Arquivo da tag: Mais Cultura nas Escolas

Cultura é cidadania e direito

Após o empenho dos dois últimos anos, vislumbramos duas prioridades para a política cultural no Brasil da próxima década. Primeiro, a inclusão dos que não têm acesso, ao fortalecer o Vale-Cultura e o Sistema Nacional de Cultura (SNC). O segundo ponto é o apoio aos movimentos de raízes populares, Pontos de Cultura e grupos de produção até então excluídos.

O MinC (Ministério da Cultura) tem investido em programas para produtores negros, ciganos, índios, LGBT, mulheres. Essas políticas estão em sintonia com o mundo conectado que democratiza e barateia a produção (games, TV a cabo, vídeo).

Fundamental para a cultura no século 21 é caminhar de mãos dadas com a ciência e a tecnologia. Assim será o canal digital da cultura, em fase de elaboração, para termos uma rede aberta e de grande alcance, o novo Centro de Referência do Audiovisual em São Paulo e a mudança da gestão da Cinemateca, para organização social (OS).

O audiovisual vive momento único, com as possibilidades abertas pelo programa Brasil de Todas as Telas, que tem R$ 1,2 bilhão e vai nos tornar uma potência cinematográfica. O Brasil se situa na vanguarda em ações inovadoras.

Criado em novembro de 2012, o Sistema Nacional de Cultura é a certidão de nascimento da política de Estado da cultura. Estados e municípios passam a trabalhar juntos, independentemente de mudanças de governos. Cria controle social, repasse obrigatório de recursos e maior transparência.

Outra inovação foi o Vale-Cultura, criado em dezembro de 2012 e regulamentado em agosto de 2013. O trabalhador recebe R$ 50 mensais para gastos em cultura, favorecendo inclusão social e produções que dificilmente teriam patrocínio.

É uma ousadia construir 340 Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUs), que incentivam talentos locais, formam artistas e levam cinema e biblioteca a regiões periféricas. O Mais Cultura nas Escolas, parceria com o Ministério da Educação, retoma conceitos de Paulo Freire, aproximando alunos de arte-educadores. E uma parceria com a Petrobras já está investindo R$ 20 milhões em museus.

Foco importante é o investimento na imagem externa, fortalecendo nosso “soft power” para além do Carnaval. Levamos sete peças e traduzimos 14 textos para encenação no Festival Ibero-Americano de Teatro de Bogotá. Também fomos destaque nos festivais de Avignon, na França, e de Edimburgo, na Escócia.

A presença marcante na Feira de Livros de Frankfurt quadruplicou a venda dos nossos autores. Desde 2010, a Biblioteca Nacional concedeu a marca inédita de 422 bolsas de tradução. Em menos de dois anos, 110 obras saíram na Alemanha. Brilhamos na Feira de Bolonha com Roger Mello, vencedor do prêmio de ilustrador, que é o Nobel do segmento.

Seremos homenageados no Salão do Livro de Paris em 2015 –sem esquecer nossa presença no Grand Palais com a Expo Portinari, além de eventos na África e América Latina. Também estamos levando bolsistas para estudar arte em universidades no exterior e participar de feiras de empreendedores. É algo inédito no exterior.

Para avançar, no entanto, é necessário mais financiamento. O Congresso Nacional analisa a PEC 150, forte reivindicação do setor. Razoável seria aprovar o projeto e prever aumentos de recursos de modo escalonado.

Também está no Congresso o Procultura, que substituirá a Lei Rouanet com regras mais justas de patrocínios. Ele fortalece o Fundo Nacional de Cultura e dá mais capacidade ao MinC para fazer política de Estado.

Cultura no mundo moderno é percebida como cidadania e direito. Creio também que é o coração do sentimento mais profundo de identidade como nação.

TEXTO: Marta Suplicy / Ministra da Cultura

Share

Ministério publica cartilha para tirar dúvidas sobre Mais Cultura nas Escolas

O Ministério da Cultura acaba de lançar o Manual de Desenvolvimento das Atividades sobre o Programa Mais Cultura nas Escolas. O documento, em formato de cartilha, publicado na última segunda-feira 25, auxiliará gestores e secretários a esclarecer dúvidas sobre a implantação do programa.

As escolas recebem o recurso em duas parcelas, por meio do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. A primeira parcela já foi paga, ou seja, as instituições de ensino podem dar início a seus projetos, que devem ter duração mínima de seis meses e máxima de um ano letivo.

