Archive for abril de 2012

Academia Virtual para Gestores de Tecnologia da Informação

Uma iniciativa de Educação Online Colombiana de nome “Academia Virtual para Gestores de TICs” está promovendo uma das maiores interfaces de educação via internet por meio da plataforma – www.academia.telecentros.org.co.
.
Essa é uma iniciativa, como o próprio texto contido na plataforma diz, que busca fortalecer as capacidades, conhecimentos e saberes de todos aqueles que administram e lideram espaços públicos de acesso a Tecnologias da Informação como Telecentros, Bibliotecas, Ciber-cafés, entre outros. Através de cursos virtuais, usando a ferramenta moodle, o usuário pode aprender sobre empreendedorismo em telecentro, pode descobrir como manejar ferramentas como gimp, entre outras muitas coisas.
.
Essa academia faz parte de uma estratégia global, impulsionada pela organização telecentre.org. Países como Sri Lanka, Nepal, Filipinas, Tailandia, Sudão, Mozambique, Egito, Uganda, Espanhã, Perú, Chile, Brasil e Bolivia estão mobilizados em construir redes de formação como esta, a exemplo do programa Telecentros.br.
A expectativa é que o conhecimento gerado a partir destas redes de formação online se intercambiem entre seus diferentes atores, dentro e fora de cada país, com a finalidade de fortalecer centros de acesso pública à internet e Telecentros de modo geral.
Se você tem conhecimento de alguma iniciativa, nacional e internacional, de educação online ou em rede, que possa contribuir com o enriquecimento dessas experiências, deixe aqui um comentário!
.
Por fim vale o comentário: navegar no www.academia.telecentros.org.co é uma experiência muito interessante e que desperta, certamente o sentimento de que um mundo outro é possível.

Uma iniciativa de Educação Online Colombiana de nome “Academia Virtual para Gestores de TICs” está promovendo uma das maiores interfaces de educação via internet por meio da plataforma – www.academia.telecentros.org.co.

Essa é uma iniciativa, como o próprio texto contido na plataforma diz, que busca fortalecer as capacidades, conhecimentos e saberes de todos aqueles que administram e lideram espaços públicos de acesso a Tecnologias da Informação como Telecentros, Bibliotecas, Ciber-cafés, entre outros. Através de cursos virtuais, usando a ferramenta moodle, o usuário pode aprender sobre empreendedorismo em telecentro, pode descobrir como manejar ferramentas como gimp, entre outras muitas coisas.

Essa academia faz parte de uma estratégia global, impulsionada pela organização telecentre.org. Países como Sri Lanka, Nepal, Filipinas, Tailandia, Sudão, Mozambique, Egito, Uganda, Espanhã, Perú, Chile, Brasil e Bolivia estão mobilizados em construir redes de formação como esta, a exemplo do programa Telecentros.br.

A expectativa é que o conhecimento gerado a partir destas redes de formação online se intercambiem entre seus diferentes atores, dentro e fora de cada país, com a finalidade de fortalecer centros de acesso pública à internet e Telecentros de modo geral.
Se você tem conhecimento de alguma iniciativa, nacional e internacional, de educação online ou em rede, que possa contribuir com o enriquecimento dessas experiências, deixe aqui um comentário!
Por fim vale o comentário: navegar no www.academia.telecentros.org.co é uma experiência muito interessante e que desperta, certamente o sentimento de que um mundo outro é possível.

[youtube eI27mSRlo1Q]

[youtube W45euoYOxcM]

[youtube I-z_qLbGdyI]

4 Comentários

Brasil tem internet mais lenta que Haiti, em média, diz estudo

O Brasil é o 163º em um ranking da média da velocidade da internet publicado pela Pando Networks. A velocidade média da conexão no Brasil é de 105 KBps (quilobytes por segundo), o que o coloca atrás de países como Níger, Haiti, Etiópia, Angola, Paquistão e Papua-Nova Guiné.

Reprodução
Mapa da velocidade da internet no mundo divulgado pela Pando; quanto mais clara a cor, mais lenta a conexão
Mapa da velocidade da internet no mundo divulgado pela Pando; quanto mais clara a cor, mais lenta a conexão

A cidade de Itapema, em Santa Catarina, tem a segunda conexão média mais lenta entre todas as cidades do mundo avaliadas: 61 KBps. Algiers, na Argélia, é a cidade com conexão mais lenta no mundo (56 KBps).

