmitidos através da oralidade que são passadas de geração para geração.

SERTÃO – MESTRE
Zé Carlos do Pajeú (Tabira)

É cantador, repentista profissional da nova geração de viola, produtor cultural, escritor, cordelista, oficineiro, palestrante, declamador e glosador com atividade ininterrupta há 14 anos. Como o pai, tio e outros familiares poetas, José Carlos Lima Nunes nasceu em Tabira e é um dos grandes nomes da cantoria de viola nordestina.  Formado em Letras, é o criador do Grupo Infância Firmada, que reúne 56 crianças residentes do município de Tabira, com faixa etária entre 5 e 12 anos, cujo objetivo é transmitir ensinamentos e despertar entre os mais jovens o conhecimento, o gosto e a prática das várias manifestações da poesia popular nordestina.

VENCEDORES NO SEGMENTO DRAMATURGIA

CATEGORIA TEATRO ADULTO

1º lugar
Texto: O Gaioleiro

Autor: Raphael Gustavo Soares Ferreira
Ator, diretor e professor de teatro e língua portuguesa. É formado em Letras pela Faculdades Integradas da Vitória de Santo Antão (Faintvisa). Já trabalhou como coordenador pedagógico de teatro nas escolas de Vitória de Santo Antão e foi um dos vencedores do Sarau Poético e Lírico da Faintvisa em 2012, com o texto “Encruzilhada”. Trabalha com direção artística de óperas, ao lado de Francisco Mayrink desde 2010, e participou de diversas produções e festivais pelo Brasil. É integrante da Cia. Experimental de Teatro e um dos responsáveis pela elaboração dramatúrgica dos espetáculos do grupo.
Município: Vitória de Santo Antão

2º lugar
Texto: Sina

Autora: Andala Quituche
É licenciada em Letras pela Universidade de Pernambuco, está em conclusão da pós-graduação em Cultura Pernambucana pela FAFIRE. Vice-presidente e folgazã do Cavalo Marinho Boi Pintado do Mestre Grimário desde 2010 e integrante do grupo teatral Coletivo Labuta de Teatro desde 2014, tem como sua maior paixão e motivação a Cultura Popular do nosso Estado. Atualmente Andala Quituche dedica se a escrita da dramaturgia com o objetivo de além de escrever seus próprios textos, possa também encená-los junto a seu grupo Coletivo Labuta de Teatro que há três anos vem pesquisando a Cultura Popular de Pernambuco, sobretudo a tradição do Cavalo Marinho.
Município: Paulista

Soberana, a Comissão de Seleção deliberou pela não premiação de nenhum inscrito nas categorias de Teatro para Infância e Juventude Teatro para Formas Animadas.

NOVO EDITAL – A publicação do edital do 3º Prêmio Ariano Suassuna de Cultura Popular e Dramaturgia será divulgada nesta terça-feira (24). Os interessados poderão se inscrever a partir de 3/11/2017 até o dia 12/01/2018. Para o segmento de Dramaturgia, os proponentes deverão apresentar obras inéditas nas três categorias  “Teatro Adulto”, “Teatro para Infância e Juventude” e “Teatro para Formas Animadas”. Já no segmento de Cultura Popular, grupos/comunidades/mestres e mestras deverão comprovar residência e atuação em Pernambuco há pelo menos cinco anos. Para mais detalhes, acesse: www.cultura.pe.gov.br.