Neste ano, foram selecionados cinco mil projetos de escolas públicas inscritas no Sistema de Monitoramento e Controle do Ministério da Educação (SIMEC). Cada projeto receberá entre R$ 20 e R$ 22 mil para sua execução. A variação do montante se deve ao número de estudantes matriculados por unidade de ensino, seguindo os dados do Censo Escolar de 2013.

As propostas se baseiam em um ou mais temas estabelecidos pelo programa: criação, circulação e difusão da produção artística; cultura afro-brasileira; promoção cultural e pedagógicas em espaços culturais; educação patrimonial; tradição oral; cultura digital e comunicação; educação museal; culturas indígenas; e residências artísticas para pesquisa e experimentação nas escolas.

O recurso servirá para custear, por exemplo, a contratação de serviços culturais necessários às atividades artísticas e pedagógicas; a compra de materiais de consumo; a locação de transportes, serviços e equipamentos e aquisição de materiais permanentes e equipamentos.

Os gestores deverão fazer um acompanhamento das atividades por meio de relatórios, que posteriormente deverão ser registrados no SIMEC, tão logo esteja disponível a aba “Monitoramento”.  A orientação é que o registro seja feito desde o princípio. Da mesma forma, notas fiscais e recibos devem ser reunidos desde o começo das ações.

As escolas também podem acessar no SIMEC as observações realizadas pelos avaliadores do programa em relação a cada plano de atividade cultural. Elas estão disponíveis na aba “Avaliação”. Recomenda-se que as informações sejam compartilhadas com parceiros culturais a partir das ressalvas e de pontos que podem ser agregados para a reestruturação de alguns projetos.

Em linhas gerais, o Mais Cultura nas Escolas tem como objetivo promover a escola como espaço de circulação e produção da diversidade cultural brasileira; contribuir com a formação de público para as artes e desenvolver atividades que promovam a interlocução entre experiências culturais e artísticas e o projeto pedagógico de escolas públicas.

Confira algumas Perguntas Frequentes

TEXTO: AsCom/MinC

Share

Estudantes da Fundação Getúlio Vargas visitam a Representação Regional Nordeste do MinC

Alunos da Fundação Getúlio Vargas visitaram a sede da Representação Regional Nordeste do Ministério da Cultura nesta segunda-feira (28). Na ocasião, os estudantes se reuniram com o chefe da RRNE/MinC, Gilson Matias e o chefe-substituto, Lucio Rodrigues –  cujo explanaram  todo o trabalho realizado pela RRNE do Ministério da Cultura em sua extensa área de atuação – Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte.

IMG_4734[1]

O encontro procurou esclarecer a rotina da Representação Regional, braço articulador do Ministério da Cultura no Nordeste, como: Articular e sensibilizar o gestor a fazer a adesão de programas e editais culturais, fornecendo subsídios para a formulação e avaliação de políticas, programas e projetos do Ministério da Cultura. Além de acompanhar, atender e orientar o público quanto aos serviços prestados; prestar apoio logístico e operacional aos fóruns de política cultural; exercer as atividades de ouvidoria do Ministério da Cultura e outras atividades determinadas pelo Ministro do Estado.

Dentre os assuntos, foi abordada a importância do Plano Nacional de Cultura (PNC) - instituído pela Lei 12.343 de 2 de dezembro de 2010. São 53 metas voltadas a proteção e promoção da diversidade cultural brasileira, estabelecidas por meio de ampla participação da sociedade e gestores públicos, que deverão ser concretizadas até 2020. Saiba mais clicando aqui.

A prioridade diária, segundo os gestores da RRNE/MinC, é de cada vez mais estender a implementação do Sistema Nacional de Cultura (SNC) nos estados e municípios. O Nordeste tem se destacado na adesão, onde a Representação Regional Nordeste do Ministério da Cultura busca estimular o produtor cultural, realizar o acompanhamento, potencializar as atividades, procurando saber as dificuldades mais frequentes para, enfim, realizar as diretrizes e ações de maneira ampla e democrática. Saiba mas clicando aqui.

IMG_4740[1]

Além de utilizar os seus meios de comunicação – como Blog e Redes Sociais – para informar a produtores e interessados no âmbito cultural brasileiro sobre a abertura de Editais (veja os Editais do Ministério da Cultura em andamento clicando aqui), os gestores da Representação Regional Nordeste buscam sensibilizar e dar o suporte informativo ao público alvo por meio de fóruns, cursos e viagens para os estados e municípios em sua vigência, procurando principalmente incluir a adesão de pequenos municípios.

IMG_4735[1]

No edital Mais Cultura Nas Escolas, o Nordeste conseguiu o maior número de projetos selecionados (mais de 50%) – sendo a maioria advindos de escolas municipais. Saiba mais clicando aqui.

