Arquivo da tag: Ordem do Mérito Cultural

Ordem do Mérito Cultural homenageia artistas brasileiros

omc-entrega-1000

Marta Suplicy, Michel Temer, Dilma Rousseff, Aloizio Mercadante e Henrique Paim durante a cerimônia de entrega da Ordem do Mérito Cultural 2014. (Foto de Janine Moraes)

O Palácio do Planalto abriu as portas nesta quarta-feira (5/11), Dia Nacional da Cultura, para uma homenagem a personalidades brasileiras e estrangeiras por suas contribuições à cultura nacional. Em sessão solene, a presidenta Dilma Rousseff e a ministra da Cultura, Marta Suplicy, entregaram a Ordem do Mérito Cultural a quatro instituições e a 26 personalidades, nas classes Grã-Cruz, Comendador e Cavaleiro. Esta foi a 20ª edição do prêmio, que neste ano teve como homenageadas especiais a arquiteta Lina Bo Bardi e a artista plástica Djanira da Motta e Silva. Ambas completariam um século de vida em 2014.

Clique aqui e leia a íntegra do discurso da ministra Marta Suplicy.

15534799938_b1d40c26b2_bPara a presidenta Dilma Rousseff, a Ordem do Mérito permite valorizar e reconhecer a diversidade cultural existente no Brasil. “Os homenageados expressam essa diversidade que muito nos orgulha, esta mistura de sotaques, de propostas, de saberes e de manifestações culturais que compõem o mosaico que somos”, afirmou. “É importante celebrar essa força imensa que a música, a pintura, a gastronomia, todas as artes representam para a nossa cultura. Que a beleza seja algo do nosso povo para o nosso povo”, destacou.

“Antes, o nosso desafio era a fome. Hoje, o brado é por outro tipo de alimento, o da alma. E a cultura é esse alimento. Ao reconhecer aqueles que se destacam por seu talento extraordinário, a Ordem do Mérito Cultural colabora com o engrandecimento da nossa cultura e presta merecida homenagem aos que a constroem no dia a dia”, disse a ministra da Cultura, Marta Suplicy. “Gostaria de agradecer aos homenageados pela dedicação de suas vidas a trabalhos que ficarão marcados para sempre na história da produção cultural brasileira. Vocês são a expressão maior de nossas raízes, um grande legado ao país e ao povo brasileiro”, ressaltou.

Desde sua criação, em 1991, a Ordem do Mérito Cultural já foi entregue, sempre no Dia Nacional da Cultura, a mais de 500 personalidades nacionais e estrangeiras e a 60 instituições. Música, moda, artes plásticas, audiovisual, literatura, gastronomia, culturas populares, tradicionais, afro e indígena são alguns dos segmentos presentes na premiação.

A seleção dos agraciados passou por participação popular com votação em formulário on-line disponível no site do Ministério da Cultura (MinC). Na sequência, houve avaliação de uma Comissão Técnica e do Conselho da Ordem do Mérito Cultural, formado por representantes dos ministérios da Cultura, das Relações Exteriores (MRE), da Educação (MEC) e da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Premiados

O maestro Júlio Medaglia, o roteirista e diretor Orlando Senna e os familiares do falecido pintor Jenner Augusto receberam o título Grã-Cruz, o mais alto grau de premiação, seguido por Comendador e Cavaleiro, respectivamente.

Na classe Comendador, foram agraciados Bernardo Paz (idealizador do Centro de Arte Contemporânea Inhotim), Henricredo Coelho (mais conhecido como Palhaço Gafanhoto), Luiz Angelo da Silva (Ogan Luiz Bangbala), a cantora Marisa Monte, a atriz Patrícia Pillar e o falecido chef Paulo de Araújo Leal Martins.

Na classe Cavaleiro, os premiados foram o chef Alex Atala, o ator e diretor Celso Frateschi, a escritora Eliane Potiguara, o autor e ator Chico de Assis, o antropólogo Hermano Vianna, o sertanista José Meirelles, a cantora falecida Vange Leonel, o ator Matheus Nachtergaele, o estilista Oskar Metsavaht, o rapper Mano Brown, o mestre da cultura popular Tião Oleiro e a dupla sertaneja Bruno e Marrone.

Alguns artistas que já tinham recebido a homenagem ganharam novo título. A escritora Adélia Prado e o jornalista Washington Novaes foram promovidos para a Classe Grã-Cruz e o cantor Pinduca e a coreógrafa Angel Vianna, para a Classe Comendador.

Quatro entidades também foram agraciadas, mas sem grau de classe. São elas: Escola de Gente (ONG de inclusão social), o grupo de dança Ciranda de Tarituba, a Fundação Sara Kali (com atividades de inclusão do povo cigano) e o Grupo Cena 11 Cia. de Dança.

Confira mais fotos do evento clicando aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEXTO: AsCom/MinC

Share

Íntegra do discurso da ministra Marta Suplicy proferido na cerimônia da Ordem do Mérito Cultural

“O nosso desafio era a fome. Hoje o brado é por outro tipo de alimento: o da alma. E a cultura é este alimento, nossa principal riqueza e a diversidade que forma nossa identidade como país.

