Relações de gênero são discutidas em Cinedebate no MinC

O Ministério da Cultura (MinC), em parceria com Secretaria de Saúde do Distrito Federal, promoveu, na terça-feira (19), em Brasília, o Cinedebate: a violência no cotidiano das mulheres. O objetivo do evento foi falar sobre as relações de gênero na sociedade e sobre as violências cotidianas sofridas pelas mulheres. Também foi abordada a relação entre o audiovisual e os aspectos sociopolíticos desse tema.

IMG_2270.JPG

No evento Cinedebate: a violência no cotidiano das mulheres, as convidadas e o público debateram relações de gênero a partir da exibição de filmes (Foto: Acácio Pinheiro / Ascom MinC)

Na ocasião, o público assistiu a três filmes que abordam a temática da violência contra a mulher – todos eles foram realizados com o apoio do edital Carmem Santos, lançado pela Secretaria do Audiovisual (SAv) do Ministério da Cultura em 2013. A iniciativa que premiou obras assinadas e dirigidas por mulheres foi realizada em parceria com Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres do então Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

Ao abrir a tarde de debates, o secretário do Audiovisual, João Batista da Silva, falou sobre a importância do evento. “A gente tem procurado fazer com que a política audiovisual seja mais próxima das demandas da sociedade. Esse edital veio no bojo dessa ação”, afirmou. “Para nós, que somos uma sociedade tão diversa, entendemos que o viés da diversidade cultural é muito importante”, acrescentou.

A coordenadora-geral de Novas Mídias da SAv, Lina Távora, explicou que o objetivo é unir diferentes políticas públicas em torno de um assunto de fundamental importância para a sociedade. “(Esse evento) tem um lado do Ministério, que valoriza o cinema produzido por editais afirmativos, e o aspecto da saúde, que tem um outro olhar sobre a questão”, disse.

Um dos filmes apresentados foi Quem matou Eloá?, dirigido por Lívia Perez. A diretora, presente no debate, elogiou a iniciativa. “Esse é um dos temas mais urgentes. O Brasil é o quinto país que mais mata mulher. É um problema da população e do governo”, opinou. “Acho importante pegar essas duas áreas diferentes e ter essa possibilidade de diálogo, que é onde surgem as trocas de experiências e de ideias”, completou.

Ainda foram exibidos para o público presente os títulos Atadas, dirigido por Tarsila Nakamura; e Prelúdio, dirigido por Júlia Peres.  As exibições foram seguidas de debate com participação da doutora em Direito pela Universidade de Brasília (UnB), Lívia Gimenes Dias da Fonseca; da coordenadora da SAv, Lina Távora; e da diretora Lívia Perez.

O evento foi destinado especialmente a profissionais da assistência social que estão realizando um curso sobre a Lei Maria da Penha, organizado pela Gerência de Serviço Social da Secretaria de Saúde do DF, em parceria com a Defensoria Pública da União. Para Lívia Gimenes, a Lei Maria da Penha ainda tem se mostrado muito pouco em relação à violência contra as vítimas e as obras audiovisuais têm papel relevante nesse contexto. “Os filmes são muito importantes porque trazem um instrumental para o debate entre as mulheres”, disse.

Assessoria de Comunicação

Ministério da Cultura

Share

ANCINE divulga vencedores do edital de coprodução com o Uruguai

urug

A ANCINE e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) anunciaram nesta segunda-feira, 18 de setembro, os projetos vencedores do edital de coprodução Brasil-Uruguai 2017, promovido em parceria com o ICAU – Instituto de Cinema y Audiovisual, do Uruguai. O concurso binacional contemplou dois projetos com um total equivalente a 300 mil dólares.

Foram selecionados o projeto majoritariamente brasileiro “Obreiro”, de Gabriel Mascaro, apresentado pela produtora uruguaia Malbicho Cine, em coprodução com a brasileira Desvia Produções; e o projeto majoritariamente uruguaio “A teoria dos vidros quebrados”, de Diego Fernandez, apresentado pela brasileira Okna Produções, em coprodução com a produtora uruguaia Edición. Cada um deles receberá investimentos no valor equivalente, em moedas locais, a 150 mil dólares.

Chamada Pública PRODECINE 09/2016 – Coprodução Uruguai-Brasil do Programa Brasil de Todas as Telas teve Comissão Binacional de Seleção formada pela assessora internacional da ANCINE, Ana Julia Cury Cabral, e pela produtora Sara Silveira, designadas pela ANCINE; e pela coordenadora Geral do ICAU, Inés Peñagaricano, e pelo cineasta Sebastián Bednarik, designados pelo ICAU.

