Arquivos da categoria: Textos

Prefeitura de São Luís apoia projeto cultural que leva caravana de teatro para a Área Itaqui-Bacanga

O projeto Emcena vai realizar diversas atividades culturais nos dias 18 e 19 de julho, das 16h às 21h, no Anjo da Guarda

Serão promovidas oficinas, contação de histórias, espetáculos teatrais para crianças e adultos, apresentações circense, sessão de cinema e muitas outras atrações

Um contêiner com uma grande tenda adaptada que leva teatro a cidades em vários estados do Brasil. Essa é a proposta do Emcena Brasil, projeto que vai realizar diversas atividades culturais nos dias 18 e 19 de julho, das 16h às 21h, na Praça da Ressureição, no Anjo da Guarda. O projeto conta com o patrocínio da Vale, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), na edição de 2018, e com o apoio da Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult).

“O evento tem duração de dois dias durante os quais serão promovidas oficinas, contação de histórias, espetáculos teatrais para crianças e adultos, apresentações circense, sessão de cinema e muitas outras atrações. Estamos felizes em apoiar esta iniciativa que leva a cultura de forma itinerante para comunidades em situação de vulnerabilidade social”, compartilha o secretário municipal de cultura, Marlon Botão.

A caravana é realizada pela Companhia Abareteatro e apresenta uma estrutura moderna, que inclui som, iluminação, tela de cinema, 500 banquetas e uma grande tenda para abrigar a plateia. O projeto apresentará uma variada programação a todos os presentes, com a mesma qualidade de salas convencionais de teatro, com a vantagem de ser totalmente gratuito.

Além de São Luís, a caravana vai acontecer também os municípios maranhenses de Arari, Pindaré Mirim, Alto Alegre do Pindaré, Santa Inês, Buriticupu e Açailândia. Ao todo, serão mais de 30 artistas e técnicos que desfilarão suas habilidades em dois dias de eventos em cada município. O excelente nível artístico e a interação com a plateia, aliado à tecnologia de luz e som, proporcionarão aos espectadores um evento que valoriza a cultura popular, o artista nacional e entretenimento gratuito. Nos últimos dez anos, o Projeto percorreu 350 cidades em todo o país, atendendo mais de 1,5 milhão de pessoas.

PROGRAMAÇÃO

QUARTA-FEIRA (18)

16h
Atividades recreativas
A Mala Estampada
Contação de Histórias
Oficina de Dobraduras

18h
A Menina e o Sabiá
Teatro para crianças

19h
Cine Curta Brasil
Cinema

20h
Versão Brasileira
Circo

QUINTA-FEIRA (18)

16h
Atividades recreativas
A Folia no Terreiro do Seu Mané Pacarú
Teatro de Mamulengo
A seguir Oficina de Desenho

18h
O Reino Bruxólico da Bruxa Serafina Chinfrim
Teatro para crianças

19h
Convidado local
Atração artística da cidade

20h
A Mandrágora
Teatro para adultos

Share

ANCINE: Festival MIMO de Cinema está com inscrições abertas

mimo2018

Estão abertas as inscrições para a 15ª edição do Festival MIMO. Até 3 de agosto, serão aceitas produções inéditas que tratem a música como tema central, em formatos curta, média e longa-metragem.

O evento acontecerá em quatro cidades: Paraty, de 28 a 30 de setembro, Rio de Janeiro, de 15 a 17 de novembro, São Paulo, 19 e 20 de novembro, e Olinda, 23 a 25 de novembro.

Paralelamente ao festival, acontecerão concertos gratuitos de artistas brasileiros e estrangeiros.

Títulos como “Olho Nu”, de Joel Pizzini, “My name is now, Elza Soares”, de Elizabete Martins Campos, “Xingu Cariri Caruaru Carioca”, de Beth Formaggini, “Clara Estrela”, de Susanna Lira e Rodrigo Alzuguir e “Híbridos, os espíritos do Brasil”, de Priscilla Telmon e Vincent Moon, são filmes que estrearam no MIMO.

Para inscrições e regulamento, acesse o site do evento. Entrada franca.