A Ordem do Mérito Cultural é o instrumento que o Ministério da Cultura e a Presidência da República têm para agraciar àqueles que se destacam na sua representatividade, talento extraordinário ou simbolizam nossa riqueza cultural.

Ao reconhecer estas contribuições, a Ordem do Mérito Cultural colabora para o engrandecimento da nossa cultura e presta merecida homenagem aos que a constroem no dia a dia.

Este ano temos 30 agraciados, entre pessoas físicas e instituições. E nossa homenagem especial é a duas mulheres incríveis: Djanira da Motta e Silva e Lina Bo Bardi.

Quem nunca se deslumbrou com a arquitetura do MASP, cartão postal de São Paulo?

Foi imenso o legado cultural de Lina Bo Bardi.

Sobre Djanira, Jorge Amado dizia: é a nossa própria terra, “o chão onde crescem as plantações, o terreiro da macumba, as máquinas de fiação, o homem resistindo à miséria. Cada uma de suas telas é um pouco do Brasil”.

Ambas, nas suas artes, contribuíram na formação da identidade brasileira e se ainda estivessem conosco  completariam um século de vida em 2014.

O Brasil se transformou, reconheceu sua riqueza cultural e nestes últimos dois anos passou, definitivamente, a permitir a inclusão através de editais específicos para negros, jovens, mulheres, indígenas, ciganos, LGBTs, toda a diversidade brasileira.

Junto com os pontos de cultura, que hoje têm a Lei da Cultura Viva aprovada, nossas raízes ficaram fortalecidas e encontram possibilidades muito maiores de expressão e crescimento.

O acesso ao consumo cultural dá um salto que eu diria sem volta com a aprovação do Vale-Cultura para os trabalhadores. É inexorável a sua expansão e os acordos trabalhistas deste final de ano já o mostrarão.

No Cinema, o investimento no Brasil de Todas as Telas levará o país, nos próximos anos, a ser um dos grandes no setor do audiovisual.

Com 87 CEUs das Artes e Esportes já concluídos e trabalhando como centros de formação artística e descoberta de talentos, estamos abrindo oportunidades nos pontos mais longínquos do Brasil.

A Secretaria da Economia Criativa, fortalecida, abre as portas do Ministério para o século XXI. Enquanto o Iphan, com o PAC das Cidades Históricas, lançado pela Presidenta da República, recupera nosso patrimônio.

Comemoramos o sucesso da III Conferência Nacional de Cultura e a Teia da Diversidade, em Natal.

Nossa presença internacional em muitos encontros na América Latina e como país homenageado nas Feiras do Livro de Frankfurt, na de Bologna, a atuação marcante nos festivais de teatro em Bogotá, em Avignon, Edinburgo e a exposição de Portinari em Paris no Grand Palais têm mostrado um Brasil com talentos e riquezas desconhecidos.

Com as aprovações de leis estruturantes, consolidamos uma política de Estado da Cultura, que vai da aprovação do Vale-Cultura, do Sistema Nacional de Cultura, do Marco Civil da Internet, da Lei de Fiscalização do Ecad, à PEC da Música, ao Cultura Viva: nos colocam num novo patamar para o acesso, produção e fruição de cultura no país.

Ontem, comemoramos o envio do Tratado de Marrakech ao Congresso Nacional. Grande vitória brasileira que democratiza o acesso à cultura para pessoas com deficiência visual!

Quero agradecer a cada um de vocês que hoje aqui se encontra para receber o mais importante título da Cultura brasileira pela dedicação de suas vidas a seus importantes trabalhos criações, composições e obras que ficarão marcadas para sempre na história da produção cultural brasileira.

Vocês são a nossa cultura, cada vez mais pujante e cada vez mais criativa, a expressão maior de nossas raízes, o grande legado de nosso país e do povo brasileiro”.

Marta Suplicy
Ministra da Cultura

Share

Presidenta Dilma Rousseff e a ministra Marta Suplicy entregam Ordem do Mérito Cultural dia 05/11

A entrega da Ordem do Mérito Cultural ocorre anualmente no Dia Nacional da Cultura (5 de novembro). A condecoração divide-se em três classes: Grã-Cruz, Comendador e Cavaleiro. Desde sua criação, em 1991, já foi entregue a mais de 500 personalidades – nacionais e estrangeiras – e a 60 instituições.

CREDENCIAMENTO: Jornalistas e Fotógrafos devem fazer o credenciamento para a entrada no OMC 2014, no Palácio do Planalto.

omc-1300PROCESSO SELETIVO

Para escolher os artistas agraciados com a medalha, há longo processo seletivo. O primeiro passo é o formulário on-line disponível no site do ministério. Os nomes são então avaliados pela Comissão Técnica, composta por gestores do MinC. São eles que emitem o parecer conclusivo, encaminhado para apreciação ao Conselho da Ordem do Mérito Cultural. Fazem parte do conselho os ministros da Cultura, das Relações Exteriores, Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação. Em uma última etapa, os aprovados seguem para a Presidência da República e são, finalmente, publicados no Diário Oficial da União.