Na ata, a comissão justifica a escolha de “A teoria dos vidros quebrados” “por ser um drama de caráter original, com elementos bem resolvidos de comédia, que apresenta um cenário típico da fronteira uruguaia e brasileira, e com uma personagem central de uma pessoa comum, mas extremamente instigante dentro da sua trajetória no roteiro”. Já “Obreiro” venceu a disputa “por construir solidamente um roteiro que assume os riscos de contar uma história em uma atmosfera irreal, que ao mesmo tempo remete a um tema cotidiano e atual de forma original.”

Esta é a sétima edição do edital de coprodução com o Uruguai. Gabriel Mascaro, diretor de “Obreiro”, já venceu o concurso na edição de 2011, quando o longa “Boi neon” iniciou seu financiamento. O filme acabou fazendo uma carreira internacional de grande sucesso, com destaque para o prêmio especial do Júri no Festival de Veneza em 2015.

Share

ALAGOAS: Imprensa Oficial divulga programação na 8ª Bienal Internacional do Livro

image

Começou a contagem regressiva para a 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas e, com ela, estão sendo concluídos os últimos preparativos da programação da Imprensa Oficial Graciliano Ramos durante o evento. Ao longo dos dez dias da bienal, o estande da editora concentrará uma série de lançamentos de títulos que prometem despertar o interesse tanto do público adulto quanto do infantil.

De 30 de setembro a 5 de outubro está programado o lançamento sucessivo das seis obras infantis da Imprensa Oficial Graciliano Ramos, sempre no período da tarde, promovendo o encontro de autores e ilustradores com as crianças que visitarem o estande.

Nestes encontros haverá distribuição de pipocas e balões para a meninada. Vale ressaltar que o enredo dessas historinhas serão narrados em duas sessões diárias de contações de histórias, realizadas nos turnos da manhã e da tarde.

Mantendo a tradição, este ano uma nova série da coleção Coco de Roda será lançada durante a Bienal do Livro. A edição 2017 traz os livros Zé Muquém Pegou o Trem, de Luiz Antonio Caldas Filho, com ilustrações de Pedro Lucena; Silvana, a Baleia Beluga, de Maryana Damasceno e ilustrações de Daniel Aubert; Estrela Raivosa, de Guilherme de Miranda Ramos e ilustrações de Cristiano Suarez; Uma Amizade Além do Tempo, de Marília Matsumoto e ilustrações de Ivan Ramos; e O Colar de Pérolas de Cecília, de Fabiana Freitas e Jean Carlos.

Além do lançamento dos cinco livros da coleção Coco de Roda, uma das grandes apostas editoriais da empresa para o público infantil nesta bienal é a reedição de O Mundo do Menino Impossível, de Jorge de Lima, ilustrado por Chris K. Esta obra poética, resgatada em sua versão infantil pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos, marcou a transição do célebre poeta alagoano do Parnasianismo para o Modernismo.

De 30 de setembro a 7 de outubro haverá sucessivas noites de autógrafos com 14 autores selecionados pelo Edital de Literatura 2017, reunindo obras de diversos gêneros literários, entre eles, poesia, romance e cordel.

Outro lançamento importante da Imprensa Oficial Graciliano Ramos na Bienal é o livro Ilha do Ferro, de Celso Brandão, que reúne fotos em preto e branco do mítico povoado localizado no município de Pão de Açúcar, conhecido reduto da arte popular alagoana.

“Estamos realizando diversas ações para impulsionar as vendas na 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas. Além de ter acesso a descontos em diversos títulos da Imprensa Oficial Graciliano Ramos, o público leitor poderá participar de sorteios e de campanhas que preveem a doação de livros no último dia do evento”, afirma Dagoberto Omena, diretor-presidente da Imprensa Oficial Graciliano Ramos.

De acordo com o executivo, no dia 30 deste mês será anunciada a abertura do processo seletivo do Edital de Literatura 2018, com novidades no processo de inscrição. “Pela primeira vez, as inscrições poderão ser realizadas pela internet, sem a necessidade de entrega de originais em papel. Com essa medida imaginamos que o número de inscritos deverá triplicar daqui para frente”, diz.

