Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo

P1060982

Fachada do Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo, situado na Avenida Capivari, nº 602 – Bairro Cristal – Porto Alegre – RS.

Os artistas e criadores envolvidos no projeto “Os Três Presentes Mágicos” são participantes efetivos do Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo (Bairro Cristal – Porto Alegre – RS), que há 08 anos se consolidou como um espaço de expressão artística, resistência e organização de jovens negros no Bairro Cristal e arredores.

A execução do Projeto ocupará a estrutura física e toda a potencialidade do Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo na perspectiva de fortalecê-lo como instrumento de inclusão sociocultural da comunidade negra e na organização de suas lutas.

O Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo é um centro cultural comunitário surgido da articulação provocada pelo Programa Cultura Viva por meio dos editais de Pontos de Cultura que tem como proponente a Guayí, contando ainda com um Conselho Gestor Comunitário. Se enxerga como um “Território de Resistência e Comunicação Comunitária” nas suas mais diversas formas de manifestação, saberes e fazeres. Possui em sua estrutura interna Núcleos com gestão democrática e compartilhada pelos seus participantes: Coletivo Ialodê Idunn (Música), Grupo Fuzuê Teatro de Animação, Rádio Comunitária, Biblioteca Comunitária, Coletivo Fotográfico Imagens Faladas, Coletivo de Artes Gráficas Filhos do Mundo, Estúdio Multimeios, Coletivo Feminista Sopapo de Mulheres e a produtora audiovisual Cristalizar Vídeo Produtora – CVP.

IMG_0739

Sopapo, o Grande Tambor

Um dos objetivos do Ponto é a preservação e memória do “Tambor de Sopapo”, cuja musicalidade será a base da trilha sonora do espetáculo.

O Tambor de Sopapo carrega a história da diáspora africana no Rio Grande do Sul. Sua matriz vem pelas mãos e mentes dos africanos escravizados para a região das charqueadas, ao extremo sul do Brasil. É considerado sagrado, retumbando o som por séculos de um purificar religioso para os rituais de matança – realidade presente nas propriedades que produziam o charque entre os séculos XVIII e XIX. A partir da década de 1950, inicia seu caminho no Carnaval, quando surgiram as primeiras escolas de samba no estado, sendo depois extinto devido a um processo de “carioquização” dos desfiles.

Com a execução do Projeto, o valor místico e histórico do Tambor de Sopapo será resgatado dentro de sua dimensão de expressão sonora e cênica.

O projeto é importante porque deixa ainda como saldo positivo de sua execução o fortalecimento deste espaço de atuação de cultura e resistência negra, potencializando todos os seus Núcleos e Coletivos.

Página do Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo: http://quilombodosopapo.redelivre.org.br/

Pular para a barra de ferramentas