Arquivo da tag: Fundaj

Fundaj abre inscri√ß√Ķes para edital de sele√ß√£o de trabalhos sobre Educa√ß√£o Integral em Tempo Integral

Fundaj

Nesta segunda-feira (02/02), a Funda√ß√£o Joaquim Nabuco (Fundaj), disponibilizou Edital de Chamada P√ļblica n¬ļ 01/2015, que tem como objeto a sele√ß√£o de trabalhos que discutam o tema Educa√ß√£o Integral em Tempo Integral, sob a perspectiva de sua hist√≥ria, pol√≠ticas e/ou pr√°ticas,¬†para posterior publica√ß√£o pela Editora Massangana da Fundaj. As inscri√ß√Ķes podem ser realizadas at√© o dia 30 de abril de 2015.

O edital se desmembra em três categorias: Relatório de Pesquisa, Dissertação de Mestrado e Tese de Doutorado. Os trabalhos inscritos concorrerão em cada categoria, sendo selecionado três, preferencialmente um de cada eixo.

Poder√£o participar do Edital estudantes e profissionais maiores de dezoito anos, brasileiros natos ou naturalizados, residentes no Brasil.

Acesse o edital

Acesse o regulamento do edital

Acesse a ficha de inscrição

Informa√ß√Ķes: Funda√ß√£o Joaquim Nabuco

Share

Confira a cobertura do primeiro dia do semin√°rio “Conex√Ķes: Educa√ß√£o, Cultura e Arte”, realizado em 10 de dezembro de 2014

Em parceria com a Funda√ß√£o Joaquim Nabuco (Fundaj/MEC), o Minist√©rio da Cultura (MinC) e o Mestrado em Educa√ß√£o, Cultura e Identidades (UFRPE/Fundaj), nos dias 10 e 11 de dezembro de 2014 foi promovido o semin√°rio ‚ÄúConex√Ķes: Educa√ß√£o, Cultura e Arte‚ÄĚ. Realizado na sede da Fundaj, em Recife, a a√ß√£o teve como principal objetivo contribuir para o di√°logo entre a Cultura e a Educa√ß√£o, com base na interdepend√™ncia entre esses temas.

MESANo primeiro dia do semin√°rio, quarta-feira (11/12), o encontro teve in√≠cio √†s 19h e contou com a presen√ßa de v√°rias personalidades associadas ao tema. A √ļnica mesa da noite, intitulada ‚ÄúEduca√ß√£o, Cultura e Arte: Conex√Ķes (i)l√≠citas‚ÄĚ, foi mediada pelo pesquisador e curador de artes visuais da Fundaj, Moacir dos Anjos. Para compor a sess√£o, estiveram presentes o Presidente da funda√ß√£o, Fernando Freire; o chefe-substituto da Representa√ß√£o Regional Nordeste do Minist√©rio da Cultura (RRNE/MinC), Lucio Rodrigues; a Diretora de Mem√≥ria, Educa√ß√£o, Cultura e Arte da Fundaj, Silvana Meireles; e o diretor de Pesquisas Sociais da Fundaj, Lu√≠s Henrique Romani. Para o debate, foram convidados o curador do Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia (Espanha), Jo√£o Fernandes, e o pesquisador e professor das institui√ß√Ķes CONICET/UNTREF (Argentina), Daniel Mato.

Ao realizar a abertura da mesa, o presidente da Fundaj discursou sobre a import√Ęncia deste debate para a atual fase da Funda√ß√£o: ‚ÄúNos √ļltimos nove meses, vimos desenvolvendo um trabalho que, por fim, convergia para uma miss√£o: queremos agora dar uma grande contribui√ß√£o ao Plano Nacional de Educa√ß√£o, fazendo uma interdepend√™ncia entre Educa√ß√£o e Cultura. Pretendemos resgatar aquele ‚ÄėC‚Äô do nosso Minist√©rio da Educa√ß√£o, conhecido por voc√™s como MEC, que sumiu no tempo, por que come√ßamos a nos desligar deste processo. Todos os novos objetivos estrat√©gicos desenvolvidos pela Fundaj giram em torno desta intermedia√ß√£o‚ÄĚ, explanou.

20141210_203417Para o chefe-substituto da RRNE/MinC, Lucio Rodrigues, ‚Äúa iniciativa √© de imensa significativa nas rela√ß√Ķes que a Fundaj tem institu√≠do junto ao MinC, assim como para todos que poder√£o beber desta fonte e fazer as reflex√Ķes importantes para a interdepend√™ncia entre Educa√ß√£o, Cultura e Arte‚ÄĚ. Ao ressaltar o anivers√°rio de 30 anos do Minist√©rio da Cultura, a ser comemorado em 2015, o representante da RRNE pontuou que a nova Pol√≠tica Nacional da Cultura, atrav√©s do Plano Nacional de Cultura, tem cooperado no estabelecimento da rela√ß√£o entre os dois √≥rg√£os. ‚ÄúNa sua meta 18, o PNC estabelece a quest√£o da forma√ß√£o para a cultura, evidenciando a import√Ęncia da conex√£o entre educa√ß√£o e cultura‚ÄĚ, explicou.