Na edição deste ano, o maestro Júlio Medaglia, o roteirista e diretor Orlando Senna e os familiares do falecido pintor Jenner Augusto receberão o título Grã-Cruz. Já na classe Comendador, serão agraciados Bernardo Paz (idealizador do Centro de Arte Contemporânea Inhotim); Henricredo Coelho (mais conhecido como Palhaço Gafanhoto); Luiz Angelo da Silva (Ogan Luiz Bangbala); a cantora Marisa Monte; a atriz Patrícia Pillar e o falecido chef  paraense Paulo de Aráujo Leal Martins.

Por fim, na classe Cavaleiro, os premiados serão o chef Alex Atala; o ator e diretor Celso Frateschi; a escritora Eliane Potiguara; o autor e ator Chico de Assis; o antropólogo Hermano Vianna; o sertanista José Meirelles; a falecida cantora Vange Leonel; o ator Matheus Nachtergaele; o estilista Oskar Metsavaht; o rapper Mano Brown; o mestre da cultura popular Tião Oleiro e a dupla sertaneja Bruno e Marrone.

Alguns artistas, que já tinham recebido a homenagem, obterão um novo título. A escritora Adélia Prado e o jornalista Washington Novaes serão promovidos à classe Grã-Cruz. O cantor Pinduca e a coreógrafa Angel Vianna também ascenderão à classe Comendador. Quatro entidades serão agraciadas, porém sem grau de classe: a Escola de Gente (ONG de inclusão social); o grupo de dança Ciranda de Tarituba; a Fundação Sara Kali (voltada para a de inclusão do povo cigano), e o Grupo Cena 11 Cia. de Dança.

MEDALHAS

Criado em 1991 pela Lei n° 8.313 e regulamentado pelo Decreto n° 1.711 de 1995, a Ordem do Mérito Cultural segue um rito que permite a participação da sociedade. As propostas de admissão e promoção na Ordem são de responsabilidade do Conselho da Ordem do Mérito Cultural, composto pela Ministra da Cultura, que o preside na qualidade de Chanceler, e pelos Ministros de Estado das Relações Exteriores, da Educação e do Desporto e da Ciência e Tecnologia.

Artes plásticas, música, moda, audiovisual, literatura, gastronomia e culturas populares, tradicionais, afro e indígena são alguns dos segmentos presentes na premiação.

Há diferença entre as medalhas:

GRÃ-CRUZ
Faixa de gorgorão de seda chamalotada de púrpura, com insígnia pendente no laço. Placa com resplendor de ouro sob a insígnia.

COMENDADOR
Fita média de gorgorão de seda chamalotada de púrpura, com a insígnia pendente no centro.

CAVALEIRO
Fita estreita de gorgorão de seda chamalotada de púrpura, com a insígnia pendente na extremidade da ponta.

TEXO: AsCom/MinC

Share

Ordem do Mérito Cultural premia 26 personalidades e 4 entidades

omc-pillar-1000Em sua 20ª edição, a Ordem do Mérito Cultural premiará, no próximo dia 5 de novembro, 26 pessoas e quatro entidades que, com seu trabalho, contribuíram para valorizar a cultura no país. A premiação anual é realizada no Dia Nacional da Cultura e a lista com o nome dos agraciados foi publicada na edição desta quarta–feira (29/10) do Diário Oficial da União (DOU). Entre eles estão a cantora Marisa Monte, o chef de cozinha Alex Atala, a atriz Patrícia Pillar, o rapper Mano Brown, o autor Chico de Assis, entre outros.

Na edição deste ano, a arquiteta Lina Bo Bardi e a artista plástica Djanira da Motta e Silva serão homenageadas pela forte contribuição para a projeção e a identidade cultural brasileira.

A premiação da Ordem do Mérito Cultural é composta por três classes: Grã-Cruz, Comendador e Cavaleiro.

O maestro Júlio Medaglia, roteirista, o diretor Orlando Senna e os familiares do falecido pintor Jenner Augusto receberão o título de Grã-Cruz.

Na classe Comendador foram agraciados Bernardo Paz (idealizador do Centro de Arte Contemporânea Inhotim); Henricredo Coelho (mais conhecido como Palhaço Gafanhoto); Luiz Angelo da Silva (Ogan Luiz Bangbala); a cantora Marisa Monte; a atriz Patrícia Pillar e o falecido chef Paulo de Aráujo Leal Martins.

Na classe Cavaleiro, os premiados foram o chef Alex Atala; o ator e diretor Celso Frateschi; a escritora Eliane Potiguara; o autor e ator Chico de Assis; o antropólogo Hermano Vianna; o sertanista José Meirelles; a falecida cantora Vange Leonel; o ator Matheus Nachtergaele; o estilista Oskar Metsavaht; o rapper Mano Brown; o mestre da cultura popular Tião Oleiro e a dupla sertaneja Bruno e Marrone.

A escritora Adélia Prado e o jornalista Washington Novaes foram promovidos para a Classe Grã-Cruz. O cantor Pinduca e a coreografa Angel Vianna também receberam promoção para a Classe Comendador.