“É preciso que todos absorvam e entendam o quanto é importante desenvolver a política local para o nosso povo ter acesso a cultura popular”, completa Gilson Matias – chefe da RRNE/MinC.

 

 

 

TEXTO: Camila Magalhães AsCom RRNE/MinC

 

Share

Mais Cultura chega a 4 mil escolas em todo o país

Começam a ser executados a partir deste mês de julho os 4.823 planos de atividades culturais selecionados pelo Mais Cultura nas Escolas, programa lançado pelos ministérios da Cultura e da Educação com objetivo de levar atividades culturais a escolas públicas de ensino fundamental e médio de todo o Brasil. Nesta primeira etapa, estão sendo repassados às escolas selecionadas cerca de R$ 100 milhões. Cada projeto irá receber entre R$ 20 mil e R$ 22 mil.

O Mais Cultura nas Escolas pretende potencializar processos de ensino e aprendizado por meio da democratização do acesso à cultura e da integração de práticas criativas e da diversidade cultural brasileira à educação integral, promovendo o diálogo entre escola e comunidade. Os recursos devem ser usados na contratação de serviços culturais relacionados às atividades artísticas e pedagógicas. Os projetos contemplados devem ter duração de, no mínimo, seis meses, podendo ser estendidos ao próximo ano letivo.

Os repasses estão sendo feitos diretamente às 4.823 escolas selecionadas, em duas etapas, por meio do Programa Dinheiro Direto nas Escolas (PDDE), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). O valor é calculado conforme o número de alunos matriculados. Os repasses podem ser acompanhados no site do FNDE para consulta de repasses. Os projetos começarão a ser executados tão logo os recursos estejam em conta. As escolas selecionadas que ainda não receberam recursos devem entrar em contato com o PDDE/FNDE para verificar se há pendências que impeçam o repasse.

Cada um dos planos de atividades selecionados deve trabalhar com um dos nove eixos do projeto: criação, circulação e difusão da produção artística; cultura afro-brasileira; promoção cultural e pedagógica em espaços culturais; educação patrimonial; tradição oral; cultura digital e comunicação; educação museal; culturas indígenas; e residências artísticas para pesquisa e experimentação nas escolas.

Entre os planos de atividades selecionados está o do Colégio Municipal João Paulo II, em Ferreiros (PE). Com suporte do mestre da cultura popular Severino Miguel, conhecido como mestre Tíndara, a escola promoverá oficinas de dança, canto, percussão e costura. No final do projeto, será criado um grupo de percussão e uma ala de baianas, que representarão os folguedos maracatu baque-solto e baque-virado. Os figurinos serão confeccionados pelos próprios alunos na oficina de bordados e costura.

Em João Pessoa, na Paraíba, a Escola Municipal de Ensino Fundamental Jornalista Raimundo Nonato Batista desenvolverá um projeto em parceria com a Central Única das Favelas (Cufa) e com a Associação Cultural e Esportiva da Paraíba, promovendo ações de integração escolar. Elementos culturais e artísticos do Hip Hop – como a dança de rua, o grafite e o rap – serão utilizados como ferramenta de mobilização e formação. Os alunos participarão de palestra e debates que abordarão os temas Violência e Juventude, Sexualidade na Juventude, Combate às Drogas, Protagonismo Juvenil e Juventude e Trabalho.

Universidades

Ainda neste semestre, o Ministério da Cultura lançará edital do Programa Mais Cultura nas Universidades, com o objetivo de ampliar e fortalecer programas e cursos voltados para a formação, pesquisa e extensão em arte e cultura.

Mais informações sobre o projeto: http://zip.net/bjnQ2h

Share

5 mil Planos de Atividade Culturais selecionados para o Mais Cultura nas Escolas

Mais Cultura nas Escolas

Os Ministérios da Cultura e Educação já selecionaram os 5 mil  Projetos de Atividades Culturais para serem desenvolvidos nas escolas públicas de Ensino Fundamental e Ensino Médio habilitadas para participarem do Projeto Mais Culturas nas Escolas em 2014. As escolas selecionadas integram os Programas Mais Educação e Ensino Médio Inovador do Ministério da Educação.

O Mais Cultura Nas Escolas pretende potencializar processos de ensino e aprendizado por meio da democratização do acesso à cultura e da integração de práticas criativas e da diversidade cultural brasileira à educação integral, promovendo o diálogo entre escola e comunidade.

Os projetos selecionados foram encaminhados ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE/MEC) – órgão do Ministério da Educação responsável pelo pagamento dos projetos que serão desenvolvidos nas escolas – e aguardam cronograma de pagamento para início das atividades.