O pesquisador e curador da Fundaj, Moacir dos Anjos, destacou as nuances que favorecem a realiza√ß√£o do semin√°rio no √Ęmbito da Funda√ß√£o. ‚ÄúEste encontro √© um modelo muito importante na maneira como esta casa atua na sociedade, porque como integrante do MEC, a Fundaj tem a responsabilidade de contribuir com este esfor√ßo coletivo institucional e construir um melhor entendimento do que √© a educa√ß√£o no Pa√≠s, al√©m de cooperar para a cria√ß√£o de mecanismos para aprimor√°-la‚ÄĚ. Como um dos mediadores do encontro, ele ainda discursou sobre a import√Ęncia de preservar a capacidade rara da Funda√ß√£o em trabalhar, simultaneamente, no campo do j√° estabelecido e do que est√° a se estabelecer. ‚ÄúSomos uma das √ļnicas institui√ß√Ķes p√ļblicas do pa√≠s onde √© poss√≠vel trabalhar conjuntamente entre estes dois campos, ou seja, o da mem√≥ria, da tradi√ß√£o, do can√īnico e, ao mesmo, no da pesquisa, da cria√ß√£o e da inven√ß√£o. Esta caracter√≠stica singular deve ser preservada a todo custo por ser crucial para se pensar a educa√ß√£o contempor√Ęnea‚ÄĚ, aponta.

Abrindo a sessão de debate, o professor Daniel Mato teve como tema de discurso a relação entre as
categorias ind√ļstria cultural e consumo cultural, com foco na primeira e com abordagem a respeito do seu car√°ter nas atividades humanas. Durante 40 minutos de apresenta√ß√£o, Daniel 20141210_205250defendeu que ‚Äúa ideia de consumo cultural tem um universo de aplica√ß√£o um pouco mais amplo do que a de ind√ļstria cultural‚ÄĚ, e colocou em discuss√£o, atrav√©s de exemplos comparativos, a¬†autenticidade do ser e n√£o ser cultural. ‚ÄúPorque haveria de ser cultural parar em frente a uma vitrine de um museu e observar um vestido senegal√™s, e n√£o haveria de ser cultural vestir o traje de Senegal?‚ÄĚ, questiona. Ao final de sua tese, alertou para os cuidados que devem ser adotados quanto √†s percep√ß√Ķes relacionadas ao assunto. ‚ÄúTemos que estar preparados para ver aspectos culturais em coisas que, aparentemente, n√£o s√£o. Assim como para ver o aspecto econ√īmico de certas coisas que vemos como se fosse apenas cultura‚ÄĚ, conclui.

20141210_213634A seguir, o curador Jo√£o Fernandes tratou de associar os tr√™s temas centrais do semin√°rio √† sociedade atual e o poder pol√≠tico da mesma. ‚ÄúUm dos motivos pelo qual estamos aqui, discutindo Educa√ß√£o, Cultura e Arte, est√° associado √† falta de aten√ß√£o cuja sociedade em que vivemos n√£o oferece a estas duas palavras. O poder pol√≠tico contempor√Ęneo jamais soube articular de forma expl√≠cita e coerente estas tr√™s palavras, e a express√£o disto √© o fato de que em diversos governos elas s√£o protagonizadas por v√°rios tipos de minist√©rios (Como o MinC e o MEC)‚ÄĚ, opina. Mais al√©m, Jo√£o focou sua abordagem nas institui√ß√Ķes capazes de articular os tr√™s setores em pauta, com destaque, principalmente, para o museu e a escola. ‚ÄúA forma como os dois se relacionam hoje tem express√£o, sobretudo, na visita da escola ao museu. E esse √© um problema atual nesta associa√ß√£o: quando a institui√ß√£o museol√≥gica se v√™ como um lugar onde a escola deve ir, mas n√£o assume a fun√ß√£o de tamb√©m ir √† escola‚ÄĚ, explana. Por fim, o curador destaca que ‚Äúa import√Ęncia na rela√ß√£o entre museu e escola √© que eles possam convergir para divergir‚ÄĚ; em vez de disseminar consensos, provocar diverg√™ncias.

Ap√≥s as apresenta√ß√Ķes dos convidados, foi aberta uma rodada de perguntas para o p√ļblico presente, a fim de tirar d√ļvidas e promover o debate sobre os t√≥picos abordados por ambos.

 TEXTO E IMAGENS: Thomas Gonçalves AsCom/MinC

Share

Recife, João Pessoa e Fortaleza receberão oficinas de qualificação de projetos. Inscreva-se!

A Secretaria do Audiovisual do Minist√©rio da Cultura (MinC), em parceria com a Funda√ß√£o Joaquim Nabuco (Fundaj) e Unidades T√©cnicas de Gerenciamento do Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Audiovisual Brasileiro (Prodav), realizar√°, em janeiro e fevereiro de 2015, oficinas de qualifica√ß√£o de projetos em 12 cidades brasileiras. O objetivo √© preparar os interessados em participar dos editais do Prodav da linha das TVs p√ļblicas.

Por meio do edital, iniciativa da SAV e da Ag√™ncia Nacional do Cinema (Ancine)‚Äč,‚Äč com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), ser√£o destinados R$ 12 milh√Ķes ‚Äča‚Äč cada uma das regi√Ķes (Norte, Nordeste, Centro Oeste, Sudeste e Sul) para a produ√ß√£o de conte√ļdos de anima√ß√£o, fic√ß√£o e document√°rio, de obras seriadas e n√£o seriadas. As inscri√ß√Ķes ficar√£o abertas at√© o final de fevereiro de 2015.