Programação – 8ª Bienal Internacional do Livro 2017

29/09 (sexta-feira) – Abertura

20h – Abertura do estande para visitação

30/09 (sábado)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

16h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

17h – Lançamento de Zé Muquém Pegou o Trem, de Luiz Antônio Caldas (autor) e Pedro Lucena (ilustrador)

19h – Lançamentos de Baile Catingoso, de Isaac Bugarim; Poemas Definitivos (– quase), de Charles Cooper; e Azul Para Viagem e Outros Escritos Cênicos, de Lael Correa

01/10 (domingo)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

16h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

17h – Lançamento de Silvana, A Baleia Beluga, de Maryana Damasceno (autora) e Daniel Aubert (ilustrador)

19h – Lançamentos de Um Cordel Atrás do Outro, de Cícero Manoel; Pausas Corrompidas, de Igor Machado; e Livro D’água, de Lillian Lessa

02/10 (segunda-feira)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

15h – Lançamento de O Mundo do Menino Impossível, de Jorge de Lima, com a presença da ilustradora Chris K

16h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

19h – Lançamento de A Feira, de Sidney Wanderley e Juarez Cavalcanti

03/10 (terça-feira)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

15h – Lançamento de Estrela Raivosa, de Guilherme de Miranda Ramos (autor) e Cristiano Suarez (ilustrador)

16h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

19h – Lançamento de A História do Soldado, de C. F. Ramuz, traduzido por Marcos de Farias Costa

04/10 (quarta-feira)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

15h – Lançamento de Uma Amizade Além do Tempo, de Marília Matsumoto (autora) e Ivan Ramos (ilustrador)

16h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

19h – Lançamento de Ilha do Ferro, de Celso Brandão

05/10 (quinta-feira)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

15h – Lançamento de O Colar de Pérolas de Cecília, de Fabiana Freitas (autora) e Jean Carlos (ilustrador)

16h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

19h – Lançamentos de Como Num Inferno pra Marinheiros, de Geovanne Otavio Ursulino; Álbum de Família, de Sebage; e Vá pra Cuba!, de Marcos Damasceno

06/10 (sexta-feira)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

18h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

20h – Encontro de autores da Imprensa Oficial Graciliano Ramos citados no livro Graciliano Arte

07/10 – (sábado)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

18h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

20h – Lançamentos de Qualquer Curva Que Me Leve Sem a Sua Linha Reta, de Jô Saulo; Dê(lírios) Intranquilos, de Alexsandro Alves; e Ocre Barro, de Marlon Silva.

08/10 – (domingo)

16h – Sorteio do kit com 12 novos livros do último edital de literatura e divulgação do vencedor da promoção #cocoderoda2017 no Facebook.

Share

BrLab anuncia selecionados para sua sétima edição

BRlab

BrLab –  Laboratório de Desenvolvimento de Projetos Audiovisuais anunciou a lista de projetos selecionados para a sua sétima edição, que acontece entre os dias 19 e 27 de outubro. Foram selecionados onze projetos, sendo seis brasileiros e cinco estrangeiros de um total de 346 inscrições.

A comissão de avaliação e seleção foi formada por Andrea Cals (produtora, RJ), Beatriz Carvalho (produtora, SP) Davi Pretto (cineasta, RS), Eva Morsh (França), Flavia Candida (curadora, RJ), Francine Barbosa (roteirista e educadora, SP), Maíra Bühler (diretora, SP), Marcela Lordy (diretora, SP), Márcio Miranda Perez (cineasta e curador, SP), Marina Torre (produtora, SP), Mauricio Kinoshita (produtor e programador, SP), Rafael Sampaio (produtor e diretor do BrLab) e Paula Astorga (diretora, México).

Confira abaixo os projetos selecionados para o BrLab 2017:

:: “Ascensión”, de Cesar Acevedo – produção Diana Bustamante (Burning Blue, Colombia)
:: “Canção ao longe”, de Clarissa Campolina – produção Laura Godoy e Luana Melgaço (Anavilhana / MG)
:: “Cores de maio”, de Juliana Vicente – produção Carla Comino (Preta Porte Filmes / SP)
:: “Criadas”, de Carol Rodrigues – produção Julia Zakia e Guilherme César (Gato do Parque Cinematográfica / SP)
:: “La Jauría”, de Maurício López Fernández – produção Josephine Schroeder (Pequén Producciones, Chile)
:: “Légua”, de Filipa Reis e João Miller Guerra – produção  Filipa Reis e João Miller Guerra (Uma Pedra no Sapato, Portugal)
:: “Novembro”, de Milena Times – produção Dora Amorim e Thaís Vidal (Ponte Produções / PE)
:: “Nxiamu”, de Maurílio Martins e Thiago Taves Sobreiro – produção Matheus Antunes (Cento e Oito filmes / MG)
:: “Sahar”, de Vera Egito – produção Diana Almeida (Lacuna Filmes / SP)
:: “Sandra”, de Yennifer Uribe – produção Alexander Arbelaez Osorio (Monociclo Cine, Colombia)
:: “El otro lago” , de Francisca Silva – produção Nayra Ilic García (Trébol Film, Chile)

Também faz parte da seleção o projeto “Loba”, de Kiro Russo, com produção de Alexa Rivero (Socavón Films, Bolivia), selecionado no Cinéma en Développement em Toulouse, em março.