As instituições que tiveram seus projetos aprovados para participarem do Programa receberão orientação dos Ministérios da Cultura e da Educação sobre o desenvolvimento dos projetos a partir do próximo mês. No MinC as informações podem ser obtidas diretamente na página do Mais Cultura nas Escolas e no MEC, escolas e parceiros culturais poderão obter informações por meio do Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle do Ministério da Educação (Simec), sobre o desenvolvimento dos projetos.

Os recursos, que serão repassados diretamente às escolas, por meio do Programa Dinheiro Direto nas Escolas do Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação (PDDE/FNDE), deverão ser investidos na  contratação de serviços culturais relacionados às atividades artísticas e pedagógicas inscritas formalmente no programa e devidamente selecionadas.

O valor é calculado conforme o número de alunos matriculados na escola e o recurso deverá ser investido na  contratação de serviços culturais relacionados às atividades artísticas e pedagógicas inscritas, que poderão acontecer dentro ou fora da escola – durante o ano letivo, por no mínimo 6 meses.

O Programa Mais Cultura nas Escolas, uma parceria dos Ministérios da Cultura e da Educação, tem investimento de R$ 100 milhões em sua primeira etapa e cada projeto selecionado receberá entre R$ 20 mil e R$ 22 mil para desenvolver as atividades culturais.

Confira aqui a lista com os 5 mil projetos selecionados e aqui a nova Resolução do FNDE sobre a destinação de recursos para o Mais Cultura nas Escolas.

Texto: Camila Magalhães ASCOM RRNE/MinC | Com informações da ASCOM MinC

Share

MinC divulga mais 1.649 projetos selecionados

cavalomarinhointeracoes- mais culturaMais 1.649 Projetos de Atividades Culturais foram selecionados pelo Ministério da Cultura para serem desenvolvidos nas 5 mil escolas públicas de Ensino Fundamental e Ensino Médio habilitadas para participarem do Programa Mais Culturas nas Escolas em 2013. As escolas selecionadas integram os Programas Mais Educação e Ensino Médio Inovador do Ministério da Educação.

As instituições que tiveram seus projetos aprovados para participarem do Programa estão sendo divulgadas pelos Ministérios da Cultura e Educação e a primeira lista, com 1.001 escolas, foi publicada no site dos dois ministérios no dia 10 de janeiro e a segunda, com mais 447 escolas foi divulgada no dia 13 de fevereiro.

Nesta terceira lista, somando um total de 3.096 projetos selecionados foram priorizadas as avaliações de Planos de Atividades dos territórios com maior volume de inscrições, que integram os estados do Ceará, Bahia, Maranhão e Pará e na maioria das escolas os alunos são beneficiários do Programa Bolsa Família. Também constam da lista municípios do Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul. A lista destes três estados ainda não foi finalizada pela Comissão de Avaliação.

O Programa Mais Cultura nas Escolas, uma parceria dos Ministérios da Cultura e da Educação, tem investimento de R$ 100 milhões em sua primeira etapa e cada projeto selecionado receberá entre R$ 20 mil e R$ 22 mil para desenvolver as atividades culturais, que devem ser iniciadas em abril de 2014.

Os recursos, que serão repassados diretamente às escolas, por meio do Programa Dinheiro Direto nas Escolas do Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação (PDDE/FNDE), deverão ser investidos na  contratação de serviços culturais relacionados às atividades artísticas e pedagógicas.

O valor é calculado conforme o número de alunos matriculados na escola e o recurso deverá ser investido na  contratação de serviços culturais relacionados às atividades artísticas e pedagógicas, que poderão acontecer dentro ou fora da escola – durante o ano letivo, por no mínimo 6 meses.

O Mais Cultura Nas Escolas pretende potencializar processos de ensino e aprendizado por meio da democratização do acesso à cultura e da integração de práticas criativas e da diversidade cultural brasileira à educação integral.

Eixos Temáticos

Cada um dos projetos inscritos poderia dialogar com um ou mais eixos. Desse modo, o Mais Cultura nas Escolas procura incentivar o diálogo entre as várias linguagens artísticas e a diversidade da cultura brasileira. Os nove eixos temáticos estabelecidos  pelo Programa são: Criação, Circulação e Difusão da Produção Artística; Cultura Afro-brasileira; Promoção Cultural e Pedagógicas em Espaços Culturais; Educação Patrimonial; Tradição oral; Cultura Digital e Comunicação; Educação Museal; Culturas Indígenas; e Residências Artísticas para Pesquisa e Experimentação nas Escolas.