Serão realizadas três oficinas (animação, ficção e documentário) em cada uma das seguintes capitais:

  • Porto Alegre
  • S√£o Paulo
  • Bras√≠lia
  • Recife
  • Aracaju
  • Fortaleza
  • Salvador
  • Jo√£o Pessoa
  • Manaus
  • Bel√©m
  • Palmas
  • Rio Branco

Cada oficina terá até 30 vagas, a serem preenchidas por ordem de inscrição, desde que cumpridos os requisitos.

Para se inscrever, o proponente deve preencher o formulário e enviá-lo na forma indicada. O interessado deverá apresentar proposta de projeto para a categoria da oficina que pretende cursar, contendo nome, formato, uma pequena sinopse e o estágio do projeto. Também deverá apresentar uma carta de intenção de uma empresa produtora, responsável pelo filme, devidamente registrada na Ancine, se comprometendo a realizar o projeto.

‚ÄčAbaixo data, local e categoria das oficinas:

  • Aracaju (SE) – Anima√ß√£o – 30/01/2015 a 01/02/2015
  • Aracaju (SE) – Document√°rio – 14/01/2015 a 16/01/2015
  • Aracaju (SE) – Fic√ß√£o – 30/01/2015 a 01/02/2015
  • Bel√©m (PA) – Anima√ß√£o – 16/01/2015 a 18/01/2015
  • Bel√©m (PA) – Document√°rio – 20/01/2015 a 22/01/2015
  • Bel√©m (PA) – Fic√ß√£o – 06/02/2015 – a 08/02/2015
  • Bras√≠lia (DF) – Anima√ß√£o – 21/01/2015 a 24/01/2015
  • Bras√≠lia (DF) – Document√°rio – 14/01/2015 a 17/01/2015
  • Bras√≠lia (DF) – Fic√ß√£o – 07/01/2015 a 10/01/2015
  • Fortaleza (CE) – Anima√ß√£o – 16/01/2015 a 18/01/2015
  • Fortaleza (CE) – Document√°rio – 30/01/2015 a 01/02/2015
  • Fortaleza (CE) – Fic√ß√£o – 06/02/2015 a 08/02/2015
  • Jo√£o Pessoa (PB) – Anima√ß√£o – 06/02/2015 a 08/02/2015
  • Jo√£o Pessoa (PB) – Document√°rio – 16/01/2015 a 18/01/2015
  • Jo√£o Pessoa (PB) – Fic√ß√£o – 30/01/2015 a 01/02/2015
  • Manaus (AM) – Anima√ß√£o – 29/01/2015 a 01/02/2015
  • Manaus (AM) – Document√°rio – 21/01/2015 a 24/01/2015
  • Manaus (AM) – Fic√ß√£o – 14/01/2015 a 17/01/2015
  • Boa Vista (RR) – Anima√ß√£o – 3/02/2015 a 7/02/2015
  • Boa Vista (RR) – Document√°rio – 6/02/2015 a 08/02/2015
  • Boa Vista (RR) – Fic√ß√£o – 23/01/2015 a 25/01/2015
  • Porto Alegre (RS) – Anima√ß√£o – 21/01/2015 a 24/01/2015
  • Porto Alegre (RS) – Document√°rio – 07/01/2015 a 10/01/2015
  • Porto Alegre (RS) – Fic√ß√£o – 14/01/2015 a 17/01/2015
  • Recife (PE) – Anima√ß√£o – 21/01/2015 a 24/01/2015
  • Recife (PE) – Document√°rio – 07/01/2015 a 10/01/2015
  • Recife (PE) – Fic√ß√£o – 14/01/2015 a 17/01/2015
  • Rio Branco (AC) – Anima√ß√£o – 30/01/2015 a 01/02/2015
  • Rio Branco (AC) – Document√°rio – 23/01/2015 a 25/01/2015
  • Rio Branco (AC) – Fic√ß√£o – 6/02/2015 a 8/02/2015
  • Salvador (BA) – Anima√ß√£o – 16/01/2015 a 18/01/2015
  • Salvador (BA) – Document√°rio – 30/01/2015 a 1/02/2015
  • Salvador (BA) – Fic√ß√£o – 02/02/2015 a 05/02/2015
  • S√£o Paulo (SP) – Anima√ß√£o – 21/01/2015 a 24/01/2015
  • S√£o Paulo (SP) – Document√°rio – 07/01/2015 a 10/01/2015
  • S√£o Paulo (SP) – Fic√ß√£o – 14/01/2015 a 17/01/2015

TEXTO: AsCom/MinC

Share

Fundaj e MinC promovem Semin√°rio “Conex√Ķes: educa√ß√£o, cultura e arte”

Colocar a Cultura e a Educação para dialogar é uma questão que vem sendo almejada há 12 anos pelos dois Ministérios (MEC e MinC). A interdependência entre Educação e Cultura, que também norteia a nova Missão da Fundação Joaquim Nabuco definida em seu recém-formatado Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), será debatida nos dias 10 e 11 de dezembro, no Recife, com presenças de especialistas (acadêmicos e curadores e representantes do governo federal).