O BrLab é realizado pela Klaxon Cultura Audiovisual, em parceria com a Spcine, o SESC SP e a Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

Share

MINC | Arte para todos: viva o Dia Nacional do Teatro Acessível!

escola_de_gente

A Lei 13.442/2017, que prevê a criação do Dia Nacional do Teatro Acessível, foi sancionada pela Presidência da República em maio deste ano (Crédito: Escola de Gente / Divulgação)

O Dia Nacional do Teatro, comemorado em 19 de setembro, tem mais uma razão para festejar: este é o primeiro ano em que se celebra o Dia Nacional do Teatro Acessível: Arte, Prazer e Direitos. Em maio, a Lei 13.442/2017, que prevê a data comemorativa, foi sancionada pelo presidente da República, Michel Temer.

A lei tem como objetivo apoiar atividades cênicas que ofereçam práticas de acessibilidade  física e comunicativa a pessoas com deficiência. A iniciativa da legislação surgiu após a campanha Teatro Acessível: Arte, prazer e Direitos, realizada pela organização não-governamental Escola de Gente – Comunicação em Inclusão, em 2011, na Câmara dos Deputados. Em 2013, a Casa ainda recebeu uma audiência pública sobre o assunto.

De acordo com a fundadora da ONG, Cláudia Werneck, acessibilidade na cultura é um direito inegociável. “O Dia Nacional do Teatro Acessível traz uma proposta de liberdade para pessoas com e sem deficiência. Liberdade de juntas circularem por todos os espaços culturais e das artes cênicas como plateia, pensadores/as, produtores/as, atores e atrizes, sem restrições ou fragmentações no exercício de seus direitos. Não é um teatro para pessoas com deficiência. Não é um teatro de pessoas com deficiência. O teatro acessível é livre, porque pratica inclusão, e porque não exclui pessoas por seus modos de ouvir ou não ouvir, enxergar ou não enxergar, andar ou não andar, ter um intelecto que se movimento mais vagarosamente”, conceitua.

Nesta terça (19), a Escola da Gente – Comunicação em Inclusão apresenta espetáculo do grupo Os Inclusos e os Sisos – Teatro de Mobilização pela Diversidade, no Teatro Cacilda Becker, no Rio de Janeiro. Já na quarta-feira (20), haverá um ato pelo Dia Nacional do Teatro Acessível e apresentação dos Inclusos e os Sisos no Tribunal de Contas da União (TCU), em Brasília. Ambos eventos são gratuitos.

Lei Rouanet

De 2015 a setembro de 2017, foram aprovados pouco mais de três mil projetos de específicos de teatro pela Lei Rouanet, que totalizaram a captação de R$ 737,5 milhões. O segmento ‘Artes Cênicas’ do Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura (Salic) engloba doze áreas (ações de capacitação e treinamento de pessoal, circo, dança, desfile de cortejo da cultura popular, desfile de escola de samba, mímica, música erudita, teatro, teatro de bonecos e congêneres, teatro de formas animadas, teatro musical, ópera) e já aprovou 4.427 projetos entre 2015 e 2017 – no total, R$ 948 milhões foram captados pelas doze áreas.

 As Artes Cênicas são o segmento que mais tiveram projetos aprovados pela Lei de Incentivo à Cultura, no período, se comparado a outras áreas como Música (3.298), Humanidades (2.019), Audiovisual (1.146), Artes Visuais (1.084), Patrimônio Cultural (295) e Museus e Memórias (4).

Share

CEARÁ | Musicoletiva e Porto Dragão lançam programa musical “Volume Sessions”

volumesessions

“Juntos, somos mais fortes”. Foi baseado nessa filosofia que um grupo de músicos cearenses decidiu se reunir e somar expertises para fortalecer a cadeia artística e projetar as bandas autorais do Ceará. Assim, surgiu o Musicoletiva. A fim de formar novas plateias, o coletivo idealizou um programa para a web que traz os mais diversos temas dentro do processo de criação musical, como, por exemplo, o percurso técnico de gravação de uma faixa, bate-papos e performances ao vivo. “O programa nasceu com espírito colaborativo. Juntamos forças, expertises e fizemos acontecer porque acreditamos no potencial artístico das bandas independentes do Ceará”, destaca Jones Vasconcelos, um dos idealizadores do projeto e integrante da banda Lilt.

