Arquivo da tag: THE END

“THE END” – Exposição individual do artista Bruno Faria na Sala Nordeste

neon.theend

Resultado do Prêmio Funarte de Arte Contemporânea 2013, o artista recifense Bruno Faria apresenta a partir da terça-feira (15/04/2014) na Sala Nordeste – Funarte NE/MinC, situada no prédio da Representação Regional Nordeste do Ministério da Cultura (rua do Bom Jesus, 237 – Bairro do Recife), a exposição THE END. Partindo de uma pesquisa realizada sobre o antigo Cinema AIP, da Associação da Imprensa de Pernambuco, o artista desenvolveu três trabalhos inéditos que, entre outras coisas, discutem a desativação dos Cinemas de Rua causada pela mudança do cenário cultural das cidades.

 A falência da arquitetura moderna em Recife, o Cinema Novo Brasileiro e a integração das artes visuais e o cinema na década de 1960, também permeiam as questões levantadas nos trabalhos do artista.

A instalação “Design prum Brasil Novo” se apropria do hall de entrada da Sala Nordeste. Nele o artista apresenta intervenções realizadas em 11 pôsteres de longa metragens brasileiros que tiveram a participação da Artista Lygia Pape, no desenvolvimento dos cartazes ou na tipografia e diagramação dos créditos dos filmes. Sobre esses cartazes, o artista reproduz trechos do livro de atas, do período da ditadura militar que relata os objetivos da Associação da Imprensa de Pernambuco, e na sequência, cobre esses pôsteres com laminas coloridas transparentes, nas cores usadas por Pape na obra “roda dos prazeres” de 1967.

A sala principal do espaço recebe o vídeo “The End”, onde Bruno reproduz os créditos de 100 filmes clássicos da história do cinema, eleitos no livro “A Magia do Cinema” de Roger Ebert, primeiro crítico de cinema a ganhar um prêmio Pulitzer de Crítica. Cada um dos créditos traz a identidade de seu filme, seja na tipografia ou na música que o acompanha, tornando possível o reconhecimento desses clássicos pelo público. Créditos após créditos, a expectativa por um novo começo se desmancha quando nenhum filme começa. O vídeo é um fim constante e interminável.

É também esse fim constante que aparece em “Letreiro Objetivo”. Nessa intervenção, o artista sai da Sala Nordeste para atuar diretamente no prédio da Associação da Imprensa de Pernambuco, onde funcionava o cinema AIP, fonte da pesquisa. No topo do prédio modernista em situação precária da Av. Dantas Barreto, o artista instalou um grande neon de 2 metros de altura por 12 metros de comprimento. Esse letreiro anuncia THE END, referência ao cinema AIP que fechou suas portas, mas também o descaso com a arquitetura moderna em Recife, ou mesmo as questões urbanísticas da Cidade.

SERVIÇO:

Exposição individual: THE END, de Bruno Faria
Abertura: terça-feira, 15 de abril, às 19h
Período expositivo: de 16 de abril a 18 de maio de 2014
Horários: de segunda a sexta, das 10 às 18h
Entrada franca e livre

Bruno Faria (Recife, PE, em 1981): Mestrando em Poéticas Visuais na UFMG, e formado em Artes Plásticas na FAAP, seus trabalhos são desenvolvidos em diferentes mídias: desenho, escultura, performance, instalação, intervenção, fotografia e refletem sobre o lugar que o homem vive e suas relações com o espaço, arquitetura, narrativas de ficção e a própria arte. Participou de importantes exposições coletivas como: 32º Panorama da Arte Brasileira, Geração 00 – A Nova fotografia Brasileira, SPA das Artes, Bolsa Pampulha III edição, Rumos Itaú Cultural, Videobrasil, X Bienal de Santos, Prêmio Fiat Mostra Brasil. Realizou as seguintes exposições individuais: “Manual para uma nova vista”, Fundação Joaquim Nabuco, Recife – PE; “Point de Vue”, Centro Cultural Banco do Nordeste. Fortaleza – CE; “Oásis”, II Temporada Programa de Exposições Centro Cultural São Paulo; “Terravista”, Fundação Joaquim Nabuco, Recife – PE; “Anexo”, Projeto Bolsa Pampulha, Museu de Arte da Pampulha, Belo Horizonte – MG. Possui obras nas coleções públicas da Prefeitura Municipal de Santo André – SP, Prefeitura Municipal da Praia Grande – SP, Museu de Arte da Pampulha – MG, Centro Cultural Banco do Nordeste – CE, e  MAB – Museu de Arte Brasileira – FAAP e na Coleção de Arte da Cidade de São Paulo.

 

Share