Correio Nagô

Correio Nagô é um boletim informativo nacional de circulação interna da organização Movimento Negro Unificado. O boletim era organizado e distribuído pela o MNU da Bahia e sua sede se encontrava na cidade de Salvador. Percebe-se através de suas publicações a importância dada ao boletim pela divulgação da luta da entidade. Cada edição possui 4 páginas e uma tiragem de 500 exemplares. O boletim nacional conta com informações e textos de todos os estados, mostrando os acontecimentos mais importantes em todas as seções do MNU pelo Brasil.

  • Correio Nagô – Ano 0 – N°2

A segunda edição, do boletim informativo Correio Nagô, foi publicada em 1997 e compreende os meses de dezembro e janeiro. Pode-se afirmar que já na primeira página do boletim nota-se o seu principal papel: o de trazer informações sobre o Movimento Negro Unificado, destacando notícias que ocorreram em cada seção da entidade no Brasil.

No Editorial dessa edição a comissão ressalta a importância do boletim na divulgação da luta do MNU. Também é possível destacar uma nota do boletim acerca de um curso de formação, realizado pelo MNU-RS, em 2 de novembro e 14 de dezembro de 1996, na cidade de Porto Alegre. O curso promoveu o debate de temas como “Formas européias de dominação – a exploração dos africanos” e “A resistência africana – nacionalismo em África e movimento negro da diáspora”. O objetivo principal desse encontro, que teve a participação de 51 inscritos, era a formação intelectual da militância.

O Correio Nagô destaca, nessa edição, notícias sobre diversos seminários, organizados pelo MNU, que ocorreram pelo Brasil. Podemos citar, primeiramente, o “Seminário de Organização Política”, que promoveu discussões sobre vários temas, entre eles, os conceitos e estratégias de luta do negro, com foco no negro no Brasil e seu processo de luta, e de outros povos oprimidos do mundo. Esse seminário foi de suma importância para o início da criação do programa e plano de ação e reestruturação organizacional da entidade. Outro seminário em evidência foi o de Mulheres do MNU, “I Seminário de Mulheres Negras de Santa Catarina”, realizado em 16 de novembro de 1996. O seminário trouxe o tema “Mulher Negra: identidade e auto-estima (In memória 200 anos Chica da Silva)” e procurou ampliar diversas discussões, além de trazer oficinas como “Roupa – o jeito nosso”, “Cabelos – múltiplas alternativas”. O seminário contou com a participação de 20 mulheres. O último seminário apresentado foi o “I Seminário de Jovens do MNU”, realizado em 23 e 24 de 1996. Este contou com a presença de representantes de Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná, Bahia e São Paulo. Diversas propostas foram discutidas como a criação da comissão da juventude, entre outras.

Por fim, a edição conta com uma página recheada de informações sobre os outros estados e uma matéria sobre a reeleição de Fernando Henrique Cardoso que, para o Correio Nâgo, seria um golpe contra o povo negro.

Nº2:

 

  • Correio Nagô – Ano 0 – N°3

O Correio Nâgo apresenta, em sua terceira edição, uma nota na primeira página sobre a campanha de refiliação promovida pelo MNU. Essa campanha tem como finalidade descobrir o número real de militantes da entidade.

Nesse Editorial o boletim afirma que tem como objetivo ter “a cara” do MNU nacional, e por isso é preciso manter relações com os outros estados e saber tudo que está acontecendo. Nesse sentido, o boletim conta com o apoio de colaboradores de diversas coordenações/seções.

Novamente os seminários do MNU ganham destaque, nessa edição. O primeiro apresentado foi o “Seminário de Direito e Relações Raciais no Terceiro Milênio”, este evento foi realizado pelo MNU com o Ministério Público da Bahia, nos dias 20, 21 e 22 de março, 400 pessoas participaram de discussões sobre racismo e legislação, racismo na propaganda e as políticas de diversidade, discriminação racial e outros temas. Também na Bahia foi realizado o “Seminário de Mulheres do MNU”, em 9 de março. O evento levantou o debate sobre diversas questões relacionadas às mulheres e procurou fazer um balanço sobre a atuação do MNU nesse campo.

Na página três o Correio Nagô apresenta a coluna “O que rola nos estados”, destacando as principais notícias e eventos de outros estados. Nessa edição foram divulgadas atividades de Pernambuco, São Paulo, Maranhão, Sergipe e outros.

Na última página do boletim podemos destacar a matéria “A quebra do mito da liberdade doada”. Onde são abordados o papel do movimento negro e o surgimento de novos atores, novos herois e heroínas, que estavam longe da história desenvolvida, pelo que o boletim chama de “branco racista”. Ainda nesse texto o boletim faz questão de ressaltar a luta contra a violência racial.

Nº3:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*