O evento também exibirá clipes de bandas cearenses, mesmo das que já não existem mais, “como forma de resgatar e preservar a memória de projetos que contribuíram para o enriquecimento da cena e dar visibilidade às bandas emergentes”, como explica Jones Vasconcelos, um dos idealizadores do projeto.

Acreditando na iniciativa, o Instituto Dragão do Mar, por meio do Porto Dragão do Mar(projeto que investe na circulação estadual, nacional e internacional de artistas cearenses) se une ao coletivo na correalização do Programa e lança o projeto no próximo sábado, dia 23 de setembro, a partir das 20h, no Anfiteatro do Dragão do Mar, com o show “Volume Sessions”, onde se apresentam as bandas Rocca Vegas, Swan Vestas, LILT e Mad Monkees. No show, trechos do programa e clipes de bandas locais serão projetados. O Volume Sessions conta ainda com o apoio da Plataforma Zero e da Aaarte Filmes na captação e edição de imagens e do Magnólia Produções na captação e edição de áudio.

Para o presidente do Instituto Dragão do Mar, Paulo Linhares, a iniciativa é fundamental para fortalecer ainda mais a cena musical cearense e abre espaço para a reflexão sobre a necessidade de um novo modelo de negócio no mercado cultural. “O coletivo amadurece o que alguns grupos já vêm tentando fazer na cidade. Ao oferecer meios para que os artistas efetivem seus projetos, a iniciativa abre espaço para a emergência de novos talentos. Como principal agente de desenvolvimento do Estado, o Instituto Dragão do Mar não poderia deixar de apoiar a experiência. A ideia é que esse novo modelo possa ser estendido, em breve, a outras linguagens artísticas.”

Musicoletiva

Criado em 2016, o grupo inicialmente formado pelas bandas Swan Vestas, Lilt, Rocca, Mad Monkees e Old Books Room surge com o objetivo de fomentar ações para fortalecer o cenário da música independente no Estado, realizando eventos colaborativos, como as três edições do Session da Tarde (Santa Tatuagem, Boop’s Pub e Berlinda), Festival Volume (Órbita Bar), Palco Musicadô (Festival Ponto CE) e Festival Reverbera (Let’s Go), além de idealizar o programa Volume Sessions.

Jones ressalta que o grupo é aberto: “A ideia aqui é agregar. Nosso objetivo é atrair outros grupos e promover a troca de experiências para que cresçamos todos juntos.”

O Programa Volume Sessions

Inicialmente, os episódios serão exibidios na plataforma digital do YouTube. Para a primeira temporada do programa foram escaladas 4 bandas: Lilt, Swan Vestas, Rocca e Mad Monkees. O programa traz uma abordagem voltada à produção musical e aos processos de criação, onde as bandas são submetidas a gravarem em take one (ao vivo). Conduzidas pelo produtor musical Lucas Guterres, apresentador da série, o programa consegue extrair com naturalidade a sonoridade de cada banda. Será exibido em forma de série, sendo cada uma das bandas apresentadas em três episódios. Abrindo a série, Lucas Guterres fala sobre a ideia do programa e apresenta a primeira banda: Swan Vestas.

Episódio 1 – Um dos integrantes da banda se apresenta, fala um pouco sobre a banda e sobre o desafio de gravar ao vivo emtake one (com a captação original do som da banda, sem edições). Em seguida, corta para o estúdio onde abordarão a questão dos timbres e toda parte técnica que será utilizada.

Episódio 2 – Parecer técnico do apresentador e produtor Lucas Guterres a respeito da gravação da música e sobre como ele conseguiu extrair melhor o som deles. Em seguida, temos, então, o clipe da banda com a música já gravada.

Episódio 3 – Apresentação do clipe da banda, gravado ao vivo.