Projetos Aprovados

Dentre os projetos selecionados está o do Colégio Municipal Papa João Paulo II, da Cidade de Ferreiros (PE), que terá uma iniciativa cultural desenvolvida pelo mestre da Cultura Popular Severino Miguel. Conhecido como mestre Tíndara, Severino Miguel é poeta, mestre de maracatu e de cavalo marinho, além de cirandeiro, conhecedor de coco de roda e aruanda. Por meio do mestre Tíndara, a escola oferecerá oficinas de dança, canto, percussão e costura, propiciando aos alunos reflexões sobre a questão antropológica do folguedo e o papel que ele representa na preservação das origens da identidade local da comunidade e da cidade.

No final do projeto será criado um grupo de percussão e uma ala de baianas que representarão os folguedos maracatu baque-solto e baque-virado. Os figurinos serão confeccionados pelos próprios alunos que aprenderão como fazê-los na oficina de bordados e costura.

A Escola Municipal de Ensino Fundamental Jornalista Raimundo Nonato Batista de João Pessoa  (PB) desenvolverá um Projeto de Atividade Cultural, em parceria com a Central Única das Favelas e com a Associação Cultural e Esportiva da Paraíba, promovendo ações de integração escolar utilizando os elementos culturais do e artísticos do Hip Hop – como a dança de rua, o graffiti e o rap – como ferramenta de mobilização e formação. Os alunos participarão de palestra e debates que abordarão os temas Violência e Juventude, Sexualidade na Juventude, Combate às Drogas, Protagonismo Juvenil e Juventude e Trabalho. Os alunos também participarão da produção de programas da Rádio Escolar Vozes do Vale e da Assembleia Escolar “PAPO RETO”, momento no qual os estudantes, professores e funcionários discutirão propostas para a ampliação das ações positivas e problemáticas a ser resolvido coletivamente, como o intuito de estimular o empoderamento e o protagonismo na gestão escolar.

Confira aqui a lista com os 1.649 projetos.
Confira aqui a lista com as 1.448 escolas divulgadas anteriormente.

(Texto: Heli Espíndola, Ascom/SPC/MinC)

Share

Mais Cultura nas Escolas divulga segunda lista de selecionados

Mais-cultura-nas-escolas

Foi divulgada, nesta quinta-feira (13), mais uma lista de 447 escolas selecionadas para o Programa Mais Cultura nas Escolas, uma parceria dos Ministérios da Cultura e da Educação. Crianças e jovens experimentarão a dança, a pintura, o canto e o artesanato dos povos indígenas; técnicas de audiovisual para a produção de animação infantil, além dos elementos culturais do hip hop, como a dança de rua, o graffiti e o rap com a iniciativa. A meta é incluir 5 mil estabelecimentos de ensino no programa.

O programa tem investimento de R$ 100 milhões em sua primeira etapa e cada projeto selecionado receberá entre R$ 20 mil e R$ 22 mil do Programa Dinheiro Direto na Escola do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação para desenvolver as atividades culturais em 2014. O valor será calculado conforme o número de alunos matriculados na escola. O recurso deverá ser investido na  contratação de serviços culturais relacionados às atividades artísticas e pedagógicas, que poderão acontecer dentro ou fora da escola – durante o ano letivo, por no mínimo 6 meses.

“As crianças e os jovens terão oportunidade de vivenciar experiências inovadoras nesse processo educacional com iniciativas culturais produzidas em sua localidade”, comenta o secretário de Políticas Culturais do Ministério da Cultura, Américo Córdula. A Secretaria de Políticas Culturais, por meio da Diretoria de Educação e Comunicação para a Cultura, é a responsável pela criação e desenvolvimento do Programa Mais Cultura nas Escolas.

O Mais Cultura Nas Escolas pretende potencializar processos de ensino e aprendizado por meio da democratização do acesso à cultura e da integração de práticas criativas e da diversidade cultural brasileira à educação integral.

Eixos Temáticos

Cada um dos projetos inscritos poderia dialogar com um ou mais eixos. Desse modo, o Mais Cultura nas Escolas procura incentivar o diálogo entre as várias linguagens artísticas e a diversidade da cultura brasileira. Os nove eixos temáticos estabelecidos pelo programa são: Criação, Circulação e Difusão da Produção Artística; Cultura Afro-brasileira; Promoção Cultural e Pedagógicas em Espaços Culturais; Educação Patrimonial; Tradição oral; Cultura Digital e Comunicação; Educação Museal; Culturas Indígenas; e Residências Artísticas para Pesquisa e Experimentação nas Escolas.