As quatro entidades foram agraciadas, sem grau de classe. São elas: Escola de Gente (ONG de inclusão social); o grupo de dança Ciranda de Tarituba; Fundação Sara Kali (com atividades de inclusão do povo cigano) e o Grupo Cena 11 Cia. de Dança.

Histórico

Criado em 1991 pela Lei n° 8.313 e regulamentado pelo Decreto n° 1.711 de 1995, o prêmio anual já foi entregue a mais de 500 personalidades e a 60 instituições.

Órgãos e entidades públicas e privadas, nacionais e estrangeiras, são admitidos sem grau de classes. A escolha dos nomes dos agraciados segue um rito que permite a participação da sociedade. Os nomes aprovados pelo Conselho da Ordem do Mérito Cultural seguem para a Presidência da República e são publicados no Diário Oficial da União (DOU).

As propostas de admissão e promoção na Ordem são de responsabilidade do Conselho da Ordem do Mérito Cultural, composto pela Ministra da Cultura, que o preside na qualidade de Chanceler, e pelos Ministros de Estado das Relações Exteriores, da Educação e do Desporto e da Ciência e Tecnologia.

Música, moda, artes plásticas, audiovisual, literatura, gastronomia, culturas populares, tradicionais, afro e indígena são alguns dos segmentos presentes na premiação.

TEXTO: AsCom/MinC

Share

Participe da Ordem do Mérito Cultural 2013

OMC2013

Está dada a largada para a Ordem do Mérito Cultural 2013, que este ano homenageará dois nomes importantes para a cultura brasileira: Tomie Ohtake, pintora e escultora japonesa naturalizada brasileira, que comemora seu centenário neste ano, e Oscar Niemeyer, considerado um mestre da arquitetura moderna mundial, falecido em 2012. A cerimônia de entrega será realizada no dia 5 de novembro, no Auditório do Ibirapuera, em São Paulo, espaço criado por Niemeyer, que também conta com uma escultura assinada por Tomie.

A Ordem do Mérito Cultural é uma iniciativa criada pelo MinC em 1995, celebrada anualmente, no dia Nacional da Cultura, 5 de novembro. Cada edição seleciona personalidades ou instituições que além de serem homenageadas, tornam-se o tema do evento. A ordem já premiou mais de 500 nomes desde a sua primeira edição, entre eles Celso Furtado, Lúcio Costa, Ariano Suassuna, Cesária Évora, Zuzu Angel, Vinícius de Moraes, Nelson Rodrigues, Academia Brasileira de Letras e Clarice Lispector, e outros. A edição 2012 homenageou a vida e obra de Luiz Gonzaga, também conhecido como o Rei do Baião.

O cidadão brasileiro também pode participar desta celebração e indicar artistas, grupos ou instituições públicas e privadas que tenham contribuído para a cultura do Brasil. O Ministério da Cultura já está recebendo indicações, cujo prazo para envio encerra no dia 28 de junho. As indicações podem ser feitas por qualquer pessoa através de um formulário online (clique para acessar) ou via correio, por meio do seguinte endereço:

Ordem do Mérito Cultural 2013

Ministério da Cultura
Assessoria de Comunicação Social
Esplanada dos Ministérios, Bloco B, 4º andar
CEP 70068-900 Brasília – Distrito Federal

Mais informações a respeito do prêmio, como categorias, indicados e outras curiosidades, podem ser acessadas no site do Ministério da Cultura:

www.cultura.gov.br

 

Texto: Juliano Mendes da Hora – Ascom MinC / RRNe, com informações de Ascom MinC

Share

Indicações para Ordem do Mérito Cultural podem ser feitas até sexta-feira

Até a próxima sexta-feira, 24, as pessoas que moram em qualquer local do país e também do exterior poderão indicar personalidades para receber a Ordem do Mérito Cultural (OMC), edição 2012. Os nomes indicados precisam ser justificados pelos proponentes e todos devem realizar (ou já deverão ter feito) trabalhos relevantes para o desenvolvimento da cultura brasileira.

As indicações poderão ser encaminhadas via online, por meio do portal do Ministério da Cultura, ou enviadas ao email omc2012@cultura.gov.br ou, ainda, pelos Correios. Neste caso, o formulário deve ser impresso e enviado para: Ordem do Mérito Cultural 2012 – Ministério da Cultura – Assessoria de Comunicação Social – Esplanada dos Ministérios, Bloco B, 4º andar CEP 70068-900 Brasília – Distrito Federal.

Ao preencher o formulário, um dos campos se relaciona aos motivos da indicação. A edição deste ano da OMC homenageia o compositor popular brasileiro e instrumentista Luiz Gonzaga (1912-1989), conhecido como o ‘Rei do Baião’.

O número de propostas apresentadas até o momento revela o interesse da população pela premiação que há 17 anos agracia nomes de expressão para a cultura brasileira. Todos os nomes propostos serão avaliados por uma comissão técnica, composta por gestores das secretarias do MinC e pelos presidentes das entidades vinculadas ao Ministério da Cultura.

Processo de Indicação
A comissão técnica emitirá parecer conclusivo antes de encaminhá-lo à consideração do Conselho da Ordem do Mérito Cultural. Integram o Conselho da OMC a ministra de Estado da Cultura, que o preside na qualidade de chanceler, os ministros de Estado das Relações Exteriores, da Educação e da Ciência, Tecnologia e Inovação.