Programação do Show:
20h –  Rocca Vegas
20h30 – Swan Vestas
21h – Lilt
21h30 – Mad Monkees

Serviço:
 Show de lançamento do Programa Volume Sessions
Data:
 23 de setembro de 2017
Hora: 20h
Local: Anfiteatro Sérgio Motta
Acesso gratuito, sem retirada de ingressos. Classificação: 16 anos

Acesse as mídias digitais do Musicoletiva:
Facebook:www.facebook.com/musicoletiva/
Evento no FB: https://www.facebook.com/events/125596711429198/?ref=br_rs
Instagram: @musicoletiva
You Tube: https://www.youtube.com/channel/UCll4Ml_PnlbsI6Bj1ZnTa8A

Share

PIAUÍ | Abertas as inscrições para oficina de capacitação em edital de cinema

Pola-Ribeiro-300x200

Pola Ribeiro um dos ministrantes

A Secretaria Estadual de Cultura – Secult está com inscrições abertas para a oficina que visa capacitar os interessados em inscrever projetos no Edital de Seleção de Projetos Audiovisuais do Piauí. A oficina acontece dia 27 de setembro, no Teatro Torquato Neto, no Club dos Diários, e as inscrições devem ser feitas através do email audiovisual.secultpi@gmail.com.

A oficina visa orientar e esclarecer dúvidas acerca do edital que irá contemplar 20 projetos, dentre as categorias de animação, ficção e documentário. Serão investidos R$ 6 milhões em recursos da Agência Nacional do Cinema (ANCINE) e do Tesouro Estadual, através do Programa de Trabalho – Democratização e Difusão das Artes Criativas e da Cultura Piauiense.

Um dos ministrantes da oficina é o cineasta Pola Ribeiro, que é graduado em Comunicação Social pela Universidade Federal da Bahia e mestre em Desenvolvimento e Gestão Social pela Escola de Administração da UFBA. Em sua trajetória profissional, como produtor e diretor audiovisual, acumula prêmios e contribuições para cultura baiana através de filmes como “Jardim das Folhas Sagradas” e “Axé do Acarajé”. Pola também foi Secretário do Audiovisual/Minc e Diretor do IRDEB (Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia).

Maria Cláudia Cabral também participa como ministrante, ela é advogada, assessora na Secretária de Políticas de Financiamento e dedica-se à linha de Arranjos Financeiros Regionais e ao Programa de Capacitação em desenvolvimento na ANCINE.

Após a oficina, os proponentes poderão inscrever os projetos até o dia 30 de outubro. A seleção será feita por uma comissão julgadora, formada por três membros, com notório conhecimento na área. Será analisada a relevância dos temas propostos, além da técnica e compatibilidade entre o orçamento e o roteiro da obra escrita.

Share

ALAGOAS | Imprensa Oficial divulga programação na 8ª Bienal Internacional do Livro

mat

Começou a contagem regressiva para a 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas e, com ela, estão sendo concluídos os últimos preparativos da programação da Imprensa Oficial Graciliano Ramos durante o evento. Ao longo dos dez dias da bienal, o estande da editora concentrará uma série de lançamentos de títulos que prometem despertar o interesse tanto do público adulto quanto do infantil.

De 30 de setembro a 5 de outubro está programado o lançamento sucessivo das seis obras infantis da Imprensa Oficial Graciliano Ramos, sempre no período da tarde, promovendo o encontro de autores e ilustradores com as crianças que visitarem o estande.

Nestes encontros haverá distribuição de pipocas e balões para a meninada. Vale ressaltar que o enredo dessas historinhas serão narrados em duas sessões diárias de contações de histórias, realizadas nos turnos da manhã e da tarde.

Mantendo a tradição, este ano uma nova série da coleção Coco de Roda será lançada durante a Bienal do Livro. A edição 2017 traz os livros Zé Muquém Pegou o Trem, de Luiz Antonio Caldas Filho, com ilustrações de Pedro Lucena; Silvana, a Baleia Beluga, de Maryana Damasceno e ilustrações de Daniel Aubert; Estrela Raivosa, de Guilherme de Miranda Ramos e ilustrações de Cristiano Suarez; Uma Amizade Além do Tempo, de Marília Matsumoto e ilustrações de Ivan Ramos; e O Colar de Pérolas de Cecília, de Fabiana Freitas e Jean Carlos.

Além do lançamento dos cinco livros da coleção Coco de Roda, uma das grandes apostas editoriais da empresa para o público infantil nesta bienal é a reedição de O Mundo do Menino Impossível, de Jorge de Lima, ilustrado por Chris K. Esta obra poética, resgatada em sua versão infantil pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos, marcou a transição do célebre poeta alagoano do Parnasianismo para o Modernismo.

De 30 de setembro a 7 de outubro haverá sucessivas noites de autógrafos com 14 autores selecionados pelo Edital de Literatura 2017, reunindo obras de diversos gêneros literários, entre eles, poesia, romance e cordel.