HISTÓRICO – Criado pelo governador Paulo Câmara em 2015, o Prêmio Ariano Suassuna de Cultura Popular e Dramaturgia busca incentivar a produção dramatúrgica de Pernambuco, por meio da publicação de textos inéditos e preservar a memória das expressões populares em todas as suas formas. Inspirado na forte contribuição de Ariano, tanto no campo das artes quanto da gestão pública de Cultura, o edital é publicado anualmente pela Secult-PE/Fundarpe e destina-se a dois segmentos: Cultura Popular e Dramaturgia. Na primeira premiação, foram contemplados 13 vencedores, dividido entre dois segmentos e cinco categorias participantes. O primeiro incluiu as categorias “Mestres” e “Grupos”, das quatro macrorregiões: Metropolitana, Zona da Mata, Agreste e Sertão. Este segmento foi bonificado com valores de R$ 10 mil (Mestre) e R$ 15 mil (Grupos), cada. Já no segmento da Dramaturgia, que contou as categorias “Teatro de Formas Animadas”, “Teatro para a Infância e Juventude” e “Teatro Adulto”, os ganhadores foram contemplados com R$ 10 mil (primeiros lugares) e R$ 7 mil (segundos lugares) para cada uma das três categorias.

HOMENAGEADO – Ariano Vilar Suassuna nasceu na cidade de Nossa Senhora das Neves, atual João Pessoa, capital da Paraíba, em 16 de junho de 1927. Poeta, romancista, ensaísta, dramaturgo, professor e advogado, o mestre Ariano foi o idealizador do Movimento Armorial, que tem como objetivo criar uma arte erudita a partir de elementos da cultura popular do Nordeste Brasileiro. Reunindo elementos de diferentes movimentos como o simbolismo, o barroco e a literatura de cordel, mostrou-se um defensor nato da cultura nordestina. Ariano Suassuna faleceu no Recife, no dia 23 de julho de 2014.

Serviço
Entrega do 2º Prêmio Ariano Suassuna de Cultura Popular e Dramaturgia
Quando: terça-feira, 24/10, às 11h
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (R. da Aurora, 457 – Boa Vista, Recife – PE)
Aberto ao público

Share

BAHIA: Projeto “Segundas Concertantes” será apresentado no Palácio Rio Branco

unnamed__9

Dando continuidade ao seu projeto didático de música clássica, o grupo TCA Instrumental volta ao Palácio Rio Branco, no Centro Histórico de Salvador, sede da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), para mais uma edição do “Segundas Concertantes”. O evento, aberto ao público, com entrada franca, acontece nesta segunda-feira, 23 de outubro, das 13h30 às 14h30.

A execução do repertório é feita com mediação dos próprios músicos de orquestra, que falam do contexto de criação das obras, sua localização na história da música, sua importância criativa, além da descrição dos naipes e instrumentos. A iniciativa também se compromete a ocupar espaços alternativos às salas de teatro ou de concerto, no intuito de alcançar novas plateias e ir ao encontro das pessoas de forma próxima e acolhedora.

O TCA Instrumental é formado por sete músicos contratados pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) em Regime Especial de Direito Administrativo (REDA): Ana Zanata (violino), Diogo Pimentel (violino), Daniel Aly (violino), Antônio Amorim (violino), Rodolfo Lima (contrabaixo), Sandra Romero (oboé) e Stephan Sanches (trombone).

O programa abrange a descrição e a execução de peças de grandes compositores característicos dos cinco períodos históricos em que a música ocidental se desenvolveu e expandiu por todo o mundo, sendo dividido em dois módulos. Na edição realizada no local em maio desse ano, o grupo apresentou o módulo 1, que compreende os períodos Barroco e Clássico. Já na apresentação da próxima segunda, o TCA Instrumental conduzirá o módulo 2, onde aparecem o Romântico, o Moderno e o Contemporâneo, incluindo a música brasileira. Obras de mestres como Bach, Mozart, Tchaikovsky, Beethoven, Brahms, Stravinsky e os brasileiros Villa-Lobos e Luiz Gonzaga estão no repertório.

Serviço:

TCA Instrumental – “Segundas Concertantes”
Data: 23 de outubro (segunda-feira), 13h30 às 14h30
Local: Palácio Rio Branco
Ladeira da Praça, S/N – Centro, Salvador- BA
Entrada gratuita (*Sujeita à lotação

Share

MINC | Alex Braga e Christian de Castro são nomeados para a Ancine

Foram publicadas na edição desta sexta-feira do Diário Oficial da União as nomeações de Alex Braga Muniz e Christian de Castro para a diretoria da Agência Nacional do Cinema (Ancine), instituição vinculada ao Ministério da Cultura. Castro e Muniz, que tiveram suas indicações ratificadas pelo Senado Federal, exercerão mandato de quatro anos. A posse será na próxima terça-feira (24), no Rio de Janeiro.