A Coreia do Sul é o país com conexão média mais rápida: 2,2 MBps. A Romênia ficou em segundo lugar, com 1,9 MBps. Três outros países do leste europeu vêm na sequência: Bulgária (1,6 MBps), Lituânia (1,5 MBps) e Letônia (1,4 MBps).

A lista, no entanto, não é composta apenas por países. O 49º lugar, por exemplo, é denominado “Anonymous Proxy”, e o 137º, “Satellite Provider” –referem-se, provavelmente, a conexões realizadas por meio de proxy e provedor via satélite cujo país de origem não pôde ser identificado.

A média mundial de velocidade de conexão à internet, de acordo com o estudo, é de 508 KBps. Nos Estados Unidos, a média é de 616 KBps. Na China, de 245 KBps.

O estudo se baseou em 27 milhões de downloads feitos a partir de 20 milhões de computadores no mundo.

Nenhum comentário.

CPI do ECAD – Relatório final

Via O Globo.

Rio – A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga desde junho, no Senado, a atuação do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) apresenta, na próxima terça-feira, seu relatório final.O documento, a que O GLOBO teve acesso, divide-se em duas partes: uma punitiva e uma propositiva.

Na primeira, a CPI determina, entre outros pontos, que a cúpula da entidade responsável por recolher e pagar o direito autoral de todos os músicos do país e os dirigentes das associações que a compõem sejam alvo de 21 indiciamentos. Entre os crimes apontados pelos senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e Lindbergh Farias (PT-RJ), presidente e relator da CPI, respectivamente, estão apropriação indébita de valores, fraude na realização de auditoria, formação de cartel e enriquecimento ilícito.

Leia o resto desse post »

Nenhum comentário.

FNDC promove seminário sobre os desafios da liberdade de expressão

Via Fórum Nacional pela Democratização das Comunicações.

No dia 04 de maio, o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação realizará o seminário “Desafios da Liberdade de Expressão”, em São Paulo.

O objetivo da atividade é envolver um conjunto amplo de entidades e lideranças nacionais para construir coletivamente uma campanha em defesa da liberdade de expressão e por um novo marco regulatório para as comunicações do Brasil.

O evento acontecerá no auditório do Sindicato dos Engenheiros (rua Genebra, 25 – Centro, São Paulo – SP) e contará com a participação da deputada federal Luiza Erundina, do publicitário Renato Meirelles especializado em Classe C, do jornalista Rodrigo Vianna entre outros, conforme programação abaixo.

Para participar envie um e-mail fazendo sua inscrição para o e-mail secretaria@fndc.org.br

PROGRAMAÇÃO

9h – 10h30 – O momento político e o foco da campanha

Luiza Erundina – Presidente da Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão e Direito à Comunicação com Participação Popular)

Rui Falcão – Presidente do PT (a confirmar)

Altamiro Borges – Secretário de Questões da Mídia do PCdoB

Rosane Bertotti – Coordenadora Geral do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação e Secretária Nacional de Comunicação da CUT

Ivan Valente – Presidente Nacional do PSOL

11h – Apresentação da proposta de campanha do FNDC

Executiva do FNDC

11h30 – Feedback sobre campanha e contribuições de especialistas convidados

Fátima Pacheco Jordão – Instituto Patrícia Galvão

Marcos Coimbra – Vox Populi (a confirmar)

Rodrigo Vianna – blog Escrevinhador

Renato Meirelles – Datapopular

13h – 14h30 – Almoço

14h30 às 17h30 – Discussão do documento de proposta da campanha com todos os participantes

Nenhum comentário.

Empresa cria lâmpada sustentável

[youtube VuN_LCjanvU]

[youtube ZmFRxx46LcE]

Via Yahoo.

A Philips venceu um concurso promovido pelo governo americano para criar lâmpadas mais eficientes e sustentáveis. O produto venceu a competição Bright Tomorrow (“Amanhã brilhante”, em português), para desenvolver alternativas mais eficientes à lâmpada comum, de 60 watts, com menor consumo de energia.

Para aumentar a eficiência, os filamentos foram substituídos por diodos emissores de luz (LED, na sigla em inglês). A tecnologia aumenta a vida útil do produto – dura até 20 anos – mas encarece as lâmpadas. O preço sugerido é de US$ 60 (R$ 110). Para incentivar o uso, a Philips está subsidiando o produto em algumas lojas.