Outro lançamento importante da Imprensa Oficial Graciliano Ramos na Bienal é o livro Ilha do Ferro, de Celso Brandão, que reúne fotos em preto e branco do mítico povoado localizado no município de Pão de Açúcar, conhecido reduto da arte popular alagoana.

“Estamos realizando diversas ações para impulsionar as vendas na 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas. Além de ter acesso a descontos em diversos títulos da Imprensa Oficial Graciliano Ramos, o público leitor poderá participar de sorteios e de campanhas que preveem a doação de livros no último dia do evento”, afirma Dagoberto Omena, diretor-presidente da Imprensa Oficial Graciliano Ramos.

De acordo com o executivo, no dia 30 deste mês será anunciada a abertura do processo seletivo do Edital de Literatura 2018, com novidades no processo de inscrição. “Pela primeira vez, as inscrições poderão ser realizadas pela internet, sem a necessidade de entrega de originais em papel. Com essa medida imaginamos que o número de inscritos deverá triplicar daqui para frente”, diz.

Programação – 8ª Bienal Internacional do Livro 2017

29/09 (sexta-feira) – Abertura

20h – Abertura do estande para visitação

30/09 (sábado)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

16h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

17h – Lançamento de Zé Muquém Pegou o Trem, de Luiz Antônio Caldas (autor) e Pedro Lucena (ilustrador)

19h – Lançamentos de Baile Catingoso, de Isaac Bugarim; Poemas Definitivos (– quase), de Charles Cooper; e Azul Para Viagem e Outros Escritos Cênicos, de Lael Correa

01/10 (domingo)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

16h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

17h – Lançamento de Silvana, A Baleia Beluga, de Maryana Damasceno (autora) e Daniel Aubert (ilustrador)

19h – Lançamentos de Um Cordel Atrás do Outro, de Cícero Manoel; Pausas Corrompidas, de Igor Machado; e Livro D’água, de Lillian Lessa

02/10 (segunda-feira)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

15h – Lançamento de O Mundo do Menino Impossível, de Jorge de Lima, com a presença da ilustradora Chris K

16h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

19h – Lançamento de A Feira, de Sidney Wanderley e Juarez Cavalcanti

 

03/10 (terça-feira)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

15h – Lançamento de Estrela Raivosa, de Guilherme de Miranda Ramos (autor) e Cristiano Suarez (ilustrador)

16h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

19h – Lançamento de A História do Soldado, de C. F. Ramuz, traduzido por Marcos de Farias Costa

 

04/10 (quarta-feira)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

15h – Lançamento de Uma Amizade Além do Tempo, de Marília Matsumoto (autora) e Ivan Ramos (ilustrador)

16h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

19h – Lançamento de Ilha do Ferro, de Celso Brandão

05/10 (quinta-feira)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

15h – Lançamento de O Colar de Pérolas de Cecília, de Fabiana Freitas (autora) e Jean Carlos (ilustrador)

16h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

19h – Lançamentos de Como Num Inferno pra Marinheiros, de Geovanne Otavio Ursulino; Álbum de Família, de Sebage; e Vá pra Cuba!, de Marcos Damasceno

 

06/10 (sexta-feira)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

18h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

20h – Encontro de autores da Imprensa Oficial Graciliano Ramos citados no livro Graciliano Arte

07/10 – (sábado)

10h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

18h – Contação de histórias (Coleção Coco da Roda)

20h – Lançamentos de Qualquer Curva Que Me Leve Sem a Sua Linha Reta, de Jô Saulo; Dê(lírios) Intranquilos, de Alexsandro Alves; e Ocre Barro, de Marlon Silva.

 

08/10 – (domingo)

16h – Sorteio do kit com 12 novos livros do último edital de literatura e divulgação do vencedor da promoção #cocoderoda2017 no Facebook.

Share

BAHIA | OSBA promove “Concerto da Diversidade” na quinta-feira (21) no TCA

OSBAemCASA2017

A Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) retorna em setembro, mês de celebração dos seus 35 anos, com novas edições do projeto “OSBAEMCASA”. Batizado com o nome “Concerto da Diversidade”, as apresentações acontecem na noite de 21 de setembro (quinta-feira), às 18h30 e às 20h30, na Sala Principal do TCA, com regência do maestro Carlos Prazeres e participação da cantora soprano Flávia Albano como solista convidada. O projeto, que estreou em janeiro de 2016, aposta numa atmosfera mais intimista e descontraída recebendo o público no próprio palco do teatro, com lotação reduzida. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

