MINISTÉRIO DA CULTURA LANÇA CURSO GRATUITO DE GAMES A DISTÂNCIA

Não é de hoje que você já deve ter escutado que o mercado de games é um dos maiores e mais lucrativos e que o Brasil tem tudo para crescer no segmento. Isso é bem verdade e o governo federal está de olhos bem abertos aos jogos eletrônicos — tanto que estuda reduzir os impostos vendidos no país.

Agora, o Ministério da Cultura em parceria com a Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos Digitais (Abragames) e o Núcleo de Estudos em Economia Criativa e da Cultura da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (NECCULT-UFRGS), está lançando cursos de ensino a distância (EAD) gratuito focado na capacitação de mais profissionais na área no Brasil.

O conteúdo foi baseado nas palestras realizadas no BIG Festival, (Brazil’s Independent Games Festival), que foram todas gravadas, e, após uma grande curadoria, teve esse conteúdo transformado neste curso. Ao final das 30 horas (cinco aulas) deste primeiro módulo, o participante recebe um certificado de extensão universitária.

As inscrições estão previstas para iniciarem nesta quarta-feira (31) e pode ser feitas por meio deste link. Em seguida, basta selecionar o curso da área de games. O primeiro deles é “O setor de games no Brasil: panorama, carreiras e oportunidades”. Os módulos seguintes serão lançados em fevereiro.

A ideia do MinC é que o curso pode ser feito tanto por iniciantes quanto por quem já está no mercado de games. Este primeiro módulo terá como foco uma análise inicial dos games, sua importância na economia criativa, nas estruturas das desenvolvedoras independentes e na articulação de comunidades de games que permitam um crescimento conjunto do setor. Com cinco aulas, o primeiro curso foca também nas experiências dos profissionais que construíram uma carreira no setor de jogos no Brasil. A ideia é mostrar quais são as possíveis áreas de atuação dentro do mercado de games entre as quais estão roteirista, programador e designer…

“Hoje, há diversos hubs de desenvolvimento de games no Brasil, como São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, entre outros, espalhados. A precisão é que o setor da economia da cultura cresça 6,5% em 2018. Os games geram empregos não só para desenvolvedores, mas para artistas, tradutores… Por isso, a importância de dar acesso a este tipo de conteúdo e informação, promovendo capacitação”, disse Mansur Bassit, secretário de economia da cultura do MInC ao IGN Brasil. Para ele, essa capacitação vai melhorar nossa cadeia produtiva. “Tivemos a ideia a partir do conteúdo do BIG Festival e foram criados para que o máximo de pessoas interessadas possam fazer o curso.”

Desde 2009, o MinC investe em games por meio de editais: já investiu R$ 20 milhões pela Ancine e R$ 3 milhões pela secretaria do audiovisual e pela secretaria de economia da cultura.

Eliana Russi, diretora executiva do Brazil Game Developers (BGD) e do BIG Festival, acredita na capacitação que o curso de games EAD gratuito se propõe. “Sempre foi nosso objetivo ter conteúdo das palestras gravado, editado e disponibilizado e não conseguíamos quem fizesse isso. Este ano, o MinC entrou e pegou uma parte desse conteúdo, editou e colocou em uma plataforma EAD e estamos super felizes”, conta ao IGN Brasil. “Na nossa curadoria, pegamos palestras que tivessem escopo geral parar quem está começando. Fomos amadurecendo para temas mais específicos [que estarão nos próximos módulos]. Selecionamos conteúdos voltados para empresas, profissionais, aspirantes e os já mais avançados na área. O mais interessante é o certificado de extensão universitária da UFRGS.”

Para quem sempre sonhou em trabalhar na área de games, o curso é uma boa iniciativa para ajudar a começar a carreira ou, para quem já trabalha, aprimorar suas aptidões e conhecimentos para que os jogos no Brasil alcancem outro patama.

 

Por Gustavo Petrô

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*