Por conta do subsídio, a lâmpada está sendo vendida por até  até US$ 20 (cerca de R$ 35). Segundo a fabricante, apesar do alto custo, a lâmpada pode trazer economias no longo prazo, já que consome menos energia elétrica para funcionar. Curtiu a ideia? (vi nesse site)

Nenhum comentário.

Aluna da Unicamp desenvolve sistema para uso educacional de SMS

Via Jornal da Unicamp.

O uso dos celulares em sala de aula é assunto polêmico. Em 2010, o ex-deputado federal Pompeo de Mattos (PDT-RS) apresentou à Câmara um projeto de lei que proibia o uso dos aparelhos por alunos e professores nas salas de aula de todas as escolas públicas do país. A proposta foi aprovada pela Comissão de Educação e Cultura, mas acabou sendo arquivada. Recentemente o Projeto de Lei 2806/11, de autoria do deputado Márcio Macêdo (PT-SE), retomou a proposta, permitindo porém a presença destes equipamentos, desde que relacionados ao desenvolvimento de atividades didáticas e pedagógicas e após a autorização dos professores ou da diretoria da escola. O uso das novas tecnologias de informação, como lousas eletrônicas, iPads e e-readers, para citar alguns poucos exemplos, parece estar sendo cada vez mais incorporado ao ambiente escolar e, ao mesmo tempo, alimenta discussões pedagógicas sobre qual seria a melhor forma de utilizar tais tecnologias para que elas representem um benefício real ao processo de ensino e aprendizagem.

A tese intitulada “Um ambiente virtual de aprendizagem que utiliza avaliação formativa, a tecnologia de mensagens curtas e dispositivas móveis”, de autoria de Samira Muhammad Ismail, aluna da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC), vem contribuir para este debate. O trabalho trata do desenvolvimento de um sistema chamado SMS2E (Short Message Service To Educate), o qual permite a possibilidade da utilização da tecnologia SMS como uma ferramenta de apoio à educação. Segundo Samira, o SMS2E oferece uma solução que facilita o uso da avaliação para a formação, e não para a punição. Este procedimento, que pode ser aplicado em aulas presenciais ou a distância, utiliza os celulares, o serviço SMS e os ambientes virtuais de aprendizagem (AVA) – como o TelEduc, elaborado pela Unicamp – para permitir que professor e aluno possam verificar instantaneamente os resultados do processo de ensino e aprendizagem.

“O professor formula uma questão de múltipla escolha relativa ao conceito apresentado em sala e os alunos, então, respondem utilizando seus celulares e escolhendo a alternativa que lhes parece correta. Em poucos segundos, as respostas são consolidadas através do sistema e os resultados são apresentados imediatamente aos alunos e professores em forma de gráficos. Esta apresentação, feita durante a aula, permite aos alunos e ao professor identificar possíveis falhas de ensino ou aprendizagem, a tempo de serem corrigidas”, explica Samira.

Leia o resto desse post »

1 Comentário

Ronaldo Lemos: Educação será revolucionada pela tecnologia

Via folha.

Se São Tomás de Aquino reaparecesse hoje vindo da Idade Média, ficaria surpreso ao ver um hospital ou um prédio em construção. Mas se sentiria em casa ao ver uma escola. As salas de aula até hoje são organizadas como no fim da Idade Média: o professor na frente e os alunos (grande parte entendiados) ouvindo o que ele tem a dizer.

A educação cedo ou tarde será revolucionada pela tecnologia. Pense no material didático. Se bem transposto para o digital, tudo muda. Pode tornar-se ferramenta em constante transformação. Alunos e professores participando de seu aperfeiçoamento constante. Cada tópico gerando uma discussão multimídia, com alunos de diferentes escolas disputando soluções originais.

Um desafio é que a educação ainda é excessivamente baseada no texto. Só que a vida dos alunos é cada vez mais rica em mídias: vídeos, sites, redes sociais, música e remixes. “Quando chegam na escola, volta o reinado do bom e velho texto”, afirma Ronaldo Lemos.