O semin√°rio ‚ÄúConex√Ķes: Educa√ß√£o, Cultura e Arte‚ÄĚ, promovido em parceria pela Funda√ß√£o Joaquim Nabuco (Fundaj/MEC), o Minist√©rio da Cultura (MinC) e o Mestrado em Educa√ß√£o, Cultura e Identidades (UFRPE/Fundaj) deve contribuir para que as discuss√Ķes te√≥ricas resultem em pol√≠ticas p√ļblicas que coloquem os Minist√©rios trabalhando em sintonia, ao mesmo tempo em que a Fundaj refor√ßa seu novo perfil de atua√ß√£o, que tamb√©m ser√° pautado na interdepend√™ncia entre essas duas √°reas a partir de agora.

‚ÄúTrabalhar Educa√ß√£o de uma forma plural (e n√£o meramente como Ensino Formal) e a Cultura como uma necessidade b√°sica do cidad√£o (distinguindo a Cultura da Arte; ‚ÄėCultura √© regra, arte √© exce√ß√£o‚Äô ‚Äď citando Jean-Luc Godard): esse √© o objetivo do semin√°rio‚ÄĚ, explicou a diretora da Fundaj, Silvana Meireles.

Da √°rea cultural o ‚ÄúSemin√°rio Conex√Ķes: Educa√ß√£o, Cultura e Arte‚ÄĚ ter√° como convidados internacionais o curador do Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia (Espanha), Jo√£o Fernandes; o curador do Centro de Artes Visuais/Museu do Barro, autor da Lei Nacional de Cultura do Paraguai e ex-Ministro da Cultura daquele pa√≠s, T√≠cio Escobar e a Profa. Dra. Isaura Botelho, especialista em pol√≠ticas culturais.

Os acad√™micos convidados s√£o o Doutor em Ci√™ncias Sociais Daniel Mato, argentino que atuou como coordenador do projeto ‚ÄúDiversidad Cultural y Interrculturalidad em Educaci√≥n Superior‚ÄĚ, da Unesco; e a professora Maria Adelaida Jaramilo Gonz√°lez, da Universidade de Antioquia, Col√īmbia, que coordenou a Proposta de uma Pol√≠tica Nacional de Cultura para a Educa√ß√£o Superior na Col√īmbia (2008) e o Plano de Desenvolvimento Cultural de Medell√≠n (2011-2020).

O MEC e o MinC ser√£o representados, respectivamente, por Gesu√≠na Leclerc e Kelly Alves, que debater√£o as pol√≠ticas p√ļblicas de interdepend√™ncia entre Educa√ß√£o e Cultura e pr√°tica na implementa√ß√£o dessas pol√≠ticas; com media√ß√£o dos pesquisadores da Fundaj Moacir dos Anjos, curador de Artes Visuais, e Cibele Rodrigues, da Coordena√ß√£o Geral de Estudos Educacionais (CGEE), que desenvolve pesquisa de avalia√ß√£o do projeto Mais Educa√ß√£o, do MEC.

Programação:

Dia 10/12, às 19h
Mesa ‚ÄúEduca√ß√£o, Cultura e Arte: Conex√Ķes (i)l√≠citas‚ÄĚconex√Ķes (i)l√≠citas
Mediador: Moacir dos Anjos (FUNDAJ -Brasil)
Debatedores: Jo√£o Fernandes (curador do Museu
Nacional Centro de Arte Reina Sofia ‚Äď Espanha) e
o professor Daniel Mato (CONICET/UNTREF – Argentina).

Dia 11/12, às 15h
Mesa: ‚ÄúEduca√ß√£o, Cultura e Arte: o que ata, o que separa‚ÄĚ
Mediador: Isaura Botelho (Brasil)
Debatedores: Mar√≠a Adelaida Jaramilo Gonz√°lez (Universidade de Antioquia ‚Äď Col√īmbia), T√≠cio Escobar (Centro de Artes Visuais ‚Äď Museu do Barro ‚Äď Paraguai) e Karla Saraiva (ULBRA ‚Äď Brasil).

Dia 11/12, às 19h
Mesa: ‚ÄúEduca√ß√£o, Cultura e Arte: Pol√≠ticas e Pr√°ticas‚ÄĚ
Mediador: Cibele Rodrigues (Fundaj ‚Äď Brasil)

Debatedores: Kelly Alves (Coordenadora de Articula√ß√£o de Pol√≠ticas de Cultura ‚ÄďSPC/ Minc – Brasil) e Gesu√≠na Leclerc (MEC ‚Äď Brasil)

TEXTO: Fundação Joaquim Nabuco

Share

Engenho Massangana recebe visitas da RRNE e presidente da Fundaj

P1110552
A convite do presidente da Funda√ß√£o Joaquim Nabuco, Fernando Freire, a equipe da Regional Nordeste do Minist√©rio da Cultura (RRNE/MinC) esteve no Engenho Massangana nesta √ļltima ter√ßa-feira (28/01), no Cabo de Santo Agostinho (PE), para conferir o lugar onde o ilustre pernambucano Joaquim Nabuco viveu durante sua inf√Ęncia. Patrim√īnio museol√≥gico tombado pelo governo do estado de Pernambuco, o espa√ßo se consagra como equipamento p√ļblico para fins educativos e culturais, abordando temas como a escravid√£o e as lutas libert√°rias, a cultura afro-brasileira e a economia canavieira.¬†

Segundo Fernando Freire, o museu do Engenho Massangana foi criado com o intuito de contribuir para a produ√ß√£o de novos conhecimentos, fortalecimento da consci√™ncia patrimonial e da identidade cultural. ‚ÄúExiste todo um contexto hist√≥rico neste lugar. Os primeiros sacos de a√ß√ļcar e um dos maiores abolicionistas e diplomatas do Brasil marcaram esta constru√ß√£o. Praticamente ao lado do porto de Suape, o Massangana representa o √ļnico equipamento cultural ao redor desta zona de desenvolvimento‚ÄĚ, informa.