Alex-Braga-Muniz-e-o-proximo-diretor-da-Ancine_cortada

Graduado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especializando em Direito Público na Universidade de Brasília (UnB), Alex Braga Muniz é membro da Advocacia-Geral da União desde agosto de 2002 e faz parte da Ancine desde 2003, quando ocupou o cargo de coordenador de Consultoria da Procuradoria Federal junto à Agência. Desde outubro de 2009, exercia o cargo de procurador-chefe da Procuradoria Federal junto à Ancine.

37358011010_dd74ddf102_z_(1)

Há 18 anos no mercado do audiovisual, Christian de Castro foi sócio de consultoria especializada em economia criativa, empreendedorismo e capital de investimento no desenvolvimento de serviços relacionados à modelagem de negócios, estruturação financeira, planejamento estratégico, desenvolvimento de projetos e gestão para empresas, especialmente para o setor de entretenimento, mídia e audiovisual. Na vida acadêmica, cursou Engenharia Aeronáutica pelo Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) e Engenharia de Produção Mecânica pela Universidade Paulista (Unip). É pós-graduado em Film & Television Business pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e em Gestão do Conhecimento e Inteligência Empresarial pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Sobre a Ancine

Criada em 2001, a Ancine é uma agência reguladora que tem como atribuições o fomento, a regulação e a fiscalização do mercado do cinema e do audiovisual no Brasil. É uma autarquia especial, vinculada desde 2003 ao Ministério da Cultura.

A agência é administrada por uma diretoria colegiada composta por um diretor-presidente e três diretores, todos com mandatos fixos, aos quais se subordinam cinco Superintendências: Análise de Mercado, Desenvolvimento Econômico, Fiscalização, Fomento e Registro, além das Secretarias Executiva, de Gestão Interna e de Políticas de Financiamento.

Share

CEARÁ | “Encontro Mestres do Mundo” receberá prêmio no Rio de Janeiro

X ENCONTRO DE MESTRES DO MUNDO - REI DO CONGO MESTRE ALDENIR

Um viva aos mestres e mestras da cultura do Ceará

Um reconhecimento dos saberes, fazeres, tradições e ofícios de Mestres e Mestras da Cultura do Ceará. “Encontro Mestres do Mundo”, realizado pela Secult, recebe Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, maior do Brasil na área de Patrimônio Cultural, em solenidade no dia 24 de outubro, às 19h, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Uma grande solenidade, reunindo a diversidade da cultura brasileira, que vai celebrar os 80 anos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Participam da ação, representando o Ceará, Fabiano Piúba, secretário da cultura, Alênio Alencar, Coordenador de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural da Secult, Mestre Zé Pio (o guardião da memória de vários grupos de Bumba-Meu-Boi de Fortaleza) e Mestre Dina (Vaqueira de Canindé).

Durante a cerimônia, no dia 24 de outubro, às 19h, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, o Iphan também vai homenagear parceiros, entre instituições e personalidades, que se destacaram nos últimos 80 anos na gestão do Patrimônio Cultural, com a Medalha Mário de Andrade, instituída para celebrar os 80 anos do Instituto. Participam da festa a presidente do Iphan, Kátia Bogéa, diretores e funcionários da instituição, além de representantes da empresa State Grid e de Furnas Centrais Elétricas, patrocinadores da festa. A plateia, formada por premiados, homenageados e convidados, será agraciada com apresentações culturais de bens registrados, como o Jongo do Sudeste, o Maracatu, o Bumba Meu Boi do Maranhão e a Capoeira. Para encerrar a noite, o palco do Municipal receberá também o show Grande Encontro, com Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo.