Sobre o MIMO

O MIMO Festival surgiu no interior das igrejas de Olinda, em 2004. O evento apresenta concertos de artistas de primeira grandeza, ao lado de uma programação paralela de cinema, em que a música é a protagonista.

Com a proposta de celebrar a música do mundo e recebido calorosamente pelo público e pela crítica ano após ano, ganhou uma consistente Etapa Educativa e, posteriormente, lançou a Chuva de Poesias e os bem-sucedidos editais de música e cinema.

O MIMO expandiu-se para outras cidades: inicialmente, Recife e João Pessoa, e em seguida, Ouro Preto, Tiradentes, Paraty, até desembarcar no Rio de Janeiro em 2015, quando ultrapassou a marca de um milhão de público. Realizou sua primeira edição internacional, em Portugal, na cidade de Amarante, em 2016.

Share

Desenhista brasileiro é indicado ao “Oscar” dos quadrinhos americanos

postas

Com uma arte voltada à temática racial, o desenhista paulistano Marcelo D’Salete foi indicado ao Prêmio Eisner, considerado o Oscar da indústria americana de quadrinhos. O artista concorre com Cumbe, graphic novel lançada em 2014 no Brasil e publicada nos Estados Unidos em 2017 com título de Run for It. O resultado será divulgado durante a San Diego Comic Con, evento que acontece a partir desta quarta-feira (18) na cidade californiana.

Cumbe traz quatro histórias que falam sobre a luta contra a escravidão. Além dos Estados Unidos e Brasil, a obra já foi lançada na França, Portugal, Áustria e Itália.

Com 39 anos de idade, Marcelo D’Salete também é autor, entre outros títulos de Angola Janga. O álbum narra a trajetória do Quilombo de Palmares, palco da resistência do herói Zumbi e de seus guerreiros contra o regime escravocrata do período colonial. A HQ dá um olhar diferente a fatos marcantes que se tornaram conhecidos pela ótica da história branca. O trabalho resultou de uma década de pesquisas realizadas por D’Salete.

Share

CNIC analisa 97 projetos que pleiteiam incentivo via Lei Rouanet

reunioes-cnic-interna

A Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC) realiza, nesta terça (17), quarta (18) e quinta-feira (19) em Brasília, sua 279ª reunião ordinária. Até o momento, estão em pauta 97 projetos culturais que pleiteiam incentivo fiscal via Lei Rouanet. Os projetos pertencem às seguintes áreas: artes cênicas (22), artes visuais (11), audiovisual (7), humanidades (19), música (28), e patrimônio cultural (10).

As reuniões da CNIC ocorrem mensalmente. Cabe à comissão dar parecer favorável ou não aos projetos apresentados ao Ministério da Cultura (MinC). As decisões da comissão, porém, precisam ser referendadas pelo secretário de Fomento e Incentivo à Cultura do MinC, José Paulo Soares Martins, que preside a CNIC. Depois, o projeto está apto a captar recursos por meio de incentivo fiscal. A partir daí, o proponente está autorizado a procurar junto a empresas ou pessoas físicas o apoio à iniciativa, investimento que poderá ser posteriormente deduzido, totalmente ou em parte, do imposto de renda devido.

Como de rotina, a plenária final da reunião, que ocorre na quinta-feira (19), terá transmissão ao vivo pelo site e redes sociais do MinC, garantindo a transparência das discussões.

A CNIC

A Comissão Nacional de Incentivo à Cultura é um colegiado de assessoramento formado por representantes dos setores artísticos, culturais e empresariais, em paridade da sociedade civil e do poder público. Os membros da sociedade civil são provenientes das cinco regiões brasileiras, representando as áreas das artes cênicas, do audiovisual, da música, das artes visuais, do patrimônio cultural, de humanidades e do empresariado nacional.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share

MINC: Conheça os filmes selecionados do Festival de Gramado

festival-gramado-2018-interna

O Festival de Cinema de Gramado divulgou a programação da 46ª edição do evento, marcado para os dias 17 a 25 de agosto. Representantes de diferentes áreas da realização cinematográfica se encontram no Palácio dos Festivais e em diversos pontos da cidade de Gramado para prestigiar uma programação que contempla mostras competitivas, homenagens, debates, exibições especiais, atividades paralelas, a tradicional Mostra Gaúcha de Curtas – promovida em parceria com a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul – e a noite de gala do projeto gramadense Educavídeo.