OMC
A homenagem, criada pelo MinC em 1995, é feita anualmente em comemoração ao Dia Nacional da Cultura – 5 de novembro. A finalidade é premiar personalidades, órgãos e entidades, grupos e iniciativas que se distinguiram por relevantes contribuições prestadas à cultura brasileira. Desde a criação da homenagem, já foram condecoradas mais de 500 personalidades nacionais e estrangeiras de sessenta instituições, públicas e privadas.

Faça o download do formulário e imprima para enviar ao MinC
Acesse o formulário online

(Texto: Marcos Agostinho, Ascom/MinC)
(Fotos: Retiradas do livro O Rei do Baião, de Bené Fonteles))

Share

Ordem do Mérito Cultural 2011

Cerimônia de entrega nesta quarta-feira (09) lotou o Teatro Santa Isabel em Recife (PE)

Os ritmos do Maracatu e do Frevo deram o tom da cerimônia de entrega da Ordem do Mérito Cultural 2011, realizada nesta quarta-feira (09), às 20h, no Teatro Santa Isabel, em Recife. Com a presença da ministra da Cultura Ana de Hollanda, do governador de Pernambuco, Eduardo Campos e do prefeito de Recife, João da Costa, e tendo como mestre da cerimônia a atriz Denise Fraga, o evento começou com os batuques do Maracatu Piaba de Ouro, que “invadiu” o teatro com suas cores e movimentos.

Antes da entrega da OMC, a maior honraria do governo federal concedida aos artistas brasileiros e que este ano homenageia a escritora e jornalista Patrícia Galvão – Pagu, a Orquestra Cidadã dos Meninos do Coque subiu ao palco para a execução do Hino Nacional. A ministra da Cultura, também condecorada com a Ordem do Mérito Cultural, justificou a escolha, pela primeira vez, de uma capital da região Nordeste para a realização da cerimônia de entrega da OMC aos 51 agraciados neste ano.

“A escolha de Pernambuco aviva a visão descentralizadora do Ministério da Cultura, que reconhece, acredita e investe na multiplicidade cultural brasileira”, afirmou em seu discurso. A ministra Ana lembrou que “não é mais possível que a criação cultural brasileira prossiga vivendo na dependência de verbas que nem sempre aparecem”. Segundo ela, a cerimônia acontece num momento em que “nos preparamos para dar uma virada decisiva na agenda cultural do país”.

A presidenta Dilma Rousseff, que não pode comparecer à cerimônia, enviou mensagem, lida por Denise Fraga, na qual destacou a importância da homenagem a Pagu, como um reconhecimento da inteligência e bravura da mulher brasileira. A presidenta ressaltou ainda que os agraciados são “exemplos da vibrante e apaixonante mistura de sotaques e saberes que compõe o mosaico da cultura brasileira”.

Leia mensagem enviada pela presidenta Dilma Roussef por ocasião da OMC 2011.

O governador Eduardo Campos, lembrou da importância histórica do Teatro Santa Isabel que, construído no Século 19, é um dos símbolos da modernização de Pernambuco. Ele agradeceu ainda a ministra Ana que, na sua opinião, “com seu jeito leve e sereno, mas também determinado, está conseguindo trazer novas propostas para a Cultura”.

Com o Teatro Santa Isabel lotado, a entrega da medalha aos agraciados foi acompanhada atentamente pelo público e intercalada por mensagens e flashes da história de Pagu projetadas no telão do palco. A Cerimônia foi encerrada com a apresentação diferenciada da Orquestra Popular da Bomba do Hemetério que junta o frevo, o humor e coreografia em suas exibições.

Leia matéria sobre os artistas pernambucanos e homenagem à Pagu.

Os homenageados

Luiz Melodia, Jair Rodrigues, Hector Babenco, Beth Carvalho, Xico Dias, Antônio Nóbrega e Antônio Pitanga, estavam entre os agraciados da noite presentes na cerimônia. A Ordem do Mérito Cultural 2011 foi entregue ainda ao mestre da Cultura Popular Apolonio Melonio, ao Maracatu Estrela de Tracunhém, ao dramaturgo João das Neves, aos artistas plásticos Glênio Bianchetti, Adriana Varejão, Tereza Costa Rêgo e Vik Muniz, aos escritores Afonso Borges e Lygia Bojunga, à atriz Ítala Nandi, ao artesão Espedito Seleiro, ao pedreiro Evando dos Santos, e à antropóloga Claudett Ribeiro.

Os grupos musical Quinteto Violado, de teatro Tablado e Galpão, de dança Dzi Croquetes e Dançando para Não Dançar e de Tradições Culturais Samba de Cumbuca também foram homenageados. Constaram ainda da lista dos agraciados, a Academia Brasileira de Letras, o Memorial Jesuíta Unisinos, as Associações Capão Cidadão e dos Artesãos de Santana de Araçuaí, a Central Única das Favelas, a Casa de Produtos Indígenas Wariró, e os Festivais de Dança de Joinville e Santista de Teatro.