A visita ao engenho representa um forte v√≠nculo com os minist√©rios da Cultura e da Educa√ß√£o, sendo consolidada com a parceria da RRNE e a Funda√ß√£o Joaquim Nabuco (Fundaj). ‚ÄúO sistema educacional sempre andou em paralelo com a cultura, mantendo iniciativas de preserva√ß√£o hist√≥rica e principalmente cultural. O convite feito pela Fundaj foi de √≥timo incentivo para a manuten√ß√£o da uni√£o entre este dois setores t√£o importantes para a sociedade‚ÄĚ, declara o chefe da Representa√ß√£o Regional Nordeste do MinC, Gilson Matias.

Conjunto arquitet√īnico rural do s√©culo XIX, o engenho √© composto pela Casa Grande e Capela de S√£o Mateus, abrangendo uma √°rea de 10 hectares. Acredita-se que foi fundado por Trist√£o de Mendon√ßa, quando recebeu do primeiro donat√°rio da capitania de Pernambuco, Duarte Coelho, um peda√ßo de terra no munic√≠pio. Na mesma √©poca, o senador do imp√©rio Joaquim Aur√©lio Pereira de Carvalho e sua esposa Ana Rosa Falc√£o, madrinha de Joaquim Nabuco, tornaram-se propriet√°rios do local. Em 1849, logo que nasceu, Nabuco mudou-se para o Engenho Massangana onde viveu seus primeiros oito anos. Tais relatos est√£o presentes em seu livro Minha Forma√ß√£o (1910).

Serviço:
Entrada gratuita, de terça a sábado, das 9 às 16h30
Endere√ßo: PE ‚Äď 60 ‚Äď Km 10 Cabo de Santo Agostinho| PE CEP: 54510-992
Contatos: (81) 3527.4025 | engenho.massangana@fundaj.gov.br
Informa√ß√Ķes: www.fundaj.gov.br

¬†Texto: √Ālvaro J√ļnior – Ascom RRNE / MinC


Share

Fundaj promove a 16¬ļ mostra Expectativa/Retrospectiva

Braz Marinho

A Funda√ß√£o Joaquim Nabuco (Fundaj) divulga pelo 16¬ļ ano consecutivo a mostra Expectativa/Retrospectiva, que oferece aos cin√©filos recifenses a oportunidade de assistir diversos filmes que marcaram os √ļltimos 12 meses e alguns que ainda ir√£o estrear em 2014. Este ano ser√£o projetados 26 longas e 10 curtas-metragens na programa√ß√£o, entre os dias 13 e 21 de dezembro. As exibi√ß√Ķes contar√£o com som e proje√ß√£o com tecnologia digital DCP (incluindo 3D), e 35mm.

Entre os novos t√≠tulos, aparecem Salvo, de Fabio Grassadonia e Antonio Piazza (Grande pr√™mio e trof√©u revela√ß√£o na Semana da Cr√≠tica do Festival de Cannes 2013); Las Acacias, produ√ß√£o espano-argentina de Pablo Giorgelli; e Uma Primavera com Minha M√£e, de St√©phane Briz√© (diretor de ‚ÄúMademoiselle Chambon‚ÄĚ), entre outros.

Da nova safra brasileira ser√£o exibidos Os Dias com Ele, de Maria Clara Escobar (Melhor filme Mostra de Cinema de Tiradentes 2013) ; Fla x Flu,de Renato Terra (Vencedor do pr√™mio do p√ļblico de melhor document√°io no Festival do Rio 2013); O Exerc√≠cio do Caos, de Frederico Machado (1¬ļ longa-metragem do Maranh√£o); e Educa√ß√£o Sentimental, novo filme do mestre J√ļlio Bressane (sele√ß√£o oficial de Locarno 2013).

Gravidade, A Morte do Dem√īnio, Invoca√ß√£o do Mal, Blue Jasmine, Django Livre, Frances HA poder√£o ser revistos, al√©m dos pernambucanos Dom√©stica, de Gabriel Mascaro; Boa Sorte Meu Amor, de Daniel Arag√£o; Tatuagem, de Hilton Lacerda e Amor; Pl√°stico e Barulho, de Renata Pinheiro, que estar√° presente na sess√£o apresentando seu primeiro longa de fic√ß√£o.

A mostra tamb√©m oferece sess√Ķes de curtas-metragens da nova safra do Estado, todas seguidas por debates com seus realizadores.