O repertório do concerto traz a peça “Les Illuminations” para Soprano e Orquestra de Cordas, do compositor britânico Benjamin Britten (1913-1976), inspirada na obra escrita pelo poeta simbolista francês Arthur Rimbaud (1854-1891), que viveu um tumultuado romance com o poeta francês Paul Verlaine (1844–1896), uma relação que escandalizou a sociedade francesa do século XIX. E para finalizar, será apresentada a “Serenata para cordas em Dó maior, Op. 48”, do compositor russo P. I. Tchaikovsky (1840-1893), um dos maiores representantes do período romântico. Embora oficialmente sua morte, aos 53 anos, tenha sido atribuída à cólera, há fortes indícios de que ele tenha sido obrigado a cometer suicídio sob ameaça de que seus casos e relações amorosas com outros homens se tornassem públicos

FLÁVIA ALBANO (solista) – Natural de São Paulo, Flávia iniciou seus estudos em canto com Leilah Farah. É mestre em performance pelo “Royal Northern College of Music” e habilitada em artes dramáticas pelo “Teatro Escola Macunaíma”. Entre seus papéis de ópera destacam-se A Rainha da Noite em “A Flauta Mágica” em diferentes produções, Violetta em “La Traviata” com a Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, Norina em “Don Pasquale”, Imogene em “Il Pirata” e Amina em “La Sonnambula” nas Cortinas Líricas do Theatro São Pedro, Susanna em “Le NozzediFigaro” com West Riding Opera e Sophie em “Der Rosenkavalier”, sob regência de Baldur Brönnimann, entre outros. Flavia também é Doutora em Educação pela PUC/SP e professora da Universidade Federal da Bahia.

OSBA – Nova gestão – 
Após a consolidação do processo de publicização, a Associação de Amigos do Teatro Castro Alves (ATCA), Organização Social sem fins lucrativos, se torna responsável pela gestão da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA). Neste novo modelo de gestão, a OSBA passa a fazer parte do Programa Estadual de Organizações Sociais, mas permanece como patrimônio público, sendo ainda subsidiada pelo Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura (SECULT-BA).

Serviço:

PROJETO “OSBAemCASA” – “CONCERTO DA DIVERSIDADE”
Regência: Carlos Prazeres | Solista: Flávia Albano (soprano)
Local:
 Sala Principal do Teatro Castro Alves (com o público no palco).
Data: 21 de setembro (quinta-feira).
Horários: 18h30 e 20h30
Ingressos*: R$ 10 e R$ 5
Abertura das vendas: 18 de setembro (segunda-feira)

Share

MARANHÃO | Equipamentos de cultura da Região Tocantina serão reformados

IMG-20170918-WA0019-300x225

Durante entrega de pacote de obras e serviços na Região Tocantina, o Governo do Maranhão anunciou reformas de dois importantes equipamentos culturais do município de João Lisboa. O Teatro Municipal Viriato Correa e a Biblioteca Municipal Escritor Josué Montello serão entregues completamente revitalizados ainda esse ano.

Inaugurados em agosto de 1991, os espaços de cultura nunca passaram por melhorias. A biblioteca vem funcionando em condições precárias e o teatro está desativado há anos por falta de condições mínimas de funcionamento.

A biblioteca, única da cidade, precisa de reparos estruturais e novos equipamentos, enquanto o teatro irá receber melhorias de estrutura, revisão elétrica completa e cadeiras novas. As ações de revitalização nos prédios serão conduzidas pela Secretaria de Estado da Cultura e Turismo (Sectur).

“Reformando esses dois importantes equipamentos culturais, estamos contribuindo para a formação cultural e educacional de todo o município de João Lisboa”, disse o titular da Sectur, Diego Galdino.

“Essa ação é mais um importante passo de descentralização das políticas de cultura do Maranhão que, seguindo as determinações do governador Flávio Dino, deve chegar aos 217 municípios do estado”, acrescentou o secretário.

IMG-20170918-WA0022-300x200

“Isso é fruto de um trabalho que realizamos em conjunto, com responsabilidade e transparência, onde o nosso objetivo é buscar soluções para renovar as políticas públicas da nossa cidade, em benefício da nossa gente”, afirmou o prefeito de João Lisboa, Jairo Madeira, em agradecimento à gestão estadual pela atenção ao município.

O secretário de Cultura do município, Ricardo Leal, explica que a intervenção do Estado vai estimular a leitura e ajudar a resgatar a arte do teatro na cidade. “Há tempos a cultura estava perdida em nosso município. As reformas da biblioteca e do teatro se faziam necessárias, dadas às circunstancias em que se encontram as suas estruturas”, ressaltou.

Share