Das 14 mil escolas habilitadas para participarem do Programa Mais Cultura nas Escolas, 63,17% escolheram apenas um eixo, sendo o mais procurado o de Criação, Circulação e Difusão da Produção Artística, com 10.070 projetos. O segundo eixo que teve mais inscrições foi o de Cultura Afro-brasileira, com 3.937 projetos apresentados. O eixo Promoção Cultural e Pedagógicas em Espaços Culturais foi o terceiro mais procurado, com 2.890 projetos, seguido do eixo Educação Patrimonial, com 2.386 inscrições.

O eixo Tradição Oral foi o quinto mais procurado, com 1.685 projetos inscritos, e em seguida, o eixo Cultura Digital e Comunicação, com 1.580 inscrições. Em sétimo lugar, ficou o eixo Educação Museal, com 982 projetos apresentados, seguido pelo eixo Culturas Indígenas com 834 inscrições. O eixo menos procurado foi o de Residências Artísticas para Pesquisa e Experimentação nas Escolas com 777 projetos inscritos.

Veja alguns do Projetos Aprovados

Cultura Indígena

A Escola Municipal de Ensino Básico Ítalo Damiani de São Bernardo do Campo (SP), que fica próxima à aldeia guarani na região de Taquacetuba, propiciará a seus alunos o a vivência da cultura indígena do povo guarani. O projeto de atividades culturais, que será desenvolvido pelo professor e ator Roger Muniz, incluem realizações, semanalmente, de brincadeiras indígenas, envolvendo música e teatro; apresentação de cânticos guarani por indígenas da região – crianças, adultos e idosos; e contação e encenação de histórias indígenas. O professor Roger Muniz, que desenvolve trabalhos com a aldeia Krukutu, levará ainda os alunos para conhecerem a vivência da comunidade indígena, promovendo a integração entre estudantes da escola com a comunidade indígena vizinha à escola.

Cultural Digital e Comunicação

A Escola Municipal Professora Aurora Costa de Carvalho, no município de Nísia Floresta (RN), selecionou um projeto do eixo Cultura Digital e Comunicação, que será ministrado pelo desenhista, ilustrador, editor e produtor de filmes e animações Lula Borges. Pelo projeto, os alunos da escola receberão formação em linguagem audiovisual, especialmente na técnica da animação, com a perspectiva de se formar um grupo local de realizadores e de se contribuir com a difusão do cinema de animação. O projeto prevê a realização de 60 exibições de filmes de animação, oficinas básicas de animação – com aulas de roteiro, massinha e desenho – e produção da série de animação com ao menos 10 filmes realizados pelos alunos. No final do projeto será realizada uma Mostra de Cinema de Animação no município.

Cultura Afro-Brasileira

A Escola Municipal de Ensino Fundamental Senador Teotônio Vilela, de São Paulo (SP), oferecerá aos seus alunos, por meio do Programa Mais Cultura nas Escolas, aulas sobre Cultura afro-brasileira. O Plano de Atividades, que será desenvolvido pelo Coletivo Cultural Poesia na Brasa – o Saraunabrasa da Vila Brasilândia-, incluirá as três linguagens artísticas (literatura, dança e música) vivenciadas sob a perspectiva da Cultura afro-brasileira. As aulas, que serão ministradas por Sidnei Silva Júnior, propiciarão aos alunos conhecimentos como a poesia e a literatura afro-brasileira de identidade e resgate cultural. As atividades de dança abordarão as heranças africanas no Brasil e como isso se refletiu sobre a Cultura Popular Brasileira, além de oferecer oficinas de danças como o Samba de Bumbo e Jongo. Na área da música, além da História da Música afro-brasileira, os alunos conhecerão os ritmos do berimbau, além de participarem de oficina para aprender a construir o instrumento. Durante o desenvolvimento do Plano de Atividade Cultural, os participantes deverão escolher lugares relacionados à história da cultura afro-brasileira para que os mesmos sejam visitados.

Criação, Circulação e Difusão da Produção Artística

A Escola Municipal de Ensino Fundamental Bela Flor, que fica no município de Epitacolândia (AC), levará aos seus estudantes conhecimentos relacionado às artes, como teatro de fantoches e contação de histórias. O Projeto de Atividade Cultural, apresentado pela Biblioteca de Epitacolândia e que será desenvolvido pela agente de leitura da região Lilia Valdivino de Oliveira ao longo de seis meses, terá como foco o cotidiano escolar e a cultura local. Estão previstas roda de leitura de literatura de cordel, além da criação e apresentação de musicais por alunos da escola e funcionários da Biblioteca e a realização de saraus na escola.