Também receberam a condecoração, in memoriam, a escritora Clarice Lispector, o cineasta Gustavo Dahl, os compositores João do Vale, Capiba e Nelson Cavaquinho, as atrizes Leila Diniz e Lélia Abramo, os atores Mario Lago e Paulo Gracindo, o pianista, médico e ator pernambucano Valdemar de Oliveira, o escritor Walter Campos de Carvalho, o fundador do Teatro de Arena, José Renato Pécora, o escritor Paulo Freire , a estilista Zuzu Angel, a precursora do movimento feminista no Brasil e escritora e poeta Ana Montenegro, o sociólogo Hebert de Souza, e a poeta de Helena Kolody.

Confira matéria com os agraciados.

Para saber mais sobre a Ordem do Mérito Cultural 2011, acesse http://omc.cultura.gov.br.

(Texto:Heli Espíndola, Ascom/MinC)
(Fotos: Luciana Ourique, Ascom/MinC)

Share

OMC 2011

Agraciados destacam a importância da condecoração recebida na cerimônia

Misto de orgulho e emoção se sentiu nas palavras de Ana Maria Freire, viúva do educador, pedagogo e filósofo, Paulo Freire, homenageado in memoriam. “Paulo foi um dos homens que primeiro nesse país trabalhou para valorizar a cultura como expressão mais genuína da vivência histórica, social e política dos produtores de cultura”, disse Ana Freire. Ela explicou que Freire buscava, através dos métodos por ele desenvolvidos, conscientizar a população sobre a importância dos seus fazeres e saberes: “Ele explicava, por exemplo, que Vitalino, no agreste pernambucano, era tão importante quanto Rodin só que inserido em outra realidade”.

Em 1961, através do Movimento de Cultura Popular (MCP), Paulo Freire criou o Departamento de Extensões Culturais da Universidade do Recife, hoje Universidade Federal de Pernambuco. Para Ana Maria, o reconhecimento à dedicação e obra de Paulo Freire para a cultura e a educação no Brasil, nesta edição da Ordem do Mérito Cultural foram especialmente importantes, pois além de a solenidade acontecer na cidade natal do pesquisador, em 2011 ele completaria 90 anos. “É uma alegria representá-lo hoje, nesta justa homenagem, pois ele contribuiu muito para engrandecer a nossa cultura”, disse Ana Maria Freire. Ana Maria destacou ainda a importância do trabalho desenvolvido pelo Ministério da Cultura: “Estive conversando com a ministra Ana de Hollanda outro dia sobre o olhar de compreensão e crítica liberadora que o MinC tem dedicado em seus atos, valorizando a cultura pela emancipação da população mais carente, e não só das elites”.

Outro agraciado pela Ordem do Mérito Cultural 2011 foi Antônio Luiz Sampaio, mais conhecido pelo nome que adotou para sua carreira de ator: Antônio Pitanga. Nascido na Bahia, Pitanga, que já atuou em cerca de 50 filmes e mais de 40 novelas e miniséries, estava muito emocionado pela “homenagem em vida”. “Fico muito tocado pois esta insígnia é o reconhecimento de uma carreira de mais de 50 anos”, declarou o ator, que sob a direção do cineasta Glauber Rocha fez, entre outros filmes, Câncer (1972), Di (1977) e A idade da Terra (1979), este último considerado seu mais importante trabalho. Antônio Pitanga também manifestou contentamento pelos outros realizadores da cultura contemplados na OMC: “Todas essas figuras que estão aqui, de uma forma ou de outra foram importantes para a democracia brasileira, para a construção social do Brasil”.

Nos 31 anos de história do Maracatu Estrela de Tracunhaém, da Zona da Mata pernambucana, Manoel José das Chagas esteve à frente da manifestação folclórica. E lá estava também no Teatro Santa Isabel, em Recife, para receber a insígnia da Ordem do Mérito Cultural pelo grupo. Conhecido ainda como Mestre Mané do Boi, aos 67 anos de idade, alega brincar carnaval há 58, e era pura comoção ao falar da contribuição do grupo para a Cultura do País. “Fazemos o maracatu todos os anos, com recursos próprios, envolvendo toda a minha família, desde a confecção das golas até a administração dos brincantes. Estou muito emocionado, não sei como agradecer”, disse o mestre. O Maracatu nasceu da necessidade de Tracunhaém constituir o seu primeiro maracatu de baque solto e manter a tradição local. O nome veio do encontro de cinco ruas no centro da cidade, cujo largo em formato de estrela serve para o grupo fazer suas evoluções durante o carnaval.

Reconhecimento

Aos 35 anos de carreira, Luiz Melodia, um dos agraciados com a Ordem do Mérito Cultural 2011, afirmou que a condecoração tem um grande valor. “Quando você trabalha muito e faz coisas interessantes acaba tendo um reconhecimento maior como esse”. Melodia acredita que a felicidade não é apenas dele, mas de toda área cultural e que as coisas acontecem na hora certa. “Só tenho que comemorar, dividar o prêmio com minha mulher [Jane] e levar o meu trabalho às novas gerações e aos meus netos”, concluiu.

