Boletim Siwaju

O Boletim Siwaju, é parte do INTECAB (Instituto da Tradição e Cultura Afro- brasileira). Seu formato é composto por seis páginas, com pequenas imagens, não contendo informações sobre o corpo de edição.

A sua primeira página apresenta como se deu a criação do instituto e suas propostas. Dessa forma, o ITECAB foi criado com base em uma proposta lançada no 1º Encontro Nacional da Tradição dos Orixás (em agosto de 1987, no terreiro do Ilê Axé Opó Afonjá localizado na cidade de Salvador. O objetivo central do instituto é “preservar os valores espirituais, culturais e científicos da religião tradicional africana no Brasil, além de proporcionar a troca de experiências a nível nacional e internacional com as COMTOCs ( Conferência Mundial da Tradição dos Orixás e Cultura).

As COMTOCs reuniam lideres religiosos da África, América do Norte e América do Sul. O boletim descreve as três primeiras edições dessa conferência, sendo a primeira realizada em Ilê Ifé, Nigéria, no ano de 1981, a segunda a na cidade de Salvador/BH no ano de 1983, e por último em Nova York no ano de 1986.

Em seguida, já na pagina seguinte o boletim leva uma mensagem em época de réveillon para as nações de religião afro-brasileira em principal seus chefes religiosos. Nela identifica-se a preocupação de esclarecer as variadas tradições de cultos existentes, além de pregar o respeito por cada uma delas e a humildade entre os líderes religiosos.

Mais adiante, além de informar ao leitor os responsáveis por cada comissão do INTECAB, o boletim traz a notícia da premiação concedida ao Mestre Didi, pelo Bloco Olodum. A premiação foi realizada no dia 31 de Janeiro e consistia na entrega do troféu Ujaama, entre apenas personalidades que se destacavam na resistência pela preservação da cultura afro. Outro destaque, se refere a reunião do INTECAB, organizada no dia 28 de janeiro na cidade de Salvador – estavam presente o embaixador da Nigéria, Patrik D. Cole, membros do Conselho Religioso e Conselho Consultivo do instituto. A reunião tinha como objetivo informar ao embaixador nigeriano a existência do Instituto da Tradição e Cultura Afro- brasileira e suas finalidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*