Texto: Divulgação

Confira a programação completa:

semanas 42 e 43- 13 a 21 dez 2013 - Expectativa 2014

Share

Fundaj oferece curso gratuito de pós-produção sonora

Professor o finalizador de som Ricardo Cutz. (Foto: Divulgação/Fundaj)

Professor o finalizador de som Ricardo Cutz. (Foto: Divulgação/Fundaj)

A Diretoria de Mem√≥ria, Educa√ß√£o, Cultura e Arte da Funda√ß√£o Joaquim Nabuco (Fundaj), atrav√©s do Centro Audiovisual Norte-Nordeste (Canne) e da Secretaria do Audiovisual do Minist√©rio da Cultura (Sav/MinC), realizar√° de 4 a 8 de novembro, em parceria com o Portom√≠dia, o curso de P√≥s-Produ√ß√£o ‚Äď Som que tem como professor o finalizador de som Ricardo Cutz.

O Curso ter√° ao todo 40 horas e abordar√° conceitos gerais sobre escuta, m√ļsica concreta, eletro-ac√ļstica, arte sonora, sound design e workflow de som no cinema, al√©m de discutir t√©cnicas e conceitos de edi√ß√£o de som como: do roteiro ao som direto, ao est√ļdio de edi√ß√£o; conforma√ß√£o e edi√ß√£o de som direto; narrativa sonora; real, surreal, hiper-real, fant√°stico; ru√≠dos de sala, ambientes e efeitos; da edi√ß√£o de som no est√ļdio e m√ļsica de cinema. O √ļltimo item ser√° abordado os princ√≠pios de mixagem.

O ministrante Ricardo Cutz √© formado em Ci√™ncias Sociais, tendo mestrado na √°rea de Comunica√ß√£o Social, pela UFRJ, com √™nfase em Artes Sonoras. Atuante desde 1994 com √°udio profissional e desde 1998 na √°rea de produtos audiovisuais, ele trabalhou em v√°rios filmes, dentre eles ‚ÄúO Abismo Prateado‚ÄĚ, ‚ÄúO Bem Amado‚ÄĚ, ‚ÄúViajo porque preciso, volto porque te Amo‚ÄĚ, ‚ÄúSeguran√ßa Nacional‚ÄĚ, ‚ÄúEra uma vez eu Ver√īnica‚ÄĚ, ‚ÄúA Festa da Menina Morta‚ÄĚ e ‚ÄúO Som ao redor‚ÄĚ.

As aulas acontecer√£o no hor√°rio das 14h √†s 22h, na sede do Portom√≠dia, no Recife Antigo (Rua do Apolo, 181). Os alunos contar√£o com uma estrutura de √ļltima gera√ß√£o, e ter√£o aulas numa sala de treinamentos com 21 iMacs com Pro Tools (Educacional), contando ainda com uma sala de mixagem tamb√©m com Pro Tools dispon√≠vel, al√©m de uma D-Command.

O curso √© gratuito e as inscri√ß√Ķes est√£o abertas at√© o dia 30 de outubro, atrav√©s do preenchimento e envio por email (canne@fundaj.gov.br) da ficha de inscri√ß√£o. A sele√ß√£o ser√° feita por uma comiss√£o que avaliar√° a carta de inten√ß√Ķes e curr√≠culo dos interessados de acordo com os pr√© requisitos b√°sicos exigidos.

Requisitos para o curso
Acesse: www.fundaj.gov.br/canne

Fonte: Fundaj/MinC

Share

RRNE prestigia encerramento do Curso de Gestores Culturais

Na sexta-feira 14 de dezembro foi realizada na Funda√ß√£o Joaquim Nabuco, em Casa Forte, a aula de encerramento do Primeiro Curso de Forma√ß√£o de Gestores Culturais dos Estados do Nordeste, sob a responsabilidade do professor George Anthony Y√ļdice, do Departamento de L√≠nguas Modernas e Literaturas da Universidade de Miami, e da professora Sylvie Elena Duran Salvatierra, coordenadora do Programa de Cultura e Integra√ß√£o da Costa Rica. Eles discutiram os diversos conceitos de cultura e trataram dos desafios que se colocam ante os gestores culturais para divisar e saber relacionar a √°rvore e a floresta e estabelecer estrat√©gias para avan√ßar, enfrentando os limites, principalmente or√ßament√°rios e burocr√°ticos, que atingem o servi√ßo p√ļblico na √°rea da cultura.

O curso foi o resultado de uma parceria entre o Ministério da Cultura, a Fundação Joaquim Nabuco, entidade vinculada ao Ministério da Educação, a Universidade Federal Rural de Pernambuco e as secretarias de cultura dos estados da Bahia, de Alagoas, de Pernambuco, da Paraíba, do Rio Grande do Norte, do Ceará e do Piauí.

Com o car√°ter de especializa√ß√£o latu senso, seu objetivo foi qualificar profissionais para atuarem como gestores e empreendedores que proponham, analisem, discutam, adotem e irradiem pol√≠ticas culturais que contribuam com o desenvolvimento do pa√≠s. Marcadas pela flexibilidade nos seus conte√ļdos e o esp√≠rito participativo, as aulas foram distribu√≠das em nove m√≥dulos e realizadas nos sete estados participantes, totalizando 360 horas, com atividades presenciais.