Para o Grupo Quinteto Violado, que comemora, em 2011, 40 anos de trabalho, a homenagem teve um sabor especial. “Somos do Pernambuco, aprendemos com o mestre Luiz Gonzaga e agregamos um novo valor à música nordestina”, afirma Marcelo Melo, um dos fundadores do Grupo Musical. O Quinteto lança este ano CD, DVD e livro sob o título “Lá vem os violados”.

Beth Carvalho, que está lançando este ano o CD Nosso samba tá na rua, disse sentir-se muito honrada com a OMC 2011. “Temos a cultura mais rica do mundo, com manifestações culturais diferentes em cada região e estados brasileiros”, destacou a cantora que, aos 46 anos de carreira, já lançou 36 discos. “Vou percorrer o Brasil fazendo shows desse novo CD”, promete a cantora, voz marcante do samba brasileiro.

O presidente da Academia Brasileira de Letras, Marcos Vilaça, lembrou da importância da condecoração para o país. “É uma honraria. Esse tipo de premiação existe em outros países como a frança e Portugal e o Brasil fez muito bem em criá-la [em 1995]”, afirmou o escritor que também foi agraciado com a OMC em 1996.

Já o ator Xico Dias acredita que receber a OMC tem um significado maior. “Nesse caso, o artista atingiu sua missão de representar o povo brasileiro e sua cultura com o reconhecimento do conjunto de sua obra”. Para Xico Dias, “a Ordem do Mérito Cultural retrata a intenção da Presidência da República e do Ministério da Cultura de valorizar e fomentar a cultura brasileira”.

(Texto: Maira Brandão, Ascom/RRNE e Heli Espíndola,Ascom/MinC)
(Fotos: Luciana Ourique, Ascom/MinC)

Share

OMC 2011

Artistas e grupos folclóricos de Pernambuco fizeram as honras da casa na cerimônia da Ordem do Mérito Cultural 2011. A abertura do evento foi marcada por uma profusão de cores que irradiavam das fantasias dos caboclos de lança do Maracatu Piaba de Ouro. O grupo trouxe a lembrança do rabequeiro Mestre Salustiano, falecido em 2008, fundador do grupo e conhecido pela dedicação na preservação e difusão de manifestações populares como o Cavalo Marinho, a Ciranda e, claro, o Maracatu.

Na sequência, o Hino Nacional foi executado pelos músicos mirins da Orquestra Criança Cidadã. O projeto atende 130 jovens, entre 3 e 17 anos, de um dos bairros mais violentos da Região Metropolitana do Recife, a Comunidade do Coque. Os alunos recebem gratuitamente aulas de instrumentos de corda, percussão, teoria musical, flauta doce e canto coral, contando ainda com apoio pedagógico, psicológico e médico.

O encerramento ficou por conta do Maestro Forró e da Orquestra Popular da Bomba do Hemetério (OPBH) que, juntos, apresentaram um pout-pourri de canções eruditas e populares, provocando o misto de euforia e surpresa típicos em suas performances, já que a postura dos músicos e os arranjos são bem distintos daqueles encontrados na composição de uma orquestra tradicional. As releituras musicais da OPBH resultam de um trabalho de formação profissional e cidadã, iniciado em 2002, no bairro da Bomba do Hemetério, situado na Zona Norte do Recife.

Tema e homenagem

Para fazer jus ao tema desta edição, “Pagu: Sonho, Luta e Paixão”, em homenagem a Patrícia Rehder Galvão (1910-1962), a Ordem do Mérito Cultural 2011 exibiu vídeos ao longo da cerimônia que remontaram os ideais e o trabalho desta, que foi jornalista, romancista e musa inspiradora do movimento antropofágico brasileiro. A direção artística da solenidade foi do cineasta e roteirista Paulo Caldas, e teve consultoria da pesquisadora Lúcia Maria Teixeira Furlani.

Lúcia Maria Teixeira Furlani é escritora e pesquisadora do tema Pagu há 23 anos. Suas obras e iniciativas culturais sobre Patrícia Galvão foram responsáveis pelo resgate da memória da militante política, cujo centenário foi comemorado em 2010. “Estou muito feliz em ter colaborado no desenvolvimento desta homenagem, pois acredito que assim, revelamos não só a história da mulher extraordinária que foi Pagu, mas também um pouco da história do Brasil, sobre um período que ainda se sabe pouco”, falou a pesquisadora. Através de seu trabalho, Furlani reuniu o maior acervo sobre Pagu, composto por três mil documentos, incluindo originais, cartas, fotos, livros, cadernos e manuscritos. Parte deste patrimônio está disponível no site www.pagu.com.br.

Texto: Maíra Brandão – Ascom RRNE/MinC
Fotos: Luciana Ourique – Ascom/MinC

Share

AGRACIADOS ORDEM DO MÉRITO CULTURAL 2011

A relação dos 51 agraciados pela Ordem do Mérito Cultural 2011 (OMC) foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 09 de novembro. A solenidade de entrega das insígnias da Ordem do Mérito Cultural 2011, mais alta condecoração da Cultura brasileira, será nesta quarta-feira (9), às 19h, no Teatro Santa Isabel, em Recife, com a presença da ministra da Cultura, Ana de Hollanda. Esta é a primeira vez que a cerimônia acontece na região Nordeste.