As mostras competitivas apresentam nove representantes brasileiros e cinco estrangeiros, todos inéditos no circuito nacional, compondo um painel que, segundo o curador Rubens Ewald Filho, é a fiel representação da confiança que a curadoria – formada por ele, Marcos Santuario e a argentina Eva Piwowarski – conquistaram nos últimos anos: “Hoje, o trabalho mais difícil é encontrar espaço para contemplar produções tão diversas e de qualidade. Não há dúvida de que os realizadores querem cada vez mais estar em Gramado porque sentem que estabelecemos um diálogo muito íntimo com a atual produção cinematográfica”, analisa Ewald Filho.

Sobre as produções selecionadas, o curador Marcos Santuario destaca o perfil consolidado pela curadoria nos últimos anos. “O que se apresenta em Gramado este ano é um panorama contemporâneo que contempla tanto o cinema de nomes reconhecidos quanto o de revelações e que consegue transitar por diferentes gêneros, com obras tão plurais quanto os cinemas que elas representam”, comenta. Ao todo, foram inscritos 665 filmes para a 46ª edição, considerando longas e curtas-metragens.

Longas-metragens brasileiros

  • “10 Segundos Para Vencer” (RJ), de José Alvarenga Jr.
  • “O Banquete” (SP), de Daniela Thomas
  • “Benzinho” (RJ), de Gustavo Pizzi
  • “A Cidade dos Piratas” (RS), de Otto Guerra
  • “O Avental Rosa” (RJ), de Jayme Monjardim
  • “Ferrugem” (PR), de Aly Muritiba
  • “Mormaço” (RJ), de Marina Meliande
  • “Simonal” (RJ), de Leonardo Domingues
  • “A Voz do Silêncio” (SP), de André Ristum

Longas-metragens estrangeiros

  • “Averno” (Bolívia/Uruguai), de Marcos Loayza
  • “Las Herederas” (Paraguai/Brasil/Uruguai/França/Alemanha), de Marcelo Martinessi
  • “Mi Mundial” (Uruguai/Argentina/Brasil), de Carlos Morelli
  • “Recreo” (Argentina), de Hernán Guerschuny e Jazmín Stuart
  • “Violeta al Fin” (Costa Rica/México), de Hilda Hidalgo

Curtas-metragens brasileiros

  • “À Tona” (DF), de Daniella Cronemberger
  • “Apenas o Que Você Precisa Saber Sobre Mim” (SC), de Maria Augusta V. Nunes
  • “Aquarela” (MA), de Thiago Kistenmacker e Al Danuzio
  • “Catadora de Gente” (RS), de Mirela Kruel
  • “Estamos Todos Aqui” (SP), de Chico Santos e Rafael Mellim
  • “Um Filme de Baixo Orçamento” (SP), de Paulo Leierer
  • “Guaxuma” (PE), de Nara Normande
  • “Kairo” (SP), de Fabio Rodrigo
  • “Majur” (MT), de Rafael Irineu
  • “Minha Mãe, Minha Filha” (SP), de Alexandre Estevanato
  • “Nova Iorque” (PE), de Leo Tabosa
  • “Plantae” (RJ), de Guilherme Gehr
  • “A Retirada Para Um Coração Bruto” (MG), de Marco Antonio Pereira
  • “Torre” (SP), de Nádia Mangolini