A esse respeito, ganha força o movimento internacional dos Recursos Educacionais Abertos. A ideia é fazer com que todos materiais didáticos sejam colocados online de forma livre para serem manipulados, adaptados e remixados (o modelo tem apoio da UNESCO).

“Faz muito sentido”, diz o colunista da Folha. Nada mais pobre do que colocar material didático em PDF, formato que só reproduz limitações do mundo físico no digital. “O desafio hoje, é construir novas relações entre a informação e envolver alunos e professores neste processo”.

Ouça mp3.

Ouça ogg.

Nenhum comentário.

Manifesto para a engenharia reversa de nossas redes

Por Bartolina Sisa via CMI.

“É das paixões que brotam as opiniões; a inércia do espírito as faz enrijecerem na forma de convicções.
Mas quem sente o seu próprio espírito livre e infatigavelmente vivo pode evitar esse enrijecimento
mediante uma contínua mudança”
Friedrich Nietzsche – Humano, demasiado humano


“Digitalismo é uma forma de gnosis moderna, igualitária e barata, onde o fetiche do conhecimento foi
substituído pelo culto da rede digital”
Matteo Pasquinelli: A ideologia da cultura livre e a gramática da sabotagem


“Querer a autonomia supõe querer determinados tipos de instituição da sociedade e rejeitar outros. Mas
isso implica também querer um tipo de existência histórica, de relação com o passado e o futuro. Uma
como a outra, a relação com o passado e a relação com o futuro devem ser recriadas.”
Cornelius Castoriadis – As uncruzilhadas do labirinto volume VI

Esse texto visa percorrer alguns conceitos que despontaram no Brasil em nossa contemporaneidade acerca de novos e velhos intrumentos sócio-técnicos, chamados aqui de experiências de apropriações midiáticas brasileiras. Uso essa terminologia (que li pela primeira vez em LaymertGarcia, no livro Politizar as novas tecnologias) no sentido de articular uma via de mão dupla entre tecnologias e comunidades, impossibilitando qualquer interferência de um objetivo ou subjetivo determinismo tecnológico, abrindo portanto, e com mãos femininas, sua caixa preta.

Na década de 90, muito devido ao barateamento das ferramentas de produção de mídia e uma relativa liberdade política, surge na Holanda o conceito de mídia tática, cunhada por David Garcia e Geert Lovink, que ganhou notoriedade com a série de festivais Os Próximos Cinco Minutos (N5M – The Next Five Minutes [1]) que popularizou as experiências de rádios livres, blogs, publicações independentes, arte-ciência, ciberfeminismo e videoativismo de todo o mundo. É a pulverização de pequenas e médias iniciativas midiáticas baseadas na colaboração e descentralização. Finalmente as mídias ganhavam as ruas, reconectando-se aos movimentos sociais como verdadeiras armas de dissenso, e muitas vezes descoladas de seu suporte ciber ou digital.

Leia o resto desse post »

1 Comentário

Lei de Acesso a informação

Entrará em vigor no dia 16 de maio de 2012 a Lei de Acesso a informação.  A norma possibilita o exercício do direito de acesso à informação, previsto na Constituição Federal. Uma das providências de todos os órgãos e entidades da administração direta e indireta será a criação do Serviço de Informação ao Cidadão (SIC). O interessado deve ser dirigir a esse local para solicitar o documento, que deverá ser concedido de graça. Um dos pontos importantes ressaltados pela diretora de Prevenção da Corrupção da CGU, Vânia Vieira, é que o acesso à informação passa a ser a regra. O sigilo é a exceção.

[youtube tWOTTwjZuao]

Nenhum comentário.

Seminário “Banda Larga no Brasil e os direitos dos consumidores”

Via IDEC.

O Idec, com apoio da Fundação Ford e do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor da Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça,  irá realizar em Brasília, o Seminário ”Banda Larga no Brasil e os direitos dos Consumidores”.

O seminário abordará os aspectos que envolvem a banda larga no Brasil e a proteção dos direitos do consumidor, em uma perspectiva ampla de cidadania.

Pretendemos também fazer uma avaliação dos dois anos do Plano Nacional de Banda Larga e discutir a qualidade na disponibilização e prestação do serviço de internet no país.

As vagas são limitadas. As inscrições são gratuitas.

Clique neste link para fazer a sua inscrição: http://goo.gl/o3Itx

Leia o resto desse post »

5 Comentários

Pular para a barra de ferramentas