Confira a lista total com as 1.448 escolas já selecionadas.

cronograma de Divulgação dos Projetos Selecionados:
10 de Janeiro/2014
10 de Fevereiro/2014
10 de Março/2014

Share

MinC amplia programas de cultura e educação

Quando as escolas abrem as portas para a cultura, para as artes, para o conhecimento e para as manifestações da cultura popular os alunos se sentem mais interessados pelo ambiente educacional. O resultado é um enriquecimento da produção cultural brasileira.

Com o objetivo de ampliar o espaço do conhecimento, o Ministério da Cultura tem desenvolvido diversos programas que envolvem a cultura e a educação. O programa Mais Cultura nas Escolas, lançado em 2013, proporciona uma parceria das escolas com serviços culturais relacionados às atividades artísticas e pedagógicas.

O programa prevê o desenvolvimento de atividades, que poderão acontecer dentro ou fora da escola, durante o ano letivo. “É uma parceria positiva para o Brasil e garante que a criança tenha uma melhor formação cultural. Permite, ainda, que a escola seja um espaço de vivência da cultura e de práticas esportivas. A intenção é ampliar o conhecimento de outras expressões culturais, como o museu, cinema, teatro, biblioteca, ponto de cultura, entre outros”, esclarece Juana Nunes, Diretora de Educação e Comunicação para Cultura, da Secretaria de Políticas Culturais do Ministério da Cultura.

O Programa é uma parceria dos Ministérios da Cultura (MinC) e da  Educação (MEC) e apoia escolas públicas que se inscreveram no Programa Mais Educação e Ensino Médio Inovador do MEC, em 2012. O Mais Cultura nas Escolas beneficia, prioritariamente, escolas com baixo Índice de Desenvolvimento de Educação Básica (IDEB), por meio de uma proposta inclusiva.

Resultados

A divulgação dos projetos selecionados foi dividida em três etapas, que irá contemplar, em 2014, 5.000 escolas públicas. Na primeira etapa, foram selecionados 1.001 projetos de Planos de Atividades Culturais que serão desenvolvidos nas escolas públicas do ensino fundamental e médio em todo o país.

Os resultados das próximas etapas serão divulgados no primeiro trimestre de 2014. Para desenvolver suas atividades, cada projeto selecionado receberá entre R$ 20 mil e R$ 22 mil de recursos, por meio do Programa Dinheiro Direto na Escola do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (PDDE/FNDE). O investimento, na primeira etapa do Programa Mais Cultura nas Escolas, será de R$ 100 milhões e as atividades selecionadas vão acontecer nas escolas durante o ano de 2014.

Mais Cultura nas Universidades

Com o objetivo de ampliar a oportunidade de ensino e profissional, o Ministério da Cultura assinou uma portaria interministerial em parceria com o MEC, que institui o Programa Mais Cultura nas Universidades.

O programa, cujo primeiro edital de seleção será lançado ainda em 2014, visa ampliar o papel das universidades federais e institutos federais na difusão, preservação e construção da cultura brasileira e ainda na implementação de políticas culturais.

A execução do programa se dará num período de um a dois anos, com investimentos iniciais na primeira etapa no valor de R$20 milhões. A primeira fase é constituída por uma comissão técnica que recebe as propostas das universidades para a elaboração dos editais.

“O programa vai possibilitar a melhoria e o resgate dos equipamentos culturais das universidades. O Mais Cultura nas Universidades vai proporcionar ações como a revitalização do espaço acadêmico e a ampliação de atividades culturais na produção universitária”, esclarece Juana Nunes.

Texto/Reprodução:  Ministério da Cultura

Share

Mais Cultura no Nordeste

Mais-cultura-nas-escolas
Programa Mais Cultura nas Escolas contempla 504 projetos no Nordeste 

No dia 10 de janeiro, a Comissão Interministerial de Avaliação do Programa Mais Cultura nas Escolas selecionou 1.001 projetos de Plano de Atividades Culturais que serão desenvolvidos nas escolas públicas do ensino fundamental e médio em todo o país. No nordeste o índice superou mais da metade das aprovações, tendo 504 contemplados pelo edital através dos estados de Alagoas (83), Bahia (12), Paraíba (72), Pernambuco (30), Piauí (95), Rio Grande do Norte (100) e Sergipe (112). (Confira a lista dos aprovados, dentro da abrangência da RRNE)

Segundo o chefe da Representação Regional Nordeste do Ministério da Cultura (RRNE/MinC), Gilson Matias, este resultado influenciará diretamente no modo como a cultura interage junto à educação, principalmente no nordeste, região que possui a maior demanda para este setor. “O sistema educacional sempre andou em parceria com a cultura, mantendo tradições e preservando características regionais. O Programa Mais Cultura nas Escolas será uma grande oportunidade para auxiliar e suprir este processo dentro do território nordestino”, declara.

