Boletim do Centenário da Abolição e da República

O Boletim do Centenário – da Abolição e da República é uma publicação do ano de 1987 desenvolvida por um conjunto de instituições de pesquisa e ensino da cidade do Rio de Janeiro. Essa comissão interinstitucional foi formada pelo Centro de Estudos Históricos da Fundação Casa de Rui Barbosa para pensar projetos e atividades sobre o centenário da abolição e da República.

O boletim não segue um padrão quanto ao número de páginas, mas afirma em sua primeira edição que teria uma publicação trimestral. Seu conselho editorial era formado por Beatriz Nascimento, Carlos A Rasenbalg e Eduardo Silva. A distribuição do boletim era gratuita e é relevante destacar o apoio da Fundação Ford para o desenvolvimento das edições. O objetivo do boletim, apresentado em sua primeira publicação, é o de propor “Uma discussão ampla, renovadora, e esperamos, fecunda, desses importantes marcos históricos” (BOLETIM DO CENTENÁRIO, 1987, p. 1), além de divulgar as atividades de diversas instituições sobre esse tema.

Serão disponibilizados nessa postagem a primeira, segunda e terceira edição do boletim.

  • Boletim do Centenário – Primeira Edição – Março de 1987.

Em sua primeira edição, lançada em março de 1987, o Boletim do Centenário apresenta sua história e a sua proposta no Editorial, ressaltando os encontros que deram origem a Comissão Interinstitucional. Ainda no Editorial o boletim agradece o apoio financeiro da Fundação Ford e o apoio do Centro de Estudos Afro-Asiáticos do conjunto Universitário Cândido Mendes.

Também na primeira página são apresentados alguns projetos e pesquisas sobre o tema da abolição e da república, entre eles recebe destaque, o projeto do Museu da República e o programa de atividades do Centro de Estudos Afro-Asiáticos, programa que tinha como finalidade aprofundar os conhecimentos sobre o negro e as relações raciais no Brasil.

A segunda página contém uma seção de opinião assinada por Eduardo Silva sobre os arquivos da escravidão. O boletim traz ainda uma entrevista realizada com Gilberto Gil.

Na última página o boletim destaca outros projetos e programas de  instituições, como o Arquivo Nacional e o Instituto Nacional de Folclore.

Nº1:

  • Boletim do Centenário – Segunda Edição – Agosto de 1987.

Esta edição do boletim apresenta oito páginas e foi publicada em agosto de 1987. O Editorial destaca a entrevista com Zezé Motta, além de agradecer as instituições que estão enviando informações sobre seus projetos sobre escravidão e sobre a formação da República.

Esse número continua apresentando programas que trabalham o tema da República e da escravidão. Pode-se destacar os trabalhos do Centro de Estudo Afro-Asiático e da UFRJ. Em sua primeira página o boletim destaca também o entrevistado da próxima edição Martinho da Vila.

Na página seguinte o boletim traz um artigo de Júlio Santana Braga, dessa vez com o tema “Em busca da identidade étnica”. A entrevista de Zezé Motta começa na página três e termina na página sete, ela foi realizada no dia 25 de Maio de 1987.

Outros projetos, eventos e acontecimentos ligados aos temas em destaque no boletim são apresentados na penúltima e última página. É possível destacar as atividades criadas pela Fundação Joaquim Nabuco de Pernambuco, os seminários elaborados pela Comissão de Cultura Afro-Brasileira da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, o projeto “Famílias Negras- Depoimentos Orais” do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, entre outros.

Nº2:

  • Boletim do Centenário – Terceira Edição – Dezembro de 1987.

A terceira edição do Boletim do Centenário foi publicada em dezembro de 1987. O Editorial deste número reforça os objetivos para o surgimento do boletim e traz informações sobre a entrevista de Martinho da Vila e sobre um pronunciamento do Ministro da Cultura sobre as comemorações do centenário.

O boletim segue o mesmo padrão das outras edições, portanto, já em sua primeira página destaca eventos e atividades relacionados a abolição da escravidão, como o Simpósio da Abolição promovido pela UFF, UFRJ e UERJ. O simpósio destaca o tema da “Escravidão e a abolição no Brasil em seu contexto mundial”. A Unicamp também divulga informações sobre suas atividades que seriam realizadas em maio de 1988.

Na segunda página o jornal traz um texto de Ciro F. S. Cardoso, na época professor da UFF, com o título “A abolição da escravidão nas Américas: visão panorâmica”. O autor apresenta uma discussão sobre o tema, analisando o processo de abolição nas Américas, afirmando que este pode ser considerado complexo e diversificado. O texto levanta alguns pontos importantes como a participação da população negra no processo de abolição e defende a ideia de que é um tema que precisa ser trabalhado.

A partir da página três até a página sete o boletim apresenta a entrevista de Martinho da Vila, na seção Memória da Negritude.

No fim da página sete e na página seguinte o jornal destaca outros projetos e programas, como, por exemplo, o do Instituto de Estudos de Religião (ISER) com o programa Religião e Negritude Brasileira, projeto coordenado pela antropóloga Caetana Damasceno.

Nº3: