Archive for fevereiro de 2011

Campanha “Sou MinCC” / “Sou minɔ”

Se esta é a primeira vez que você vem até este blog, talve seja bom, para entender melhor este post, ler isto:

Se você já sabe do que se trata, então vamos a mais um capítulo: @BarbaraSzanieck lançou criativamente um desenho com o mote “Sou Min(CC)”. Então, movido pela idéia do @djahjah e do @rbrazileiro, lança-se aqui a campanha “Sou Min(CC)” / “Sou Min(ɔ)”. Se quiser aderir, pegue o desenho, customize seu avatar, lance a idéia em suas redes.

Sou Min(CC): por um ministério de código aberto e livremente licenciado.
Sou Min(ɔ): por um ministério de código aberto e livremente licenciado.

Logo “Sou Min(CC)” png.
Logo “Sou Min(CC)” svg (vetorizado).

Logo “Sou Min(ɔ)” png.
Logo “Sou Min(ɔ)” svg (vetorizado).

Logo “Soy Min(CC)” png.
Logo “Soy Min(CC)” svg (vetorizado).

Logo “Soy Min(ɔ)” png.
Logo “Soy Min(ɔ)” svg (vetorizado).

Logo “I am Min(CC)” png.
Logo “I am Min(CC)” svg (vetorizado).

Logo “I am Min(ɔ)” png.
Logo “I am Min(ɔ)” svg (vetorizado).

8 Comentários

Ministério das Comunicações: avanços para acesso a rede e aos conteúdos?

Mais um momento importante entre a relação sociedade civil versus instancias governamentais: o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, no dia 05 de fevereiro, foi convidado pelo programa #navaranda e falou abertamente sobre diversos assuntos de interesse social, tais como tv digital, plano nacional de banda larga, software livre, licenciamento de conteúdos, acesso a rede, rádios comunitárias, ação conjunta entre ministérios para promoção de políticas públicas em comum, entre outros temas.

Paulo Bernardo vem conquistando espaço na rede por estar presente em redes socias e por manter contato direto com blogueiros, ativistas e jornalistas, sem muita cerimonia. Na entrevista, o ministro contou também um pouco de suas impressões para o novo momento no cenário político nacional brasileiro e falou sobre suas formações, chegando a mencionar inclusive o fato de ter estudado programação de sistemas e especificamente linguagem de programação cobol.

O programa #navaranda é transmitido ao vivo, diretamente de Brasília, de uma varanda mesmo desde 2009. Enquanto o programa acontece, pode-se ouvir todo o ambiente ao redor, e o que é ruído em uma transmissão convencional de rádio, no programa, vira parte do ambiente, descontraindo os entrevistadores e os convidados, que falam sempre política, tecnologia, esportes, artes e o que aparecer sugerido pelo público pelo twitter.

O programa é comandado por quatro blogueiros residentes em Brasília: Cesar Cardoso, geek e especialista em tecnologias móveis do blog Pinguins Móveis; Fernando Ike, especialista em segurança e infraestrutura de TI do blog Memnemonics Fike ; Guto Carvalho, especialista em infraestrutura e Linux e autor de uma blog sobre o tema; e Emerson Luis, publicitário e profissional de comunicação do blog Nas Retinas.

.

.

Frases interessantes da entrevista:

  • “Eu acho que é muito grande o número de pessoas que não se sentem representadas pelos meios de comunicação”
  • “Nós temos que trabalhar para democratizar o acesso a produção cultural, intelectual e claramente dar acesso a mais gente para produzir rádiodifusão e televisão no Brasil”
  • “eu acho que é uma boa idéia e parece bastante simples: nós colocarmos, produzirmos, alguns softwares livres e deixar a disposição de quem queira usar. Eu considerei uma excelente idéia. Vou levar para o meu pessoal. A gente poderia contratar alguém pra fazer alguns desses softwares e colocar a disposição das rádios (comunitárias) que queira usar.”
  • “nós não sabemos se vai ser o ministério das comunicações que vai ser responsável (por políticas públicas para lanhouses), mas nos sabemos que nós precisamos tratar melhor essa questão”
  • “Muita gente tem relatado que as lanhouses ficam meio a margem do processo. Não tem uma política pra apoiar, ajudar, até pra qualificar tecnicamente. (…) nós vamos trabalhar nisso, mas eu não sei se, pela característica, se o MiniCom é que vai ser o coordenador”
  • “sobre essa questão das licenças conversei com a Ministra Ana de Hollanda – Creative Commons – ela me disse o seguinte: “não tem mudança nenhuma”. Ela tirou lá um logo do site e que isso não muda a possibilidade de um artista cede seus direitos autorais. Com toda siceridade? Eu não sou especialista nisso. Acho que é um debate importante, um debate interessante, mas eu não tenho uma convicção firmada sobre a atitude do Ministério da Cultura sobre essa questão.”
  • “nós somos plenamente favoráveis (ao software livre) e queremos ser atores nessa questão.”

Nenhum comentário.

Pular para a barra de ferramentas