Curtas-metragens gaúchos – Prêmio Assembleia Legislativa

  • “À Sombra” (Canoas), de Felipe Iesbick
  • “O Abismo” (Sapucaia do Sul), de Lucas Reis
  • “Antes do Lembrar” (Porto Alegre), de Luciana Mazeto e Vinícius Lopes
  • “Coágulo” (São Leopoldo), de Jéssica Gonzatto
  • “O Comedor de Sementes” (São Leopoldo), de Victoria Farina
  • “Um Corpo Feminino” (Porto Alegre), de Thais Fernandes
  • “Entre Sós” (Porto Alegre), de Caetano Salerno
  • “Fè Mye Talè” (Encantado), de Henrique Both Lahude
  • “A Formidável Fabriqueta de Sonhos Menina Betina” (Pelotas), de Tiago Ribeiro
  • “Gasparotto” (Porto Alegre), de Zeca Brito
  • “Grito” (Santa Maria), de Luiz Alberto Cassol
  • “Maçãs em Fogo” (Porto Alegre), de Bruno de Oliveira
  • “Movimento à Margem” (Porto Alegre), de Lícia Arosteguy e Lucas Tergolina
  • “Mulher Ltda” (Canoas), de Taísa Ennes
  • “Nós Montanha” (Porto Alegre), de Gabriel Motta
  • “Pelos Velhos Tempos” (Porto Alegre), de Ulisses da Motta
  • “Sem Abrigo” (Porto Alegre), de Leonardo Remor
  • “Subtexto” (Caxias do Sul), de Cristian Beltrán
  • “Vinil” (Porto Alegre), de Catherine Silveira de Vargas e Valentina Peroni Freire Barata
  • “O Viúvo” (Porto Alegre), de Luiz Carlos Wolf Chemale

Gramado Film Market

Após a bem-sucedida estreia em 2017, o Gramado Film Market chega a sua segunda edição como a programação oficial do Festival de Cinema de Gramado focada na discussão e na reflexão de pontos cruciais da atividade audiovisual, no gargalo de escoamento e nas parcerias nacionais e internacionais. Para este ano, o Gramado Film Market se concentra em três frentes de discussão: plataformas de exibição, internacionalização de conteúdos ibero-americanos e no futuro das salas de exibição.

Homenagens

Tradicionais homenagens do Festival de Cinema de Gramado já têm destino garantido na edição 2018. Distinção que destaca a trajetória e a contribuição de diretores brasileiros, o Troféu Eduardo Abelin será entregue ao animador Carlos Saldanha, indicado duas vezes ao Oscar em carreira internacional. Já o Troféu Cidade de Gramado será do ator Ney Latorraca, que, até agora, contabiliza 23 longas-metragens no currículo.

Itália, o país convidado de honra

Também inaugurado ano passado, o projeto do filme convidado de honra do Festival de Cinema de Gramado é mantido em 2018. Após a estreia com o Canadá, que trouxe para a Serra Gaúcha convidados e exibições exclusivas, agora é a vez de a Itália marcar presença no evento para compartilhar com público e convidados as tendências, as novidades e as reflexões de suas produções e exibições cinematográficas.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

Share

MinC lança edital para organizar rodada de negócios do MicBR

micbr-445x273

O Ministério da Cultura (MinC) publicou nesta segunda-feira (16) o edital de seleção da empresa organizadora da rodada de negócios do Mercado das Indústrias Criativas do Brasil (MicBR), que será realizado de 5 a 11 de novembro, em São Paulo. O serviço contratado deve contemplar todas as etapas do processo, desde o planejamento até a realização das rodadas, e a apresentação de relatórios, além de fornecer ambiente virtual para sua realização. As companhias que se interessarem têm até o dia 30 deste mês para enviar cotação. Veja aqui o termo de referência completo.

A proposta deve contemplar metodologia e estratégia de mercado para o agendamento de reuniões e o funcionamento das rodadas de negócios, bem como plataforma online de agendamento e negociação. Outro requisito é detalhar a equipe central de profissionais qualificados que irão desenvolver o ambiente de negócios e atender os participantes durante todo o processo, da inscrição à realização dos encontros. O atendimento deve ser oferecido em português, inglês e espanhol.

Podem participar da seleção quaisquer pessoas jurídicas de direito privado, instituições de ensino superior, públicas ou privadas, centros de pesquisa, fundações e institutos, desde que com sede no Brasil, e que atuem ou realizem atividades de promoção de negócios. A vencedora será a empresa que apresentar menor preço global e que atender a todos os requisitos técnicos de qualificação e documentação.

MicBR

O Mercado das Indústrias Criativas do Brasil (MicBR) é um evento de negócios que vai reunir 500 empresas do Brasil e da América do Sul e 100 compradores internacionais de todo o mundo, além de milhares de criadores e empreendedores dos setores culturais e criativos. O MicBR será realizado no corredor cultural da Avenida Paulista, de 5 a 11 de novembro de 2018, com o objetivo de impulsionar a internacionalização da produção cultural brasileira e o intercâmbio entre os países.

O público diário esperado é de 2 mil pessoas nas atividades de mercado, e de 3 mil, na programação cultural. Estima-se que o número de participantes chegue a 30 mil durante o fim de semana que encerra o evento, nos dias 10 e 11 de novembro, nas diferentes atividades espalhadas por centros culturais da Avenida Paulista.

Além das rodadas de negócios, estão incluídos na agenda, espaços para a troca de contatos profissionais (networking), oportunidades de apresentação de produtos e serviços (pitchings), além de atividades de capacitação.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share

MINC: Paralelos Artes Visuais Funarte está com inscrições abertas

escola_de_gente

A Fundação Nacional de Artes abriu as inscrições para o edital Paralelos Artes Visuais Funarte. O processo seletivo vai gerar cadastro reserva de projetos e programas, para realização nas galerias e espaços da entidade nas cidades de Brasília (DF), São Paulo (SP) e Belo Horizonte (MG). Válido para todo o Brasil, o prazo de inscrições termina no dia 16 de agosto.

O edital prevê diversos tipos de ações de ocupação, tais como: mostras de várias linguagens das artes visuais, inclusive performance, intervenção, poema visual e objeto, livro, vídeo-instalação, arquitetura e urbanismo, artes gráficas, experimentações audiovisuais e por meio de novas tecnologias, resultados de residências artísticas, intercâmbio via internet, programas educativos infantis, debates, palestras, oficinas com mostras, projetos em interface com outras artes e/ou áreas do conhecimento e com o meio-ambiente, o pensamento crítico e a história da arte; e várias outras “ações de livre expressão e temáticas livres” relacionadas às artes visuais contemporâneas.

O processo seletivo é aberto para pessoas físicas ou jurídicas de natureza cultural atuantes na área das Artes Visuais. As propostas podem ser inscritas em um de três módulos, cada um correspondente a uma cidade:

– Módulo 1: Atos Visuais Funarte Brasília – Espaços: Galeria Fayga Ostrower e Marquise/Entorno

– Módulo 2: Galerias Funarte de Artes Visuais São Paulo – Espaços: Galerias Flávio de Carvalho, Mario Schenberg, Centro de Convivência Waly Salomão e área externa

– Módulo 3: Funarte MG – Espaços: Galpão e área externa

Os proponentes podem optar pela ocupação de apenas um espaço ou de todos os espaços disponíveis no módulo escolhido. O objetivo do edital é manter a ocupação dos espaços da Funarte dedicados às artes visuais, bem como promover programações que valorizem a diversidade e a liberdade das linguagens contemporâneas nesse campo.

Acesse o edital na íntegra, mais informações e links de inscrição no site da Funarte.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

Share

MINC | Novas taxas de armazenagem de obras serão propostas em agosto

anac_ministerio-da_cultura_interna

Está prevista para a segunda quinzena de agosto a conclusão de uma proposta de regulação para a cobrança de taxas de armazenagem de obras de arte e instrumentos musicais pelos aeroportos. Desde o dia 4 deste mês, um grupo de trabalho (GT) formado pelos Ministérios da Cultura, dos Transportes, Portos e Aviação Civil (MTPA) e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vêm se reunindo semanalmente para elaborar uma solução para a questão. Na próxima quinta-feira (19), o GT se reunirá com representantes de museus, de feiras internacionais de arte, e outros centros culturais para debater o tema. Na semana seguinte, será a vez das concessionárias dos aeroportos.

A forma como vem sendo feita a cobrança pelos aeroportos, que considera o valor de mercado das obras e não o peso das mesmas, pode inviabilizar a realização de grandes eventos culturais este ano, alertaram representantes do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp), do Instituto Tomie Ohtake, da Bienal de São Paulo, do Itaú Cultural, da SP-Arte, do Teatro Cultura Artística, da Pinacoteca do Estado e da Arte 3. O grupo se reuniu nesta quinta-feira (12) com o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, em seu gabinete em Brasília, para pedir celeridade na solução da questão.

A proposta do MinC é que haja a regulamentação do conceito de atividade cívico-cultural, de modo a garantir a clareza necessária sobre quais atividades podem se beneficiar do regime especial de tarifas garantido pela tabela 9 do contrato de concessão dos aeroportos (que estabelece a cobrança por peso, e não pelo valor de mercado).

Em abril, Sá Leitão já havia defendido a cobrança da tarifa por peso junto à Anac. Para o ministro, o aumento da taxa devido à cobrança por valor de mercado, pode trazer um prejuízo irreparável para a economia criativa brasileira, que atualmente responde por 2,64% do PIB nacional e contribui de forma significativa para o desenvolvimento do país, gerando emprego, renda e inclusão.

Por isso, o MinC e o MTPA decidiram, em maio, criar o grupo de trabalho encarregado de propor regras mais claras para a cobrança de tarifas de armazenagem sobre obras de arte e instrumentos musicais por aeroportos. A comissão já realizou duas reuniões, a primeira no dia 4 de julho e outra no dia 11 de julho.

Arbitrariedade

O setor cultural avalia que a mudança no critério de cobrança foi realizada de forma arbitrária e que os novos valores inviabilizam a realização dos eventos. De acordo com o diretor executivo do Instituto Tomie Ohtake, Roberto de Souza Leão Veiga, com a nova taxação, o valor cobrado para o armazenamento do conjunto de obras de uma exposição passa de R$ 3 mil para R$ 4,5 milhões. O custo é maior que o orçamento geral para a montagem da mostra; cerca de R$ 3 milhões.

A medida também pode afetar a imagem do País no exterior. O diretor Administrativo e Financeiro da Pinacoteca de São Paulo, Marcelo Dantas, ressaltou que as instituições brasileiras têm trabalhado para construir uma imagem sólida junto a museus e outros parceiros internacionais, que será abalada caso haja cancelamento de mostras e exposições.

Imbróglio

O impasse sobre a mudança na cobrança de tarifas de armazenagem para bens culturais teve início em outubro de 2017, quando houve tentativa de mudança na tarifação dos instrumentos da Orquestra Nacional do Conservatório de Toulouse, que se apresentou no Teatro Cultura Artística, em São Paulo. Na ocasião, a direção do teatro conseguiu junto à Justiça impedir a mudança tarifária e garantiu a realização do concerto.

Desde então, outros eventos sofreram com o desenquadramento de obras de arte, instrumentos musicais e outros itens da tabela utilizada para bens “cívico-culturais”. O caso de maior repercussão foi o da feira SP-Arte, um dos mais importantes eventos do mercado global de artes, que anualmente traz consagradas galerias brasileiras e estrangeiras, museus e instituições culturais, para um encontro criativo entre colecionadores, profissionais e amantes da arte. Em abril deste ano, várias galerias participantes tiveram suas obras taxadas por tabelas que consideram o valor e não o peso da obra, como era feito anteriormente.

A mudança de interpretação também atingiu o Masp, que ingressou com mandado de segurança contra a cobrança de tarifas de armazenagem abusivas sobre seis obras emprestadas do museu britânico Tate Museum para a exposição “Acervo em Transformação – Tate no MASP”.

Mais informações:

Assessoria de Comunicação do Ministério da Cultura

imprensa@cultura.gov.br

(61) 2024-2256/2456/2412

Share

Divulgados os filmes selecionados para o programa Encontros com o Cinema Brasileiro com o Festival de Roma

aaaa

O programa Encontros com o Cinema Brasileiro, iniciativa da ANCINE em parceria com o Ministério das Relações Exteriores, divulgou nesta sexta feira, 13 de julho, os selecionados que participarão desta 30ª edição do Encontros, desta vez com o Festival de Cinema de Roma.

Nos dias 30 e 31 de julho, o curador do festival italiano, Richard Peña, estará no Rio de Janeiro para assistir aos 12 filmes selecionados em sessões exclusivas. Esta é a primeira vez que Peña participará do Encontros.

Confira abaixo os títulos escolhidos pelo curador:

“Diário ordinário”, de Paula Fabiana (MM Filmes)

“Rio-santos”, de Klaus Mitteldorf (Coração da Selva)

“Legalize já”, de Johnny Araújo e Gustavo Bonafé (Academia de Filmes)

“Albatroz”, de Daniel Augusto (Loma Filmes)

“Cine marrocos”, de Ricardo Calil (Muiraquitã Filmes e Produções Artísticas)

“Ménage”, de Luan Cardoso e Lucca Bertollini (Pilgrilm Filmes / Quixó Produções)

“Alma clandestina”, de José Barahona (Refinaria Filmes)

“O que resta”, de Fernanda Teixeira (Buendía Filmes e Cafeína Produções)

“A voz do silêncio”, de André Ristum (Sombumbo Filmes)

“Arqueologia do poeta”, de Silvio Tendler (Caliban)

“Pastor cláudio”, de Beth Formaggini (4Ventos)

“Boni bonita”, de Daniel Barosa (Nimboo’s, Werner Cine & Urano Films)

Richard Peña fez suas escolhas utilizando-se de teasers e informações prestadas pelos produtores nas inscrições desta 30ª edição. Cinco dos filmes são de produtoras associadas ao Programa Cinema do Brasil, parceiro institucional do programa.

29ª edição do Encontros com o Cinema Brasileiro

A curadora do Festival Internacional de Cinema de San Sebastian, Andrea Stavenhagen, participou da 29ª edição do Programa Encontros com o Cinema Brasileiro. Ela esteve no Rio de Janeiro entre os dias 28 e 31 de maio para assistir aos 12 longas selecionados, em sessões exclusivas no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). A 66ª edição do festival acontece de 21 de agosto a 29 de setembro, na Espanha.

Como funciona?

O programa Encontros com o Cinema Brasileiro foi planejado levando em conta o calendário de realização dos festivais, aumentando as chances de participação dos filmes brasileiros, e, consequentemente, a inserção internacional do nosso cinema.

Desde a primeira edição, em junho de 2013, o programa também trouxe ao Brasil os curadores dos festivais internacionais de cinema de Roma, Havana, Roterdã, Berlim, Cannes (Seleção Oficial e Quinzena dos Realizadores), Festival de Sundance, BAFICI (Argentina) e IDFA (Holanda).

Clique aqui e saiba mais.

Share

Inscrições para o concurso do Iphan terminam nesta segunda

iphan-concurso-interna-2

Termina nesta segunda (16/7) o prazo para se inscrever no concurso do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). As informações sobre o certame estão disponíveis no site do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe).

A seleção oferece 411 vagas, distribuídas em todo o país, sendo 104 para Analista I (nível superior), 176 para Técnico I (nível superior) e 131 para Auxiliar Institucional (nível médio), em todos os estados do país e no Distrito federal. O concurso terá prova objetiva e discursiva, com aplicação no dia 26 de agosto, em todas as capitais. Além disso, haverá avaliação de títulos para os candidatos classificados.

Iphan

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) é uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Cultura que responde pela preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro. Cabe ao Iphan proteger e promover os bens culturais do País, assegurando sua permanência e usufruto para as gerações presentes e futuras.

O Iphan possui 27 Superintendências (uma em cada Unidade Federativa); 27 Escritórios Técnicos, a maioria deles localizados em cidades que são conjuntos urbanos tombados, as chamadas Cidades Históricas; e, ainda, cinco Unidades Especiais, sendo quatro delas no Rio de Janeiro: Centro Lucio Costa, Sítio Roberto Burle Marx, Paço Imperial e Centro Nacional do Folclore e Cultura Popular; e, uma em Brasília, o Centro Nacional de Arqueologia.

O Iphan também responde pela conservação, salvaguarda e monitoramento dos bens culturais brasileiros inscritos na Lista do Patrimônio Mundial e na Lista o Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, conforme convenções da Unesco, respectivamente, a Convenção do Patrimônio Mundial de 1972 e a Convenção do Patrimônio Cultural Imaterial de 2003.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Share