Além da ministra, participam do evento os secretários do Ministério da Cultura, Vitor Ortiz, da Secretaria Executiva, Cláudia Leitão, da Economia Criativa, João Roberto Peixe, da Articulação Institucional, Márcia Rollemberg, da Cidadania Cultural, Sérgio Mamberti, de Políticas Culturais, e Ana Paula Santana, do Audiovisual, e ainda o presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Antônio Grassi, o presidente da Fundação Palmares, Eloi Araujo, e o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), José do Nascimento Júnior.

O tema da Ordem do Mérito Cultural de 2011 é a jornalista e escritora Patrícia Rehder Galvão (1910-1962), mais conhecida pelo apelido de Pagu. Inquieta e de comportamento destemido, Patrícia era feminista e militante do Partido Comunista Brasileiro. Ficou conhecida como uma mulher que viveu à frente de sua época, que sempre buscou quebrar preconceitos.

A escolha de Pagu como tema da edição 2011 da OMC, segundo a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, teve o intuito de conferir uma homenagem “ a uma mulher extraordinária, raro exemplo de militância cultural, política e existencial, sempre com uma perspectiva inovadora e transformadora”.

O perfil de cada um dos agraciados da OMC estão no blog: http://omc.cultura.gov.br.

Confira abaixo a relação:

NA CLASSE GRÃ-CRUZ:

1. Ana Lima Carmo (Ana Montenegro), in memoriam;
2. Clarice Gurgel Valente (Clarice Lispector), in memoriam;
3. Gustavo Dahl, in memoriam;
4. Helena Kolody, in-memoriam;
5. Herbert José de Souza (Betinho), in memoriam;
6. João Batista Vale (João do Vale), in memoriam;
7. Leila Roque Diniz (Leila Diniz), in memoriam;
8. Lélia Abramo, in memoriam;
9. Lourenço da Fonseca Barbosa (Capiba), in memoriam;
10. Mario Lago, in memoriam;
11. Nelson Antonio da Silva (Nelson Cavaquinho), in memoriam;
12. Paulo Reglus Neves Freire (Paulo Freire), in memoriam;
13. Pelópidas Guimarães Brandão Gracindo (Paulo Gracindo), in memoriam;
14. Renato José Pécora (José Renato), in memoriam;
15. Valdemar de Oliveira, in memoriam;
16. Walter Campos de Carvalho (Campos de Carvalho), in memoriam;
17. Zuleika Angel Jones (Zuzu Angel), in memoriam;
18. Antonio Carlos Nobrega de Almeida (Antonio Nobrega).

NA CLASSE COMENDADOR:

1. Antonio Pitanga Luiz Sampaio (Antonio Pitanga);
2. Apolonio Melonio;
3. Claudett de Jesus Ribeiro (Claudett Ribeiro);
4. Elizabeth Santos Leal de Carvalho (Beth Carvalho);
5. Espedito Velozo de Carvalho (Espedito Seleiro);
6. Glênio Alves Branco Bianchetti (Glênio Bianchetti);
7. Héctor Eduardo Babenco (Héctor Babenco);
8. Ítala Maria Helena Pellizzari Nandi (Ítala Nandi);
9. Jair Rodrigues de Oliveira (Jair Rodrigues);
10. João Pereira das Neves Filho (João das Neves);
11. Luiz Carlos dos Santos (Luiz Melodia);
12. Lygia Bojunga Nunes (Lygia Bojunga);
13. Teresinha Barros Costa Rêgo (Tereza Costa Rêgo);

NA CLASSE CAVALEIRO:

1. Adriana Varejão Fonseca (Adriana Varejão);
2. Afonso Augusto Borges Filho (Afonso Borges);
3. Evando dos Santos (O Pedreiro);
4. Francisco Díaz Rocha (Chico Diaz);
5. Vicente José de Oliveira Muniz (Vik Muniz);

Sem Grau de Classe, as entidades que se distinguiram por suas relevantes contribuições prestadas à Cultura do País:

1. Academia Brasileira de Letras;
2. Associação Antônio Vieira – Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos (Memorial Jesuíta);
3. Associação Capão Cidadão;
4. Associação Dançando para Não Dançar;
5. Associação de Moradores e Pequenos Produtores Rurais de Salina e Adjacências (Grupo de Tradições Culturais Samba de Cumbuca);
6. Associação dos Artesãos de Santana de Araçuaí;
7. Associação dos Artistas (Festival Santista de Teatro);
8. Associação Galpão (Grupo Galpão);
9. Central Única das Favelas do Rio de Janeiro (Cufa);
10. Dzicroquetes Artezanatos LTDA;
11. Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Casa Wariró);
12. Grupo Musical Quinteto Violado Produções Artísticas LTDA (Quinteto Violado);
13. Instituto Festival de Dança de Joinville (Festival de Dança de Joinville);
14. Manoel José das Chagas – Maracatu Estrela de Tracunhaém;
15. Teatro Amador O Tablado (Tablado);

Share