O “Encontro Mestres do Mundo”, realizado há mais de 10 anos pela Secult, ganhou, no dia (24 de agosto), mas com ata final datada do dia 22, o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, maior do Brasil na área de Patrimônio Cultural. A premiação foi agraciada na categoria III e foram declarados vencedores da Categoria os seguintes projetos: Encontro Mestres do Mundo (CE), com onze (11) votos e Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música e Memória (MG) com sete (7) votos.

Um reconhecimento nacional, uma premiação que reverbera na comunicação, interpretação, divulgação, difusão e educação sobre o Patrimônio Cultural, material e/ou imaterial, para as atuais gerações foram escolhidas na categoria III. “O projeto Encontro Mestres do Mundo, do Ceará, desde 2006, torna possível a vivência da diversidade cultural e a troca de experiências com os mestres da cultura cearense. A iniciativa incentiva a transmissão de saberes e fazeres de homens e mulheres que na sobrevivência de seu cotidiano desenvolveram técnicas, ofícios, brincadeiras, rezas e alimentos, garantindo a tradição e a memória de seus ancestrais”, informa o  Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em notícia institucional no seu site.

Amapá, Ceará, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo: foram destes estados que saíram as oito ações de preservação do patrimônio e da cultura nacional, vencedoras da 30ª Edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. Divididos em quatro categorias, os projetos foram selecionados durante a reunião da Comissão Nacional de Avaliação, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan),  que ocorreu nos dias 21 e 22 de agosto, em Brasília.

Desde sua criação, o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade vem se aperfeiçoando e, ao longo dos anos, estabelece novas propostas que refletem a evolução das políticas de valorização e proteção dos bens culturais, destacando, principalmente, o envolvimento da sociedade civil e entidades públicas ou privadas na promoção e preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro.  No ano em que celebra 30 anos de criação, a premiação seleciona oito projetos, divididos em quatro grandes categorias:

Categoria I – Iniciativas de excelência em técnicas de preservação do Patrimônio Cultural: visa valorizar e promover iniciativas de excelência em preservação do patrimônio cultural material envolvendo ações de identificação, estudos e pesquisas, projetos, obras e medidas de conservação e restauro.

Categoria II – Iniciativas de excelência em processos de salvaguarda do Patrimônio Cultural: visa valorizar e promover iniciativas de excelência em salvaguarda do patrimônio cultural imaterial, envolvendo ações de identificação, documentação, estudos e pesquisas, reconhecimento e valorização.

Categoria III – Iniciativas de excelência em promoção do Patrimônio Cultural: visa valorizar e promover iniciativas referenciais que objetivem comunicar, interpretar, divulgar, difundir, e educar para o patrimônio cultural, material e/ou imaterial, para as atuais gerações.

Categoria IV – Iniciativas de excelência em gestão compartilhada do Patrimônio Cultural: visa valorizar e promover iniciativas referenciais que demonstrem o compromisso e a responsabilidade compartilhada para com a preservação e/ou salvaguarda do patrimônio cultural brasileiro.

O Encontro dos Mestres e Mestras da Cultura

O Encontro Mestres do Mundo é um evento estruturante da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), realizado desde 2006 como uma importante iniciativa de interiorização da cultura. Em dez edições, o Encontro e suas ações já foram acolhidos pelas cidades de Limoeiro do Norte, Jaguaruana, São João do Jaguaribe, Russas, Barbalha, Juazeiro do Norte e Crato, reunindo a cada edição os Mestres da Cultura, titulados como Tesouros Vivos da Cultura do Ceará, em diálogo com brincantes, estudantes, professores, pesquisadores e mestres de outros estados e países, com uma programação riquíssima voltada ao encontro e troca de saberes.