Alinhamento √† Educa√ß√£o – O presidente da Funda√ß√£o Joaquim Nabuco, Fernando Freire, ressaltou a import√Ęncia do curso, ao articular as √°reas de cultura e educa√ß√£o, fortalecendo o alinhamento da Fundaj aos processos educacionais, miss√£o que lhe foi atribu√≠da, como gestor, pelo MEC. Falou da import√Ęncia de ter sido criada na institui√ß√£o a Diretoria de Forma√ß√£o, que trabalhou integrada √† Diretoria de Mem√≥ria, Educa√ß√£o, Cultura e arte. Esclareceu que a Fundaj, sem ser uma institui√ß√£o de ensino, est√° equiparada a uma escola de governo, apta a conferir certificados de p√≥s-gradu√ß√£o. E anunciou, a m√©dio prazo, a passagem do curso ao n√≠vel de mestrado profissional. Anunciou, ainda, a atualiza√ß√£o do cinema da Funda√ß√£o √† tecnol√≥gica de ponta e a abertura de mais uma sala de exibi√ß√£o em Casa Forte.

A Diretora de Mem√≥ria, Educa√ß√£o, Cultura e Arte (Meca) da Fundaj, Silvana Meireles, afirmou que o curso representava a realiza√ß√£o de um sonho e um compromisso com o desenvolvimento da cultura nos estados do Nordeste e do pa√≠s e no cotidiano das pessoas. Acrescentou que qualificar gestores culturais √© criar condi√ß√Ķes de influ√™ncia a favor da cultura nas agendas pol√≠ticas e no aprimoramento das pol√≠ticas culturais p√ļblicas.

O representante regional do Minc, F√°bio Henrique Lima de Almeida, exaltando o pioneirismo do curso, expressou a expectativa de que os participantes se empenhassem em repassar os conhecimentos adquiridos, fazendo-os chegar aos munic√≠pios e aos grot√Ķes, envolvendo n√£o s√≥ os gestores, mas os artistas e os trabalhadores da cultura em geral, todos envolvidos na mesma cadeia produtiva. O vice-reitor da UFRPE, Marcelo Brito, tamb√©m se referiu ao efeito multiplicador que deveria ser d√£o ao curso, sob a responsabilidade dos seus participantes, oriundos de realidades e espa√ßos diversos.

O secretário-adjunto de Cultura de Pernambuco, Beto Silva, falou do curso como uma possibilidade de formar pessoas que atuem no sentido de que os processos culturais, além do participar e do controlar, se afirmem no terreno do fazer, indo além dos espaços formais e chegando às bases culturais da sociedade. Pessoas que colaborem para alargar os horizontes da institucionalidade no terreno da política cultural.

O Curso de Forma√ß√£o de Gestores foi conclu√≠do pr√≥ximo ao momento em que o Congresso Nacional havia aprovado o Plano Nacional de Cultura, que objetiva fazer com que as a√ß√Ķes culturais p√ļblicas sejam integradas entre os tr√™s entes federativos – a Uni√£o, o Estado e o Munic√≠pio ‚Äď e compreendidas numa dimens√£o de pol√≠tica de estado, ultrapassando as √≥ticas delimitadas pelos prazos de gest√£o governamental, pela segmenta√ß√£o, pelo imediatismo e o eventualismo.

A√ß√£o regional – Envolvendo diversos estados do Nordeste Brasileira, o Curso representou um esfor√ßo da Funda√ß√£o Joaquim Nabuco em empreender uma a√ß√£o de √Ęmbito regional. E h√° outros exemplos neste sentido, como a Pesquisa sobre o Plano de A√ß√Ķes Articuladas do MEC no Norte e Nordeste. O estudo em andamento sobre Governan√ßa Metropolitana no Brasil, em parceria com o IPEA, para identificar os arranjos de gest√£o metropolitana e suas pr√°ticas nas capitais brasileiras. As a√ß√Ķes de capacita√ß√£o do Centro Audiovisual do Norte-Nordeste ‚Äď CANNE. O Concurso de Roteiros de v√≠deo Rucker Vieira. O edital do Videoarte. As Resid√™ncias Art√≠sticas. A expans√£o do Cinema da Funda√ß√£o para o Cear√°, atrav√©s de parceria com o Centro Drag√£o do Mar. Al√©m de diversas pesquisas, planejadas ou em andamento, tratando de realidades econ√īmicas, sociais, demogr√°ficas, ambientais, educacionais e culturais do Norte-Nordeste.

Paralelamente ao empenho pela ação regional, a Fundação Joaquim Nabuco vive na atual gestão um novo impulso no sentido de se alinhar às metas do Plano Nacional de Educação, a partir dos seus acervos e serviços e das competências dos seus servidores.

O evento prestou homenagem a tr√™s grandes nordestinos centen√°rios: o Rei do Bai√£o, Luiz Gonzaga, o Mestre Graciliano Ramos e o Imperador da Cr√≠tica, √Ālvaro Lins. A homenagem foi estendida ao arquiteto do Brasil e do mundo, Oscar Niemeyer.

Texto: Marcelo M√°rio de Melo – Ascom Fundaj
Imagem: Stephanie Santos – Ascom RRNE

Share

Secret√°ria-executiva Jeanine Pires representou o MinC na abertura do VI Festlatino

A diversidade das l√≠nguas latinas √© celebrada no Festival Internacional de Culturas, L√≠nguas e Literaturas Neolatinas ‚Äď VI Congresso do Movimento Festlatino, evento que re√ļne representa√ß√Ķes de diversos pa√≠ses que possuem idiomas originados do Latim, como as l√≠nguas portuguesa, espanhola, francesa e italiana.