De acordo com levantamento feito pelos ministérios da Cultura, da Educação e do Desenvolvimento Social tendo como base as escolas habilitadas para participarem do Mais Cultura nas Escolas, 67% das 14,3 mil escolas habilitadas para participar do Programa – criado por meio de parceria entre os ministérios da Cultura e da Educação – têm a maioria de seus alunos beneficiados pelo Programa Bolsa Família.

“O Programa Mais Cultura nas Escolas será um projeto inclusivo e, tendo em vista a necessidade de ampliar o acesso à cultura, de modo especial entre as camadas mais pobres da população, o processo de seleção priorizou a avaliação dos Planos de Atividade oriundos dessas escolas”, informa a secretária substituta de Políticas Culturais e diretora de Educação e Comunicação para a Cultura do MinC, Juana Nunes.

Em razão do grande número de projetos habilitados, o processo de divulgação dos selecionados está sendo dividido em três etapas para não atrasar o calendário de execução do Programa. O primeiro aconteceu neste mês (10/01), estendendo as seguintes etapas para os meses de fevereiro e março.  A lista dos Planos de Atividade Cultural selecionados será publicada pelo MinC, pelo MEC e encaminhada ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE/MEC), órgão responsável pelo repasse dos recursos.

Cada projeto selecionado receberá entre R$ 20 mil e R$ 22 mil do Programa Dinheiro Direto na Escola do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. O valor será calculado conforme o número de alunos matriculados na escola. O recurso deverá ser investido na contratação de serviços culturais relacionados às atividades artísticas e pedagógicas.

O investimento, na primeira etapa do Programa Mais Cultura nas Escolas será de R$ 100 milhões e as atividades que forem selecionadas vão acontecer nas escolas habilitadas para participar durante o ano de 2014. O Programa prevê o desenvolvimento das atividades – que poderão acontecer dentro ou fora da escola – durante o ano letivo, por no mínimo 6 meses. A iniciativa pretende potencializar processos de ensino e aprendizado por meio da democratização do acesso à cultura e da integração de práticas criativas e da diversidade cultural brasileira à educação integral.

Cronograma de Divulgação dos Projetos Selecionados:
10 de Janeiro/2014
10 de Fevereiro/2014
10 de Março/2014

Texto: Álvaro Júnior – RRNE ( Com informações da assessoria do MinC )

 

Share
ABr210513DSC_2867

Webconferências sobre o Programa Mais Cultura nas Escolas

ABr210513DSC_2867

Os ministros da Educação, Aloizio Mercadante, e da Cultura, Marta Suplicy.

A Diretoria de Educação e Comunicação para a Cultura e a Coordenação-Geral de Cultura e Educação da SPC/MinC convida todos a participarem nos meses de junho e julho, da programação das webconferências sobre o Programa Mais Cultura nas Escolas, que terá como foco discutir os benefícios e esclarecer dúvidas sobre os eixos voltados para os seguimentos.

Resultado de parceria entre os Ministérios da Educação e da Cultura, o programa tem como objetivo fomentar ações que promovam o diálogo entre as escolas públicas e experiências culturais e artísticas desenvolvidas em comunidades locais. O Mais Cultura nas Escolas selecionará cinco mil projetos em 2013, que receberão entre R$ 20 mil e R$ 22 mil, calculados conforme o número de alunos matriculados na escola. O recurso deverá ser investido na contratação de serviços culturais relacionados às atividades artísticas e pedagógicas.

Públicos:
– 27/6 às 11 horas webconferência para Pontos de Cultura;
-27/06 às 14.30 horas para Museus -IBRAM;
– 8/7 às 11 horas webconferência para Secretários de Cultura e Educação
Estaduais e Municipais;
– 11/7 às 14.30 horas webconferência geral, para Sociedade Civil,
Educadores, Artistas, Gestores de Espaços Culturais.

Para assistir, basta acessar o banner do Programa no Portal do MinC.
Para mais informações acesse o manual completo do Programa ou o site http://www.cultura.gov.br/maisculturanasescolas.
Dúvidas podem ser encaminhadas ao maisculturanasescolas@cultura.gov.br.

Texto: Ascom MinC
Foto: Marcello  Casal Jr – Agência Brasil.

 

Share