O Encontro é uma oportunidade singular de vivenciar a diversidade da cultura popular tradicional através da convivência com o guardiões que mantêm vivas as tradições. Conta com a participação de mestres e grupos locais, regionais e internacionais, promovendo a integração e a troca de experiências. Expressões de linguagens variadas se juntam em uma arena onde os mestres apresentam e transmitem seus saberes e seus fazeres. São momentos mágicos onde o público participante trava contato com memórias, narrativas e práticas por meio de uma programação ampla de atividades práticas e teóricas. Um dos momentos mais especiais é a distribuição dos participantes em cinco categorias de Rodas de Mestres (corpo, mãos, oralidade, sons e sagrado), para o intercâmbio de saberes, contando com a mediação de pesquisadores da cultura popular.

As terreiradas são os momentos em que os Tesouros Vivos da Cultura do Estado do Ceará recebem os convidados, mostrando para a comunidade local seus costumes e a sua arte. As noites são marcadas por uma grande diversidade de apresentações de grupos e mestres oriundos das 14 (quatorze) macrorregiões do Ceará, bem como atrações nacionais e internacionais. Ao longo das dez edições, ocorreram ainda diversas oficinas de repasse dos conhecimentos tradicionais, cursos e ações de educação patrimonial junto a estudantes e professores de escolas públicas, seminários temáticos com reflexões acadêmicas, exposições de fotografias e objetos relacionados às tradições, feirinha para comercialização de artesanatos feitos pelos mestres e outros produtos relacionados às culturas tradicionais, cortejos nas ruas da cidade, encontros de gestores culturais, dentre outras atividades. Momento de grande relevância para a cultura popular tradicional foi a titulação no X Encontro Mestres do Mundo de 58 (cinquenta e oito) Mestres da Cultura como Notório Saber em Cultura Popular pela Universidade Estadual do Ceará (Uece). Além disso, a cada edição, os novos “Tesouros Vivos da Cultura”, titulados no edital específico que precede o Encontro, são diplomados em cerimônia pública de reconhecimento de sua contribuição à cultura popular tradicional no Estado do Ceará.

O Encontro Mestres do Mundo tem por objetivo atender à necessidade de criar espaços para a transmissão de saberes prevista na Lei Estadual nº 13.842, de 27 de novembro de 2006, que instituiu o programa “Tesouros Vivos do Cultura”. Conforme a Lei Estadual Nº 13.842, de 27.11.2006, são considerados “Tesouros Vivos da Cultura” as pessoas naturais, os grupos e as coletividades dotados de conhecimentos e técnicas de atividades culturais, cuja produção, preservação e transmissão, sejam representativas de elevado grau de maestria, constituindo importante referencial da Cultura Cearense.

Fonte: site – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)

Saiba mais: http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/4389/prmfa-unindo-o-passado-e-o-futuro-do-patrimonio-cultural-brasileiro

Share

MARANHÃO | Prorrogado o prazo de inscrições para o XXI Festival Maranhense de Teatro

Teatro-150x150

O prazo de inscrição para o XXI Festival Maranhense de Teatro foi prorrogado pelo Centro de Artes Cênicas do Maranhão, equipamento cultural vinculado à Secretaria de Cultura e Turismo (Sectur). As inscrições agora poderão ser realizadas até o dia 27 de outubro.

Este ano o XXI Femate será realizado também na cidade de Santa Rita, descentralizando as ações do Centro de Artes Cênicas e dando oportunidade de participação para mais escolas e revelação de mais talentos.

O objetivo do festival é incentivar a prática teatral no meio estudantil com apresentação de espetáculos de gêneros e temáticas diversificadas. Em São Luís o Femate acontece de 20 a 24 de novembro São Luís e em Santa Rita nos dias 10 e 11 de novembro.

No XXI Femate as montagens serão voltadas para a dramaturgia maranhense, nacional e estrangeira e a valorização de autores do clássico ao contemporâneo, revitalizando e incentivando os novos talentos.

As inscrições podem ser feitas pelo e-mail femate2017@gmail.com ou no prédio da instituição, Rua Santo Antonio, 161, Centro, São Luís, das 14h às 19h. Para mais informações clique aqui para acessar o regulamento.

Share