Palestras, lan√ßamentos de livros, recitais, exibi√ß√£o de document√°rios e apresenta√ß√Ķes culturais comp√Ķem a extensa programa√ß√£o que prossegue at√© a sexta-feira (26/10), na capital pernambucana. O FestLatino conta com o apoio diplom√°tico e consular de diversos pa√≠ses, cujos representantes estiveram presentes √† solenidade de abertura, realizada na segunda-feira, 22, na sede da Funda√ß√£o Joaquim Nabuco (Fundaj). O Minist√©rio da Cultura foi representado pela secret√°ria-executiva, Jeanine Pires, e pelo secret√°rio de Pol√≠ticas Culturais, S√©rgio Mamberti.

‚ÄúTrago uma sauda√ß√£o da ministra Marta Suplicy, nesse momento em que Recife sedia esse importante evento voltado para a valoriza√ß√£o das l√≠nguas neolatinas. O governo brasileiro tem criado mecanismos internacionais de est√≠mulo √† cultura. Gostaria de levar √† ministra sugest√Ķes para que o MinC possa contribuir com a valoriza√ß√£o e resgate da nossa l√≠ngua e nossa literatura, com propostas objetivas para que esse movimento ganhe for√ßa e apoio atrav√©s de pol√≠ticas p√ļblicas‚ÄĚ, disse Jeanine Pires, que foi agraciada com o diploma de Incentivo √† Neolatinidade, concedido pelo historiador, escritor e organizador do FestLatino, Humberto Fran√ßa.

Conheça o VI Congresso do movimento Festlatino aqui.

Texto: Marcus Andrey – Fundaj
Foto: Ot√°vio de Souza – Fundaj

Share

Presidente da Ancine esclareceu Lei da TV Paga em Pernambuco

A segunda edição do projeto Cultura em Debate Рrealizado pela diretoria de Memória, Educação, Cultura e Arte(Meca/Fundaj), Instituto Delta Zero e Governo Federal, através dos ministérios da Educação(MEC) e da Cultura(MinC) Рtrouxe ao Recife, no dia 23 de agosto, o presidente da Ancine, Manoel Rangel, para esclarecer Impactos e Desafios da Lei 12.485/11 no Audiovisual do Nordeste.

O encontro aconteceu na Fundaj Derby, em meio a um clima de grande apreens√£o por parte dos produtores e realizadores nordestinos do setor de audiovisual, no que diz respeito aos impactos e possibilidades que chegam com a Lei 12.485, de 12 de setembro de 2011, que disp√Ķe sobre a comunica√ß√£o audiovisual brasileira e a obrigatoriedade de incluir na grade de programa√ß√£o das TVs pagas pelo menos 3h30 de produ√ß√Ķes nacionais, semanalmente, em todos os canais.

Manoel Rangel, perante uma maci√ßa plat√©ia formada por atores, diretores, empresas, associa√ß√Ķes, cineastas, documentaristas e entidades civis e governamentais ligadas ao setor no Nordeste, priorizou o fortalecimento do PRONAV nacional e a urgente constru√ß√£o dos PRONAVs regionais para que o objetivo central do programa de incentivo, que √© o de transformar o Brasil em um grande centro produtor e programador de audiovisuais de qualidade e relev√Ęncia, seja alcan√ßado em sua plenitude.

Segundo o presidente da Ancine, desenvolver o mercado regional de programa√ß√£o enxergando os grupos regionais como ativos importantes para o pa√≠s e direcionando recursos do Fundo Setorial de Audiovisual (FSA) √† produ√ß√£o regional √© uma forma de alavancar a presen√ßa das diferentes regi√Ķes e estados como p√≥los de cria√ß√£o de conte√ļdo. Ainda na pauta das discuss√Ķes, os desafios para os realizadores do Nordeste se inserirem nas oportunidades colocadas pela nova legisla√ß√£o, que aumenta o conte√ļdo nacional nas TVs pagas e define cotas regionais para a produ√ß√£o independente ‚Äď acenando uma mudan√ßa radical no mercado de audiovisual do Brasil.

De acordo com o presidente da ag√™ncia reguladora, figuram outros exemplos de mudan√ßas de alto impacto, como a expans√£o do mercado das TVs pagas que, at√© 2015, ser√£o mais de 50% das resid√™ncias brasileiras com acesso √†s TVs por assinatura, estimulando a competi√ß√£o e o crescente n√ļmero de compradores dos nossos projetos e canais interessados em exibi-los.

‚ÄúO Nordeste, que al√©m de celeiro de talentos, tem v√°rios n√ļcleos produtores, tem que correr atr√°s de mobilizar e sincronizar a√ß√Ķes, com empreendedorismo, juntando os esfor√ßos da sociedade civil, entidades de classe, institui√ß√Ķes p√ļblicas e privadas, em torno do fortalecimento do setor do audiovisual na Regi√£o‚ÄĚ, refor√ßou Manoel Rangel.

Texto: Vanessa MenescalImprensa Fundaj
Foto: Ot√°vio de Souza

Share